Sunfyre

De Gelo e Fogo wiki
Ir para: navegação, pesquisa
Sunfyre
Sunfyre is injured.jpg
Sunfyre por Jordi Gonzalez Escamilla ©.
Apelido(s) Sunfyre, o Dourado
Lealdade Aegon II Targaryen
Raça Dragão
Morte Em 130 d.C., em Pedra do Dragão
Livro(s) O Mundo de Gelo e Fogo (mencionado)
O Príncipe de Westeros (mencionado)
A Princesa e a Rainha (mencionado)
A Fúria dos Reis (mencionado)

Sunfyre, também conhecido como Sunfyre, o Dourado, foi um Dragão e a montaria do Rei Aegon II Targaryen.[1]

Aparência

De acordo com Arquimeistre Gyldayn, Sunfyre era o dragão mais belo já visto na Terra. Sunfyre tinha douradas escamas brilhantes como ouro batido na luz do sol e asas com membranas rosa-claro.[1] Suas chamas eram douradas também.[1] Enorme e pesado, Sunfyre era um lutador formidável e feroz apesar de sua juventude.[1]

História

O ovo de dragão de Sunfyre chocou em Pedra do Dragão. Embora o ano exato de nascimento de Sunfyre nunca tenha sido declarado, ele foi descrito como sendo um dragão "jovem" em 120 d.C.[2] e 129 d.C..[3][1] Sabe-se que Sunfyre era mais velho que Tessarion. [3] Embora não seja conhecido com precisão quando exatamente o príncipe Aegon tomou Sunfyre como sua montaria, sabemos que em 120 d.C. Aegon já montava Sunfyre.[2]

Em algum momento desconhecido, Grande Meistre Gerardys foi devorado por Sunfyre.[4]

Dança dos Dragões

O rei Aegon II Targaryen montou em Sunfyre durante a Dança dos Dragões. Nas costas de Sunfyre, o Rei Aegon II participou da Batalha de Pouso de Gralhas, uma das primeiras grandes batalhas da guerra, em 129 d.C.. Em Pouso de Gralhas, o Rei Aegon II, seu irmão, o Príncipe Aemond, e Sor Criston Cole atraíram a Princesa Rhaenys Targaryen em uma armadilha. Sunfyre e o dragão de Aemond, o grande Vhagar, enfrentaram o dragão Meleys de Rhaenys em batalha, e embora Meleys fosse mais velha, astuta e experiente em batalha e pudesse ter uma chance contra Vhagar sozinho, as forças combinadas de Vhagar e Sunfyre eram demais para Meleys. Os três dragões lutaram muito acima dos campos. Meleys conseguiu fechar suas mandíbulas em torno do pescoço de Sunfyre, mas Vhagar caiu sobre eles de cima, fazendo com que os três dragões caíssem na terra. Embora Vhagar e Sunfyre tenham saído vitoriosos da luta, Sunfyre foi gravemente ferido na batalha, já que uma asa ficou meio quebrada de seu corpo durante a luta.[1]

Incapaz de voar e muito grande e pesado para ser movido, Sunfyre permaneceu perto do Pouso de Gralhas para se curar. Sor Criston Cole ordenou que homens protegessem dragão. A princípio, o dragão alimentou-se das carcaças queimadas dos soldados mortos, mas depois que eles acabaram, os homens de Cole trouxeram os bezerros e as ovelhas para alimentá-lo.[1]

Quando Lorde Walys Mooton reconquistou Pouso de Gralhas das forças do Rei Aegon II, ele levou seus homens mais corajosos contra Sunfyre, na esperança de matar o dragão. Enfurecido pelos ataques, Sunfyre reagiu com sua cauda e chamas. Três tentativas de ataque acabam fracassando antes de os outros fugirem. Entre os mortos estava Lorde Walys Mooton. Dentro de uma quinzena após o ataque, Sunfyre havia desaparecido.[1] Embora sua asa tivesse curado em um ângulo bizarro, Sunfyre havia se recuperado o suficiente para voar mais uma vez.[1] Por meio ano, Sunfyre se recuperou em uma vila remota de pescadores.[3] De acordo com o Crabbs e Brunes Sunfyre pode ter se escondido nos bosques escuros de pinheiros ou nas cavernas de Ponta da Garra Rachada antes de eventualmente fazer o seu caminho para Pedra do Dragão.[1][3] Arquimeistre Gyldayn especula sobre as razões de Sunfyre ter voltado para Porto Real, sugerindo a opção de um instinto primitivo para retornar à seu local de nascimento, ou desejo de voltar para o Rei Aegon II, seu domador, que estava escondido na ilha. De acordo com Arquimeistre Gyldayn, alguns até sugerem que Sunfyre foi capaz de sentir a necessidade urgente do Rei Aegon II por ele.[1]

