Mudanças entre as edições de "Deus Afogado"

De Gelo e Fogo wiki
Ir para navegação Ir para pesquisar

 

 
Linha 1: Linha 1:
[[Arquivo:Deusafogado.png|thumb|350px|Uma celebração em honra ao Deus Afogado]]O '''Deus Afogado''' é uma divindade do mar adorada exclusivamente pelos [[Homens de Ferro]] em [[Westeros]].{{Ref|aFfC|1}}{{ref|AFFC|29}}
+
[[Arquivo:Deusafogado.png|thumb|350px|Uma celebração em honra ao Deus Afogado]]
  
A religião do deus afogado é antiga, remonta a antes da invasão dos [[Ândalos (Povo)|Ândalos]]. Os Ândalos que invadiram as [[Ilhas de Ferro]] se converteram à religião local, em vez de suplantá-lo com os Sete como fizeram no sul de [[Westeros]]. Os seguidores da religião apoiam a cultura naval pirata dos [[Homens de Ferro]].  
+
O '''Deus Afogado''', também conhecido como '''Aquele que Habita Sob as Ondas''',{{Ref|adwd|42}} é uma divindade do mar adorada pelos [[Nascidos de Ferro|nascidos de ferro]] das [[Ilhas de Ferro]] em [[Westeros]]. A religião do Deus Afogado é antiga, datando de antes da [[chegada dos Ândalos]], e das tentativas dos invasores de suplantar a [[Fé dos Sete]]. A religião do Deus Afogado apoia a cultura [[pirata]] e a cultura naval dos homens de ferro.
  
Eles acreditam que o deus afogado os criou para assolar, estuprar e esculpir reinos. Acredita-se que o deus afogado trouxe uma chama proveniente do mar e navegou o mundo a ferro e fogo. O eterno inimigo do deus afogado é chamado de [[Deus Tempestade]].
+
==Deus Afogado==
 +
A fé do Deus Afogado é exclusiva das [[Ilhas de Ferro]].<ref>[[So Spake Martin]]: [http://www.westeros.org/Citadel/SSM/Entry/1041/ The Drowned God and More (July 14, 1999)]</ref> Ele é visto como o criador dos mares e pai dos [[homens de ferro]], que acreditam que vêm de seus salões aquáticos.{{Ref|twoiaf|52}} Diz-se que o Deus Afogado fez o homem de ferro à sua própria semelhança,{{Ref|twoiaf|52}} para ceifar, estuprar, esculpir reinos, tornar seus nomes conhecidos em fogo e sangue e música{{Ref|acok|11}} e para ter domínio sobre todas as águas [[mundo conhecido | da terra]].{{Ref|twoiaf|52}} Alguns nascidos de ferro desejam retornar ao [[Costume Antigo]] e pagar o [[preço de ferro]].{{ref|ACOK|11}}
  
 +
Os nascidos de ferro acreditam que o Deus Afogado sofre a oposição do [[Deus Tempestade]]. Esta divindade maligna mora no céu e tem ódio pelos homens e todas as suas obras.{{Ref|twoiaf|52}} O Deus da Tempestade reside em um salão de nuvens,{{Ref|affc|1}} e envia ventos cruéis, chuvas violentas e trovões e relâmpagos sobre os homens.{{Ref|twoiaf|52}} Diz-se que o Deus Afogado e o Deus da Tempestade estão em guerra um contra o outro há "um milhar de milhares de anos".{{Ref|affc|1}}
  
== Afogamento ==
+
Os nascidos de ferro acreditam que o Deus Afogado tem menos poder quanto mais longe do mar eles estão.{{Ref|adwd|26}}{{Ref|adwd|37}} Mesmo em terras estranhas onde outros deuses são adorados, alguns nascidos de ferro podem acreditar que uma grande quantidade de homens que se afogaram dão força ao Deus Afogado na região.{{Ref|adwd|56}}
Afogamento e ressurreição tem um lugar de destaque nas orações e rituais da religião. O afogamento é o método tradicional de execução para os homens de ferro, mas também é considerado um ato sagrado e, os mais fiéis não têm medo dele. Recém-nascidos são "afogados" logo após o nascimento, sendo submersos ou ungidos com água salgada.{{ref|ACOK|50}}{{ref|aFfC|1}}
 
