Alysanne Targaryen

De Gelo e Fogo wiki
Ir para navegação Ir para pesquisar

 

Para os artigos que compartilham o mesmo título, por favor veja esta página de desambiguação. Disambig.png

Targaryen.png
Alysanne Targaryen
Targaryen.png
Alysanne Targaryen Amoka.jpg
Alysanne, por Amok ©.
Informações biográficas
Nome completo Alysanne da Casa Targaryen
Apelido(s) Boa Rainha Alysanne
Títulos Princesa
Rainha
Nascimento 36 d.C.[1], em Porto Real[2].
Morte 100 d.C.[3], em Pedra do Dragão[4].
Família
Casa Real Casa Targaryen
Consorte Jaehaerys I Targaryen
Filhos Aegon Targaryen
Daenerys Targaryen
Aemon Targaryen
Baelon Targaryen
Alyssa Targaryen
Maegelle Targaryen
Vaegon Targaryen
Daella Targaryen
Saera Targaryen
Viserra Targaryen
Gaemon Targaryen
Valerion Targaryen
Gael Targaryen
Pai Aenys I Targaryen
Mãe Alyssa Velaryon

Casa Targaryen de Porto Real.png
Mencionada
Mencionada
Mencionada
Mencionada
Outros livros
Mencionada
Mencionada
Mencionada
Mencionada
Mencionada

Rainha Alysanne Targaryen, conhecida como a Boa Rainha Alysanne, foi a rainha consorte de seu irmão, o rei Jaehaerys I Targaryen. Seu dragão foi a fêmea Silverwing.

Aparência e Personalidade

Veja também: Imagens de Alysanne Targaryen

Alysanne era uma mulher magra e miúda.,[5][6] cintura fina e silhueta delicada[7] De acordo com uma fonte semi-canônica, ela tinha seios pequenos, pescoço longo, pele clara, testa alta e maçãs do rosto salientes.[8] Alysanne muitas vezes era descrita como bonita, mas raramente como linda. Seus olhos eram azuis e não violeta, e seus cabelos eram uma coroa de cachos cor de mel,[7] que, de acordo com uma fonte semi-canônica, ficaram brancos como a neve na velhice. Ela os usava em um coque, puxado para trás e preso atrás das orelhas.[8] Além disso, a idade deixou pés de galinha em volta dos olhos e rugas de riso na boca, embora seu rosto nunca perdesse a força.[8] Alysanne tornou-se magra e frágil após a morte de seu filho Aemon em 92 d.C., e começou a ter dificuldade em subir morros. Após quebrar o quadril em 95 d.C., ela passou a andar com uma bengala. Além disso, à medida que envelhecia, sua audição começou a falhar e ela se tornou muito instável para voar.[6]

Alysanne era brilhante, mas nada notável, quando jovem. Ela era cortês e obediente, tinha um sorriso doce e uma voz agradável. Quando criança, ela não era tímida nem tinha um temperamento obstinado.[5] De acordo com Lorde Rogar Baratheon, Alysanne era uma menina orgulhosa aos treze anos.[5] Ela era considerada gentil e amorosa.[5] Alysanne amava seus súditos, tanto nobres como plebeus,[6] e foi muito amada por todos os Sete Reinos em troca.[9] Ela amava suas audiências de mulheres, onde ouvia e aprendia com as mulheres do reino. Ela amava música, dançar, ler e voar em seu dragão.[6] She was a fearless woman.[6] De acordo com uma fonte semi-canônica, Alysanne foi uma excelente arqueira e caçadora em sua juventude e tornou-se conhecida por suas instituições de caridade.[8]

Mais tarde, foi dito que Alysanne aprendera a ler antes de ser desmamada. De acordo com Septão Barth, ela teria sido enviada para a Cidadela, se fosse homem. Ela tinha um grande humor, e todas as crônicas concordam que ela causou uma forte impressão em quem a conheceu.[7] Alysanne era espirituosa, charmosa e extremamente inteligente.[9]

George R. R. Martin afirmou que podemos considerar Alysanne como a Eleanor of Aquitaine de Westeros, incluindo a interpretação de Katherine Hepburn no filme O Leão no Inverno. Alysanne costumava usar uma versão mais fina e feminina da coroa de seu irmão-marido na corte.[8]

História

Juventude

Alysanne nasceu filha do príncipe Aenys Targaryen e da senhora Alyssa Velaryon em 36 d.C.. Ela teve quatro irmãos mais velhos - Rhaena, Aegon, Viserys , e Jaehaerys - e uma irmã mais nova, Vaella.[10][1] De acordo com a lenda, sua irmã Rhaena colocou um ovo de dragão no berço de Alysanne, de onde eventualmente o dragão Silverwing eclodiu.[1]

