Costumes

De Gelo e Fogo wiki
(Redirecionado de Maioridade)
Ir para navegação Ir para pesquisar

 

Este artigo apresenta os costumes do mundo conhecido. A maioria das informações refletirá os costumes como eles são nos Sete Reinos, embora os costumes como são em outros lugares serão declarados sempre que possível.

Monarquia e Nobreza

Veja também: Lei e Justiça

Nos Sete Reinos, toda autoridade deriva do rei.[1] A mão direita do Rei é a sua Mão do Rei. Quando o Rei está doente ou incapaz de comparecer às sessões da corte, a Mão do Rei pode tomar seu lugar e sentar-se no Trono de Ferro para fazer justiça.[2] Além disso, os nobres são encarregados de manter a paz do rei.[3] Em nome do rei, os nobres podem punir criminosos.[4]

É possível ao rei redistribuir terras e conceder títulos de nobreza como achar adequado; Ele também pode assinar notas de confisco de bens (ou attainder em inglês), para retirar os senhores de suas terras e rendas.[5] Um senhor pode ter mais de um título; No entanto, é incomum que as propriedades nobres sejam divididas ou combinadas.[6] Os irmãos mais novos de um senhor podem se tornar vassalos de seu irmão e manter uma fortaleza em seu nome. [4] As disputas territoriais entre proprietários de terras são julgadas, seja pelo senhor feudal,[7] pelo rei, ou pela Mão do Rei.[8]

Em ocasiões extremamente raras, os senhores do reino podem se reunir para decidir algum assunto importante. O primeiro Grande Conselho foi convocado em 101 d.C., quando o Rei Jaehaerys I Targaryen se viu incapaz de decidir sobre quem nomear seu herdeiro. O último Grande Conselho foi convocado foi em 233 d.C., quando o rei Maekar I Targaryen morreu sem ter nomeado um novo herdeiro.[9]

Posições Sociais

Artigo principal: Feudalismo

Os Sete Reinos é uma sociedade feudal. Abaixo do Rei e da família real, classificam-se as Grandes Casas (Casa Arryn, Casa Baratheon de Ponta Tempestade, Casa Greyjoy, Casa Martell, Casa Stark, Casa Targaryen, Casa Tully e Casa Tyrell), seguidos por outras casas nobres, tanto maiores quanto menores, cavaleiros (cavaleiros com terras, cavaleiros domésticos e cavaleiros andantes) e plebeus. Os nobres são tratados como "meu senhor" (my lord) por outros nobres, ou "meu senhor" (m’lord) pelos plebeus.[10] Plebeus podem ser referidos como "boa mulher" ou "bom homem".[11]

Cada casa nobre tem um lema. Um brasão pode ser usado tanto pela nobreza quanto pelos cavaleiros, como um sinal de status e identificação (por exemplo, no campo de batalha). Tanto nobres quanto cavaleiros podem ser trocados por resgate, então em batalha pode ser preferível capturá-los em vez de matá-los. Trezentos dragões de ouro são considerados um resgate justo para um cavaleiro,[12] ao passo que o filho de um nobre pode ser resgatado por três mil dragões de ouro.[13] Um nobre prisioneiro pode ser tratado com honra e mantido em isolamento em câmaras conforme seu status exigir. No entanto, fazer uma ofensa pode resultar na perda do direito a esse tratamento honroso.