  
 +
A maioria dos nascidos de ferro não tem nada além de desprezo pelos [[Fé dos Sete|Sete]] do sul de [[Westeros]] e pelos [[antigos deuses]] do [[norte]].{{Ref|twoiaf|52}}
 +
 +
==Organização==
 +
===Sacerdotes===
 +
Os [[sacerdotes do Deus Afogado]] estão sempre malvestidos,{{Ref|twoiaf|52}} usando mantos manchados de verde, cinza e azul, as cores de sua divindade.{{Ref|acok|11}}{{Ref|affc|1}} Por baixo, eles usam uma tanga de pele de foca.{{Ref|affc|1}} Os sacerdotes usam algas marinhas secas que trançam nos cabelos longos e na barba não aparada, e usam um odre em uma tira de couro.{{Ref|acok|11}} Eles têm uma aparência desleixada.{{Ref|twoiaf|52}} Por exemplo, [[Aeron Greyjoy]] não corta o cabelo desde que foi escolhido pelo Deus Afogado e se tornou sacerdote.{{Ref|affc|1}} A maioria dos sacerdotes não se banha em água, exceto no mar, e freqüentemente andam descalços. Eles não têm uma casa permanente, mas em vez disso vagam pelas [[Ilhas de Ferro]], raramente indo para longe do mar. Os senhores e camponeses das ilhas são obrigados a dar-lhes comida e abrigo em nome de seu deus.{{Ref|twoiaf|52}} Os padres bebem água do mar de vez em quando, para fortalecer sua fé,{{Ref|adwd|56}} e alguns comem apenas peixes.{{Ref|twoiaf|52}}
 +
 +
Os sacerdotes falam com a voz de seu deus.{{ref|affc|18}} Eles exercem um poder considerável sobre os nascidos de ferro, tendo o poder de convocar uma [[assembleia de homens livres]].{{Ref|twoiaf|52}} A maioria dos sacerdotes é analfabeta, então as orações e rituais são ensinados oralmente.{{Ref|twoiaf|52}} Os sacerdotes usam principalmente as coisas que podem ser tiradas do mar, como madeira trazida do mar para abrigos improvisados e pele de foca para tangas.{{Ref|affc|1}}
 +
 +
Diz-se que um sacerdote afogado é capaz de azedar poços e tornar as mulheres estéreis com seu olhar.{{Ref|affc|29}}
 +
 +
===Homens Afogados===
 +
Os [[homens afogados]]{{Ref|affc|1}} são os acólitos de [[Aeron Greyjoy]], que é um sacerdote do Deus Afogado. Eles usam túnicas manchadas e carregam porretes de madeira trazida do mar para mostrar sua devoção.{{Ref|AFFC|1}} Não se sabe se os acólitos de outros sacerdotes também são chamados de "homens afogados".
 +
 +
==Práticas==
 +
O Deus Afogado não tem templos, livros sagrados ou ídolos.{{Ref|twoiaf|52}} "Senhor Deus, que se afogou por nós", faz parte da ladainha dos sacerdotes do Deus Afogado.{{Ref|affc|1}}
 +
 +
Os nascidos de ferro acreditam que o Deus Afogado dá a cada homem "um dom", algo em que ele se destaca.{{Ref|affc|1}}{{Ref|affc|29}}Ele ajuda homens ousados, e não ajuda os covardes.{{Ref|affc|29}}
 +
 +
Quando o mar fica mais agitado, com as ondas cada vez maiores e o vento mais forte, alguns podem dizer que “o Deus Afogado acorda”.{{ref|affc|19}}
 +
 +
Os filhos de um [[servo]] nascem livres, desde que sejam dados ao Deus Afogado.{{ref|affc|29}}
 +
 +
===Cadeira de Pedra do Mar===
 +
Os nascidos de ferro acreditam que o Deus Afogado decide quem se senta na [[Cadeira de Pedra do Mar]]. Não será uma mulher, ou um homem sem Deus.{{Ref|affc|1}} Os sacerdotes do Deus Afogado podem convocar todos os capitães nascidos de ferro para a [[colina de Nagga]] na [[Velha Wyk]] para uma [[assembleia de homens livres]] em nome de seu deus.{{Ref|affc|1}}
 +
 +
===Ritual de afogamento===
 +
Os sacerdotes do Deus Afogado sabem como afogar um homem e depois trazê-lo de volta à vida, usando o [[beijo da vida]]. Isso é feito como parte dos ritos do deus, consagrando a pessoa afogada a ele. Nem todos os homens são revividos com sucesso, no entanto.{{ref|tss}}{{Ref|affc|1}} Enquanto o sacerdote ou um de seus acólitos usa o beijo da vida no afogado, outros acólitos podem orar ao redor deles.{{Ref|affc|1}} É costume dar um filho recém-nascido ao Deus Afogado logo após seu nascimento. Alguns sacerdotes acreditam que isso deve ser feito, mas é mais comum a criança é simplesmente ser mergulhada em uma banheira de água do mar para molhar a cabeça.{{Ref|affc|1}}
 +
 +
===Benção===
 +
Ao abençoar alguém, o sacerdote faz a pessoa se ajoelhar. Ele derrama água do mar de seu odre sobre a cabeça da pessoa enquanto afirma: ''"Permita que [pessoa] seu servo, renasça do mar, assim como você. Abençoe-o com sal, abençoe-o com pedra, abençoe-o com aço."'' A pessoa ajoelhada então responde: ''"O que está morto não pode morrer."'' E então o sacerdote responde: ''"O que está morto não pode morrer, mas volta a se erguer, mais duro e mais forte."''.{{Ref|acok|11}}
 +
 +
Os sacerdotes do Deus Afogado também abençoam novos navios, fazendo invocações e despejando água do mar sobre a proa.{{Ref|acok|24}}
 +
 +
===Rituais de execução===
 +
São vários tipos diferentes de rituais  de execução entre a fé do Deus Afogado. O sacrifício de sangue é feito cortando-se a garganta dos [[servo]]s, e depois disso os corpos são entregues ao mar.{{Ref|adwd|56}}{{Ref|adwd|62}} Outras vezes, o sacrifício pode ser feito afogando alguém, de preferência em água salgada.{{Ref|adwd|63}}{{Ref|acok|50}}{{Ref|acok|37}} O carrasco deve ser a pessoa no comando.{{Ref|acok|37}}
 +
 +
===Morte===
 +