Em 37 d.C., após a morte de seu avô, Rei Aegon I Targaryen, em Pedra do Dragão,[11] seu pai, Aenys, ascendeu ao trono.[12] Seguidores da Fé dos Sete começaram uma revolta depois que o Rei Aenys I casou os dois irmãos mais velhos de Alysanne, Rhaena e Aegon, em 41 d.C.. Depois que os Pobres Companheiros escalaram as muralhas da Fortaleza Vermelha na tentativa de assassinar a família real, Alysanne fugiu com sua família para Pedra do Dragão.[12] No final do ano, a maior parte do reino havia se colocado ao lado da Fé, e o Rei Aenys, incapaz de decidir como lidar com os rebeldes, adoeceu. Em 42 d.C., ele desmaiou ao saber que Rhaena e Aegon foram sitiados em Paço de Codorniz e morreu três dias depois.[12] Alysanne estava presente em Pedra do Dragão para a cremação de seu pai.[1] Após a cremação de Aenys,[12] A rainha viúva Visenya Targaryen trouxe seu filho Maegor de volta de seu exílio. Em Pedra do Dragõa, Maegor reivindicou o Trono de Ferro para si, ignorando a reivindicação do irmão mais velho de Alysanne, Aegon. Antes que ele pudesse chegar, no entanto, a mãe de Alysanne levou ela e seus irmãos Viserys e Jaehaerys para Derivamarca. No final daquele ano, eles viajaram para Porto Real para o casamento do rei Maegor I com Tyanna da Torre. Após o casamento, Alysanne, Jaehaerys e sua mãe foram mantidos em Pedra do Dragão, como prisioneiros não oficiais, pela rainha viúva Visenya, enquanto o irmão de Alysanne, Viserys, foi mantido em Porto Real por Maegor.[1]

Alysanne, Jaehaerys e a rainha viúva Alyssa escaparam de Pedra do Dragão em 44 d.C., no caos após a morte de Visenya.[13] Conforme o reino lentamente começou a se voltar contra Maegor, o único irmão de Alysanne, Jaehaerys, apresentou sua reivindicação ao trono, já que seus irmãos mais velhos haviam morrido nos anos anteriores; Aegon foi morto em batalha por Maegor em 43 d.C., e Viserys foi torturado até a morte por Maegor em retaliação pela fuga de Alysanne, Jaehaerys e Alyssa.[13] Alysanne ficou ao lado de Jaehaerys enquanto ele jurou encerrar o reinado de Maegor em Ponta Tempestade. Após a misteriosa morte de Maegor em 48 d.C., Alysanne, Jaehaerys e sua irmã Rhaena voaram em seus dragões para Porto Real para reivindicar o Trono de Ferro para Jaehaerys.[1]

Alysanne serviria como conselheira de seu irmão durante seu reinado. Ela o incitou a permitir que os cinco cavaleiros sobreviventes da Guarda Real de Maegor se juntassem à Patrulha da Noite, em vez de executá-los. Quando Jaehaerys permitiu, quatro deles vestiram o negro.[14]

Alysanne foi uma das muitos membros da corte acompanhando Jaehaerys à Vilavelha no final 48 d.C., comparecendo à sua coroação no Septo Estrelado.[14] No ano seguinte, Alysanne entreteve as nobres senhoras que vieram visitar Porto Real para o casamento de sua mãe, a rainha viúva Alyssa Velaryon, com o Senhor Rogar Baratheon.[7]

Casamento precoce

Após o casamento da rainha viúva Alyssa Velaryon e do senhor Rogar Baratheon, o pequeno conselho começou a debater sobre possíveis casamentos para Jaehaerys e Alysanne. Levando em conta o levante da causado pelo casamento de seus filhos Rhaena e Aegon, Alyssa decretou que Alysanne e Jaehaerys não deveriam se casar. Septão Mattheus concordou que tal casamento provavelmente inflamaria novamente os devotos do reino, e o conselho concordou em encontrar outros cônjuges para os irmãos. O conselho foi rápido em concordar com um marido para Alysanne: Sor Orryn Baratheon.[7]

O casamento do Rei Jaehaerys e da Rainha Alysanne em Pedra do Dragão, por Douglas Wheatley para o livro Fogo & Sangue.

Alysanne logo soube da decisão do conselho. De acordo com alguns, um servo que estava presente nas discussões do conselho a avisou, enquanto outros afirmam que tinha sido seu tio, Lorde Daemon Velaryon. Alysanne informou Jaehaerys, que agiu imediatamente, ordenando que sua Guarda Real viajasse discretamente para Pedra do Dragão durante a noite, enquanto ele e Alysanne voavam juntos para a ilha em seus dragões. Em Pedra do Dragão, Alysanne e Jaehaerys se casaram em segredo, com Septão Oswyck realizando a cerimônia. Como Jaehaerys se recusou a consumar o casamento, acreditando que Alysanne ainda era muito jovem, Alysanne permaneceu uma donzela. Lorde Rogar e a rainha Alyssa chegaram à ilha logo após o casamento. Ao saber que o casamento ainda não havia sido consumado, Rogar ordenou que seus homens segurassem os dois filhos, mas foi desafiado pela Guarda Real, que formou uma parede na frente de seu rei e rainha. Enquanto Alyssa e Rogar partiram, derrotados, Alysanne e Jaehaerys permaneceram para trás em Pedra do Dragão, onde eles iriam passar o resto da minoria do rei, passando quase todas as horas na companhia um do outro.[7]