E celebrações, uma grande honra pode ser dada a um convidado sentando-o no estrado,[14][15] com o lugar de maior honra no lado direito do anfitrião.[16][17][18][19][20] Estar sentado na outra extremidade do corredor, longe do estrado, no entanto, é considerado um lugar de pouca honra e consideração.[21][22] Quando um senhor oferece um banquete ou festa, ele recebe a primeira escolha de todos os pratos. Ele pode enviar alguns dos pratos especialmente finos para convidados específicos, mostrando amizade e respeito.[23]

Herança

As leis de herança nos Sete Reinos não são bem definidas. De acordo com George R. R. Martin,



A resposta curta é que as leis de herança nos Sete Reinos são modeladas naquelas da história medieval real... ou seja, eram vagas, não codificadas, sujeitas a interpretações variadas e freqüentemente contraditórias.[24]

A primogenitura de preferência masculina é habitual, mas não obrigatória, para a maioria dos nobres.[25] O filho mais velho de um homem é seu herdeiro, seguido por seu segundo filho, depois seu terceiro filho e assim por diante. Em teoria, o filho mais novo é seguido na linha de sucessão pela filha mais velha, depois da qual vêm as irmãs por ordem de nascimento.[26][27] A filha de um homem herda antes do irmão de seu pai.[28] No entanto, um senhor também tem a opção de nomear um de seus filhos mais novos herdeiro, ignorando seus filhos mais velhos,[29] ou nomear o filho de outro como seu herdeiro.[30] Quando não há um herdeiro claro, as reivindicações podem ser apresentadas ao rei.[31][32] A única exceção é Dorne. Lá, nenhuma distinção é feita entre filhos e filhas. Em vez disso, os filhos herdam por ordem de nascimento, independentemente do sexo, de acordo com o costume Roinar.[33] No caso de herdeira, seu sobrenome será repassado aos filhos, ao invés do nome do marido.[34][35] Quando um senhor governante morre e não deixa nenhum herdeiro claro, sua viúva pode reivindicar suas terras e governar até sua própria morte (por exemplo, Lady Donella Hornwood e Lady Barbrey Dustin), e em tal caso, pode nomear um herdeiro sozinha.[36]

Um senhor pode estabelecer termos específicos para herança ou passar seus descendentes em seu testamento, o que pode gerar disputas legais após sua morte e, potencialmente, violência. Por exemplo, Lorde Tywin Lannister preferia seu filho mais velho, Sor Jaime Lannister, para ser o herdeiro de Rochedo Casterly e, como tal, recusou-se a reconhecer a reivindicação de seu filho mais novo, Tyrion, apesar do costume desqualificar Jaime por ser um membro da Guarda Real.[37] Outro exemplo é o Senhor Wyman Webber, que declarou em seu testamento que sua filha e única herdeira, Rohanne, deveria se casar em uma data especificamente determinada para manter sua herança. Se ela permanecesse solteira após a data determinada, sua herança seria passada para outro parente.[7] A senhora Jeyne Arryn também escreveu um último testamento declarando que seu primo, Sor Arnold e seu filho Eldric deveriam ser preteridos por seu primo mais distante, Sor Joffrey. No entanto, uma guerra de sucessão no Vale se seguiu após sua morte, entre Sor Arnold, Sor Joffrey e outro pretendente, Isembard Arryn.[38]

O papel dos bastardos legitimados nos Sete Reinos também não é claro, ou seja, se eles seguem filhos legítimos ou se juntam à linha de sucessão em ordem de nascimento como se tivessem sido legítimos o tempo todo.[24] A legitimação, uma vez feita, é irreversível.[39] As reivindicações de bastardos legitimados podem apresentar consequências perigosas para parentes considerados legítimos, um exemplo famoso sendo a reivindicação do filho bastardo legitimado do Rei Aegon IV Targaryen, Daemon I Blackfyre, cujos descendentes procuraram reivindicar o Trono de Ferro por cinco gerações.[39] Embora bastardos não legitimados não tenham reclamação legal,[39] eles ainda podem ameaçar a herança de descendentes legítimos. A decisão de Jon Snow de se juntar à Patrulha da Noite agrada Catelyn Stark, porque Jon nunca terá filhos que possam contestar a herança de seus netos em Winterfell.[40]