Quando um homem de ferro morre, diz-se que o Deus Afogado precisava de um remador forte.{{Ref|ACOK|24}} "O que está morto não pode morrer" é uma frase dita em tais ocasiões.{{Ref|acok|24}} Acredita-se que o falecido é convocado aos salões aquáticos do Deus Afogado, onde pode beber e festejar por toda a eternidade,{{Ref|affc|29}}{{Ref|affc|1}} com [[sereia]]s atendendo a todos os seus desejos.{{Ref|affc|1}} Os nascidos de ferro acreditam que “nenhum verdadeiro filho do mar iria querer apodrecer sob a terra”, pois isso o tornaria incapaz de encontrar os salões aquáticos do Deus Afogado.{{Ref|affc|29}}
 +
 +
Os sacerdotes do Deus Afogado pregam que os nascidos do ferro não devem derramar o sangue de outros nascidos do ferro, embora acreditem que métodos como o afogamento são aceitáveis, pois isso significa que nenhum sangue é derramado.{{Ref|affc|1}}
 +
 +
Uma morte no mar é considerada uma bondade do Deus Afogado.{{Ref|affc|1}}
 +
 +
==História==
 +
===Antiguidade===
 +
A fé do Deus Afogado ensina aos [[Nascidos de Ferro|nascidos de ferro]] que eles vieram dos salões aquáticos do Deus Afogado e foram criados à sua semelhança. Os sacerdotes pregam que os nascidos de ferro são parentes dos peixes e [[bacalhaus]], e não das outras raças da humanidade. No entanto, alguns nascidos de ferro reconhecem a visão mais amplamente aceita de que os nascidos de ferro descendem dos [[Primeiros Homens]].{{Ref|twoiaf|52}} Em seu manuscrito ''[[Pedra Estranha]]'', Meistre [[Theron]] sugere que a religião do Deus Afogado se origina dos [[Profundos]].{{ref|TWOIAF|67}}
 +
 +
Diz-se que o Deus Afogado transformou os ossos de [[Nagga]] em pedra depois que o [[Rei Cinzento]] a matou durante a [[Era dos Heróis]], para que os homens nunca parassem de se maravilhar com a coragem do primeiro dos reis.{{Ref|affc|19}} A coroa do Rei Cinzento era feita de madeira trazida do mar, para que todos soubessem que sua realeza veio do Deus Afogado.{{Ref|twoiaf|53}}
 +
 +
O maior de todos os sacerdotes do Deus Afogado foi [[Galon Varabranca]], que decretou que os nascidos de ferro não deveriam fazer guerra a outros nascidos de ferro e os proibiu de tomar as mulheres uns dos outros ou atacar as costas uns dos outros. Ele também transformou as [[Ilhas de Ferro]] em um único reino, chamando uma [[assembleia de homens livres]] em [[Velha Wyk]] na qual [[Urras Greyiron]] foi escolhido.{{Ref|TWOIAF|53}} Os sacerdotes do Deus Afogado se recusaram a permitir que os reis nascidos de ferro nomeassem seu sucessor uma terceira vez após a morte de [[Urragon IV Greyiron]]. Uma assembleia de homens livres foi montada na Velha Wyk, mas na matança que se seguiu meia centena de sacerdotes e profetas estavam entre as vítimas.{{Ref|TWOIAF|53}}
 +
 +
===Ândalos===
 +
Os [[ândalos]] finalmente alcançaram as [[Ilhas de Ferro]] durante a [[chegada dos Ândalos | sua invasão]]. De acordo com o Arquimeistre [[Haereg]], os recém-chegados tentaram forçar a adoração de seus próprios deuses, [[Fé dos Sete | os Sete]], sobre os nascidos de ferro. Os homens de ferro nativos não aceitaram os Sete, mas permitiram que a adoração dos Sete coexistisse com a adoração do Deus Afogado. Embora os ândalos tenham se casado com o povo das Ilhas de Ferro, o Deus Afogado permaneceu forte nas Ilhas de Ferro e com o tempo, a maioria dos ândalos nas ilhas se converteu.{{Ref|twoiaf|8}} [[Harras Hoare]] foi o primeiro rei Hoare a se casar com uma ândala.{{Ref|twoiaf|54}}
 +
 +
Os [[sacerdotes do Deus Afogado]] viam os reis da [[Casa Hoare]] como usurpadores ímpios.{{Ref|TWOIAF|55}} Haereg sugere que os sacerdotes tinham essa opinião porque os Hoares permitiram que a fé dos ândalos entrasse às Ilhas de Ferro pela primeira vez. Durante o reinado de [[Wulfgar Hoare | Wulfgar o Fazedor de Viúvas]], o primeiro [[septo]] nas Ilhas de Ferro foi construído na [[Grande Wyk]]. Quando seu bisneto [[Horgan Hoare | Horgan]] deu permissão para construir um segundo septo na [[Velha Wyk]], uma rebelião sangrenta começou sob o estímulo dos sacerdotes. O septo foi queimado, o septão foi feito em pedaços e os adoradores morreram afogados no mar. Horgan Mata-sacerdote então passou a massacrar sacerdotes em retaliação.{{Ref|TWOIAF|55}}
 +
 +
O rei [[Harmund II Hoare]] foi o primeiro rei nascido de ferro que criou seus filhos na fé,{{ref|twoiaf|55}} embora ele praticasse uma versão feita por ele mesmo. Ele aceitou os Sete como verdadeiros deuses, mas também continuou a honrar o Deus Afogado. Ele defendeu a ideia de "Oito Deuses" e decretou que uma estátua do Deus Afogado deveria ser erguida nas portas de cada septo. Oposto por adeptos de ambas as religiões, Harmund finalmente decidiu que o Deus Afogado era um aspecto do [[Estranho (os Sete) | Estranho]].{{ref|twoiaf|55}} O sacerdote conhecido como [[Picanço]] liderou uma rebelião contra o herdeiro de Harmund II, [[Harmund III Hoare]], e o rei foi deposto com duas semanas. O irmão mais novo de Harmund, [[Hagon Hoare]], foi coroado em seu lugar. Hagon o Sem Coração denunciou a fé, rescindiu os decretos de Harmund e expulsou os [[septões]] e [[septãs]]. Cada septo nas Ilhas de Ferro foi passado no fogo rapidamente.{{ref|twoiaf|55}}
 +
 +
===História Recente===
 +
[[Halleck Hoare]], [[Rei das Ilhas e dos Rios]], passou a maior parte de seu tempo nas [[terras fluviais]] e apenas apoiou nominalmente o Deus Afogado.{{ref|TWOIAF|55}} O filho de Halleck, Rei [[Harren Hoare | Harren, o Negro]], foi morto na [[queima de Harrenhal]] durante a [[Conquista de Aegon]].{{ref|FAB|A Conquista de Aegon}}
 +
 +