Embora tivessem os meios para fazer isso, Alysanne e Jaehaerys não anunciaram seu casamento para o reino. Enquanto isso, o conselho do rei em Porto Real também não fez nenhum anúncio, mas começou a considerar maneiras de desfazer o casamento.[7] No sétimo dia da segunda lua de 50 d.C., diversas damas de companhia partiram de Porto Real para Pedra do Dragão sob as ordens da Rainha viúva Alyssa. Embora Alyssa as tenha enviado sob o disfarce de servir sua filha e ser sua família, seu verdadeiro propósito era tentar persuadir Alysanne a rescindir seu casamento. Lorde Rogar aprovou os planos de sua esposa, pois queria olhos e ouvidos em Pedra do Dragão, e viu essas mulheres como uma oportunidade de descobrir tudo o que Jaehaerys estava fazendo. Mesmo sendo tão jovem, no entanto, a rainha Alysanne encantou todas as damas de companhia, que logo se tornaram completamente leais a ela.[5]

No vigésimo dia do nono mês de 50 d.C., Jaehaerys atingiu a maioridade.[5] Ele voou com seu dragão para Porto Real para reivindicar o trono logo em seguida, enquanto Alysanne permaneceu em Pedra do Dragão. Ela o seguiu quase meio ano depois, voando de Pedra do Dragão para a Fortaleza Vermelha em Silverwing. Um mês depois, Alysanne e Jaehaerys se casaram em uma pequena cerimônia pública; desta vez, a cerimônia foi seguida por uma consumação.[15]

Primeiro progresso real

A tentativa de assassinato da Rainha Alysanne na lagoa de Jonquil, conforme retratado por Douglas Wheatley em Fogo & Sangue.
Artigo principal: Progresso real

Em 51 d.C., Alysanne, mesmo grávida, acompanhou Jaehaerys em seu primeiro progresso real, viajando pelas terras da coroa. Em Valdocaso Alysanne realizou a primeira de suas famosas audiências de mulheres, onde ouviu mulheres de todas as idades e nascimentos trazerem seus medos, esperanças e consternações. Essas audiências seriam realizadas toda vez que a rainha visitasse um castelo, vila ou cidade. O turnê prosseguiu para as terras fluviais, onde Alysanne e Jaehaerys finalmente chegaram a Lagoa da Donzela. Lá, a grávida Alysanne desejava se banhar na lagoa de Jonquil. A Doutrina do Excepcionalismo de Jaehaerys conquistou a maioria dos devotos do reino, mas não todos. Algumas das mulheres que cuidavam da piscina de Jonquil acreditavam que as águas sagradas da do local ficariam poluídas se a rainha, grávida da "abominação" do rei, entrasse nas águas. Enquanto estava lá dentro, Alysanne foi atacada por três dessas mulheres com adagas. Como apenas mulheres eram permitidas na casa de banhos, Alysanne estava acompanhada apenas por suas criadas e septãs, que não hesitaram em proteger Alysanne se colocando entre Alysanne e suas supostas assassinas. Seus gritos alarmaram os dois cavaleiros da Guarda Real que estavam do lado de fora, que irromperam e mataram duas das atacantes, deixando a terceira para interrogatório. Sob interrogatório, a suposta assassina remanescente revelou os nomes de meia dúzia de outras mulheres da ordem que ajudaram a planejar o ataque. Lorde Mooton enforcou as mulheres culpadas, e planejou enforcar as inocentes também; Alysanne o convenceu do contrário.[16]

Alysanne voltou para Porto Real, onde permaneceu até o início do trabalho de parto em 52 d.C., dando à luz um filho, que morreu três dias após o nascimento. Alysanne colocou a culpa do nascimento prematuro e a morte subsequente de seu filho nas mulheres que a atacaram na lagoa de Jonquil em Lagoa da Donzela, acreditando que se ela tivesse tido permissão para tomar banho na lagoa, e em suas águas curativas, seu bebê teria vivido. Alysanne insistiu que ela precisava de uma protetora, que poderia acompanhá-la em lugares onde os homens não tinham permissão para ir. Prontamente, Jaehaerys enviou um corvo para Valdocaso para convocar Jonquil Darke, que foi posteriormente apontada como a escudo juramentado de Alysanne.[16]

Primeiros desafios

Quando o Alto Septão faleceu em 54 d.C., Alysanne e o Rei Jaehaerys I Targaryen voaram para Vilavelha em seus dragões, acompanhados por Jonquil Darke e Sor Joffrey Doggett. Lá, eles esperavam influenciar a eleição do novo Alto Septão. Nisso eles tiveram sucesso. Eles visitaram vários castelos no caminho de casa. De passagem em Portonegro, Alysanne e Jaehaerys descobriram que sua mãe grávida, Alyssa Velaryon, estava em seu leito de morte. Alysanne e Jaehaerys voaram imediatamente para Ponta Tempestade, onde chegaram a tempo de ver sua mãe antes que ela morresse dando à luz uma filha.[16]