Herdeiros nascidos em uma casa diferente perdem seu sobrenome de nascimento ao receberem sua herança, adotando o nome da casa herdada. Por exemplo, Joffrey Lydden adotou o nome Lannister ao se casar com a herdeira daquela casa.[41] A possibilidade de Beren Tallhart adotar o nome Hornwood ao herdar as terras de Hornwood é considerada na história.[32]

Perda do direito de sucessão

O direito de sucessão pode ser renunciado. Um exemplo famoso é o Príncipe Duncan Targaryen, o filho mais velho do Rei Aegon V Targaryen, que rompeu seu noivado para se casar com Jenny de Pedravelhas. Quando foi obrigado a escolher entre seu direito ao trono e sua esposa, Duncan renunciou a sua reivindicação, tornando seu irmão mais novo, Jaehaerys, o novo herdeiro.[42][43]

Um rei ou senhor também pode nomear outro como seu herdeiro (por exemplo, o rei Aerys II Targaryen nomeando seu filho mais novo Viserys Targaryen como seu herdeiro em detrimento de seu neto Aegon Targaryen após a morte de seu filho mais velho, Rhaegar, o pai de Aegon,[44] ou as ameaças de Lorde Walder Frey de nomear seu filho mais novo como seu herdeiro, passando por cima de todos os outros filhos e (bisnetos).[29]. No entanto, mesmo nesses casos, as reivindicações ainda podem ser feitas mais tarde.

O direito de sucessão também é perdido quando alguém se torna um membro da Patrulha da Noite,[40] um septão, uma septã, uma irmã silenciosa, um meistre, ou junta-se à Guarda Real. Até mesmo seus descendentes podem perder o direito à sucessão.

Herança do Trono de Ferro

Os costumes de herança para o Trono de Ferro diferem dos costumes de herança no resto de Westeros. Os direitos de herança das mulheres em relação ao Trono de Ferro mudaram ao longo dos anos, como resultado de várias lutas pelo poder.

Com o passar dos anos, as mulheres foram declaradas herdeiras do trono, tanto direta quanto indiretamente. Quando a neta mais velha do rei Aegon I Targaryen, a princesa Rhaena Targaryen, nasceu em 23 d.C., ela era considerada a segunda na linha de sucessão ao trono (seu pai, Príncipe Aenys Targaryen, sendo o herdeiro imediato do Rei Aegon), colocada antes do meio-irmão de seu pai, Maegor.[45] Após o nascimento do segundo filho de Aenys, Príncipe Aegon Targaryen, Aegon se tornou o primeiro na linha depois de Aenys.[46] Quando o Rei Maegor I Targaryen ainda não tinha filhos em 47 d.C., ele nomeou sua sobrinha, a Princesa Aerea Targaryen, como sua herdeira.[47] E em 105 d.C., após a morte de seu filho recém-nascido, o rei Viserys I Targaryen nomeou sua filha Rhaenyra, sua única na época, como sua herdeira. Viserys fez com que os senhores do reino jurassem fidelidade a ela, e se recusou a alterar a linha de sucessão, mesmo depois do nascimento de três filhos em um segundo casamento.[48]

No entanto, apesar desses exemplos, no final do primeiro século da Dinastia Targaryen, surgiram as primeiras hesitações em relação à herança feminina do trono. O filho mais velho do rei Jaehaerys I Targaryen, o príncipe Aemon Targaryen, era o herdeiro do rei até sua morte em 92 d.C.. Aemon teve apenas uma filha chamada Rhaenys. Ao nomear seu novo herdeiro, o Rei Jaehaerys I escolheu seu próximo filho mais velho, Príncipe Baelon, em vez da filha de Aemon, Rhaenys. Quando Baelon morreu em 101 d.C., um Grande Conselho foi convocado, onde os lordes de Westeros votaram na sucessão. Os lordes votaram no filho de Baelon Viserys sobre o filho de Rhaenys Laenor Velaryon, por uma votação de vinte a um. Os senhores sentiram que uma linhagem masculina era preferida a uma linha feminina, e acreditavam que um precedente foi estabelecido afirmando que o Trono de Ferro não poderia ser passado para uma mulher ou para os descendentes masculinos de uma mulher.[49] Ironicamente, foi o Príncipe Viserys, então coroado rei, que mais tarde desconsiderou esses precedentes ao nomear sua filha Rhaenyra Targaryen como sua herdeira, apesar de ter três filhos saudáveis de um segundo casamento.[48][50] A decisão de Viserys acabaria por levar à guerra civil conhecida como Dança dos Dragões.