Após a morte de Harren, o sacerdote [[Lodos]] afirmou ser o filho vivo do Deus Afogado. [[Vickon Greyjoy]], o novo [[Senhor das Ilhas de Ferro]], permitiu que a [[Fé dos Sete]] retornasse às ilhas após a Conquista, já que o Rei [[Aegon I Targaryen]] apoiou os Sete. Em {{Data|37}}, o filho de Vickon, Lorde [[Goren Greyjoy | Goren]], esmagou uma revolta liderada por um homem que alegou ser [[Lodos o Duplamente Afogado]], que voltou à vida após ter visitado o Deus Afogado. Goren enviou a cabeça de Lodos para o Rei [[Aenys I Targaryen]], que em troca deu a Goren permissão para expulsar os septões e septãs das [[Ilhas de Ferro]]. Levaria mais um século para que outro septo se abrisse sobre as ilhas.{{ref|TWOIAF|56}}
 +
 +
Em [[Fidalporto]] havia uma septo da Fé na época da [[Rebelião Greyjoy]], mas ele não foi reconstruído após sua destruição durante a guerra.{{ref|ACOK|11}}
 +
 +
==Eventos Recentes==
 +
===''A Fúria dos Reis''===
 +
Os [[nascidos do ferro]] acreditam que o [[cometa vermelho]] é uma chama que o Deus Afogado trouxe do mar, que proclama uma "maré alta" para os nascidos do ferro. De acordo com [[Aeron Greyjoy]], isso significa que o povo das [[Ilhas de Ferro]] foi feito para ir ao mundo com fogo e espada como os antigos homens de ferro fizeram.{{Ref|acok|11}}
 +
 +
Durante a [[batalha da Costa Pedregosa]], Aeron se afoga [[Benfred Tallhart]] como uma oferenda ao Deus Afogado.{{ref|ACOK|37}}
 +
 +
===''O Festim dos Corvos''===
 +
Aeron executa o [[beijo da vida]] em [[homens afogados]] na [[Grande Wyk]].{{ref|AFFC|1}} Depois de saber da morte de seu irmão mais velho [[Balon Greyjoy | Balon]], [[Rei das Ilhas e do Norte]], Aeron convoca os senhores e capitães das Ilhas de Ferro para a [[Velha Wyk]] para uma [[assembleia de homens livres]]. Ele rejeita a reivindicação de seu irmão mais velho, [[Euron Greyjoy]], insistindo que o ímpio Euron não é digno de sentar-se na [[Cadeira de Pedra do Mar]].{{ref|AFFC|1}}
 +
 +
Euron é eventualmente escolhido como rei pelos homens de ferro que se reúnem no [[Berço de Nagga]].{{ref|AFFC|19}} Aeron acredita que Euron usou [[magos]] e feiticeiros para evitar que os nascidos de ferro escutassem o Deus Afogado e o mar.{{ref|AFFC|29}}
 +
 +
===''A Dança dos Dragões''===
 +
[[Victarion Greyjoy]] fez com que o capitão do ''[[Aurora Ghiscari]]'' fosse jogado ao mar como um sacrifício ao Deus Afogado. Depois que Victarion mata um pescador, [[Aguado Pyke]] e [[Tom Tidewood]] oferecem o corpo do homem ao mar também.{{Ref|ADWD|63}} Por [[Moqorro]] ter curado sua mão ferida, Victarion decide honrar [[R'hllor]], assim como honra seu Deus Afogado. O capitão de ferro sacrifica escravas queimando-as vivas em um pequeno barco à deriva.{{ref|ADWD|63}}
 +
 +
==Membros conhecidos do clero==
 +
===Sacerdotes conhecidos===
 +
*[[Aeron Greyjoy]], chamado de Cabelo-Molhado
 +
*[[Beron Blacktyde]]
 +
*[[Tarle o Três Vezes Afogado]]
 +
*[[Velho Gaivota Cinza]]
 +
 +
===Afogados conhecidos===
 +
*[[Rus]]
 +
*[[Norjen]]
 +
*[[Emmond]]
 +
 +
==Sacerdotes históricos==
 +
*[[Sauron Língua de Sal]]
 +
*[[Galon Varabranca]], que viveu durante a [[Era dos Heróis]] e unificou as Ilhas de Ferro sob o primeiro Grande Rei
 +
*O [[Picanço]], que liderou uma revolta contra [[Harmund III Hoare]]
 +
*[[Lodos]]
 +
*[[Lodos o Duas Vezes Afogado]]
 +
 +
==Citações==
 +
{{quote|'''Balon''': Os senhores foram para o Sul com [[Robb I Stark|o filhote]]. Os que ficaram para trás são os covardes, velhos e garotos verdes. Vão se render, ou cairão um a um. [[Winterfell]] pode resistir durante um ano, mas e daí? [[O Norte|O resto]] será nosso, florestas, campos e palácios, e faremos do povo nossos [[servo]]s e [[esposas de sal]].<br>
 +
'''Aeron''': E as águas da ira vão se erguer, e o Deus Afogado espalhará seu domínio pelas [[terras verdes]]!{{Ref|aCoK|24}}|[[Balon Greyjoy]] e [[Aeron Greyjoy]]}}
 +
 +
{{Quote|O deus levou-me até as profundezas sob as águas e afogou a coisa imprestável que eu era. Quando voltou a me atirar para terra, me deu olhos para ver, orelhas para ouvir e uma voz para espalhar a sua palavra, para que eu pudesse ser o seu profeta e ensinar sua verdade àqueles que a esqueceram. Não fui feito para me sentar na [[Cadeira de Pedra do Mar]]... tal como [[Euron Greyjoy|Euron Olho de Corvo]] não o foi. Pois eu escutei o deus, que disse: Nenhum homem sem deus pode se sentar na minha Cadeira de Pedra do Mar!{{Ref|aFfC|1}}|[[Aeron Greyjoy]] para seus [[Homens Afogados|homens afogados]]}}
 +
 +
{{Quote|Foi o Deus Afogado que o elevou. Que seja o Deus Afogado a derrubá-lo.{{Ref|aFfC|20}}|[[Victarion Greyjoy]] para [[Aeron Greyjoy]], sobre [[Euron Greyjoy]]}}
 +
 +
{{quote|'Deus dos meus pais, se pode me ouvir em seus salões molhados sob as ondas, dê-me apenas um machado de arremesso pequeno'. O Deus Afogado não respondeu. Ele raramente respondia. Esse era o problema dos deuses.{{ref|ADWD|62}}|pensamentos de [[Asha Greyjoy]]}}
 +
 +
{{Quote|'''Victarion''': Seu deus vermelho terá o que lhe é devido, mas os mares são governados pelo Deus Afogado.<br>
 +
'''Moqorro''': Não há outros deuses além de [[R’hllor]] e do [[Grande Outro|Outro]], cujo nome não deve ser dito.{{Ref|aDwD|63}}|[[Victarion Greyjoy]] e [[Moqorro]]}}
 +
 +
{{Quote|Seu Deus Afogado é um demônio, ele não é mais do que um servo do [[Grande Outro|Outro]], o deus sombrio cujo nome não deve ser dito.{{Ref|aDwD|63}}|[[Moqorro]] para [[Victarion Greyjoy]]}}
  