Naquele mesmo ano, depois que vários amigos próximos de Rhaena Targaryen foram envenenados em Pedra do Dragão pelo marido de Rhaena Androw Farman, Alysanne viajou para a ilha em um tentativa de confortar sua irmã. Em vez disso, Rhaena tentou mandá-la embora em três ocasiões. Quando Alysanne se recusou a partir, Rhaena se retirou para seus aposentos, enquanto Alysanne se reunia com sua sobrinha, Aerea, que implorou a Alysanne para levá-la de volta para Porto Real com ela. Alysanne trouxe o pedido de Aerea para Rhaena, que recusou friamente, afirmando que Rhaena não tinha nada e Alysanne tinha tudo, mas não teria a filha de Rhaena também, concluindo: "você tem meu trono, contente-se com isso". Alysanne partiu logo depois.[16]

Depois que Aerea fugiu de Pedra do Dragão no topo de Balerion, Alysanne orava diariamente por ela, culpando-se, mas principalmente Rhaena, pelo vôo de Aerea. Em 55 d.C., Alysanne, junto com Septão Barth, Grande Meistre Benifer e Lorde Albin Massey, começou a ajudar Jaehaerys com a codificação, organização e reforma de todas as leis do reino. O projeto levaria décadas. No mesmo ano, Alysanne viajou para Pedra do Dragão, onde deu à luz Aemon. Alysanne ficou descontente quando Jaehaerys começou a se referir a Aemon como seu herdeiro, pois ela acreditava que sua filha Daenerys deveria ser a primeira na linha para o trono, já que era a mais velha dos dois. Embora Jaehaerys sempre respondesse que Daenerys seria rainha quando ela se casasse com Aemon, a resposta nunca agradou Alysanne de verdade.[3]

Em 56 d.C., Balerion apareceu de repente em Porto Real com a princesa Aerea gravemente doente em suas costas. Enquanto o Grande Meistre Benifer e Septão Barth tentavam salvá-la, Alysanne e Jaehaerys ficaram de vigília fora da câmara.[3] No ano seguinte, Alysanne apoiou o plano de Septão Barth de construir poços, tubulações, túneis e cisternas para fornecer água limpa e fresca para Porto Real. Barth apontou para Jaehaerys que a água do rio era a única fonte de água para os plebeus, sugerindo que seus planos forneceriam aos plebeus água potável. Quando o rei e seu mestre da moeda, Rego Draz, recusaram os custos, Alysanne serviu-lhes uma caneca de água do rio e os desafiou a beber. Em vez de beber a água, o rei e seu mestre da moeda aprovaram a construção das fontes, que ficariam conhecidas como "as fontes da rainha".[3][9] Naquele mesmo ano, Alysanne deu à luz outro filho, Baelon, pouco antes do início da primavera.[3]

Progresso para o Norte

Rainha Alysanne em suas famosas audiências de mulheres, como ilustrado por Douglas Wheatley em Fogo & Sangue.

Em 58 d.C., o Rei Jaehaerys I Targaryen planejou visitar o norte em um progresso real junto com Alysanne, com a intenção de visitar Winterfell. No entanto, quando Jaehaerys precisou atrasar a viagem, Alysanne sugeriu que ela pudesse continuar como planejado para evitar que Lorde Alaric Stark se ofendesse, com Jaehaerys a alcançando o mais rápido possível. Assim, Alysanne viajou nas costas de Silverwing para Porto Branco, com a comitiva real mais tarde se juntando a ela em um navio. Em Porto Branco, Alysanne foi hospedada por Lorde Theomore Manderly. Ela conduziu uma audiência de mulheres no salão de Lorde Manderly, onde duzentas mulheres apresentaram suas queixas a ela. Um torneio foi realizado em sua homenagem, e a espada juramentada de Alysanne, Jonquil Darke, lutou com uma mulher selvagem durante o evento, para aprovação dos nortenhos. Em seguida, Alysanne viajou para Winterfell, onde foi recebida friamente por Lorde Alaric Stark. No entanto, devido ao charme e inteligência da rainha, ele a tratou com simpatia durante sua estada, enquanto Alysanne, por sua vez, se aproximou da filha de Alaric, Alarra Stark.

De acordo com o Arquimeistre Gyldayn, Alysanne ficou inquieta esperando por Jaehaerys em Winterfell e decidiu viajar para Castelo Negro na Muralha.[3] Bran Stark no entanto, afirma que Alysanne ficou entediada apenas depois que Jaehaerys chegou ao norte e voou para a Muralha enquanto Jaehaerys discutia o reino com seu Guardião do Norte.[17] De acordo com Bran Stark e seu irmão bastardo Jon Snow, Alysanne se hospedou em várias aldeias locais enquanto voava para o norte. Um desses vilarejos, Coroadarrainha, mudou seu nome após a visita de Alysanne em sua homenagem e pintou os merlões no topo da fortaleza de ouro para que se parecerem com a coroa de ouro que ela usara durante sua visita.[17][18]

Durante seu tempo com a Patrulha da Noite, Alysanne viu grupos de selvagens quando o Senhor Comandante apresentou seus cativos. Ela insistiu em visitar outros castelos ao longo da Muralha também. Além disso, ela tentou voar Silverwing para o norte além da Muralha em três ocasiões. O dragão se recusou a atravessar além da Muralha, o que preocupou Alysanne.[3]

