Casa Greyjoy

De Gelo e Fogo wiki
Ir para: navegação, pesquisa
Casa Greyjoy de Pyke
Greyjoy de Pyke.png
Brasão uma lula gigante dourada, em campo negro
Lema Nós Não Semeamos
Sede Pyke
Lorde Atual Rei Euron Greyjoy
Região Ilhas de Ferro
Título Rei do Sal e da Rocha
Filho do Vento Marinho
Senhor Ceifeiro de Pyke
Herdeiro Theon Greyjoy
Suserano Nenhum (soberano) (disputada pela Casa Baratheon de Porto Real)
Fundação Era dos Heróis

Casa Greyjoy de Pyke é uma das Grandes Casas de Westeros. Governa sobre as Ilhas de Ferro, uma coletânea pedregosa e sombria de ilhas na costa oeste de Westeros, do castelo e ilha de Pyke. Seu símbolo é uma lula gigante dourada em um campo negro, e o lema da casa é "Nós Não Semeamos". [1][2] Membros da família tendem a ser atraentes e bem-constituídos, com cabelo negro.

História

A Casa Greyjoy descende do Rei Cinzento, uma figura lendária da Era dos Heróis.[3]

Na era em que os povos das Ilhas de Ferro escolhiam seus líderes nas Assembleias de Homens Livres, apenas as Casas Greyiron e Goodbrother produziram mais reis que os Greyjoys.[3] Entre os reis Greyjoys das Ilhas de Ferro, incluem Loron Greyjoy,[4] Theon III Greyjoy e Balon V Greyjoy.[5] Os lordes das Ilhas, incluindo os Greyjoys, promoveram casamentos interraciais com os invasores Ândalos que chegaram.[6]

Na época da Conquista de Aegon, o rei Harren o Negro, da Casa Hoare, governava entre os rios e as colinas, com seus domínios se estendendo além das Ilhas de Ferro, até as Terras Fluviais. Quando Harren e seus filhos morreram na Queima de Harrenhal, Aegon Targaryen concedeu as Terras Fluviais a Edmyn da Casa Tully. A morte de Harren jogou as Ilhas de Ferro na anarquia, levando Aegon a submete-los pela força. Após os nascidos do ferro dobrarem o joelho para o rei Aegon, foi permitido que eles escolhessem seu lorde suserano a moda antiga, numa Assembleia de Homens Livres. Os homens de ferro escolheram, em 2 d.C., o lorde Vickon Greyjoy de Pyke como o novo Senhor das Ilhas de Ferro.[3] Desde então, os Greyjoys governaram as Ilhas de Ferro de forma ininterrupta.

O rei Aegon I Targaryen seguia a Fé dos Sete e Vickon queria continuar em suas boas graças, permitindo então que septões e septãs da Fé retornasse às Ilhas de Ferro, irritando os sacerdotes do Deus Afogado e vários lordes pequenos da região. O filho de Vickon, Goren, sucedeu seu pai em 33 d.C., derrotou uma rebelião de devotos liderados pelo Rei Lodos em 37 d.C..[3] Como recompensa, o rei Aenys I Targaryen, que sucedeu Aegon, permitiu a Goren que ele expulsassem os seguidores da Fé dos Sete das Ilhas de Ferro.[7][8]

Durante a Dança dos Dragões, a guerra civil Targaryen, o senhor Dalton Greyjoy recebeu o título de Mestre dos Navios de Rhaenyra Targaryen, recusando a mesma oferta feita pelo rei Aegon II.[9][10] Dalton declarou apoio aos Negros e organizou saques e invasões na costa oeste de Westeros durante todo o conflito. Após a guerra, o conselho de regentes rei Aegon III Targaryen comandou que Dalton parasse com suas atividades de pirataria no continente, mas ele se recusou.[10] Eventualmente, o lorde Alyn Velaryon foi mandado para as Terras Ocidentais para lidar com Dalton.[11] No final, ele acabou sendo assassinado em Casteloleal por uma mulher chamada Tess.[10]

Lorde Alton Greyjoy buscou conquistar novas terras além da Luz Solitária.[12] Já lorde Dagon Greyjoy retomou as atividades de pirataria na costa oeste de Westeros, saqueando a cidade de Pequena Dosk, durante o reinado do rei Aerys I Targaryen. Lorde Beron Stark reuniu homens para enfrentar lorde Dagon, enquanto os Lannisters construíam navios para também combater os homens de ferro.[13] Dagon foi eventualmente derrotado.[14]