== [[Beijo da vida]] ==
 
Clérigos, chamados [[Homens Afogados]], são verdadeiramente afogados pela segunda vez e trazidos de volta à vida com uma forma tosca de ressurreição cardiopulmonar, chamada de [[beijo da vida]]. Os homens afogados usam túnicas grosseiras manchadas de verde, cinza e azul. Eles carregam troncos como porretes para uso em batalha, e cantis de pele com água salgada para rituais. A oração comum é:
 
{{quote| "'''O que está morto não pode morrer, mas volta a erguer-se, mais duro e mais forte.'''"<br>(''What is dead can never die, but rises again, harder and stronger'').}}
 
  
 
==Referências e Notas==  
 
==Referências e Notas==  
Linha 19: Linha 129:
 
[[Categoria:Religiões]]
 
[[Categoria:Religiões]]
 
[[Categoria:Divindades]]
 
[[Categoria:Divindades]]
 +
[[Categoria:Deus Afogado| ]]
 
[[Categoria:Ilhas de Ferro]]
 
[[Categoria:Ilhas de Ferro]]
  

Edição atual tal como às 21h01min de 19 de novembro de 2020

Uma celebração em honra ao Deus Afogado

O Deus Afogado, também conhecido como Aquele que Habita Sob as Ondas,[1] é uma divindade do mar adorada pelos nascidos de ferro das Ilhas de Ferro em Westeros. A religião do Deus Afogado é antiga, datando de antes da chegada dos Ândalos, e das tentativas dos invasores de suplantar a Fé dos Sete. A religião do Deus Afogado apoia a cultura pirata e a cultura naval dos homens de ferro.

Deus Afogado

A fé do Deus Afogado é exclusiva das Ilhas de Ferro.[2] Ele é visto como o criador dos mares e pai dos homens de ferro, que acreditam que vêm de seus salões aquáticos.[3] Diz-se que o Deus Afogado fez o homem de ferro à sua própria semelhança,[3] para ceifar, estuprar, esculpir reinos, tornar seus nomes conhecidos em fogo e sangue e música[4] e para ter domínio sobre todas as águas da terra.[3] Alguns nascidos de ferro desejam retornar ao Costume Antigo e pagar o preço de ferro.[4]

Os nascidos de ferro acreditam que o Deus Afogado sofre a oposição do Deus Tempestade. Esta divindade maligna mora no céu e tem ódio pelos homens e todas as suas obras.[3] O Deus da Tempestade reside em um salão de nuvens,[5] e envia ventos cruéis, chuvas violentas e trovões e relâmpagos sobre os homens.[3] Diz-se que o Deus Afogado e o Deus da Tempestade estão em guerra um contra o outro há "um milhar de milhares de anos".[5]

Os nascidos de ferro acreditam que o Deus Afogado tem menos poder quanto mais longe do mar eles estão.[6][7] Mesmo em terras estranhas onde outros deuses são adorados, alguns nascidos de ferro podem acreditar que uma grande quantidade de homens que se afogaram dão força ao Deus Afogado na região.[8]

A maioria dos nascidos de ferro não tem nada além de desprezo pelos Sete do sul de Westeros e pelos antigos deuses do norte.[3]

Organização

Sacerdotes

Os sacerdotes do Deus Afogado estão sempre malvestidos,[3] usando mantos manchados de verde, cinza e azul, as cores de sua divindade.[4][5] Por baixo, eles usam uma tanga de pele de foca.[5] Os sacerdotes usam algas marinhas secas que trançam nos cabelos longos e na barba não aparada, e usam um odre em uma tira de couro.[4] Eles têm uma aparência desleixada.[3] Por exemplo, Aeron Greyjoy não corta o cabelo desde que foi escolhido pelo Deus Afogado e se tornou sacerdote.[5] A maioria dos sacerdotes não se banha em água, exceto no mar, e freqüentemente andam descalços. Eles não têm uma casa permanente, mas em vez disso vagam pelas Ilhas de Ferro, raramente indo para longe do mar. Os senhores e camponeses das ilhas são obrigados a dar-lhes comida e abrigo em nome de seu deus.[3] Os padres bebem água do mar de vez em quando, para fortalecer sua fé,[8] e alguns comem apenas peixes.[3]

