Vhagar

De Gelo e Fogo wiki
Ir para: navegação, pesquisa
Vhagar
Vhagar Dragon.jpg
Visenya Targaryen e Vhagar, por Alexis Cazarzada ©
Apelido(s) Sombra Alada
Lealdade Visenya Targaryen
Laena Velaryon
Aemond Targaryen
Raça Dragão
Nascimento Em 51 d.C., em Pedra do Dragão
Morte Em 130 d.C., em Olho de Deus
Livro(s) The Sons of the Dragon (Mencionado)
The Rogue Prince (Mencionado)
Mencionado
Mencionado
Outros livros
Mencionado
Mencionado


Vhagar foi um dos dragões de Aegon, o Conquistador e suas irmãs Rhaenys e Visenya[1]. Vhagar era fêmea, e foi montada por Visenya durante a Conquista [2], ao lado do Balerion de Aegon o Conquistador e o Meraxes de sua irmã Rhaenys.[2] Outros cavaleiros de dragão de Vhagar foram Lady Laena Velaryon e Príncipe Aemond Targaryen.[3]

Vhagar ganhou este nome em homenagem a um dos deuses da Antiga Valíria.

Aparência

Veja também: Imagens de Vhagar

A cor das escamas, chifres, asas, ossos das asas e crista da coluna de Vhagar é desconhecida, assim como a cor de sua chama. No conteúdo suplementar da HBO, a dragão é exibida em cor branca. No entanto, o material promocional da série de TV não serve como cânone para o universo dos livros.

De acordo com Tyrion Lannister, Vhagar era grande o suficiente para colocar um cavalo goela abaixo.[4] Dizem que a respiração de Vhagar era tão quente que podia derreter a armadura de um cavaleiro e cozinhá-lo por dentro.[2]

Até o momento da Dança dos Dragões, ela era uma besta endurecida por ter feito parte de uma centena de batalhas, sendo quase tão grande quanto Balerion, e foi a dragão que mais viveu em Westeros. Seu rugido era tão poderoso que poderia abalar os próprios alicerces de Ponta Tempestade. Nenhum dragão vivo poderia equiparar-se ao seu tamanho ou ferocidade.[5]

História

Vhagar eclodiu de um ovo de dragão em Pedra do Dragão durante o Século de Sangue.[6] Ela ganhou este nome em homenagem a uma deusa do Império Valiriano.[7]

Em dado momento, Vhagar foi reivindicada por Visenya Targaryen. Visenya montou Vhagar pela primeira vez, demonstrando ser um cavaleiro de dragão, em algum momento antes de se casar com seu irmão, Aegon.[6]

A Conquista de Aegon

Visenya Targaryen, montada no seu dragão Vhagar, queimando a frota Arryn.

Após Aegon chegar a Westeros e iniciar sua conquista, Visenya voou com Vhagar para Stokeworth, onde besteiros soltaram dardos até o dragão colocar os telhados do castelo em chamas.[6] Após a primeira coroação de Aegon, Visenya e Vhagar, acompanharam a frota de Targaryen, comandada por Daemon Velaryon, na conquista de Vila Gaivota. Na Batalha de Vila Gaivota, a frota Arryn derrotou a frota Targaryen, afundando um terço dos navios e capturando muitos outros. Então, Visenya desceu e queimou os navios da frota de Arryn.[6]

Visenya então voou para Ponta da Garra Rachada com Vhagar, para aceitar as muitas promessas de fidelidade dos senhores locais. Depois, ela voou com Vhagar para o Septo de Pedra para se conectar com seus irmãos, seus dragões e o exército de Aegon. Eles avançaram para o sul, onde todos os três dragões participaram do decisivo Campo de Fogo a única batalha em que todos os três dragões Targaryen levantaram-se para o céu ao mesmo tempo durante a conquista de Aegon. Juntos, Vhagar, Meraxes e Balerion mataram quatro mil homens, queimando-os vivos. O Rei Mern IX Gardener morreu, e com ele a Casa Gardener. O exército foi quebrado, e a Casa Targaryen foi vitoriosa.[6][4]

Visenya em seguida voou com Vhagar para o Tridente nas terras fluviais, onde ela se encontrou com seu irmão e irmã e seus dragões, para enfrentar o Rei do Norte Torrhen Stark. Brandon Snow, o irmão bastardo de Torrhen, ofereceu-se para entrar furtivamente no acampamento Targaryen à noite para matar os dragões, mas o rei do norte recusou o plano e, em vez disso, enviou seu irmão como um mensageiro, para dobrar o joelho aos Targaryen.[6]

