Mudanças entre as edições de "Assalto ao Fosso dos Dragões"

De Gelo e Fogo wiki
Ir para navegação Ir para pesquisar
m
 
(6 revisões intermediárias por 2 usuários não estão sendo mostradas)
Linha 1: Linha 1:
 
{{Template:Battlebox
 
{{Template:Battlebox
| image      = [[Arquivo:Storming of the Dragonpit.jpg|400px]]
+
| image      = [[Arquivo:Storming of the Dragonpit.jpg|375px]]
| caption    = ''O ataque ao [[Fosso dos Dragões]]'', conforme desenhado por Paulo Puggioni em ''[[O Mundo de Gelo e Fogo]]''.
+
| caption    = O ataque ao [[Fosso dos Dragões]], por [[:Categoria:Imagens por Paolo Puggioni|Paolo Puggioni]] © para ''[[O Mundo de Gelo e Fogo]]''.
 
| battle_name = Assalto ao Fosso dos Dragões
 
| battle_name = Assalto ao Fosso dos Dragões
 
| conflict    = [[Dança dos Dragões]]
 
| conflict    = [[Dança dos Dragões]]
Linha 7: Linha 7:
 
| place      = [[Fosso dos Dragões]], [[Porto Real]]
 
| place      = [[Fosso dos Dragões]], [[Porto Real]]
 
| result      = Multidão destroça o fosso e mata vários dragões
 
| result      = Multidão destroça o fosso e mata vários dragões
| combatant1  = [[Plebeu]] de [[Porto Real]]
+
| combatant1  = [[Plebeu]]s de [[Porto Real]]
 
| combatant2  = [[Casa Targaryen]]
 
| combatant2  = [[Casa Targaryen]]
 +
* [[Guardiões de Dragão]]
 
* [[Patrulha da Cidade de Porto Real]]  
 
* [[Patrulha da Cidade de Porto Real]]  
 
| commander1  = [[O Pastor]]
 
| commander1  = [[O Pastor]]
Linha 15: Linha 16:
 
| strength2  =   
 
| strength2  =   
 
| casualties1 = Centenas de pessoas mortas
 
| casualties1 = Centenas de pessoas mortas
| casualties2 = Vários guardas do Fosso mortos<br>Príncipe [[Joffrey Velaryon]] †
+
| casualties2 = + 50 Guardiões de Dragão mortos<br><br>Príncipe [[Joffrey Velaryon]] †
 
* Sor [[Glendon Goode]] †
 
* Sor [[Glendon Goode]] †
 
* Sor [[Willum Royce]] †
 
* Sor [[Willum Royce]] †
Linha 25: Linha 26:
 
*[[Syrax]] †
 
*[[Syrax]] †
 
}}
 
}}
O '''Ataque ao Fosso dos Dragões''' foi um evento importante que aconteceu durante a [[Dança dos Dragões]], a guerra civil [[Casa Targaryen|Targaryen]]. Aconteceu no meio de uma revolta de [[plebeus]] pelas ruas de [[Porto Real]]. A multidão estava causando grande devastação pela capital e muitas pessoas morreram. A massa enraivecida era atiçada por um profeta chamado "[[O Pastor]]", que os convenceu a invadir o [[Fosso dos Dragões]] e matar os grandes [[Dragões|animais]] que estavam lá.{{ref|tpatq}}  
+
O '''Assalto ao Fosso dos Dragões''' foi um evento importante que aconteceu durante a [[Dança dos Dragões]], a guerra civil [[Casa Targaryen|Targaryen]]. Aconteceu no meio de uma revolta de [[plebeus]] pelas ruas de [[Porto Real]]. A multidão estava causando grande devastação pela capital e muitas pessoas morreram. A massa enraivecida era atiçada por um profeta chamado "[[O Pastor]]", que os convenceu a invadir o [[Fosso dos Dragões]] e matar os grandes [[Dragões|animais]] que estavam lá.{{ref|tpatq}}  
  
==Dragões que estavam no Fosso==
+
==Dragões que estavam no fosso==
 
Havia quatro [[dragões]] no fosso no momento do ataque:   
 
Havia quatro [[dragões]] no fosso no momento do ataque:   
 
*[[Shrykos]] - originalmente pertencente ao príncipe [[Jaehaerys Targaryen (filho de Aegon II)|Jaehaerys Targaryen]], não reivindicado desde a morte dele
 