Os sacerdotes falam com a voz de seu deus.[9] Eles exercem um poder considerável sobre os nascidos de ferro, tendo o poder de convocar uma assembleia de homens livres.[3] A maioria dos sacerdotes é analfabeta, então as orações e rituais são ensinados oralmente.[3] Os sacerdotes usam principalmente as coisas que podem ser tiradas do mar, como madeira trazida do mar para abrigos improvisados e pele de foca para tangas.[5]

Diz-se que um sacerdote afogado é capaz de azedar poços e tornar as mulheres estéreis com seu olhar.[10]

Homens Afogados

Os homens afogados[5] são os acólitos de Aeron Greyjoy, que é um sacerdote do Deus Afogado. Eles usam túnicas manchadas e carregam porretes de madeira trazida do mar para mostrar sua devoção.[5] Não se sabe se os acólitos de outros sacerdotes também são chamados de "homens afogados".

Práticas

O Deus Afogado não tem templos, livros sagrados ou ídolos.[3] "Senhor Deus, que se afogou por nós", faz parte da ladainha dos sacerdotes do Deus Afogado.[5]

Os nascidos de ferro acreditam que o Deus Afogado dá a cada homem "um dom", algo em que ele se destaca.[5][10]Ele ajuda homens ousados, e não ajuda os covardes.[10]

Quando o mar fica mais agitado, com as ondas cada vez maiores e o vento mais forte, alguns podem dizer que “o Deus Afogado acorda”.[11]

Os filhos de um servo nascem livres, desde que sejam dados ao Deus Afogado.[10]

Cadeira de Pedra do Mar

Os nascidos de ferro acreditam que o Deus Afogado decide quem se senta na Cadeira de Pedra do Mar. Não será uma mulher, ou um homem sem Deus.[5] Os sacerdotes do Deus Afogado podem convocar todos os capitães nascidos de ferro para a colina de Nagga na Velha Wyk para uma assembleia de homens livres em nome de seu deus.[5]

Ritual de afogamento

Os sacerdotes do Deus Afogado sabem como afogar um homem e depois trazê-lo de volta à vida, usando o beijo da vida. Isso é feito como parte dos ritos do deus, consagrando a pessoa afogada a ele. Nem todos os homens são revividos com sucesso, no entanto.[12][5] Enquanto o sacerdote ou um de seus acólitos usa o beijo da vida no afogado, outros acólitos podem orar ao redor deles.[5] É costume dar um filho recém-nascido ao Deus Afogado logo após seu nascimento. Alguns sacerdotes acreditam que isso deve ser feito, mas é mais comum a criança é simplesmente ser mergulhada em uma banheira de água do mar para molhar a cabeça.[5]

Benção

Ao abençoar alguém, o sacerdote faz a pessoa se ajoelhar. Ele derrama água do mar de seu odre sobre a cabeça da pessoa enquanto afirma: "Permita que [pessoa] seu servo, renasça do mar, assim como você. Abençoe-o com sal, abençoe-o com pedra, abençoe-o com aço." A pessoa ajoelhada então responde: "O que está morto não pode morrer." E então o sacerdote responde: "O que está morto não pode morrer, mas volta a se erguer, mais duro e mais forte.".[4]

Os sacerdotes do Deus Afogado também abençoam novos navios, fazendo invocações e despejando água do mar sobre a proa.[13]

Rituais de execução

São vários tipos diferentes de rituais de execução entre a fé do Deus Afogado. O sacrifício de sangue é feito cortando-se a garganta dos servos, e depois disso os corpos são entregues ao mar.[8][14] Outras vezes, o sacrifício pode ser feito afogando alguém, de preferência em água salgada.[15][16][17] O carrasco deve ser a pessoa no comando.[17]

Morte

Quando um homem de ferro morre, diz-se que o Deus Afogado precisava de um remador forte.[13] "O que está morto não pode morrer" é uma frase dita em tais ocasiões.[13] Acredita-se que o falecido é convocado aos salões aquáticos do Deus Afogado, onde pode beber e festejar por toda a eternidade,[10][5] com sereias atendendo a todos os seus desejos.[5] Os nascidos de ferro acreditam que “nenhum verdadeiro filho do mar iria querer apodrecer sob a terra”, pois isso o tornaria incapaz de encontrar os salões aquáticos do Deus Afogado.[10]

Os sacerdotes do Deus Afogado pregam que os nascidos do ferro não devem derramar o sangue de outros nascidos do ferro, embora acreditem que métodos como o afogamento são aceitáveis, pois isso significa que nenhum sangue é derramado.[5]

Uma morte no mar é considerada uma bondade do Deus Afogado.[5]

História

Antiguidade

A fé do Deus Afogado ensina aos nascidos de ferro que eles vieram dos salões aquáticos do Deus Afogado e foram criados à sua semelhança. Os sacerdotes pregam que os nascidos de ferro são parentes dos peixes e bacalhaus, e não das outras raças da humanidade. No entanto, alguns nascidos de ferro reconhecem a visão mais amplamente aceita de que os nascidos de ferro descendem dos Primeiros Homens.[3] Em seu manuscrito Pedra Estranha, Meistre Theron sugere que a religião do Deus Afogado se origina dos Profundos.[18]