Posteriormente, Visenya voou Vhagar de volta para o Vale, onde ela pousou com seu dragão no pátio interno do Ninho da Águia. Quando a Rainha Viúva Sharra Arryn chegou ao pátio, ela encontrou seu filho, Rei Ronnel Arryn, sentado no joelho de Visenya, olhando maravilhado para Vhagar. O jovem rei implorou a sua mãe por um vôo nas costas de Vhagar. Sharra dobrou o joelho e se rendeu, e Ronnel montou em Vhagar três vezes sobre o cume da Lança do Gigante.[6]

Primeira Guerra Dornesa

Após as mortes de Rhaenys e Meraxes em 10 d.C. na Toca do Inferno em Dorne, Visenya e Aegon queimaram todas as fortalezas dornesas pelo menos uma vez (exceto Lançassolar e sua cidade sombria) durante um período de dois anos conhecido como A Ira do Dragão. Os dorneses contam a história de que os Targaryen se recusaram a atacar o Lançassolar porque eles estavam com medo de que a Princesa Meria Martell tivesse comprado uma arma de Lys para matar Vhagar e Balerion, mas Arquimeistre Timotty sugere que os Targaryens pretendiam colocar as outras casas de Dorne contra os Martells.[8]

Aenys I e Maegor I

Quando o Rei Aegon I morreu em 37 d.C., Vhagar forneceu as chamas para acender o fogo de sua pira funerária.[9] Em 41 d.C., quando o Rei Aenys I Targaryen nomeou seu filho mais velho e herdeiro, Príncipe Aegon, o Príncipe de Pedra do Dragão em seu casamento, Visenya irritadamente partiu para Pedra do Dragão. É dito que a lua ficou vermelha como sangue quando Vhagar passou por ela.[9]

Mais tarde naquele ano, quando o rei Aenys chegou a Pedra do Dragão, fugindo dos primeiros rebeldes do Levante da Fé Militante, Visenya pediu-lhe que lhe concedesse permissão para levar Vhagar e queimar o Septo Estrelado em Vilavelha. Aenys se recusou. Quando o rei morreu no início de 42 d.C., Visenya deixou Pedra do Dragão dentro de uma hora de sua morte, e voou para Pentos, onde seu filho Maegor vivia no exílio. Depois que Maegor reivindicou a coroa em Pedra do Dragão, Visenya o acompanhou em Vhagar e atravessou a Baía da Água Negra até Porto Real. O retorno de Vhagar e Balerion a Porto Real ocasionou revoltas na cidade.[9]

Antes do casamento de Maegor com Tyanna da Torre, Visenya voou sobre Vhagar para Derivamarca para convencer Alyssa Velaryon a aparecer no casamento.[9] Quando a Fé Militante continuou a resistir ao reinado de Maegor, mesmo depois das perdas que eles sofreram na Batalha de Ponteamarga e na Batalha na Bifurcação do Água Negra, Visenya montou Vhagar e queimou os assentos da Casa Blanetree, Casa Terrick, Casa Deddings, Casa Lychester, e Casa Wayn na Campina em uma única noite. Maegor levou Balerion para as terras ocidentais, queimando os assentos da Casa Broom, Casa Doggett, Casa Falwell, Casa Lorch, Casa Myatt, e outros "senhores piedosos" que haviam desafiado sua convocação real. [9]

Em 43 d.C.,[N 1] Maegor e Visenya viraram-se para Vilavelha, ameaçando incinerar o Septo Estrelado em resposta à condenação do Alto Septão por conta dos casamentos polígamos. Apenas a misteriosa morte do Alto Septão permitiu ao Senhor Martyn Hightower abrir seus portões antes de Balerion e Vhagar, salvando a cidade das chamas de dragão.[10][9]

Visenya morreu em Pedra do Dragão em 44 d.C.,[11][9] deixando Vhagar sem um cavaleiro. Com a morte de Balerion em 94 d.C.,[3] Vhagar se tornou o último dos três dragões Targaryen que lutaram na Conquista.