O neto de Dagon, Lorde Quellon Greyjoy, tentou instaurar reformas nas Ilhas de Ferro com o objetivo de melhorar a interação do seu povo com o restante dos Sete Reinos, mas ele foi morto na Batalha do Vago, durante a Rebelião do Robert. Seu filho, o Lorde Balon Greyjoy, rejeitava as reformas de Quellon e desejava o retorno dos Antigos Costumes.[12] Ele construiu a Frota de Ferro e se levantou em revolta para se livrar da dominação do Trono de Ferro, se proclamando Alto Rei de suas Ilhas.[12] A rebelião começou muito bem, com a armada dos Lannisters sendo queimada em Lannisporto, mas este foi o último sucesso que ele teve.[15] O seu filho mais velho, Rodrik, foi morto na Batalha de Guardamar e, logo em seguida, Victarion, seu irmão e comandante da Frota de Ferro, foi derrotado na Batalha da Ilha Bela, enquanto seu outro irmão, Aeron, foi capturado.[4][16] Com a Frota de Ferro dispersada, o caminho estava aberto para o rei Robert I Baratheon liderar seu exército no ataque final contra as Ilhas de Ferro.[12] Durante o Cerco de Pyke, o segundo filho de Balon, Maron, foi morto.[6]

Derrotado, Balon teve que dobrar o joelho para o rei Robert e jurou novamente fidelidade ao Trono de Ferro. O único filho sobrevivente de Balon, o garoto de nove anos Theon, foi entregue aos cuidados de lorde Eddard Stark como refém para garantir o bom comportamento de Balon. Com Theon em Winterfell, Balon decide educar sua filha Asha como sua herdeira.[4] A derrota na rebelião isolou ainda mais as Ilhas de Ferro e aumentou o ressentimento dos nascidos do ferro contra os povos do resto do continente. Após uma década, Aeron Greyjoy passou por uma experiência espiritual e começou a dedicar sua vida a servir o Deus Afogado.[2] Em 297 d.C., Balon exilou seu irmão Euron após este ter estuprado e engravidado a esposa de sal de Victarion (que foi morta pelo marido para preservar a honra dele).[17][4]

Eventos recentes

Info Aviso: Esta seção contém revelações sobre o enredo (spoilers).

Navios de guerra Greyjoy. © FFG

Theon permanece como protegido em Winterfell por nove anos após a Rebelião Greyjoy. Ele permanece ali quando Lorde Stark segue rumo ao sul para se tornar Mão do Rei. Ele vê os garotos Stark como irmãos mais novos, e ajuda Robb a salvar a vida de Bran quando o garoto é atacado na Mata de lobos, mas é repreendido por colocar Bran em perigo ele mesmo. Quando Eddard é preso, Theon cavalga para a guerra com Robb, lutando na captura de Sor Jaime Lannister e na quebro do cerco à Correrrio.

Após a execução de Lorde Eddard em Porto Real, Robb é declarado Rei do Norte por seus vassalos. Theon vai à Pyke com a sugestão de Robb para que Balon se nomeie Rei das Ilhas de Ferro e se junte a guerra contra os Lannister. Theon acha Asha como herdeira e é tratado com escória por sua família, que o considera amolecido pelas terras verdes. Balon rejeita a oferta e nomeia a si próprio Rei das Ilhas de Ferro e do Norte. Ele envia seu pessoal para tomar o Norte, que se encontra fracamente guardado: Victarion captura Fosso Cailin no Gargalo para evitar que os senhores de Robb retornem às suas sedes, enquanto Asha toma Bosque Profundo e Theon assola a Costa Pedregosa junto com Aeron Cabelo Molhado e Dagmer Boca Rachada. Cada ataque ocorre como planejado. Theon, entretanto, almejar provar-se capaz e toma Winterfell em um ataque ousado. Ali, ele começa um governo problemático, em determinado momento matando duas crianças que conta a todos ser Bran e Rickon Stark. Asha lhe conta que os homens de ferro nunca conseguiram manter castelos localizados tão longe do mar, e deixa apenas uma força simbólica para ajudá-lo na ocupação. As forças Stark se preparam para retirá-lo do castelo, mas são traídos por Ramsay Bolton, que captura Theon e saqueia Winterfell.

Graças aos ataques dos Greyjoy, o Rei Robb é forçado a abandonar sua guerra no sul para liberar as passagens nortenhas. Enquanto lamenta por Bran e Rickon, ele desposa Jeyne Westerling e quebra seu contrato de casamento com a Casa Frey, que exigem uma compensação. Por isso, ele marcha para o norte para libertar sua terra e comparecer ao casamento de seu tio. Ele nunca alcança sua casa, entretanto, já que ele é traído e morto nas Gêmeas. Enquanto isso, Rei Balon morre ao cair de uma das passagens de Pyke, apenas um dia antes da chegada de Euron Olho de Corvo de sua longa viagem. Aeron convoca a primeira Assembleia de Homens Livres do milênio, esperando que Victarion suceda Balon na Cadeira de Pedra do Mar. Euron é coroado, entretanto, batendo Asha, Victarion, e outros reclamantes pela promessa de conquista de todas as terras verdes com o poder de seu Berrante do Dragão. Aeron desaparece, prometendo levantar o povo contra Euron. Theon permanece prisioneiro de Ramsay em Forte do Pavor, onde sofre torturas horríveis.