Diz-se que o Deus Afogado transformou os ossos de Nagga em pedra depois que o Rei Cinzento a matou durante a Era dos Heróis, para que os homens nunca parassem de se maravilhar com a coragem do primeiro dos reis.[11] A coroa do Rei Cinzento era feita de madeira trazida do mar, para que todos soubessem que sua realeza veio do Deus Afogado.[19]

O maior de todos os sacerdotes do Deus Afogado foi Galon Varabranca, que decretou que os nascidos de ferro não deveriam fazer guerra a outros nascidos de ferro e os proibiu de tomar as mulheres uns dos outros ou atacar as costas uns dos outros. Ele também transformou as Ilhas de Ferro em um único reino, chamando uma assembleia de homens livres em Velha Wyk na qual Urras Greyiron foi escolhido.[19] Os sacerdotes do Deus Afogado se recusaram a permitir que os reis nascidos de ferro nomeassem seu sucessor uma terceira vez após a morte de Urragon IV Greyiron. Uma assembleia de homens livres foi montada na Velha Wyk, mas na matança que se seguiu meia centena de sacerdotes e profetas estavam entre as vítimas.[19]

Ândalos

Os ândalos finalmente alcançaram as Ilhas de Ferro durante a sua invasão. De acordo com o Arquimeistre Haereg, os recém-chegados tentaram forçar a adoração de seus próprios deuses, os Sete, sobre os nascidos de ferro. Os homens de ferro nativos não aceitaram os Sete, mas permitiram que a adoração dos Sete coexistisse com a adoração do Deus Afogado. Embora os ândalos tenham se casado com o povo das Ilhas de Ferro, o Deus Afogado permaneceu forte nas Ilhas de Ferro e com o tempo, a maioria dos ândalos nas ilhas se converteu.[20] Harras Hoare foi o primeiro rei Hoare a se casar com uma ândala.[21]

Os sacerdotes do Deus Afogado viam os reis da Casa Hoare como usurpadores ímpios.[22] Haereg sugere que os sacerdotes tinham essa opinião porque os Hoares permitiram que a fé dos ândalos entrasse às Ilhas de Ferro pela primeira vez. Durante o reinado de Wulfgar o Fazedor de Viúvas, o primeiro septo nas Ilhas de Ferro foi construído na Grande Wyk. Quando seu bisneto Horgan deu permissão para construir um segundo septo na Velha Wyk, uma rebelião sangrenta começou sob o estímulo dos sacerdotes. O septo foi queimado, o septão foi feito em pedaços e os adoradores morreram afogados no mar. Horgan Mata-sacerdote então passou a massacrar sacerdotes em retaliação.[22]

O rei Harmund II Hoare foi o primeiro rei nascido de ferro que criou seus filhos na fé,[22] embora ele praticasse uma versão feita por ele mesmo. Ele aceitou os Sete como verdadeiros deuses, mas também continuou a honrar o Deus Afogado. Ele defendeu a ideia de "Oito Deuses" e decretou que uma estátua do Deus Afogado deveria ser erguida nas portas de cada septo. Oposto por adeptos de ambas as religiões, Harmund finalmente decidiu que o Deus Afogado era um aspecto do Estranho.[22] O sacerdote conhecido como Picanço liderou uma rebelião contra o herdeiro de Harmund II, Harmund III Hoare, e o rei foi deposto com duas semanas. O irmão mais novo de Harmund, Hagon Hoare, foi coroado em seu lugar. Hagon o Sem Coração denunciou a fé, rescindiu os decretos de Harmund e expulsou os septões e septãs. Cada septo nas Ilhas de Ferro foi passado no fogo rapidamente.[22]

História Recente

Halleck Hoare, Rei das Ilhas e dos Rios, passou a maior parte de seu tempo nas terras fluviais e apenas apoiou nominalmente o Deus Afogado.[22] O filho de Halleck, Rei Harren, o Negro, foi morto na queima de Harrenhal durante a Conquista de Aegon.[23]

Após a morte de Harren, o sacerdote Lodos afirmou ser o filho vivo do Deus Afogado. Vickon Greyjoy, o novo Senhor das Ilhas de Ferro, permitiu que a Fé dos Sete retornasse às ilhas após a Conquista, já que o Rei Aegon I Targaryen apoiou os Sete. Em 37 d.C., o filho de Vickon, Lorde Goren, esmagou uma revolta liderada por um homem que alegou ser Lodos o Duplamente Afogado, que voltou à vida após ter visitado o Deus Afogado. Goren enviou a cabeça de Lodos para o Rei Aenys I Targaryen, que em troca deu a Goren permissão para expulsar os septões e septãs das Ilhas de Ferro. Levaria mais um século para que outro septo se abrisse sobre as ilhas.[24]

Em Fidalporto havia uma septo da Fé na época da Rebelião Greyjoy, mas ele não foi reconstruído após sua destruição durante a guerra.[4]

Eventos Recentes

A Fúria dos Reis

Os nascidos do ferro acreditam que o cometa vermelho é uma chama que o Deus Afogado trouxe do mar, que proclama uma "maré alta" para os nascidos do ferro. De acordo com Aeron Greyjoy, isso significa que o povo das Ilhas de Ferro foi feito para ir ao mundo com fogo e espada como os antigos homens de ferro fizeram.[4]

Durante a batalha da Costa Pedregosa, Aeron se afoga Benfred Tallhart como uma oferenda ao Deus Afogado.[17]

O Festim dos Corvos

Aeron executa o beijo da vida em homens afogados na Grande Wyk.[5] Depois de saber da morte de seu irmão mais velho Balon, Rei das Ilhas e do Norte, Aeron convoca os senhores e capitães das Ilhas de Ferro para a Velha Wyk para uma assembleia de homens livres. Ele rejeita a reivindicação de seu irmão mais velho, Euron Greyjoy, insistindo que o ímpio Euron não é digno de sentar-se na Cadeira de Pedra do Mar.[5]