A guerra começou quando o filho mais velho de Viserys I, Aegon II Targaryen, reivindicou o trono após a morte de Viserys, dividindo a lealdade dos reinos entre Aegon II e Rhaenyra.[51] Os filhos de Aegon II, Jaehaerys e Maelor, morreram durante a guerra, assim como os três filhos mais velhos de Rhaenyra ( Jacaerys, Lucerys, e Joffrey Velaryon), enquanto seu filho mais novo, Príncipe Viserys, foi dado como morto.[51][52] Em uma tentativa de terminar a guerra, Lorde Corlys Velaryon garantiu que a única herdeira remanescente de Aegon II, sua filha Jaehaera, fosse prometida ao filho de Rhaenyra, Aegon, o Jovem, e ambos foram nomeados herdeiros de Aegon II.[53] Embora o rei tenha concordado, ele também arranjou um noivado por conta própria.[54] Mesmo que Aegon II tenha morrido antes de gerar mais filhos, e o casamento entre Aegon, o Jovem e a Princesa Jaehaera, tenha ocorrido, o casamento acabou sem filhos, e Aegon, o Jovem, reinou como monarca como Rei Aegon III Targaryen após a morte de Jaehaera.[52]

O princípio agnático estabelecido no Grande Conselho de 101 foi ligeiramente modificado após a Dança dos Dragões. Depois disso, de acordo com uma fonte semi-canônica, estiveram sempre atrás de todos os homens na sucessão de Targaryen,[55] ou seja, as mulheres só poderiam ter sucesso se toda a linhagem masculina da Casa Targaryen fosse extinta. No entanto, várias reivindicações femininas foram consideradas desde então. Em 171 d.C., após as mortes dos dois filhos de Aegon III Daeron I e Baelor I, ambos sem filhos, as reivindicações das três filhas de Aegon III foram consideradas. No entanto, com a Dança dos Dragões ainda fresca em suas mentes, as reivindicações das três mulheres foram ignoradas e o irmão de Aegon III Viserys II subiu ao trono.[50] Algumas décadas depois, o rei Maekar I Targaryen morreu sem um herdeiro claramente estabelecido. Sua neta Vaella Targaryen, a única filha do filho mais velho de Maekar, era vista como uma possível reclamante. No entanto, sua pretensão foi rapidamente rejeitada.[56][57]

Em 283 d.C., o Saque de Porto Real durante a Rebelião de Robert levou à morte do Rei Aerys II Targaryen. Sua esposa-irmã, a Rainha Rhaella Targaryen, grávida da Princesa Daenerys, estava em Pedra do Dragão com o filho sobrevivente de Aerys, o Príncipe Viserys, que foi declarado rei na fortaleza da ilha.[58] Robert I Baratheon, no entanto, ocupou o Trono de Ferro por direito de conquista,[59] escolhido como reclamante pelos rebeldes devido à sua descendência Targaryen,[60] já que ele era neto da princesa Rhaelle Targaryen, a filha mais nova do rei Aegon V Targaryen,[61] o que deu a ele a melhor reivindicação. No entanto, o exilado Viserys declarou sua irmã Daenerys sua herdeira, nomeando-a Princesa de Pedra do Dragão,[62] e após a morte de Viserys, Daenerys declarou sua própria reivindicação ao Trono de Ferro.[63]