Alysanne e Silverwing voando pelas terras da Patrulha da Noite, por Emile Denis. ©

Alysanne sugeriu ao Senhor Comandante da Patrulha da Noite que o Fortenoite, o maior e mais antigo castelo da Muralha, que era muito caro para manter, fosse substituído por um castelo menor próximo. Ela usou suas próprias joias (incluindo sua própria coroa) para financiar a construção do castelo, que levaria oito anos para ficar pronto. Ele foi nomeado como Lago Profundo.[3] Uma estátua de Alysanne foi construída em frente ao castelo. Além disso, Alysanne pressionou o Lorde Comandante Burley a escoltá-la até Vila Toupeira, onde ela mantinha uma de suas audiências de mulheres entre as prostitutas que viviam lá.[3]

Alysanne admirava tanto a bravura da Patrulha da Noite que convenceu Jaehaerys a dobrar a quantidade de terra mantida pelos irmãos negros[17] depois de ter se reunido com ele em Winterfell. Lorde Alaric não gostou da ideia de ter que forçar seus vassalos a desistir de partes de suas terras, mas Alysanne o encantou a fazer isso de qualquer maneira.[3] De acordo com o Meistre Yandel, no entanto, esta concessão da Nova Dádiva não foi bem recebida por todos os Starks,[N 1] e Meistre Yandel acredita que isso pode ter influenciado a escolha de apoio de Lorde Ellard Stark durante o Grande Conselho de 101.[19] A Patrulha da Noite, por outro lado, estava grata. Para agradecer a Alysanne por financiar Lago Profundo e ganhar o Nova Dádiva, a Patrulha da Noite rebatizou o castelo Portão da Neve, apelidando-o de Portão da Rainha em sua homenagem.[9][20][18]

De Winterfell, Alysanne e Jaehaerys viajaram para Praça Torrhen e Vila Acidentada. Depois disso, voltaram para Porto Real.[3]

De volta a Porto Real, Alysanne fez um apelo perante o pequeno conselho. Durante seu tempo no Norte, ela tinha ouvido contos de mulheres durante suas audiências de mulheres sobre a Primeira Noite, e a experiência horrível que foi para as mulheres que sofreram com isso. Durante a sessão do conselho, com a ajuda de Septão Barth, ela convenceu o rei e seus conselheiros a abolir o direito da primeira noite.[21][9][22][3] Isso ficou conhecido como a segunda das leis da Rainha Alysanne.[3] A esta altura, Alysanne era extremamente amada pelas pessoas nos Sete Reinos, especialmente os plebeus.[9]

Maternidade

A jovem Rainha Alysanne e o Rei Jaehaerys com seu filho, o príncipe Aemon como ilustrado por Magali Villeneuve em O Mundo de Gelo e Fogo.

Mais tarde, em 58 d.C., Alysanne participou do torneio realizado em comemoração ao décimo ano do Rei Jaehaerys no trono. Ela foi coroada como a rainha do amor e da beleza pelo vencedor, Sor Ryam Redwyne.[3] No ano seguinte, os Sete Reinos foram atingidos por um inverno rigoroso e a praga mortal conhecida como Arrepios. A praga durou mais de um ano e muitos sucumbiram à doença, incluindo a filha de Alysanne Daenerys, que morreu em 60 d.C.. Alysanne parou de frequentar as reuniões do conselho por um tempo depois disso. Dois meses depois da morte de Daenerys, Alysanne descobriu que estava grávida, e no final de 60 d.C. deu à luz em Pedra do Dragão a outra filha, Alyssa, em homenagem à mãe de Alysanne.[6]

Outras crianças vieram durante os anos seguintes. Em 62 d.C., Alysanne deu à luz uma filha, chamada Maegelle. No ano seguinte, um filho, Vaegon, a seguiu, e em 64 d.C. outra filha, Daella. Duas outras filhas chegaram alguns anos depois: Saera em 67 d.C. e Viserra em 71 d.C.. Em 73 d.C., Alysanne e Jaehaerys anunciaram que sua filha Maegelle de dez anos se juntaria à Fé dos Sete. Naquele mesmo ano, Alysanne deu à luz outro filho, Gaemon. No entanto, Gaemon nasceu cedo, e o parto foi tão longo e difícil que os meistres temeram pela vida de Alysanne. Embora Alysanne tenha se recuperado do nascimento, Gaemon morreu três meses depois de seu nascimento, nos primeiros dias de 74 d.C.. Três anos depois, Alysanne deu à luz seu décimo segundo bebê, um filho que ela chamou de Valerion. Esse trabalho de parto também foi difícil e, como resultado, Alysanne ficou acamada por meio ano. O próprio Valerion era pequeno e doente, como Gaemon tinha sido, e morreu no ano seguinte, quinze dias antes de seu primeiro dia do nome. Alysanne aceitou sua morte com resignação e declarou que agora ela era mais adequada para ser avó do que mãe. Independentemente disso, em 80 d.C., durante o inverno, Alysanne deu à luz seu décima terceira e última criança, Gael. Embora uma menina pequena e frágil ao nascer também, Gael viveu, para alívio e alegria de Alysanne.[6]

Alysanne tornou-se avó pela primeira vez com o nascimento da Princesa Rhaenys Targaryen, filha do filho de Alysanne Aemon e sua meia-irmã Jocelyn Baratheon, em 74 d.C.. O casamento de seus filhos Baelon e Alyssa gerou três netos adicionais: Viserys, nascido em 77 d.C., Daemon, nascido em 81 d.C., e Aegon, nascido em 84 d.C..[6]

Primeira e Segunda Discórdias

Jaehaerys e Alysanne no trono de ferro, conforme retratado por Douglas Wheatley em Fogo & Sangue.

