Silverwing

De Gelo e Fogo wiki
Ir para: navegação, pesquisa
Silverwing
Queen Alysanne by Trishkell III.png
Silverwing, montada pela Rainha Alysanne. © Green Ronin Publishing
Lealdade Alysanne Targaryen
Ulf, o Branco
Morte Em entre 131 d.C. e 153 d.C.
Livro(s) O Mundo de Gelo e Fogo (mencionada)
The Sons of the Dragon (mencionada)
A Princesa e a Rainha (mencionada)
A Tormenta de Espadas (mencionada)
O Festim dos Corvos (mencionada)

Silverwing ou Asaprata[N 1] foi a dragão-fêmea da Rainha Alysanne Targaryen.[1][2] Ela lutou na guerra civil chamada Dança dos Dragões.

Veja também

História

Silverwing criou vínculo com a Princesa Alysanne Targaryen em 48 d.C.[3] Após a misteriosa morte de Maegor I Targaryen, Alysanne voou com Silverwing para Porto Real, junto com o irmão dela Jaehaerys e sua irmã Rhaena montados em seus dragões, Vermithor e Dreamfyre, para que Jaehaerys reivindicasse o Trono de Ferro.[3]

Durante o reinado de seu irmão-marido, Jaehaerys I, Alysanne e Jaehaerys uma vez visitaram Winterfell com seis dragões. Enquanto estava em Winterfell, Alysanne ficou entediada e montou Silverwing, voando mais para o norte para ver a Muralha. Eles pararam na aldeia de Coroadarrainha no caminho.[4][1]

Em algum momento, Vermithor e Silverwing se tornaram um par acasalado. Durante a Dança dos Dragões, é dito que Vermithor e Silverwing muitas vezes enrolam-se nos campos.[5]

Silverwing ficou sem cavaleiro quando Alysanne morreu no final do reinado de Jaehaerys I. Durante o reinado do sucessor de Jaehaerys, Rei Viserys I Targaryen, Silverwing não teve novo cavaleiro. [6] Durante este tempo, Silverwing permaneceu na ilha de Pedra do Dragão e fez seu covil em uma das cavernas de fumaça do Monte Dragão.[5] Ali Silverwing ficou quando Dança dos Dragões começou em 129 d.C.. Quando o Príncipe Jacaerys Velaryon decidiu que a facção de sua mãe precisava de mais cavaleiros de dragões, muitos homens tentaram reivindicar um dos dragões sem cavaleiro em cima de Pedra do Dragão, incluindo Silverwing, por conta própria. Silverwing aceitou Ulf, o Branco como cavaleiro.[5][6] Ulf montou Silverwing para lutar na Batalha na Goela. Ao lado de Vermithor, Sheepstealer, Vermax e Seasmoke, Silverwing desceu sobre os noventa navios de guerra navegando sob os estandartes das Três Filhas.[5]

Quando Porto Real caiu para os aliados de Rhaenyra Targaryen, Ulf pousou Silverwing no topo da Colina de Rhaenys, do lado de fora do Fosso dos Dragões. No Fosso dos Dragões, Silverwing fez um covil antes de voar para a batalha. Ulf montou Silverwing na batalha durante a primeira batalha em Tumbleton. Ulf e o amigo semente de dragão Hugh Martelo, que reivindicou Vermithor, mudaram sua lealdade, traindo Rhaenyra em favor de Aegon II Targaryen. Silverwing, Vermithor, e Tessarion, o dragão do irmão de Aegon II, o Príncipe Daeron, soltou suas chamas sobre Tumbleton, que foi saqueada de maneira selvagem.[5]

Enquanto os Hightower mantiveram-se em Tumbleton, assim também fez Ulf com Silverwing. Durante esse tempo, Silverwing foi mantida fora dos muros da cidade, livre para voar e caçar. Durante a Segunda Batalha de Tumbleton, um exército de quatro mil homens fortes, liderados por Addam Velaryon sobre o dragão Seasmoke, surpreenderam os Hightower em Tumbleton com seu ataque noturno. Ulf dormiu durante a batalha, mas mesmo sem um cavaleiro, Silverwing subiu aos céus durante a batalha. Em um ponto, um besteiro disparou um raio na dragão.[5] Silverwing evitou mais batalhas e circulou o campo de batalha por horas. Ela desceu apenas novamente no dia seguinte, depois que o sol se pôs, e pousou entre os mortos Vermithor, Seasmoke e Tessarion. Os cantores afirmam que Silverwing tentou levantar a asa de Vermithor em três ocasiões, mas Archmaester Gyldayn considera que esta provavelmente é uma fábula. Quando o sol se levantou novamente, Silverwing começou a voar desanimada pelo campo, onde ela se alimentou nas carcaças queimadas de homens e animais.[5]

O cavaleiro de Silverwing, Ulf o Branco, insistiu que ele deveria se tornar o novo rei dos Sete Reinos, pois o Rei Aegon II estava desaparecido, o Príncipe Aemond morto, assumindo o plano do recém-falecido Hugh Martelo, que havia morrido em Tumbleton também. Silverwing ficou sem cavaleiro quando Hobert Hightower, um dos Estrepes, deu a Ulf o Branco vinho envenenado. Lorde Unwin Peake ofereceu mil dragões de ouro para qualquer cavaleiro de nascimento nobre capaz de montar Silverwing. Dos três homens que se voluntariaram, o primeiro teve seu braço arrancado, e o segundo foi queimado até a morte. O terceiro homem então mudou de ideia.[5]

Silverwing era uma dos quatro dragões ainda vivos no final da Dança. Embora acostumado com os homens, Silverwing tornou-se selvagem durante o reinado de Aegon III Targaryen, e, eventualmente, fez seu covil em uma ilha no Lago Vermelho no noroeste da Campina.[6]

Eventos Recentes

A Tormenta de Espadas

Bran Stark menciona Silverwing para Meera e Jojen Reed quando eles chegam em Coroadarrainha.[4] Jon Snow conta para Ygritte sobre a visita da Rainha Alysanne Targaryen na Muralha, que aconteceu há mais de dois séculos.[1]

O Festim dos Corvos

Enquanto era levado pelo guincho na Muralha, Samwell Tarly se pergunta se Silverwing pode ter deixado um ovo na Muralha.[2]

Cavaleiros de Silverwing conhecidos

Sobre a página

Esta página utiliza conteúdo baseado em Silverwing, um artigo de A Wiki Of Ice And Fire.

Notas

  1. Há uma incoerência na tradução da LEYA no que diz respeito ao nome desse dragão, cuja versão original é Silverwing. Seu nome foi traduzido como Asaprata no capítulo Samwell I do livro O Festim dos Corvos e no capítulo Bran III do livro A Tormenta de Espadas. No entanto, no conto A Princesa e a Rainha do livro Mulheres Perigosas, a LEYA optou por não traduzir seu nome e deixar como Silverwing, seu nome original. Inclusive em alguns trechos da primeira versão traduzida de O Mundo de Gelo e Fogo seu nome ficou Asaprata, enquanto em outros trechos deixaram seu nome original Silverwing.

Referências