Seja qual for o caso, Sunfyre matou o dragão selvagem Grey Ghost em seu retorno e se escondeu com Rei Aegon II em um covil nas desoladas encostas orientais do Monte Dragão em Pedra do Dragão. Permaneceram lá por mais de meio ano desde o desaparecimento do dragão, mas eles foram descobertos por Tom Barba-Presa e seu filho, Tom Língua-Presa, e Sor Marston Waters (filho bastardo da irmã de Tom Barba-Presa) que tinha escutado de marinheiros bêbados de Volantis que o dragão dourado estava na ilha. Rei Aegon II voou em Sunfyre todos os dias desde então, recuperando forças, enquanto os “dois Tom's” e Sor Marston retornaram para Pedra do Dragão para buscar apoios para Aegon dentro da fortaleza da Rainha Rhaenyra Targaryen e capturar o castelo. Pedra do Dragão caiu facilmente para os partidários de Rei Aegon II, que levou Sunfyre para o castelo, onde a Senhora Baela Targaryen e seu dragão Moondancer se levantaram para enfrentá-lo em batalha. Embora mais jovem e menor, Moondancer também era mais rápido que Sunfyre, que ainda estava atormentado por suas feridas das batalhas contra Meleys e Grey Ghost. Moondancer conseguiu ferir Sunfyre ainda mais em batalha e por um tempo conseguiu fugir de suas chamas, mas ficou cego quando uma explosão das chamas douradas de Sunfyre a atingiu diretamente nos olhos. Apesar do fogo, Moondancer avançou contra Sunfyre, batendo nele e caindo no chão com ele. Embora ambos os dragões tenham sobrevivido à queda, no solo a velocidade de Moondancer não poderia derrotar o tamanho e o peso de Sunfyre enquanto estivessem agarrados e lutando. Sunfyre acabou matando o dragão mais jovem.[1]

Semanas finais

A batalha com Moondancer deixou Sunfyre ainda mais ferido do que antes. Ele estava coberto de cicatrizes recentes nas costas, tinha feridas enormes no pescoço e cicatrizes na barriga, e perdera o olho direito. Ele seria incapaz de voar para sempre, e permaneceu no local onde havia caído do céu, a princípio se alimentando da carcaça de Moondancer, depois de ovelhas abatidas.[1]

No vigésimo segundo dia da décima lua de 130 d.C., um cativo da Rainha Rhaenyra Targaryen foi devorado a Sunfyre sob as ordens do Rei Aegon II. Diz-se que Sunfyre só reagiu a Rainha Rhaenyra depois dela ter sido atacada por um punhal, com o cheiro do sangue despertando o dragão. Sunfyre a banhou em uma explosão de suas chamas antes de fechar suas mandíbulas ao redor dela. Além disso, diz-se que Sunfyre devorou Rainha Rhaenyra em seis mordidas, deixando apenas a perna esquerda abaixo da canela.[1]

Embora o Rei Aegon II inicialmente esperasse que Sunfyre pudesse se recuperar o suficiente para voar novamente, o dragão enfraqueceu e eventualmente se recusou a comer. Ele morreu de suas feridas cerca de seis semanas após a morte da Rainha Rhaenyra, no nono dia da décima segunda lua de 130 d.C.. O Rei Aegon II chorou quando Sunfyre morreu.[1]

Montadores conhecidos

Sobre a página

Esta página utiliza conteúdo baseado em Sunfyre, um artigo de A Wiki Of Ice And Fire.

Referências