Em 80 d.C., após as ameaças feitas pelo Rei Jaehaerys I, Alysanne finalmente conseguiu, após várias tentativas fracassadas, arranjar um casamento para sua filha Daella, que se casou com Lorde Rodrik Arryn no início 81 d.C.. Após um ano e meio de casamento, Daella escreveu a Alysanne para informá-la de sua gravidez, dizendo à mãe que estava com medo e pedindo-lhe que viesse. Alysanne voou para o Vale, chegando três meses antes do nascimento de Daella. Alysanne permaneceu com Daella até ela dar à luz. Daella entrou em trabalho de parto quinze dias mais cedo e teve um trabalho de parto longo e difícil. Embora sua filha, Aemma Arryn, fosse saudável, Daella logo adoeceu e morreu. De acordo com o Arquimeistre Gyldayn, a morte de Daella foi a primeira dica da discórdia que se abriu entre Alysanne e Jaehaerys, já que Alysanne acreditava que Daella havia sido forçada a se casar muito cedo e culpou Jaehaerys por insistir que sua filha se casasse. A filha mais velha de Alysanne Alyssa morreu no parto dois anos depois.[6]

Em 84 d.C., Alysanne e Jaehaerys descobriram que sua filha Saera havia dormido com três jovens cavaleiros. Quando Saera disse a seus pais que ela poderia casar com os três, comparando-se ao Rei Maegor, o Cruel e suas muitas esposas, Jaehaerys a confinou em seu quarto. Furioso e envergonhado, Jaehaerys disse ter afirmado mais de uma vez: "ela não é mais minha filha". Alysanne concordou que Saera deveria ser punida por suas ações, mas argumentou para Jaehaerys permitir que ela se redimisse também com palavras suaves. Naquela noite, porém, Saera escapou do castelo e fugiu para o Fosso dos Dragões, com a intenção de roubar um dragão. Como punição, Saera foi enviada para Vilavelha para servir a Fé dos Sete como uma noviça com as irmãs silenciosas. Saera fugiu para Lys no ano seguinte, onde se tornou uma prostituta que trabalhava em um jardim de prazer. Alysanne se desesperou quando ouviu a notícia e proclamou que os lysenos haviam transformado sua filha em uma prostituta. Jaehaerys respondeu: "Ela sempre foi", o que devastou ​​a rainha ainda mais.[6]

Em 87 d.C., Alysanne arranjou o noivado de sua filha Viserra com Lorde Theomore Manderly. Na noite anterior ao embarque, no entanto, Viserra morreu em uma corrida de bêbados pela cidade. Com dor pela morte de três filhas (Daella, Alyssa e Viserra) em cinco anos, Alysanne implorou a Jaehaerys para trazer Saera para casa, dizendo que ela precisava de sua filha. Jaehaerys recusou, no entanto, e avisou-a contra voar para Lys para recuperar Saera sozinha. Em vez disso, Jaehaerys disse a ela: "Saera está morta. Enterre-a". Isso levou à primeira grande discórdia do casal, que duraria dois anos, durante os quais Alysanne residiu em Pedra do Dragão enquanto Jaehaerys viajava pelo reino. Eles finalmente se reconciliaram depois que sua filha Maegelle persuadiu o Rei Jaehaerys a se reconciliar com ela. Quinze dias depois, Jaehaerys e Alysanne finalmente voltaram para Porto Real.[6]

Em 92 d.C., O príncipe Aemon, o filho mais velho de Alysanne e o Príncipe da Pedra do Dragão, foi morto por um pirata Myriano em Tarth. Quando o Rei Jaehaerys nomeou o irmão de Aemon, Baelon, como o novo Príncipe de Pedra do Dragão e herdeiro do trono, em vez da única herdeira de Aemon, a Princesa Rhaenys, houve alguns que expressaram suas objeções. Alysanne, irritada com o fato de Rhaenys ter sido preterida por causa de seu sexo, era a mais proeminente entre elas. O desacordo sobre a decisão de Jaehaerys levou à Segunda Discórdia, que começou quando Alysanne partiu para Pedra do Dragão depois de dizer a Jaehaerys que, se ele realmente acreditava que as mulheres não tinham inteligência para governar, ele não precisava dela. Embora tenham se reconciliado novamente dois anos depois, mais uma vez por sua filha Maegelle, eles nunca chegaram a um acordo sobre a questão da sucessão.[9][4]

Anos Finais

Alysanne em seus últimos dias em Pedra do Dragão, relembrando sua juventude feliz na ilha, conforme retratado por Douglas Wheatley em Fogo & Sangue.

