Mudanças entre as edições de "A Tormenta de Espadas - Capítulo 70"

De Gelo e Fogo wiki
Ir para navegação Ir para pesquisar

 

 
Linha 46: Linha 46:
  
 
Oberyn coloca um pé no peito de Gregor e ergue a espada, mas a mão de Gregor dispara e agarra Oberyn atrás do joelho, fazendo-o cair e puxando-o em sua direção. Eles estão lutando no chão, e de repente Tyrion vê Gregor colocar o braço em torno de Oberyn antes de finalmente dizer o nome de Elia. Ele diz que primeiro matou os filhos dela e só depois a estuprou, e com essas palavras ele crava os dedos no rosto de Oberyn. Um segundo golpe arranca os dentes de Oberyn, e um terceiro é acompanhado por um estrondo nojento, de modo que Tyrion vomita no mesmo instante. Apenas alguns minutos depois ele recupera os sentidos quando percebe que não está sendo levado de volta para sua sala na torre, mas para as [[celas negras]].
 
Oberyn coloca um pé no peito de Gregor e ergue a espada, mas a mão de Gregor dispara e agarra Oberyn atrás do joelho, fazendo-o cair e puxando-o em sua direção. Eles estão lutando no chão, e de repente Tyrion vê Gregor colocar o braço em torno de Oberyn antes de finalmente dizer o nome de Elia. Ele diz que primeiro matou os filhos dela e só depois a estuprou, e com essas palavras ele crava os dedos no rosto de Oberyn. Um segundo golpe arranca os dentes de Oberyn, e um terceiro é acompanhado por um estrondo nojento, de modo que Tyrion vomita no mesmo instante. Apenas alguns minutos depois ele recupera os sentidos quando percebe que não está sendo levado de volta para sua sala na torre, mas para as [[celas negras]].
 +
 +
==Citações==
 +
{{Quote|Da morte de Joffrey sou inocente. Sou culpado de um crime mais monstruoso. Nasci. Sobrevivi. Sou culpado de ser um anão, confesso. E independentemente de quantas vezes o meu bondoso pai tenha me perdoado, persisti na minha infâmia.|[[Tyrion]] para [[Tywin]] durante seu julgamento.}}
 +
 +
{{Quote|Tudo vem de trás e mais de trás, de nossas mães e pais e dos que vieram antes deles. Somos marionetes a dançar, presos aos cordéis daqueles que chegaram antes de nós, e um dia nossos filhos ficarão com nossos cordéis e dançarão em nosso lugar.|pensamentos de [[Tyrion]].}}
 +
 +
{{Quote|'''Oberyn:''' Estuprou-a. Assassinou-a. Matou os filhos dela. Estuprou-a. Assassinou-a. Matou os filhos dela. Estuprou-a. Assassinou-a. Matou os filhos dela. Estuprou-a. Assassinou-a. Matou os filhos dela. <br> '''Gregor:''' Fique quieto. Fecha a merda da boca.<br> '''Oberyn:''' Estuprou-a. <br> '''Gregor:''' Basta! <br>'''Oberyn:''' Assassinou-a.<br>'''Gregor:''' CALE-SE! <br>'''Oberyn:''' Elia. Estuprou-a. Assassinou-a. Matou os filhos dela. E agora, diga o nome dela.<br> '''Gregor:''' Você fala demais. Faz minha cabeça doer. <br>'''Oberyn:''' Vou ouvi-lo dizer isso. Ela era [[Elia de Dorne]]. |duelo entre a [[Oberyn Martell|Víbora]] e a [[Gregor Clegane|Montanha]].}}
 +
  
 
==Links externos==
 
==Links externos==

Edição atual tal como às 16h58min de 12 de junho de 2021

Tyrion X
Capítulo de A Tormenta de Espadas
A Tormenta de Espadas.jpg
PDVTyrion
LocalFortaleza Vermelha, Porto Real, Westeros
Página718-729 PT-BR Leya (Outras versões)
Cena. (Série HBO)
Cronologia dos capítulos (Todos)
Tyrion IX
Jon IX ← Tyrion X → Daenerys VI

Tyrion XI

Tyrion exige julgamento por combate e Oberyn o defende. Oberyn fere Gregor, mas acaba sendo morto.