Rei Euron comanda os homens de ferro na Guerra dos Cinco Reis, lançando um massivo ataque contra a Campina, conquistando às Ilhas Escudo e partes da Árvore, e ameaçando Vilavelha. Victarion lidera o ataque aos Escudos, mas Euron rouba muitos de seus homens de confiança garantindo a eles terras nas Ilhas Escudo. Euron solicita que Victarion comande a Frota de Ferro através do mundo para achar Daenerys Targaryen e cortejá-la em seu nome. Victarion zarpa, mas secretamente espera tomar Daenerys para si próprio. Durante a dura viagem ele resgata o sacerdote vermelho Moqorro, que o converte à fé de R'hllor, completando sua adoração ao Deus Afogado. No Norte, Theon é libertado do Forte do Pavor para realizar uma missão para Ramsay Bolton, que havia destruído seu senso de identidade e o transformado em uma criatura quebrada. Ele é mandado para Fosso Cailin para tratar com os homens de ferro ali guarnecidos, onde os convence a se render pela promessa de passagem segura à suas terras. Ramsay nega a proposta de manter os homens vivos. Theon reconhece a esposa de Ramsay, "Arya Stark", como Jeyne Poole e desenvolve uma tênue relação com ela durante a tensa ocupação de Ramsay em Winterfell. Ele relutantemente coopera com Mance Rayder para a libertá-la do castelo; eles escapam mas são capturados no lado de fora por Mors Umber, agora juramentado à Stannis Baratheon. Enquanto isso, Asha havia retornado à Bosque Profundo, mas é derrotada e capturada em um ataque repentino pelo Rei Stannis e os nortenho dos Clãs das Montanhas. Ela é mantida junto do exército de Stannis quando ele marcha para o Cerco de Winterfell. Ali ela encontra Theon vivo e tenta resgatá-lo de Stannis. O rei recusa o pedido uma vez que os nortenhos o querem morto, então Asha sugere que Stannis o decapite perante uma árvore coração, como Ned Stark teria feito.

Família

Stonetree
desconhecida
 
 
 
{Quellon}
 
 
 
 
 
 
 
Sunderly
desconhecida
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Piper
desconhecida
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
{Harlon}
 
{Quenton}
 
{Donel}
 
 
{Balon IX}
 
Alannys
Harlaw
 
Euron III
 
Victarion
 
{Urrigon}
 
Aeron
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
{Rodrik}
 
{Maron}
 
Asha
 
Theon
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
{Robin}
 

Referências nos livros

Dunk & Egg

As Crônicas de Gelo e Fogo

Casas Juramentadas

Referências

  1. A Guerra dos Tronos, Capítulo 7, Arya.
  2. 2,0 2,1 A Fúria dos Reis, Capítulo 11, Theon.
  3. 3,0 3,1 3,2 3,3 O Mundo de Gelo e Fogo, Os Sete Reinos: As Ilhas de Ferro, Os Greyjoy de Pyke.
  4. 4,0 4,1 4,2 4,3 O Festim dos Corvos, Capítulo 1, O Profeta.
  5. O Mundo de Gelo e Fogo, Os Sete Reinos: As Ilhas de Ferro, Coroas de Madeira Trazida pelo Mar.
  6. 6,0 6,1 A Guerra dos Tronos, Apêndice.
  7. O Mundo de Gelo e Fogo, Os Reis Targaryen: Aenys I.
  8. Os Filhos do Dragão.
  9. A Princesa e a Rainha.
  10. 10,0 10,1 10,2 O Mundo de Gelo e Fogo, Os Sete Reinos: As Ilhas de Ferro, Lula-Gigante Vermellha.
  11. O Mundo de Gelo e Fogo, Os Reis Targaryen: Aegon III.
  12. 12,0 12,1 12,2 12,3 O Mundo de Gelo e Fogo, Os Sete Reinos: As Ilhas de Ferro, O Costume Antigo e o Novo.
  13. O Cavaleiro dos Sete Reinos, O Cavaleiro Misterioso.
  14. A Dança dos Dragões, Capítulo 63, Victarion.
  15. A Fúria dos Reis, Capítulo 24, Theon.
  16. O Festim dos Corvos, Capítulo 11, A Filha da Lula Gigante.
  17. O Festim dos Corvos, Capítulo 18, O Capitão de Ferro.