Queda de Porto Real

De Gelo e Fogo wiki
Ir para: navegação, pesquisa
Queda de Porto Real
Conflito Dança dos Dragões
Data 130 d.C.
Local Porto Real
Resultado Vitória dos Negros
Beligerantes
Os Negros (partidários de Rhaenyra Targaryen) Os Verdes
(partidários de Aegon II Targaryen)
Comandantes
Príncipe Daemon Targaryen
Lorde Corlys Velaryon
Sor Luthor Largent (mudou de lado)
Rainha Alicent Hightower
Lorde Otto Hightower
Sor Gwayne Hightower
Lorde Jasper Wylde
Forças
Exército de Daemon Targaryen
Frota de Corlys Velaryon
Mantos Dourados
Caraxes
Syrax
Algumas centenas de cavaleiros, arqueiros e soldados de infantaria
Baixas
Mínimas Pesadas

A Queda de Porto Real, em 130 d.C., aconteceu durante a Dança dos Dragões, e resultou na tomada da capital do reino pelas forças da facção da rainha Rhaenyra Targaryen.[1]

Prelúdio

O príncipe Aemond Targaryen e Sor Criston Cole decidiram tomar a iniciativa e reuniram uma tropa de simpatizantes do rei Aegon II Targaryen (conhecidos como Os Verdes) e marcharam até Harrenhal (local onde Daemon Targaryen, marido de Rhaenyra, havia montado seu quartel-general), deixando a cidade de Porto Real praticamente sem defesas. Isso abriu uma oportunidade para Daemon e os Negros e eles a aproveitariam.

O príncipe Daemon Targaryen, montado em Caraxes, e a rainha Rhaenyra Targaryen, montada em Syrax, voaram para a capital e sobrevoaram a Colina de Aegon. Uma frota, liderada por lorde Corlys Velaryon, transportando tropas, se aproximava de Porto Real e chegou pelo leste da Baía da Água Negra.

A batalha

A visão de Daemon em Caraxes e Rhaenyra em Syrax sobrevoando a cidade fez com que a população da cidade entrasse em pânico. A ex rainha-consorte, Alicent Hightower, tentou mandar mensageiros para trazer o príncipe Aemond e seus homens de volta a capital e também mandou corvos para todos os lordes leais, mas seus esforços foram inúteis. O que Alicent não sabia era que os Mantos Dourados (a guarda da cidade), havia traído ela e os Verdes. Os Mantos Dourados eram leais ao príncipe Daemon, que já os havia comandado. Quando foram dadas as ordens para despachar os corvos, o meistre Orwyle foi preso e espancado pelos guardas da cidade. Os sete comandantes dos portões que ainda eram leais ao rei Aegon II foram aprisionados ou mortos no momento em que Caraxes foi visto sobrevoando a Fortaleza Vermelha. Sor Gwayne Hightower, o segundo comandante dos Mantos Dourados, foi capturado quando tentou soar o alarme. Ele foi levado até Sor Luthor Largent, o comandante da guarda. Gwayne repudiou como um "vira casaca" e Luthor respondeu:

Daemon nos deu esses mantos e eles são dourados, não importando se você os virar.[1]

Sor Luthor então matou Gwayne e abriu os portões de Porto Real para que o exército de Rhaenyra, que desembarcava dos navios da frota Velaryon, pudesse entrar. Cerca de treze cavaleiros da Casa Hightower e algumas centenas de soldados conseguiram manter o Portão do Rio por oito horas de ataques dos Negros vindo de dentro e de fora da cidade. Os outros seis portões, contudo, caíram perante as tropas da rainha Rhaenyra com facilidade. No final, em menos de um dia, a capital do reino já estava firme na mão dos Negros. Vendo que não havia saída, a ex rainha-consorte Alicent Hightower ordenou que seus soldados remanescentes se rendessem.

Consequências

O rei Aegon II Targaryen conseguiu escapar de Porto Real pelas mãos do seu mestre de sussurros, o Lorde Larys Strong, que o conduziu via passagens secretas da Fortaleza Vermelha. Aegon era protegido por dois cavaleiros de sua Guarda Real, Sor Willis Fell e Sor Rickard Thorne, e era acompanhado por seus dois filhos, a princesa Jaehaera e o príncipe Maelor.

Os lordes Otto Hightower e Jasper Wylde foram presos e executados por traição pelos homens de Rhaenyra. Alicent Hightower e a rainha Helaena Targaryen, esposa de Aegon, foram feitas prisioneiras. Sor Tyland Lannister foi torturado para que entregasse a localização do tesouro real. O grande meistre Orwyle foi confinado nas celas negras.

A rainha Rhaenyra Targaryen finalmente tomara para si o Trono de Ferro, embora muitos lordes tivessem notado que ela se cortou no trono ao se sentar, o que começou rumores de que o trono a havia rejeitado. Inicialmente, a população da cidade de Porto Real saudou a ascensão de Rhaenyra ao poder, já que a plebe não nutria muito amor pelo rei Aegon II e pelo príncipe Aemond Targaryen. Com o passar do tempo, contudo, a rainha Rhaenyra foi ficando paranoica e ordenou incontáveis execuções de pessoas que ela suspeitava de traição. Ao mesmo tempo, ela autorizou aumentos de impostos para financiar sua guerra. Esses acontecimentos começaram a fazer com que a popularidade de Rhaenyra caísse consideravelmente e o povo começou a chama-la de "Maegor com tetas".[1]

Referências