Sinopse

O duelo entre Oberyn Martell e Gregor Clegane. Ilustração por Jonathan Burton © Folio Society.

Shae testemunha contra Tyrion

Tyrion Lannister está tomando café da manhã, mas não tem apetite. Naquele dia, uma última pessoa testemunhará contra ele, e só então ele terá permissão para falar, e depois o veredito será pronunciado. Ele pondera suas opções: Acusar Sansa Stark e Sor Dontos Hollard, confessar o que não cometeu e ir para a Patrulha da Noite, ou esperar que Oberyn Martell vença Sor Gregor Clegane em um julgamento por combate. A vantagem da Patrulha da Noite seria que ele ficaria longe de Cersei Lannister, além de ser um fato que o reino precise de mentes brilhantes na Muralha - pelo menos essas foram as palavras de Jeor Mormont, enquanto Tyrion visitava Castelo Negro. Ele vê os votos da Patrulha como uma desvantagem, mas, por outro lado, ele não herdará Rochedo Casterly de qualquer maneira, e também não parece ter sido feito para casamento. Ele também se lembra de existe um bordel nas proximidades do castelo da Patrulha. O maior problema, entretanto, é que ele tem que admitir que cometeu o crime, e então Tyrion deseja que realmente o tivesse feito, porque aparentemente ele está sendo punido por isso de qualquer maneira.

Podrick Payne anuncia Sor Addam Marbrand e os mantos dourados, que levam Tyrion. Ao sair, Tyrion se despede de Pod e agradece por seu serviço fiel. Sor Addam não fala com Tyrion naquele dia. Enquanto é levado e entra pela sala do trono, ele é observado por todos, que sussurram. Assim que Tyrion se senta na frente dos três juízes Tywin Lannister, Oberyn Martell e Mace Tyrell, Shae é apresentada, e Tyrion inicialmente acredita que eles simplesmente a questionaram, e ele teme que tenha sido revelado que ela é sua amante. Mas então ela acusa Tyrion pesadamente: conta a todos que ele e Sansa planejaram o assassinato depois que Robb Stark morreu. Segundo ela, Sansa agiu em vingança, e Tyrion queria herdar o trono. Em seguida, eles teriam planejado matar Cersei e Lorde Tywin, para que Tyrion pudesse ser Mão do Rei de Tommen Baratheon. Ela prossegue dizendo que, depois de um ano, ele mataria Tommen para ascender ao trono. Quando Oberyn pergunta como ela sabe de tudo isso, Shae explica que ela ouviu pois Sansa estava sempre tagarelando. E que também ouviu do próprio Tyrion, porque sempre foi sua prostituta. Shae continua o depoimento, dizendo que na manhã do casamento, Tyrion a arrastou para o câmara das ossadas dos dragões e a atacou. Além disso, ele supostamente lhe contou seu plano e lhe disse para ser grata por ter sido autorizada a ser a prostituta do rei. Então ela fala sobre a Batalha do Ramo Verde: na época Shae conta que era noiva de um escudeiro, mas Tyrion propositalmente o colocou na primeira fileira do exército para que ele não resistisse, e então os homens de seus clãs das montanhas a teriam sequestrado. Tyrion ameaçou deixá-la com Shagga e Timett se ela não obedecesse, e então ele a levou para Porto Real e fez coisas terríveis com ela. Oberyn pergunta com interesse que tipo de coisas Tyrion lhe fez. Shae explica que ele a violou de todas as maneiras possíveis e que ela sempre teve que chamá-lo de "Meu Gigante de Lannister".

Então, Sor Osmund Kettleblack ri alto, e Boros Blount, Meryn Trant, Cersei Lannister, Loras Tyrell e muitos lordes e damas se juntam a ele. Shae faz o papel de ingênua e finge não entender porque riem, repetindo as palavras "meu gigante de Lannister", o que faz todos rirem ainda mais.

