Batalha da Goela

De Gelo e Fogo wiki
Ir para: navegação, pesquisa
Batalha da Goela
Conflito Dança dos Dragões
Data 129 d.C.
Local Goela
Resultado Vitória pírrica dos Verdes e das Três Filhas
Beligerantes
Os Negros
(apoiadores de Rhaenyra)
Os Verdes
(apoiadores de Aegon II)
Reino das Três Filhas
Comandantes
Príncipe Jacaerys Velaryon Almirante Sharako Lohar
Forças
Frota da Casa Velaryon
Dragões:
90 navios
Baixas
Pesadas (pelo menos 33 % da frota Velaryon destruída)

Jacaerys Velaryon
Viserys Targaryen (capturado)
Vermax
Stormcloud
62 navios de guerra perdidos

A Batalha da Goela,[1][2] também chamada de Batalha na Goela,[1] foi um grande combate marítimo travado na Goela, a porta de entrada para as Terras da Coroa, vindo do mar. Foi lutada durante a Dança dos Dragões, a grande guerra civil Targaryen e é considerada a mais sangrenta batalha naval da história.[1]

Prelúdio

No começo da Dança dos Dragões, a Casa Velaryon iniciou um bloqueio naval no estreito conhecido como Goela e assim controlavam toda a entrada da Baía da Água Negra, cortando a principal rota comercial da região, do qual a cidade de Porto Real (controlada pelo rei Aegon II) dependia. Daemon Targaryen, marido da rainha reclamante Rhaenyra, havia conquistado Harrenhal e derrotado os Verdes na Batalha do Moinho Flamejante, colocando a situação do rei Aegon II em crise. Sor Otto Hightower, a Mão do Rei de Aegon, armou um plano para romper o bloqueio da frota Velaryon. Otto contactou os inimigos do príncipe Daemon em além do mar estreito, especialmente o Reino das Três Filhas (que era uma aliança das Cidades Livres de Myr, Lys e Tyrosh), esperando que eles pudessem vir com seus navios e atacassem por trás as embarcações do lorde Corlys Velaryon. O plano de Otto levou tempo para se concretizar e Aegon II eventualmente foi ficando sem paciência com as prevaricações do seu avô, retirando-lhe o título de Mão e o outorgando a Sor Criston Cole.[1]

Porém, após algum tempo, os esquemas de Sor Otto começaram a dar frutos, com o Alto Conselho da Tríade das Três Filhas aceitando a oferta do Trono de Ferro e assim uma aliança foi formada. Uma frota de 90 navios, sob a bandeira das Três Filhas, comandada pelo almirante Sharako Lohar, de Lys, partiu em direção a Westeros, passando por Passopedra, indo em direção a Goela.[1]

Enquanto isso, em Pedra do Dragão, o príncipe Jacaerys Velaryon, herdeiro de Rhaenyra, decidiu que seus meio-irmãos, as crianças Aegon e Viserys, seriam levados para Pentos, onde seriam cuidados pelo governante local, até que Trono de Ferro fosse conquistado, partindo de navio, o Gay Abandon, por volta de 129 d.C.. O lorde Corlys Velaryon enviou sete embarcações para escolta-los.[1]

A batalha

A coca Gay Abandon, levando os dois príncipes Targaryen, filhos de Rhaenyra, encontrou a frota das Três Filhas que estavam partindo para a Goela. O Gay Abandon foi capturado e seus navios-escolta foram tomados ou afundados.[1]

O príncipe Viserys tinha apenas um ovo de dragão e, sem poder fugir, foi capturado. Seu irmão de nove anos, o menino Aegon, conseguiu escapar do Gay Abandon voando nas costas do seu jovem dragão Stormcloud. Os marinheiros tentaram impedi-los, disparando flechas e dardos contra o dragão, ferindo-o. Ainda assim, o jovem Aegon e Stormcloud chegaram em Pedra do Dragão, dando notícia da ameaça da frota das Três Filhas, que vinha em auxílio dos Verdes. Stormcloud viria a morrer devido aos ferimentos sofridos.[1]

Ao saber do que estava acontecendo, o príncipe Jacaerys voou em Vermax para apoiar a Armada Velaryon e defrontar a frota das Três Filhas, caindo sobre as galés Lyseneses. Os marinheiros das Três Filhas já haviam combatido dragões na Guerra pelos Degraus e sabiam do seu poder, tomando as medidas defensivas apropriadas. Os capitães das embarcações de Lys direcionaram suas lanças, flechas e dardos contra Jacaerys e seu dragão. Vermax, porém, foi incendiando um navio após o outro. Então, os dragões Silverwing, Sheepstealer, Seasmoke e Vermithor chegaram para apoiar os Negros, estraçalhando a frota de navios de guerra das Cidades Livres, afundando incontáveis galés.[1]

Vermax foi voando baixo para destruir o inimigo, mas acabou caindo no mar, possivelmente devido a um ferimento sofrido de uma flecha no olho ou após ser acertado por um arpéu. Sobreviventes dizem que o dragão, talvez, tenha se enroscado num navio em chamas e afundou com ele. Seu domador, o príncipe Jacaerys, sobreviveu ao impacto no mar, porém acabou sendo morto na água pelos arqueiros nos navios de Myr.[1]

Ao norte e ao sul de Pedra do Dragão a batalha naval prosseguiu intensa noite adentro. A frota das Três irmãs decidiu contornar a ilha-fortaleza Targaryen e atacaram Derivamarca, a sede da Casa Velaryon. Vila Condimento foi brutalmente saqueada, seus habitantes assassinados e a cidade destruída. A fortaleza de Maré Alta e outros tesouros de lorde Corlys Velaryon foram incendiados, com a maioria dos seus servos sendo mortos.[1]

No final, a frota Velaryon recuou, mas a armada das Três Filhas não tinha qualquer condição de lhes dar perseguição e bateram em retirada eles próprios.

Consequências

Milhares de pessoas morreram na batalha e a arrasada Vila Condimento nunca mais foi reconstruída. A frota Velaryon perdeu pelo menos um-terço de sua força. O príncipe Jacaerys Velaryon e seu dragão Vermax foram mortos e o príncipe Viserys Targaryen foi feito cativo pelos Verdes.[1][3]

O almirante da Tríade, Sharako Lohar de Lys, havia levado uma frota de 90 navios de guerra para Passopedra mas retornou para casa com apenas 28 embarcações flutuando, sofrendo um total de 62 navios afundados e incontáveis marinheiros mortos. A reação imediata da Tríade a esta vitória pírrica não é conhecida mas é sabido que, um ano mais tarde, por volta de 130 d.C., a aliança que formava a Tríada já havia começado a se desfalecer.[1]

Citaçõess

No entanto, nenhuma dessas perdas foi sentida tão profundamente como a de Jacaerys Velaryon, Príncipe de Pedra do Dragão e herdeiro no Trono de Ferro.[1]
- Arquimeistre Gyldayn

Referências