Euron é eventualmente escolhido como rei pelos homens de ferro que se reúnem no Berço de Nagga.[11] Aeron acredita que Euron usou magos e feiticeiros para evitar que os nascidos de ferro escutassem o Deus Afogado e o mar.[10]

A Dança dos Dragões

Victarion Greyjoy fez com que o capitão do Aurora Ghiscari fosse jogado ao mar como um sacrifício ao Deus Afogado. Depois que Victarion mata um pescador, Aguado Pyke e Tom Tidewood oferecem o corpo do homem ao mar também.[15] Por Moqorro ter curado sua mão ferida, Victarion decide honrar R'hllor, assim como honra seu Deus Afogado. O capitão de ferro sacrifica escravas queimando-as vivas em um pequeno barco à deriva.[15]

Membros conhecidos do clero

Sacerdotes conhecidos

Afogados conhecidos

Sacerdotes históricos

Citações


Balon: Os senhores foram para o Sul com o filhote. Os que ficaram para trás são os covardes, velhos e garotos verdes. Vão se render, ou cairão um a um. Winterfell pode resistir durante um ano, mas e daí? O resto será nosso, florestas, campos e palácios, e faremos do povo nossos servos e esposas de sal.

Aeron: E as águas da ira vão se erguer, e o Deus Afogado espalhará seu domínio pelas terras verdes![13]



O deus levou-me até as profundezas sob as águas e afogou a coisa imprestável que eu era. Quando voltou a me atirar para terra, me deu olhos para ver, orelhas para ouvir e uma voz para espalhar a sua palavra, para que eu pudesse ser o seu profeta e ensinar sua verdade àqueles que a esqueceram. Não fui feito para me sentar na Cadeira de Pedra do Mar... tal como Euron Olho de Corvo não o foi. Pois eu escutei o deus, que disse: Nenhum homem sem deus pode se sentar na minha Cadeira de Pedra do Mar![5]



Foi o Deus Afogado que o elevou. Que seja o Deus Afogado a derrubá-lo.[25]



'Deus dos meus pais, se pode me ouvir em seus salões molhados sob as ondas, dê-me apenas um machado de arremesso pequeno'. O Deus Afogado não respondeu. Ele raramente respondia. Esse era o problema dos deuses.[14]
—— pensamentos de Asha Greyjoy



Victarion: Seu deus vermelho terá o que lhe é devido, mas os mares são governados pelo Deus Afogado.

Moqorro: Não há outros deuses além de R’hllor e do Outro, cujo nome não deve ser dito.[15]



Seu Deus Afogado é um demônio, ele não é mais do que um servo do Outro, o deus sombrio cujo nome não deve ser dito.[15]


Referências e Notas

  1. A Dança dos Dragões, Capítulo 42, O Prêmio do Rei.
  2. So Spake Martin: The Drowned God and More (July 14, 1999)
  3. 3,00 3,01 3,02 3,03 3,04 3,05 3,06 3,07 3,08 3,09 3,10 3,11 3,12 3,13 O Mundo de Gelo e Fogo, Os Sete Reinos: As Ilhas de Ferro.
  4. 4,0 4,1 4,2 4,3 4,4 4,5 4,6 A Fúria dos Reis, Capítulo 11, Theon.
  5. 5,00 5,01 5,02 5,03 5,04 5,05 5,06 5,07 5,08 5,09 5,10 5,11 5,12 5,13 5,14 5,15 5,16 5,17 5,18 5,19 5,20 5,21 O Festim dos Corvos, Capítulo 1, O Profeta.
  6. A Dança dos Dragões, Capítulo 26, A Noiva Rebelde.
  7. A Dança dos Dragões, Capítulo 37, O Príncipe de Winterfell.
  8. 8,0 8,1 8,2 A Dança dos Dragões, Capítulo 56, O Pretendente de Ferro.
  9. O Festim dos Corvos, Capítulo 18, O Capitão de Ferro.
  10. 10,0 10,1 10,2 10,3 10,4 10,5 10,6 O Festim dos Corvos, Capítulo 29, O Pirata.
  11. 11,0 11,1 11,2 O Festim dos Corvos, Capítulo 19, O Afogado.
  12. O Cavaleiro dos Sete Reinos, A Espada Juramentada.
  13. 13,0 13,1 13,2 13,3 A Fúria dos Reis, Capítulo 24, Theon.
  14. 14,0 14,1 A Dança dos Dragões, Capítulo 62, O Sacrifício.
  15. 15,0 15,1 15,2 15,3 15,4 A Dança dos Dragões, Capítulo 63, Victarion.
  16. A Fúria dos Reis, Capítulo 50, Theon.
  17. 17,0 17,1 17,2 A Fúria dos Reis, Capítulo 37, Theon.
  18. O Mundo de Gelo e Fogo, Os Sete Reinos: A Campina, Vilavelha.
  19. 19,0 19,1 19,2 O Mundo de Gelo e Fogo, Os Sete Reinos: As Ilhas de Ferro, Coroas de Madeira Trazida pelo Mar.
  20. O Mundo de Gelo e Fogo, História Antiga: A Chegada dos Ândalos.
  21. O Mundo de Gelo e Fogo, Os Sete Reinos: As Ilhas de Ferro, Os Reis de Ferro.
  22. 22,0 22,1 22,2 22,3 22,4 22,5 O Mundo de Gelo e Fogo, Os Sete Reinos: As Ilhas de Ferro, O Sangue Negro.
  23. Fogo & Sangue, A Conquista de Aegon.
  24. O Mundo de Gelo e Fogo, Os Sete Reinos: As Ilhas de Ferro, Os Greyjoy de Pyke.
  25. O Festim dos Corvos, Capítulo 20, Brienne.