Reino do Rei Viserys I Targaryen

O próximo cavaleiro conhecido de Vhagar foi Lady Laena Velaryon, que havia se tornado um cavaleiro de dragão antes dos doze anos de idade. De acordo com o mensageiro de Derivamarca, sede da Casa Velaryon, Laena adorava voar. Quando Laena se casou com o Príncipe Daemon Targaryen em 115 d.C., eles voaram sobre seus dragões através do mar estreito para Pentos, Volantis, Qohor e Norvos. Por onde quer que fossem, multidões enormes vinham ver o vislumbre de Vhagar e Caraxes, o dragão de Daemon. Depois que Laena deu à luz em 116 d.C., Daemon trouxe seu próprio dragão e Vhagar de volta para Westeros. Laena e Daemon se aproximaram da sobrinha de Daemon, Rhaenyra Targaryen, e os três frequentemente voavam juntos em seus dragões, Vhagar, Caraxes e Syrax. [3]

Laena morreu no início de 120 d.C.. Diz-se que Laena tentou aproximar-se de Vhagar em sua última hora, para voar uma última vez, mas ela não tinha forças. Após o funeral de Laena em Derivamarca, o príncipe Aemond Targaryen de apenas dez anos reivindicou Vhagar como seu próprio dragão. [3]

Dança dos Dragões

Artigo(s) principal(is): Dança dos Dragões
Aemond e Vhagar matam Lucerys e Arrax, ilustrado por Chase Stone.

Em 129 d.C., Vhagar havia crescido quase tanto quanto Balerion tinha sido durante a Conquista de Aegon, e se tornou o maior dragão vivo do seu tempo.[12] O Príncipe Aemond voou em Vhagar para Ponta Tempestade, para que eles pudessem ganhar o apoio do Lorde Borros Baratheon para o Rei Aegon II Targaryen. Lá, Aemond reuniu-se com o Príncipe Lucerys Velaryon, na esperança de obter apoio para sua mãe, a Rainha Rhaenyra Targaryen. Aemond foi proibido de atacar Lucerys enquanto ambos estavam no castelo de Borros, mas foi autorizado a segui-lo fora dali. Após Lucerys subir ao céu em seu dragão Arrax, Aemond montou Vhagar e seguiu o jovem príncipe. Os dois dragões lutaram durante uma grande tempestade sobre a Baía dos Naufrágios, e Vhagar rapidamente venceu Arrax, cuja cabeça cortada apareceria na praia dias depois, junto com o cadáver de Lucerys. [5]

Aemond continuaria a voar com Vhagar em batalha durante a guerra civil entre o Rei Aegon II e a Rainha Rhaenyra. Durante a batalha em Pouso de Gralhas, Vhagar, Aemond, Rei Aegon, e Sunfyre, emboscaram o dragão Meleys e sua cavaleira Princesa Rhaenys Targaryen. Meleys era uma velha e grande dragão-fêmea, e poderia ter uma chance contra Vhagar sozinha, mas morreu com o assalto combinado. Vhagar foi o único dragão que deixou a batalha razoavelmente ileso. [5]

A batalha contra Meleys deixou Aegon II gravemente ferido, deixando-o incapaz de governar. O Príncipe Aemond então foi nomeado regente. Em seguida, decidiu que a principal ameaça na guerra era o príncipe Daemon Targaryen, que estava reunindo exércitos em Harrenhal. Aemond levou Vhagar e a maioria das forças dos verdes de Porto Real para o norte para atacar Harrenhal, deixando Porto Real com pouquíssima defesa. Quando Aemond e Vhagar chegaram a Harrenhal, encontraram o castelo indefeso e vazio, já que Daemon tinha deixado o local algum tempo antes para atacar Porto Real, depois de ter atraído Aemond e Vhagar para longe da capital. [5]

Após a queda de Porto Real, o Príncipe Aemond e a Mão do Rei Criston Cole não mais concordaram sobre como proceder durante a guerra. Aemond levou Vhagar em uma guerra de vingança de um homem só. Eles queimaram grande parte das terras fluviais, começando com todas as estruturas de madeira em Harrenhal. Vhagar causou mais destruição do que um exército inteiro, e prejudicou severamente os partidários de Rhaenyra nas terras fluviais - embora a decisão de Aemond de abandonar o exército sob comando de Criston tenha provado ser um erro estratégico. Sem Vhagar para protegê-los, o exército de Cole no leste foi mais tarde cercado e destruído no Baile dos Carniceiros, deixando o leste aberto para as forças de Rhaenyra. [5]

Aemond e Vhagar continuaram a destruição das terras fluviais e tornaram-se o terror do tridente. Daemon Targaryen, em seu dragão Caraxes, e a semente de dragão Nettles, no dragão Sheepstealer, foram enviados para caçar Aemond. Eles foram autorizados a usar Lagoa da Donzela como base, pois Lorde Manfryd Mooton temia um ataque de Vhagar, e achou que estaria mais seguro assim. Daemon e Nettles procuraram jutos, e sem sucesso, por Vhagar, que continuava a aterrorizar as terras fluviais.