*[[Shrykos]] - originalmente pertencente ao príncipe [[Jaehaerys Targaryen (filho de Aegon II)|Jaehaerys Targaryen]], não reivindicado desde a morte dele
Linha 39: Linha 40:
 
Preso no poço, acorrentados a ferro na cabeça, os dragões não podiam voar ou usar suas asas para evadir os atacantes ou para cair sobre eles. Os dragões, ainda assim, resistiram com suas garras e dentes, matando várias pessoas. Um ou outro dragão conseguiu expelir fogo e tornou o fosso em um inferno flamejante. Nesse meio tempo, o dragão [[Syrax]], que estava preso na [[Fortaleza Vermelha]], foi solto pelo príncipe [[Joffrey Velaryon]] (que morreu ao tentar monta-la).{{ref|tpatq}}
 
Preso no poço, acorrentados a ferro na cabeça, os dragões não podiam voar ou usar suas asas para evadir os atacantes ou para cair sobre eles. Os dragões, ainda assim, resistiram com suas garras e dentes, matando várias pessoas. Um ou outro dragão conseguiu expelir fogo e tornou o fosso em um inferno flamejante. Nesse meio tempo, o dragão [[Syrax]], que estava preso na [[Fortaleza Vermelha]], foi solto pelo príncipe [[Joffrey Velaryon]] (que morreu ao tentar monta-la).{{ref|tpatq}}
  
[[Shrykos]] foi o primeiro dragão a sucumbir, morto por Hobb. [[Morghul]] foi morto em seguida, pelas mãos do Cavaleiro Queimado. Já [[Tyraxes]] foi morto por dúzias de homens e mulheres que o espancaram enquanto acorrentado. Apenas [[Dreamfyre]] foi capaz de se soltar e conseguiu matar mais pessoas que os outros três dragões juntos. Eventualmente, ferida no olho, ela tentou subir mas acabou batendo a cabeça violentamente no teto do fosso, esmagando seu crânio.{{ref|tpatq}}
+
[[Shrykos]] foi o primeiro dragão a sucumbir, morto por Hobb, o Lenhador. [[Morghul]] foi morto em seguida, pelas mãos do Cavaleiro Ardente. Já [[Tyraxes]] foi morto por dúzias de homens e mulheres que o espancaram enquanto acorrentado. Apenas [[Dreamfyre]] foi capaz de se soltar e conseguiu matar mais pessoas que os outros três dragões juntos. Eventualmente, ferida no olho, ela tentou subir mas acabou batendo a cabeça violentamente no teto do fosso, esmagando seu crânio.{{ref|tpatq}}
  
 
Tudo acabou em poucas horas. O quinto dragão morto naquela noite foi [[Syrax]]. O dragão foi atraído até a [[Colina de Rhaenys]]. Enquanto os sobreviventes, queimados e ensanguentados da carnificina, saíam das ruínas esfumaçadas do Fosso dos Dragões, Syrax caiu sobre eles. Milhares de pessoas gritavam e berravam pelas ruas da capital ao rugido estrondoso do dragão. O topo da Colina de Rhaenys, ao redor do Poço dos Dragões, estava coroado de fogo amarelo. Queimava tão brilhante quanto o sol nascente. Syrax atacou a multidão e devorou várias pessoas. Eventualmente o animal da rainha foi morto. Relatos entusiasmados e rumores se seguiram sobre a morte dos dragões: que alguns foram abatidos por homens, outros pelo Pastor e outros pelo próprio [[Guerreiro]].{{ref|tpatq}}
 
Tudo acabou em poucas horas. O quinto dragão morto naquela noite foi [[Syrax]]. O dragão foi atraído até a [[Colina de Rhaenys]]. Enquanto os sobreviventes, queimados e ensanguentados da carnificina, saíam das ruínas esfumaçadas do Fosso dos Dragões, Syrax caiu sobre eles. Milhares de pessoas gritavam e berravam pelas ruas da capital ao rugido estrondoso do dragão. O topo da Colina de Rhaenys, ao redor do Poço dos Dragões, estava coroado de fogo amarelo. Queimava tão brilhante quanto o sol nascente. Syrax atacou a multidão e devorou várias pessoas. Eventualmente o animal da rainha foi morto. Relatos entusiasmados e rumores se seguiram sobre a morte dos dragões: que alguns foram abatidos por homens, outros pelo Pastor e outros pelo próprio [[Guerreiro]].{{ref|tpatq}}
Linha 46: Linha 47:
  