Tyrion exige julgamento por combate

Tyrion pensa amargamente na Batalha da Água Negra, e em como ele salvou todos os senhores e damas e toda a cidade com suas ideias. O único que não parece ter vontade de rir é Lorde Tywin. Tyrion levanta a mão e grita até que seu pai finalmente exige ordem. Tyrion diz que eles deveriam remover a prostituta mentirosa do julgamento, e que então ele confessaria. Shae é levada para fora por vários homens de mantos dourados, e seus olhos se cruzam. Tyrion não sabe se ela está com vergonha ou apenas com medo, e ele se pergunta o que Cersei poderia ter prometido a ela.[1] Então Tyrion confessa, entretanto, não o assassinato de Joffrey, mas ele se declara culpado de ter nascido, por ter sobrevivido, e por ser anão. Tywin se irrita, e diz a Tyrion que ele não está em julgamento por ser um anão. Tyrion contra-ataca dizendo que foi punido a vida toda por ser um anão. Ele diz que não matou Joffrey, mesmo que a esta altura desejaria tê-lo feito. Ele olha ao redor para a audiência e grita em seus rostos que gostaria de ter veneno suficiente para todos eles, mas que ele não deveria esperar justiça daquelas pessoas, e que então ele se volta para os deuses. Tyrion exige um julgamento por combate. Tywin pergunta se Tyrion está louco, mas Cersei parece satisfeita e lembra a seu pai que é seu direito. Sor Gregor Clegane lutará em nome de Joffrey. O rosto de Tywin fica vermelho escuro e ele bate com o punho na mesa, zangado demais para dizer qualquer coisa, e então Lorde Mace pergunta se Tyrion tem um guerreiro para lutar por ele. Oberyn Martell se levanta e declara que Tyrion o convenceu de sua inocência e que lutará por ele.

O tumulto que se segue é ensurdecedor. Tyrion gosta particularmente da dúvida repentina nos olhos de Cersei. Lorde Tywin se levanta para anunciar que o assunto será decidido no dia seguinte, então encara Tyrion e deixa a sala do trono com Sor Kevan Lannister.

Tyrion visita Oberyn

De volta à sua cela na torre, ele se serve de um pouco de vinho e tem algo para comer. Por um lado, ele sente uma certa satisfação por ter tirado o poder de seu pai, por outro lado, ele teme que o Príncipe Oberyn possa perder a luta. Se ele ganhar, a Casa Tyrell também ficará insatisfeita. Mas se ele perder, Doran Martell procuraria saber por que seu irmão teve que morrer enquanto os assassinos de Elia ainda estão livres. Talvez coroassem Myrcella Baratheon rainha. Sor Kevan não o visita naquela noite, provavelmente tentando apaziguar os Tyrell com Lorde Tywin.

Na noite seguinte, Tyrion dorme surpreendentemente bem e na manhã seguinte tem um apetite saudável. Depois do café da manhã, ele recebe permissão para visitar seu guerreiro. Príncipe Oberyn está tendo sua armadura colocada por quatro de seus cavaleiros, incluindo Daemon Sand, Dagos Manwoody e Arron Qorgyle enquanto ele está bebendo uma taça de vinho tinto. Eles falam sobre as proporções desumanas de Sor Gregor, mas Oberyn não parece estar impressionado. Ele acredita que homens como ele, quando são derrubados, ficam perdidos. Tyrion está quase esperançoso porque Príncipe Oberyn é muito otimista. Então ele vê a arma de Oberyn, uma lança de dois metros e meio de comprimento. Ele explica que a lança é uma arma popular em Dorne e que pode compensar alcance de seu oponente. Tyrion também nota que a ponta da lâmina da lança está coberta por um líquido, possivelmente veneno. O Príncipe Oberyn convida Tyrion para ir a Lançassolar para fazer uma visita ao Príncipe Doran após a luta, de preferência com sua esposa, a Senhora de Winterfell. Tyrion pensa que eles têm muito o que conversar, por exemplo, no que diz respeito à sucessão ao trono, e a Rainha Myrcella certamente poderia usar o conselho de seu tio. Tyrion leva o pensamento mais longe e pensa que, neste caso, o Norte pode realmente estar atrás deles, embora esteja surpreso que Oberyn fale tão abertamente sobre traição, porque Varys tem seus "passarinhos" em todos os lugares .