Conforme ela envelhecia, as alegrias da vida de Alysanne foram lentamente tiradas dela. Em 93 d.C., ela voou em Silverwing pela última vez. Dois anos depois, Alysanne escorregou e quebrou o quadril, e depois teve que usar uma bengala para andar. Sua audição começou a falhar, deixando-a incapaz de ouvir música, ou participar das discussões do pequeno conselho do rei. A filha mais nova e favorita de Alysanne, Gael, cometeu suicídio em 99 d.C.. A morte de Gael quebrou Alysanne, pois ela havia sobrevivido a todos, exceto três de seus filhos ( Baelon, Vaegon e Saera). Incapaz de suportar viver em Porto Real e na Fortaleza Vermelha, Alysanne voltou para Pedra do Dragão, onde morreu no primeiro dia do sétimo mês do ano seguinte. Ela foi cremada e suas cinzas foram enterradas sob a Fortaleza Vermelha ou em Pedra do Dragão.[9][3][4]

Jaehaerys sobreviveu a Alysanne por alguns anos. Ela tinha sido seu grande amor, e dizia-se que a dor causada por sua separação pairava sobre sua corte,[9] reduzindo-o a uma casca do homem que ele havia sido.[23] Após sua morte, ele também foi cremado, e suas cinzas enterradas com as dela.[9][4]

Há uma triste canção, "Alysanne", que provavelmente fala sobre a rainha.[24] A frota de Stannis Baratheon contém uma galera de guerra chamada Rainha Alysanne.[25] Alysanne é lembrada em Westeros com grande amor pelos plebeus.

Eventos Recentes

A Tormenta de Espadas

Enquanto viajam para o norte, Bran Stark conta a Jojen e Meera Reed sobre a Rainha Alysanne e a Nova Dádiva. Quando eles chegam em Coroadarrainha, Bran conta a eles a história da Velha Ama sobre a visita de Alysanne em seu caminho para a Muralha.[17]

Quando o meio-irmão de Bran, Jon Snow, chega à vila não muito tempo depois, ele conta a mesma história para Ygritte.[18]

A Dança dos Dragões

Roose Bolton fala de Alysanne com desprezo ao falar com Theon Greyjoy sobre seu envolvimento em tornar a primeira noite ilegal.[21]

Citações por Alysanne


Um governante precisa ter uma boa cabeça e um coração sincero. Um pênis não é essencial. Se Vossa Graça realmente acredita que as mulheres não têm inteligência para governar, está claro que não tem mais necessidade de mim.[4]
—— Rainha Alysanne para seu marido, o Rei Jaehaerys, após a Segunda Discórdia



Meu tio Maegor era cruel, mas a idade é pior.[6]
—— Alysanne perto do fim de sua vida.



A Mãe do Céu amou meus filhos mais que eu. Ela me tirou tantos.[6]
—— Alysanne perto do fim de sua vida.



Você será um grande rei, maior ainda que seu pai.[6]
—— As últimas palavras de Alysanne para seu filho, Príncipe Baelon.

Citações sobre Alysanne


Ela era sua conselheira de maior confiança e sua mão direita.[8]



Nenhuma mãe amou mais seus filhos.[6]
—— Grande Meistre Benifer

Família

Avós

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Valaena
Velaryon
 
Aerion
 
 
 
 
 
 
 
Desconhecido
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Visenya
 
Aegon I
 
Rhaenys
 
 
Orys
Baratheon
 
Argella
Durrandon
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Ceryse
Hightower
 
 
 
 
 
 
 
Aenys I
 
Alyssa
Velaryon
 
 
Casa
Baratheon
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Elinor
Costayne
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Alys
Harroway
 
 
Maegor I
 
Rhaena
 
Aegon
 
Viserys
 
Jaehaerys I
 
Alysanne
 
Vaella
 
 
 
 
 
 
 
Jeyne
Westerling
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Tyanna
 
 
 
 
 
 
Rhaella
 
Aerea
 
 
 
 
 
 
 
Casa
Targaryen
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Filhos

Descendentes

 
 
 
 
 
 
 
 
 
Aenys I
 
Alyssa
Velaryon
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Rhaena
 
Aegon
 
Viserys
 
Jaehaerys I
 
Alysanne
 
Vaella
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Filho(a)
 
Aegon
 
Daenerys
 
Aemon
 
 
Baelon
 
Alyssa
 
Maegelle
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Vaegon
 
Daella
 
Saera
 
Viserra
 
Gaemon
 
Valerion
 
Gael
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Rodrik
Arryn
 
Daella
 
 
 
 
 
Baelon
 
Alyssa
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Aemma Arryn
 
 
 
 
 
Viserys I
 
 
 
 
 