 
==Citações==
 
==Citações==
 +
{{Quote|Bêbados eles podem ser, mas homens bêbados não conhecem o medo. Tolos, também, mas um tolo pode matar um rei. Ratos, isso também, mas mil ratos podem derrubar um urso. Eu vi isso acontecer uma vez, lá na Baixada das Pulgas.|[[Cogumelo]]}}
  
{{Quote|Bêbados eles podem ser, mas homens bêbados não conhecem o medo. Tolos, também, mas um tolo pode matar um rei. Ratos, isso também, mas mil ratos podem derrubar um urso. Eu vi isso acontecer uma vez, lá na Baixada das Pulgas.|[[Cogumelo]]}}
+
{{Quote|Quando os dragões vierem sua carne vai queimar e empolar e se tornar cinzas. Suas esposas irão dançar em vestes de fogo, gritando enquanto queimam, obscenas e nuas debaixo das chamas. E vocês verão suas crianças chorando, chorando enquanto sua carne rosada cai negra e crepitante de seus ossos. Orações não deterão sua fúria, não mais do que lágrimas resfriam o fogo dos dragões. Apenas sangue pode fazer isso. Seu sangue, meu sangue, o sangue deles. Ali os demônios habitam, ali em cima. Essa é a cidade deles. Se quiserem fazê-la sua, primeiro devem destruí-los! Se quiserem se limpar dos pecados, primeiro devem se banhar em sangue de dragão! Porque apenas sangue pode apagar os fogos do inferno!|Pregação do [[O Pastor|Pastor]] para a multidão.}}
  
{{Quote|Quando os dragões vierem sua carne vai queimar e empolar e se tornar cinzas. Suas esposas irão dançar em vestes de fogo, gritando enquanto queimam, obscenas e nuas debaixo das chamas. E vocês verão suas crianças chorando, chorando enquanto sua carne rosada cai negra e crepitante de seus ossos. Orações não deterão sua fúria, não mais do que lágrimas resfriam o fogo dos dragões. Apenas sangue pode fazer isso. Seu sangue, meu sangue, o sangue deles. Ali os demônios habitam, ali em cima. Essa é a cidade deles. Se quiserem fazê-la sua, primeiro devem destruí-los! Se quiserem se limpar dos pecados, primeiro devem se banhar em sangue de dragão! Porque apenas sangue pode apagar os fogos do inferno!|Pregação de Shepherd para a multidão}}
+
==Sobre a página==
 +
Esta página utiliza conteúdo baseado em [http://awoiaf.westeros.org/index.php/Storming_of_the_Dragonpit Storming of the Dragonpit], um artigo de [http://awoiaf.westeros.org/index.php/ A Wiki Of Ice And Fire].
  
 
==Referências==
 
==Referências==
{{references}}
+
{{Referências}}
 
 
  
  
<small>'''Nota:''' Esta página utiliza conteúdo da ''[http://awoiaf.westeros.org/index.php/ A Wiki Of Ice And Fire]''. O conteúdo original está aqui em ''[http://awoiaf.westeros.org/index.php/Storming_of_the_Dragonpit Storming of the Dragonpit]''.</small>
+
{{Dança dos Dragões}}
  
[[Categoria:Batalhas]]
+
[[Categoria:Eventos]]
 
[[Categoria:Casa Targaryen]]
 
[[Categoria:Casa Targaryen]]
 
[[Categoria:Dança dos Dragões]]
 
[[Categoria:Dança dos Dragões]]
 +
 +
[[en:Storming of the Dragonpit]]
 +
[[es:Asalto a Pozo Dragón]]
 +
[[fr:Sac de Fossedragon]]
 +
[[ru:Штурм Драконьего Логова]]

Edição atual tal como às 01h18min de 23 de junho de 2019

Assalto ao Fosso dos Dragões
Storming of the Dragonpit.jpg
Conflito Dança dos Dragões
Data 130 d.C.
Local Fosso dos Dragões, Porto Real
Resultado Multidão destroça o fosso e mata vários dragões
Beligerantes
Plebeus de Porto Real Casa Targaryen
Comandantes
O Pastor Desconhecido
Forças
Milhares de plebeus
Baixas
Centenas de pessoas mortas + 50 Guardiões de Dragão mortos

Príncipe Joffrey Velaryon

5 dragões:

