A Guerra dos Tronos - Capítulo 38

De Gelo e Fogo wiki
Ir para: navegação, pesquisa


Tyrion V
Capítulo de A Guerra dos Tronos
A Guerra dos Tronos.jpg
PDVTyrion Lannister
LocalNinho da Águia no Vale de Arryn
PáginaPT-BR Leya (Outras versões)
Cronologia dos capítulos (Todos)
Tyrion IV
Bran V ← Tyrion V → Eddard X

Tyrion VI

Tyrion é mantido em cativeiro em uma das células celestes do Ninho da Águia. Eventualmente, ele suborna o carcereiro para levar uma mensagem que ele está pronto para confessar. Quando levado ao salão, Tyrion consegue convencer Senhora Lysa Arryn a dar-lhe um Julgamento por combate e o mercenário Bronn declara que ele será o campeão de Tyrion.

Sinopse

Tyrion no cativeiro em Ninho da Águia, extraído de 'A Guerra dos Tronos - Edição Ilustrada', por Michael Komarck ©.

O feio e sádico carcereiro Mord traz feijão para Tyrion, que está em uma das calas do Ninho da Águia. Como sempre, quando Tyrion pega o prato, o imbecil o puxa para fora e o segura sobre a borda da cela, dizendo a Tyrion para pegá-lo. Tyrion não está disposto a pisar tão perto da borda e Mord deixa a prato cair. Tyrion amaldiçoa Mord, que lhe dá um chute antes de sair.

Tyrion rasteja até seu cobertor fino que substituiu o manto de Gato-da-sombra, visto que este foi roubado por Mord. Tyrion reflete que ele trocaria de bom grado a cala fria e aberta do céu pelas celas mais úmidas de Rochedo Casterly. O anão lembra que quando Mord colocou Tyrion na cela, ele prometeu que, mais cedo ou mais tarde, Tyrion iria “voar”, que significa que ele cairia, pois tem uma abertura enorme que dá para uma queda gigante. Para piorar as coisas, o chão inclina-se para a abertura, o que faz com que Tyrion tenha medo de dormir e escorregar em direção à abertura, o que significaria uma queda enorme e, consequentemente, sua morte.

Tyrion lembra quando Lysa Arryn anunciou a sua corte que Tyrion havia matado Jon Arryn, a Mão do Rei. Foi quando Tyrion responde “Oh, eu o matei também?” Ele se perguntou em voz alta quando teria tempo suficiente para fazer todos esses assassinatos. Ele deveria ter ficado em silêncio, mas ele estava de mau humor, tendo sido humilhado por ter sido levado na última parte da escalada para o Ninho de Águia por Bronn. Lysa o alertou sobre sua situação e onde ele estava, mas ele os ameaçou com a ira de Jaime Lannister mesmo assim. Ele até declarou sua ameaça como uma promessa, o que levou o jovem e doente Lorde Robert Arryn a um ataque. Foi apenas a intervenção de Catelyn Stark que o salvou de ser obrigado a voar quando ela insistiu que Tyrion era seu prisioneiro. Então ele foi enviado para as celas.

Tyrion pensou que eles não ousariam matá-lo de imediato, mas agora ele não tem tanta certeza. Ele está ficando mais fraco a cada dia e é apenas uma questão de tempo até que os chutes de Mord lhe causem sérios danos. Ele tem certeza de que seu pai estaria enviado cavaleiros naquele momento e Jaime pode já estar liderando um exército para resgatá-lo. Cersei pode convencer Rei Robert a julgar por si mesmo, o que nem mesmo Eddard Stark poderia objetar. Tyrion tem certeza de que pode ganhar um julgamento, visto que os Starks não tem provas.

Tyrion se pergunta qual de seus irmãos encomendou o assassinato de Bran Stark e se eles também conspiraram na morte de Jon Arryn. Se Lorde Arryn foi assassinado, foi sutilmente feito, mas enviar um assassino para matar Bran foi incrivelmente trapalhão. Isso leva Tyrion a se perguntar se há alguém a mais envolvida que fez dele um peão; Tyrion odeia ser um peão.