Alicent Hightower
 
Daemon*
 
Aegon
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
filho
desconhecido
 
Baelon
 
Rhaenyra
 
Daemon*
 
Aegon II
 
Helaena
 
Aemond
 
Daeron
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Aegon III
 
Viserys II
 
Visenya
 
Jaehaerys
 
Jaehaera
 
Maelor
 

Bastidores

George R. R. Martin comparou Alysanne a Eleanor of Aquitaine, incluindo a interpretação de Katharine Hepburn para a personagem no filme O Leão no Inverno.[8]

Em um dos primeiros rascunhos da árvore genealógica Targaryen, em cerca de 1998, Alysanne foi escrita como a filha do Rei Maegor I Targaryen. Não muito depois, entretanto, George R. R. Martin mudou a árvore genealógica e Alysanne se tornou filha do Rei Aenys I Targaryen, irmão mais velho de Maegor.[26] Como resultado dessa mudança, o marido de Alysanne, Jaehaerys I Targaryen, se tornou seu irmão em vez de seu primo.

Notas

  1. As primeiras edições de O Mundo de Gelo e Fogo, publicadas em 2014, afirmavam que Lorde Ellard Stark foi o senhor que foi forçado a desistir da Nova Dádiva. Contudo, foi confirmado que isso é um erro, e que a declaração foi substituída por "os Stark ficaram contentes" em impressões posteriores, deixando desconhecido por enquanto qual Stark tinha sido o senhor em questão. Além disso, Fogo & Sangue, publicado em 2018, declara que o Senhor de Winterfell na época era Lorde Alaric Stark, que não tinha irmãos vivos na época em que a Nova Dádiva foi concedida. Foi confirmado que George R. R. Martin desejou que a concessão da Nova Dádiva fosse um ponto de discórdia: Os estudiosos de Westeros acreditam ter informado a escolha de Ellard Stark de apoiar Laenor Velaryon no Grande Conselho, várias décadas depois, deixando desconhecido a qual Stark, e de qual época, se opôs a concessão.

Referências

  1. 1,0 1,1 1,2 1,3 1,4 1,5 Fogo & Sangue, Os filhos do dragão.
  2. George R. R. Martin's A World of Ice and Fire, Alysanne Targaryen.
  3. 3,00 3,01 3,02 3,03 3,04 3,05 3,06 3,07 3,08 3,09 3,10 3,11 3,12 3,13 3,14 Fogo & Sangue, Jaehaerys e Alysanne: Triunfos e tragédias.
  4. 4,0 4,1 4,2 4,3 4,4 Fogo & Sangue, Herdeiros do dragão: Uma questão de sucessão.
  5. 5,0 5,1 5,2 5,3 5,4 5,5 Fogo & Sangue, Uma abundância de governantes.
  6. 6,00 6,01 6,02 6,03 6,04 6,05 6,06 6,07 6,08 6,09 6,10 6,11 6,12 6,13 6,14 Fogo & Sangue, O longo reinado Jaehaerys e Alysanne: Política, progênie e provação.
  7. 7,0 7,1 7,2 7,3 7,4 7,5 7,6 Fogo & Sangue, O ano das três noivas: 49 DC.
  8. 8,0 8,1 8,2 8,3 8,4 8,5 8,6 So Spake Martin: Good Queen Alysanne and Rhaenyra (June 18, 2006)
  9. 9,0 9,1 9,2 9,3 9,4 9,5 9,6 9,7 9,8 9,9 O Mundo de Gelo e Fogo, Os Reis Targaryen: Jaehaerys I.
  10. Os Filhos do Dragão.
  11. O Mundo de Gelo e Fogo, Os Reis Targaryen: Aegon I.
  12. 12,0 12,1 12,2 12,3 O Mundo de Gelo e Fogo, Os Reis Targaryen: Aenys I.
  13. 13,0 13,1 O Mundo de Gelo e Fogo, Os Reis Targaryen: Maegor I.
  14. 14,0 14,1 Fogo & Sangue, De príncipe a rei: A ascensão de Jaehaerys I.
  15. Fogo & Sangue, Um tempo de testes: Um reino refeito.
  16. 16,0 16,1 16,2 16,3 Fogo & Sangue, Nascimento, morte e traição sob o governo do rei Jaehaerys I.
  17. 17,0 17,1 17,2 17,3 A Tormenta de Espadas, Capítulo 40, Bran.
  18. 18,0 18,1 18,2 A Tormenta de Espadas, Capítulo 41, Jon.
  19. O Mundo de Gelo e Fogo, Os Sete Reinos: O Norte, Os Senhores de Winterfell.
  20. O Mundo de Gelo e Fogo, Os Sete Reinos: A Muralha e Além, A Patrulha da Noite.
  21. 21,0 21,1 A Dança dos Dragões, Capítulo 32, Fedor.
  22. O Cavaleiro dos Sete Reinos, A Espada Juramentada.
  23. O Príncipe de Westeros.
  24. O Festim dos Corvos, Capítulo 10, Sansa.
  25. A Fúria dos Reis, Capítulo 58, Davos.
  26. asoiaf.westeros.org: The Book of Swords - Os filhos do dragão SPOILERS (August 28, 2018)

Sobre a página

Esta página utiliza conteúdo baseado em Alysanne Targaryen, um artigo de A Wiki Of Ice And Fire.