O Assalto ao Fosso dos Dragões foi um evento importante que aconteceu durante a Dança dos Dragões, a guerra civil Targaryen. Aconteceu no meio de uma revolta de plebeus pelas ruas de Porto Real. A multidão estava causando grande devastação pela capital e muitas pessoas morreram. A massa enraivecida era atiçada por um profeta chamado "O Pastor", que os convenceu a invadir o Fosso dos Dragões e matar os grandes animais que estavam lá.[1]

Dragões que estavam no fosso

Havia quatro dragões no fosso no momento do ataque:

O ataque

A multidão foi capaz de invadir o fosso pelas janelas e quebram a entrada e seus portões fracos feitos de carvalho e ferro utilizando armas rudimentares, como bastões e machados. Quando o povo conseguiu passar pelos guardas e chegar onde os dragões estavam, os animais já estavam acordados e furiosos.[1]

Preso no poço, acorrentados a ferro na cabeça, os dragões não podiam voar ou usar suas asas para evadir os atacantes ou para cair sobre eles. Os dragões, ainda assim, resistiram com suas garras e dentes, matando várias pessoas. Um ou outro dragão conseguiu expelir fogo e tornou o fosso em um inferno flamejante. Nesse meio tempo, o dragão Syrax, que estava preso na Fortaleza Vermelha, foi solto pelo príncipe Joffrey Velaryon (que morreu ao tentar monta-la).[1]

Shrykos foi o primeiro dragão a sucumbir, morto por Hobb, o Lenhador. Morghul foi morto em seguida, pelas mãos do Cavaleiro Ardente. Já Tyraxes foi morto por dúzias de homens e mulheres que o espancaram enquanto acorrentado. Apenas Dreamfyre foi capaz de se soltar e conseguiu matar mais pessoas que os outros três dragões juntos. Eventualmente, ferida no olho, ela tentou subir mas acabou batendo a cabeça violentamente no teto do fosso, esmagando seu crânio.[1]

Tudo acabou em poucas horas. O quinto dragão morto naquela noite foi Syrax. O dragão foi atraído até a Colina de Rhaenys. Enquanto os sobreviventes, queimados e ensanguentados da carnificina, saíam das ruínas esfumaçadas do Fosso dos Dragões, Syrax caiu sobre eles. Milhares de pessoas gritavam e berravam pelas ruas da capital ao rugido estrondoso do dragão. O topo da Colina de Rhaenys, ao redor do Poço dos Dragões, estava coroado de fogo amarelo. Queimava tão brilhante quanto o sol nascente. Syrax atacou a multidão e devorou várias pessoas. Eventualmente o animal da rainha foi morto. Relatos entusiasmados e rumores se seguiram sobre a morte dos dragões: que alguns foram abatidos por homens, outros pelo Pastor e outros pelo próprio Guerreiro.[1]

Ninguém sabe ao certo quantas pessoas morreram naquela noite, mas definitivamente foram centenas, talvez milhares. Alguns dos principais dragões adultos da Casa Targaryen também foram mortos, marcando o início da extinção destes animais em Westeros (e no mundo conhecido).[1]

Citações

Bêbados eles podem ser, mas homens bêbados não conhecem o medo. Tolos, também, mas um tolo pode matar um rei. Ratos, isso também, mas mil ratos podem derrubar um urso. Eu vi isso acontecer uma vez, lá na Baixada das Pulgas.
Cogumelo
Quando os dragões vierem sua carne vai queimar e empolar e se tornar cinzas. Suas esposas irão dançar em vestes de fogo, gritando enquanto queimam, obscenas e nuas debaixo das chamas. E vocês verão suas crianças chorando, chorando enquanto sua carne rosada cai negra e crepitante de seus ossos. Orações não deterão sua fúria, não mais do que lágrimas resfriam o fogo dos dragões. Apenas sangue pode fazer isso. Seu sangue, meu sangue, o sangue deles. Ali os demônios habitam, ali em cima. Essa é a cidade deles. Se quiserem fazê-la sua, primeiro devem destruí-los! Se quiserem se limpar dos pecados, primeiro devem se banhar em sangue de dragão! Porque apenas sangue pode apagar os fogos do inferno!
— Pregação do Pastor para a multidão.

Sobre a página

Esta página utiliza conteúdo baseado em Storming of the Dragonpit, um artigo de A Wiki Of Ice And Fire.

Referências