A Guerra dos Tronos - Capítulo 29

De Gelo e Fogo wiki
Ir para: navegação, pesquisa


Sansa II
Capítulo de A Guerra dos Tronos
A Guerra dos Tronos.jpg
PDVSansa Stark
LocalPorto Real
PáginaPT-BR Leya (Outras versões)
Cronologia dos capítulos (Todos)
Sansa I
Catelyn V ← Sansa II → Eddard VII

Sansa III

Sansa está fascinada pelo Torneio da Mão, especialmente pelos cavaleiros. Sor Gregor Clegane mata um cavaleiro novo chamado Sor Hugh em uma justa, e depois de uma vitória Sor Loras Tyrell lhe dá uma rosa. Durante a festa que se segue, o Príncipe Joffrey é muito cortês, mas depois ele ordena Sandor Clegane que acompanhe Sansa Stark de volta à seus aposentos. Quando Sandor Clegane percebe que Sansa Stark está evitando olhar seu rosto queimado, ele a força a olhar e diz a ela como ele o adquiriu.

Sinopse

Sor Loras Tyrell no Torneio da Mão, extraído de A Guerra dos Tronos - Edição Ilustrada, por Michael Komarck ©.

Sansa vai para Torneio da Mão em uma liteira com a Septã Mordane e Jeyne Poole. O esplendor tira a respiração de Sansa, sobretudo os cavaleiros. Todos da Guarda Real estão lá em capas e armaduras brancas, exceto Sor Jaime Lannister, o Regicida, que usa sua famosa armadura dourada. O gigante Sor Gregor Clegane troveja como uma avalanche. Sansa também espia Yohn Royce e sussurra a Jeyne que ele usa uma armadura de bronze de milhares de anos, gravada em runas que protegem o portador. Septa Mordane aponta Lorde Jason Mallister em um capacete com asas de águia e armadura de índigo embutido em prata. As meninas riem com o guerreiro-sacerdote Thoros de Myr até que a sept]a lhes digam que uma vez ele escalou as paredes de Pyke com uma espada flamejante durante o Cerco de Pyke. Apesar de assustada com a pele escura Jalabhar Xho, quando Jeyne vê lorde Beric Dondarrion, ela afirma que está disposta a se casar imediatamente. A procissão continua, com muitos cavaleiros que Sansa não conhece. Para Sansa é melhor do que nas músicas.

Eles vêem o torneio em um lugar de honra. Jory Cassel, em armadura monótona, ganha duas partidas, mas perde uma terceira partida bem travada contra Lothor Brune quando Rei Robert julga a lança de Brune ter sido mais estável e melhor colocado. Os outros concorrentes de Winterfell também não se classificam. Sansa e Jeyne gritam às vezes quando os cavaleiros encontram durante as justas. Sansa observa que Jeyne costuma cobrir seus olhos quando um cavaleiro cai, mas sabe como uma grande senhora deve agir o que causa a aprovação de Septa Mordane por sua compostura.

A competição continua durante todo o dia e vai até a noite. Sor Jaime, monta brilhantemente, derrotando Sor Barristan Selmy, que já tinha derrubado dois homens trinta e quarenta anos mais novos do que ele. Sandor Clegane e seu imenso irmão Sor Gregor Clegane, o Mountain que Cavalga, parecem imparáveis. Na segunda justa de Sor Gregor, sua lança ergue-se demais e ele empala Sor Hugh do Vale no pescoço, matando-o. Sor Hugh, em sua nova e brilhante armadura, cai próximo de Sansa. Jeyne está tão perturbada que não consegue parar de chorar, forçando Septã Mordane a levá-la para recuperar a compostura, mas ela nunca mais retorna. Sansa fica espantada por se sentir impassível com a morte, até que perceba que não haverá canções sobre de Sor Hugh.

Lorde Renly Baratheon, um dos favorito da multidão, é derrubado tão violentamente por Sandor Clegane que ele parece voar para trás e a dura queda quebra um dos chifres dourado de seu elmo. Renly dá o chifre quebrado à Sandor, que simplesmente o joga na multidão.

No final da competição do dia, apenas quatro concorrentes permanecem: Sor Gregor Clegane, o Sandor Clegane, Sor Jaime Lannister e Sor Loras Tyrell. Sansa fica seduzida por Sor Loras, que é chamado “Cavaleiro das Flores” e que está dando rosas brancas a várias damas na multidão ao longo do dia. Finalmente, Sor Loras dá uma rosa vermelha a Sansa, dizendo que nenhuma vitória é tão bonita Sansa, que fica é hipnotizada por um longo tempo até que ela perceba o Senhor Petyr Baelish acima dela. Ele diz a Sansa que ela tem o cabelo de sua mãe e sai. O rei anuncia que as últimas três justas aguardarão o próximo dia.