É possível que alguns dos reinos da antiguidade praticassem costumes diferentes com relação à herança do trono. A herdeira do rei Argilac Durrandon, o último Rei da Tempestade, era sua filha solteira, a princesa Argella,[30] enquanto nas Três Irmãs, Marla Sunderland foi instalada como Rainha logo após a Conquista de Aegon.[64]

Maioridade

Para meninos e meninas, dezesseis anos é idade da maioridade legal.[65][66] A partir desse ponto, são referidos como "homem crescido" e "mulher crescida".[67][68]

No entanto, para as meninas, há exceções. Uma menina que teve seu primeiro florescimento (ou seja, primeira menstruação) é considerada apta tanto para o casamento quanto para a consumação do casamento.[69] A maior parte das meninas nobres tem seu primeiro florescimento aos doze ou treze anos,[70] colocando-as em uma posição um tanto ambígua. Elas são consideradas "parte criança, parte mulher" e podem ser chamadas de "donzelas"[65][71], e, mesmo que ainda não tenha completado dezesseis anos, uma "mulher crescida".[28]

Meninos nobres podem ser mandados embora para serem criados por outras famílias nobres. Embora haja exceções (por exemplo, Quentyn Martell), meninos que atingem a maioridade são livres para ir aonde quiserem, encerrando assim seu período de tutoria.[72]

Senhores governantes e damas que herdam enquanto ainda estão em idade de minoria geralmente têm um regente, que serve como o governante de tomada de decisão até a maioridade.[73][74]

Casamento

Artigo principal: Casamento

Os casamentos são frequentemente precedidos de um noivado. Espera-se que os noivados sejam arranjados pelo chefe da casa, tanto para seus filhos quanto para os irmãos menores solteiros.[72] Não há limite de idade para noivados ou casamentos. Há casos de crianças com apenas dois anos de idade que ficaram noivas[N 1] embora geralmente crianças sejam um pouco mais velhas. Casamentos com meninas que ainda não atingiram sua maioridade ou mesmo seu primeiro florescimento (ou seja, teve sua primeira menstruação) acontecem, embora não com frequência.[65] Normalmente, a noiva já atingiu a maioridade, ou é ainda mais velha, embora também tenham ocorrido casamentos envolvendo bebês, embora isso aconteça raramente[75] e geralmente só é feito por motivos específicos.

Cerimônias de casamento

Os costumes do casamento variam consideravelmente entre as terras e as principais religiões, embora todas pareçam ser cerimônias religiosas entre um homem e uma mulher (que não devem ser parentes mais próximos do que primos de primeiro grau). As cerimônias de casamento envolvem a troca de votos na presença de determinadas testemunhas sagradas e são seguidas por uma festa, onde a noiva e o noivo comem e bebem com todos. Depois, ocorre o ritual de cama, onde o casamento é consumado.

As cerimônias de casamento diferem entre as religiões. Um sacerdote estará sempre envolvido em cerimônias que seguem os costumes da Fé dos Sete,[76] do Senhor da Luz,[77] e também da religião Ghiscari.[78] Cerimônias envolvendo a Fé,[76][15] o Senhor da Luz, [77] e os velhos deuses[36] envolvem a troca de um "manto de donzela" e um "manto de noiva".

As cerimônias de casamento geralmente são seguidas por uma festa, que por sua vez é seguida pelo ritual de cama.[79][76][15][36][77] Para os casamentos nobres realizados pela Fé dos Sete, costuma-se oferecer uma torta de casamento durante a festa, cheia de pássaros vivos.[80][15] Cerimônias de casamento do povo dothraki podem durar o dia inteiro, durante o qual os convidados festejam, bebem, dançam e lutam. Perto do final, a noiva é presenteada com seus presentes de noiva, e depois disso o casamento será consumado.[79]

