Direito de hóspede

De Gelo e Fogo wiki
Ir para: navegação, pesquisa

Direito de hóspede é um costume antigo e sagrado em Westeros, que provavelmente foi trazido para o continente pelos Primeiros Homens.[1] Este direito também é reconhecido nas Cidades Livres.[2]

Costume

O direito de hóspede é uma lei de hospitalidade sagrada, especialmente no Norte.[3] Quando um convidado, sendo ele um plebeu ou um lorde, come a comida e bebe a água na mesa do seu anfitrião sob o seu teto, o direito de hóspede é invocado. Pão e sal são as provisões mais comuns dadas quando uma pessoa entra no lar de outra.

Quando invocado, nem o hóspede ou o anfitrião podem machucar um ao outro durante o período da visita.[1] Se algum dos dois quebrar esta sagrada convenção social, é dito que a ira dos deuses cairá sobre ele. Tanto as pessoas que idolatram os Velhos Deuses quanto os Novos acreditam nisso. Até mesmo lordes e cidadãos comuns fora da lei estão sujeitos ao direito de hóspede.[4]

Um lorde com a espada descoberta aos seus joelhos está fazendo o tradicional sinal de que ele está negando o direito de hóspede.[5]

É as vezes costumário que o anfitrião dê ao seu convidado presentes quando eles partem; isto normalmente representa o encerramento formal do direito de hóspede, quando a pessoa está saindo do seu teto.[4][6] Além disso, as vezes os visitantes também darão presentes para os seus anfitriões como um gesto de gratidão pela comida e pelo abrigo oferecido.[7][8]

Apesar do costume ser recorrente e respeitado na maioria das vezes, existe contos que narram situações em que tal direito foi grosseiramente violado. Uma história lendária é o caso do Cozinheiro Ratazana em Fortenoite.[9] A canção que relata o evento representa as repercussões da quebra do direito de hospitalidade. O Cozinheiro Ratazana, que havia aceito sob o seu teto um rei Ândalo, serviu a ele um empadão feito com a carne do filho dele que havia sido assassinado. Os deuses, irritados pelo fato de que o Cozinheiro havia matado um hóspede (o filho do rei) sob o seu teto, amaldiçoaram ele e o transformaram numa grotesca ratazana.[10]

Um dos casos mais marcantes de violação dos direitos de hóspede no universo de As Crônicas de Gelo e Fogo foi o Casamento Vermelho. O rei do Norte, Robb Stark e sua mãe Catelyn receberam o tradicional pão e sal quando eles chegaram nas Gêmeas para o casamento de lorde Edmure Tully.[11] Contudo, Walder Frey, o Senhor da Passagem e anfitrião do evento, junto com os Boltons, traiu e massacrou seus hóspedes a sangue frio.[12] Apesar de ter encabeçado a conspiração que resultou no massacre, lorde Tywin Lannister colocou toda a culpa do ocorrido em Walder, para que ele não carregue consigo a estigma de ter quebrado uma das tradições mais antigas de Westeros.[13]

Referências