Mais tarde, na festa, o Príncipe Joffrey fica ao lado de Sansa. Ele não falou com ela e ela não ousou falar com ele desde o desentendimento dele com Arya Stark na Estrada do Rei. Sansa lembra-se de pensar no início que odiava Joffrey pela morte Lady, mas depois pensou que não era culpa de Joffrey, mas a rainha Cersei e Arya que eram as responsáveis. Agora, Joffrey era a alma da cortesia, felicitando-a dizendo que Sor Loras tem um olhar intenso para a beleza. Sansa pergunta se Sor Loras vencerá, mas Joffrey responde que seu tio ou seu cão o derrotarão, e que um dia ele irá vencê-los a todos. Joffrey enche sua xícara com vinho, o que faz ela olhar para Septã Mordane, mas quando Joffrey também preenche o copo do septã, Sansa agradece-lhe. Ele fala com ela o resto da noite, fazendo-a rir e ajudando-a a comer novos alimentos como caracóis e trutas cozidas em barro. Ela pode ver que o braço ferido por Nymeria ainda está incomodando Joffrey, mas ele não se queixa.

Bêbado, o Rei briga e grita com sua esposa, a Rainha Cersei, insistindo que irá participar do torneio no outro dia. Todos olham fixamente, mas ninguém interfere, e a rainha fica em silêncio. Quando Jaime vem até ele, o rei o afasta com força, derrubando Jaime. O rei se se vangloria dizendo que ainda pode matar Jaime e que ninguém na terra pode se igualar a ele com um martelo de guerra em sua posse. Jaime concorda com uma rígida cortesia.

Joffrey então diz a Sansa que está atrasado e pergunta se ela precisa de uma escolta de volta a seus aposentos. Com Septã Mordane dormindo na mesa, Joffrey chama Sandor Clegane para levar sua noiva de volta aos seus aposentos e despacha Sansa. Cão de Caça pergunta a Sansa se ela esperava que Joffrey a acompanhasse em pessoa, debochando dela. Ela não gosta da idéia de ser acompanhada pelo Cão de Caça, mas vai mesmo assim.

Enquanto Sandor a acompanha de volta, Sansa evita olhar seu rosto queimado, mesmo que ela insista pra si mesma que uma verdadeira dama não perceberia. Ela felicita o desempenho de Sandor na justa, chamando-lhe "Sor". Ele responde com raiva que ele não é um cavaleiro e que ele despreza os votos que os cavaleiros tomam. Ele diz a ela que seu irmão é um cavaleiro e pergunta se ele cumpre suas expectativas ingênuas sobre o que é ser um cavaleiro. Sansa, perdida nas palavras, responde que ninguém poderia se opor a Sor Gregor. Cão de Caça simplesmente ri, dizendo que sua septã ensinou-lhe bem, chamando-a de pequeno passarinho recitando as palavras que eles lhe ensinam. Quando Sansa diz a Sandor que ele está a assustando, ele continua insistindo que, durante o torneio, seu irmão percebeu que a armadura de Sor Hugh estava mal ajustada e propositadamente deixou sua lança subir para matar Sor Hugh.

Sandor então força Sansa a olhar seu rosto queimado. Quando ela começa a chorar, Cão de Caça lhe diz como seu irmão Gregor queimou seu rosto quando ele tinha seis anos por roubar um cavaleiro de brinquedo. O brinquedo não tinha sido nada para Gregor, que já era um escudeiro de seis Pés de altura (mais de 1,80 metros). Ele levantou Sandor com força e pressionou o rosto em um braseiro. Quatro anos depois, eles ungiram Gregor com os sete óleos, e depois de dizer seus votos ele foi chamado “Sor” Gregor.

Sansa agora se sente triste por Sandor, e por um instante já não tem medo dele. O silêncio continua por um longo tempo, e finalmente ela diz que seu irmão não é um verdadeiro cavaleiro. Eles viajam o resto do caminho em silêncio. Quando finalmente chegam ao corredor, fora de seu quarto, Sansa agradece-lhe. A única resposta do Hound é um aviso para nunca falar nada sobre essa conversa a ninguém, se não ele a matará.

Lista de Personagens

Aparecem:

Termos e lugares mencionados

Galeria de imagens

Sobre a página

Esta página utiliza conteúdo baseado em A Game of Thrones-Chapter 29, um artigo de A Wiki Of Ice And Fire.