Oberyn pergunta a Tyrion se ele se lembra da história que contou a ele quando se conheceram: quando Oberyn e Elia Martell cumpriam uma demanda viajando para Tombastela, para a Árvore, para Vilavelha, para as Ilhas Escudos, para Crakehall e para Rochedo Casterly, procurando por opções de casamento adequadas para ela. Doran foi então prometido a Lady Mellario de Norvos, e ele era o castelão de Lançassolar, mas Oberyn e Elia ainda não haviam sido prometidos a ninguém. Elia achou a viagem muito emocionante, mas Oberyn passou o tempo principalmente indicando possíveis pretendentes. Assim, ele nomeou vários deles com apelidos como o Pequeno Senhor Vesgo, a Baleia Andante e o Escudeiro Cuspidor, bem como Baelor Hightower, a que Elia já tinha estado meio apaixonada, e que Oberyn apelidou de "Baelor Peidorreiro" porque teve o contratempo de ter soltado um peido na presença dela. Depois disso, ela não conseguia mais olhar para ele sem rir. Tyrion imagina como a história teria sido se Elia tivesse se casado com Baelor e não com Rhaegar Targaryen. Oberyn continua dizendo que eles finalmente chegaram a Lannisporto e que a mãe de Tyrion e a mãe de Oberyn se conheciam bem por conta de seu tempo como damas de companhia da princesa Rhaella Targaryen. Por isso, elas planejaram secretamente casar seus filhos. Em Vilavelha, eles descobriram sobre a morte de Joanna, mas continuaram sua jornada mesmo assim. Em Rochedo Casterly, Lorde Tywin os cumprimentou duramente e recusou os planos de casamento, dizendo-lhes que Cersei era prometida para Rhaegar Targaryen e, em vez disso, ofereceu-lhes Tyrion para Elia, o que os Martell só puderam tomar como uma afronta.

Quando Tyrion diz que a mãe de Oberyn provavelmente venceu a batalha pelo Príncipe Rhaegar, Oberyn responde que Tywin retribuiu a Casa Martell por sua derrota no saque a Porto Real quando ele assassinou Elia. Oberyn explica que Elia e seus filhos esperaram muito tempo por justiça, mas que chegará a eles hoje.

A luta entre Gregor e Oberyn

O julgamento por combate. Arte extraída de 'A Tormenta de Espadas - Edição Ilustrada', por Gary Gianni ©.

A luta ocorre no pátio externo do castelo. Inúmeras pessoas se reunem para assistir ao duelo: ficam em pé e sentam-se nas escadas, nas janelas e nas ameias, nas varandas, nas pontes e nos telhados. Ao lado de Cersei, Sor Gregor Clegane parece desumanamente alto em sua armadura. Até Ellaria Sand parece chocada. Tyrion de repente deseja que Bronn ou Jaime lutassem por ele. Sor Gregor está em sua armadura completa e exibe sua espada de dois metros de comprimento, enquanto Oberyn usa apenas uma armadura leve, muita seda, e sua longa lança e um escudo redondo de aço polido.

Ao lado da Torre da Mão um pódio foi montado no qual Lorde Tywin e Sor Kevan se sentam, mas não Tommen, e a isso Tyrion é grato. Lorde Tywin olha para Tyrion por um momento, depois levanta a mão. O Alto Septão ora ao Pai e ao Guerreiro. Soer Osmund Kettleblack traz para Sor Gregor seu pesado escudo de carvalho, que não adorna o brasão da Casa Clegane, mas a estrela de sete pontas da Fé dos Sete. Os dois oponentes estão a 15 metros de distância quando a luta começa. Oberyn se aproxima rapidamente, Sor Gregor mais ameaçador. Quando eles estão a três metros de distância, Oberyn pergunta a Gregor se ele sabe quem ele é. Quando eles trocam os primeiros golpes, Oberyn explica que ele é irmão de Elia, que Gregor a estuprou e assassinou, e que matou seus filhos. Oberyn acerta o primeiro golpe na armadura peitoral de Sor Gregor. Oberyn acerta mais golpes, mas eles não podem ferir a armadura pesada. Por outro lado, Oberyn é rápido demais para os golpes incômodos do Montanha, e ele tem que se virar para ficar de olho em Oberyn, porque seu elmo dá a ele apenas um campo de visão muito limitado. Então a luta continua por muito tempo. Enquanto Sor Gregor o amaldiçoa brevemente uma vez, mas luta em silêncio, Oberyn continuamente o confronta com as acusações de estupro. Ellaria comenta que Oberyn está brincando com Gregor, o que Tyrion considera extremamente tolo.