Tyrion decide que ele deve se libertar e logo. Ele não tem chance de enfrentar Mord, então ele deve ser mais esperto. Tyrion martela na porta, gritando por Mord. Mord está furioso porque Tyrion está fazendo barulho. Tyrion, lembrando-se de não mostrar medo, pergunta se Mord gostaria de ser rico. Mord só o atinge com uma correia de couro. É preciso que o anão fale muito sobre o ouro e as riquezas Lannister enquanto é esbofeteado antes que Mord finalmente comece a ouvir. Tyrion explica que, embora tivessem levado sua bolsa, Catelyn Stark nunca iria roubá-lo; portanto o ouro ainda é dele. Tyrion promete todo seu ouro para Mord em troca do carcereiro avisar Lysa Arryn que ele deseja confessar seus crimes. Tyrion chega a mentir que seu irmão Jaime usa uma armadura de ouro puro (na verdade é de aço dourado, mas Mord nunca saberia a diferença). Quando Tyrion sente a suspeita de Mord, ele se oferece para escrever um contrato com o acordo e Mord traz uma caneta e papel.

Tyrion está tremendo em seu sono quando Sor Vardis Egen chega para trazê-lo até Lysa. Antes de sair, Tyrion pede a Mord sua capa de pele de Gato-da-sombra e Sor Vardis ordena que o infeliz carcereiro a entregue. O Alto Salão está cheio de cavaleiros e testemunhas para ouvir suas confissões. Tyrion está feliz em ver que o jovem Lorde Robert não está no trono. Tyrion também está satisfeito em ver Bronn e Marillion entre as testemunhas; com um cantor presente, aconteça o que acontecer, não será um segredo.

Lysa comenta com sua irmã que as celas do Ninho da Águia sempre quebram os prisioneiros, mas Catelyn apenas diz que Tyrion não parece estar quebrado para ela. Tyrion declara para si mesmo que chegou a hora de rolar os dados. Começa declarando-se um homenzinho vil e que seus crimes e pecados estão além da contagem: prostituição, jogos de azar, desejo que seu pai e sua irmã morram, fazendo fofoca na corte real. Logo ele é interrompido pela furia de Lysa enquanto Catelyn diz que ele está lá para confessar a tentativa de assassinato de Bran Stark e o assassinato de Jon Arryn. Tyrion apenas responde que não pode confessar esses crimes porque disso ele é inocente.

Lysa ordena que Tyrion seja levado de volta para uma célula ainda menor com um piso ainda mais íngreme. Antes que ele possa ser levado, Tyrion pergunta em voz alta se é assim que a justiça é feita no Vale dos Arryn: ele é acusado de crimes, ele os nega, e então ele é jogado em uma cela. Ele faz questão de mostrar seu rosto machucado para a multidão. Tyrion exige um julgamento em que ele possa se defender e ser julgado por deuses e homens. Lysa afirma que, se Tyrion for considerado culpado, ele passará pela "porta da lua", o que leva apenas a um mergulho fatal na encosta da montanha abaixo. Catelyn diz a Lysa que isso é imprudente. Lysa afirma que seu filho vai ouvir e julgar Tyrion. Tyrion se lembra de Lorde Robert afirmando que ele queria vê-lo voar.

Tyrion exige um Julgamento por combate, que enche o salão de riso irônico. Há gritos por todo o salão, com a maioria dos homens pedindo para receber a honra de defender a causa de Lysa Arryn. Lysa declara que Sor Vardis Egen, o único homem silencioso, será seu campeão. Sor Vardis joelha-se, mas recusa a honra, insistindo que massacrar um homem tão indefeso seria vergonhoso. Tyrion é rápido em concordar, exigindo um campeão também, indicando seu irmão Jaime. Quando Lysa recusa a escolha de Tyrion, porque Jaime está a centenas de léguas de distância, Tyrion se volta para Marillion para insistir que quando ele fizer uma música desse ocasião, ele deverá mencionar que foi negado seu campeão e que foi enviado para o combate ferido e mancando contra o melhor de cavaleiro da Senhora Lysa. Furiosa, Lysa diz para o anão nomear outro campeão. Por um momento ninguém se move e Tyrion se pergunta se ele cometeu um erro terrível. Então, há uma agitação no fundo da sala, e Bronn diz que ele será o campeão de Tyrion.

Sobre a página

Esta página utiliza conteúdo baseado em A Game of Thrones – Chapter 38, um artigo de A Wiki Of Ice And Fire.