Após a Primeira Batalha de Tumbleton, Daemon mandou dizer que ele e Caraxes esperariam Aemond e Vhagar em Harrenhal. No décimo quarto dia da vigília de Daemon em Harrenhal, Vhagar apareceu no céu, carregando Aemond e sua amante Alys Rivers. Aemond deixou Alys no pátio do castelo, e ambos os dragões e seus cavaleiros se lançaram no ar. Todos os quatro foram mortos na Batalha sob o Olho de Deus. Quando os dragões se uniram, as mandíbulas de Caraxes se fecharam em volta do pescoço de Vhagar, Daemon saltou de seu dragão e pulou em Vhagar para colocar Estrela Negra através do olho de Aemond, e os dragões colidiram no lago. Alguns anos após o fim da Dança, o corpo de Vhagar foi recuperado, com os ossos e armadura de Aemond ainda presos à sela. Vhagar tinha cento e oitenta e um anos quando morreu, no vigésimo segundo dia da quinta lua de 130 d.C.. [5]

Legado

Junto a dezoito[4] outros crânios de dragão Targaryen , o crânio de Vhagar foi pendurado em uma parede na sala do trono da Fortaleza Vermelha. [13] [14] Depois da Rebelião de Robert, o rei Robert I Baratheon removeu os crânios da sala do trono e guardou-os em um porão úmido. Em 284 d.C., quando Tyrion Lannister visitou a capital para o casamento de sua irmã Cersei com Robert, ele observou os crânios no porão, incluindo o de Vhagar.[4] Em 298 d.C., Arya Stark encontrou os crânios de dragão enquanto passava pelas cavernas da Fortaleza Vermelha. [15] [16]

Em 299 d.C., Daenerys Targaryen adquiriu três navios enviado por Illyrio Mopatis. Ela os renomeou como Vhagar, Meraxes, e Balerion, para dizer ao mundo que os dragões retornaram.[17]

Cavaleiros de dragão de Vhagar

Rei Ronnel Arryn voou três círculos ao redor do cume da Lança do Gigante durante a Conquista de Aegon com Visenya nas costas de Vhagar.[6] Durante a Dança dos Dragões, Alys Rivers voou nas costas de Vhagar junto com o Príncipe Aemond Targaryen.[5]

Citações sobre Vhagar

Vhagar envelhece, mas suas chamas ainda ardem quentes.[9]
Visenya Targaryen para Aenys I Targaryen
O perigo representado pela montaria da Rainha Visenya não podia ser negado.[5]
Gyldayn
Velha piranha grisalha[5]
Jacaerys Velaryon
A poderosa dragoa de Aemond sentiu sua chegada primeiro. Guardas marchando pelo parapeito das grandiosas muralhas do castelo agarraram suas lanças num repentino terror quando despertaram com um rugido que abalou as fundações do Desafio de Durran.[5]
No 14º dia da vigília do príncipe, uma sombra passou pelo castelo, mais escura que qualquer nuvem passageira. Todos os pássaros no bosque sagrado subiram ao céu assustador, e um vento quente açoitou as folhas caídas no pátio. Vhagar chegara, e em suas costas estava o príncipe caolho Aemond Targaryen, vestindo uma armadura preta como a noite, gravada em ouro.[5]
A carcaça de Vhagar afundou até o leito do lago, o sangue quente do grande talho em seu pescoço fazendo a água ferver em seu local de descanso final.[5]



Sobre a página

Esta página utiliza conteúdo baseado em Vhagar, um artigo de A Wiki Of Ice And Fire.

Notas

  1. As primeiras edições de O Mundo de Gelo e Fogo afirmam erroneamente que este evento e a morte do Alto Septão aconteceram em 44 d.C.. Os Filhos do Dragão dá a data correta de 43 d.C.. Septão Pater, o Alto Septão eleito como substituto morreu um ano depois.

Referências