Oberyn continua gritando para Gregor, o acusando de estuprar e assassinar Elia, e finalmente ele consegue tirar o gigante do sério. Gregor ataca Oberyn, e corre o risco de ser atingido no peito, mas está perto o suficiente para atacar com sua espada. Oberyn se esquiva do primeiro golpe, ele desvia o segundo com seu escudo e, de repente, Oberyn foge, a espada larga o acertando por um fio de cabelo. Oberyn corre para a primeira fila de espectadores, Gregor ataca, mas atinge um pobre garoto cavalariço e corta seu antebraço enquanto o levanta para se proteger. O menino grita e Gregor corta sua cabeça com um golpe. Os espectadores fogem em pânico, mas Oberyn se levanta novamente e tem sua lança na mão novamente, e ele chama o nome de Elia novamente. O sol finalmente aparece, mas Sor Gregor é mais rápido e se posiciona de forma que o sol esteja atrás de si. Oberyn finge um ataque, cega Gregor com seu escudo e empurra a axila de Gregor com sua lança. Gregor está sangrando muito, e sob sua armadura ele deve sangrar muito mais, uma de suas pernas cede e Oberyn se posiciona atrás dele e pede que diga o nome de Elia. O segundo empurrão de Oberyn o atinge na parte de trás do joelho enquanto ele tenta se virar. Gregor cai de cara no chão e se vira pesadamente de costas. Oberyn joga seu escudo de lado, corre e grita o nome de Elia enquanto ele enfia sua lança no estômago de Gregor, usando todo o seu peso e quebrando a flecha. Oberyn limpa a poeira de suas roupas, pega a grande espada de Gregor e pede a ele uma última vez para dizer o nome de Elia. Gregor tenta puxar a lança quebrada de seu estômago, mas ela está presa no chão.

Oberyn coloca um pé no peito de Gregor e ergue a espada, mas a mão de Gregor dispara e agarra Oberyn atrás do joelho, fazendo-o cair e puxando-o em sua direção. Eles estão lutando no chão, e de repente Tyrion vê Gregor colocar o braço em torno de Oberyn antes de finalmente dizer o nome de Elia. Ele diz que primeiro matou os filhos dela e só depois a estuprou, e com essas palavras ele crava os dedos no rosto de Oberyn. Um segundo golpe arranca os dentes de Oberyn, e um terceiro é acompanhado por um estrondo nojento, de modo que Tyrion vomita no mesmo instante. Apenas alguns minutos depois ele recupera os sentidos quando percebe que não está sendo levado de volta para sua sala na torre, mas para as celas negras.

Citações


Da morte de Joffrey sou inocente. Sou culpado de um crime mais monstruoso. Nasci. Sobrevivi. Sou culpado de ser um anão, confesso. E independentemente de quantas vezes o meu bondoso pai tenha me perdoado, persisti na minha infâmia.
—— Tyrion para Tywin durante seu julgamento.



Tudo vem de trás e mais de trás, de nossas mães e pais e dos que vieram antes deles. Somos marionetes a dançar, presos aos cordéis daqueles que chegaram antes de nós, e um dia nossos filhos ficarão com nossos cordéis e dançarão em nosso lugar.
—— pensamentos de Tyrion.



Oberyn: Estuprou-a. Assassinou-a. Matou os filhos dela. Estuprou-a. Assassinou-a. Matou os filhos dela. Estuprou-a. Assassinou-a. Matou os filhos dela. Estuprou-a. Assassinou-a. Matou os filhos dela.
Gregor: Fique quieto. Fecha a merda da boca.
Oberyn: Estuprou-a.
Gregor: Basta!
Oberyn: Assassinou-a.
Gregor: CALE-SE!
Oberyn: Elia. Estuprou-a. Assassinou-a. Matou os filhos dela. E agora, diga o nome dela.
Gregor: Você fala demais. Faz minha cabeça doer.
Oberyn: Vou ouvi-lo dizer isso. Ela era Elia de Dorne.
—— duelo entre a Víbora e a Montanha.


Links externos


Referências

  1. Cersei prometeu a Shae uma casa em Porto Real e um cavaleiro como marido se ela testemunhasse contra Tyrion. Leia: Cersei I de O Festim dos Corvos.

Sobre a página

Esta página utiliza conteúdo baseado em A Storm of Swords-Chapter 70, um artigo de A Wiki Of Ice And Fire.