Primeira Noite

Artigo principal: Primeira noite

Os senhores de Westeros já tiveram o direito à primeira noite, o costume de dormir com mulheres recém-casadas antes de seus maridos. A Rainha Alysanne convenceu o Rei Jaehaerys I a aboli-lo,[7][78] mas o costume ainda é praticado ilegalmente em algumas partes do norte.[10]

Poligamia

Artigo principal: Poligamia

Embora a maioria dos casamentos seja entre apenas um homem e uma mulher, os casamentos polígamos ocorrem no mundo conhecido. Antes da Invasão Ândala, reis do Reino da Campina[81][82] e do Reino da Tempestade[83] praticavam a poligamia, assim como os senhores de dragões e os príncipes feiticeiros em Valíria, embora raramente.[46] A poligamia ainda é praticada por alguns khals dos Dothraki .[22] Os "costumes antigos" dos Dothraki afirmavam que um khal poderia compartilhar suas khaleesi com seus companheiros de sangue, um costume ainda praticado em alguns khalasars hoje.[84]

Seguidores do Deus Afogado podem tomar várias "esposas de sal" além de suas "esposas de pedra". Embora apenas os filhos gerados por este último sejam considerados verdadeiros, quaisquer filhos gerados por esposas de sal ainda possuem mais direitos do que os de um homem.[85][86]

Costumes funerários

O ritual fúnebre de lorde Hoster Tully, em Correrrio. Arte por Svetoslav Petrov. ©

Os costumes fúnebres podem diferir entre seguidores de religiões diferentes, mas também entre famílias que seguem a mesma religião. Os Starks de Winterfell, seguidores dos deuses antigos, enterram seus mortos nas criptas do castelo,[2] onde os Reis do Inverno e o Senhor de Winterfell recebem uma estátua.[87] Em muitos outros lugares no norte, túmulos dos Primeiros Homens ainda podem ser encontrados.[88] Os ritos funerários dos Tullys de Correrrio colocam os membros falecidos de sua casa em um barco que é enviado rio abaixo e incendiado.[89] Seguidores da Fé dos Sete podem ser enterrados com um cristal em seu túmulo.[90] Os falecidos da Casa Manderly têm seus ossos colocados no Septo Nevado de Porto Branco, cercados por velas acesas.[91]

Os Targaryens tem a tradição de cremar seus mortos;[92][93] Não se sabe se esta tradição foi praticada em toda Valíria, por todos os senhores de dragões, ou apenas pela Casa Targaryen. Parece que os Targaryen tradicionalmente enterravam suas cinzas cremadas, em vez de simplesmente espalhá-las: as cinzas de Jaehaerys I foram enterradas sob a Fortaleza Vermelha, ao lado das de sua irmã-esposa Alysanne.[48]

As roupas de luto são pretas.[94][95] Alguns podem rasgar a roupa em sinal de luto.[96] As Casas também podem mostrar marcas de luto,[97] embora estes sinais permaneçam não especificados.

Quando o Senhor Corlys Velaryon, Mão do Rei, morreu em 132 d.C., seu corpo foi colocado sob o Trono de Ferro onde permaneceu por sete dias.[52] Da mesma forma, quando o Senhor Tywin Lannister, também Mão do Rei, além de ser o avô do Rei Tommen I Baratheon, morreu em 300 d.C., seu corpo foi colocado no Grande Septo de Baelor, onde permaneceu por sete dias.[98] Embalsamar o corpo do falecido envolve a remoção dos intestinos, órgãos internos e sangue, e a substituição por sal e ervas aromáticas.[99] Durante um serviço fúnebre que dura vários dias, as orações são realizadas pela manhã e à noite; Enquanto os cultos da manhã são abertos apenas para a nobreza, as orações da tarde são abertas para os plebeus e as orações da noite para todos.[100]

Um grande senhor que morre longe de casa geralmente será escoltado de volta para casa. Um cortejo fúnebre de um senhor de alta nobreza pode incluir uma escolta de cavaleiros, senhores vassalos, membros da guarda doméstica e outros.[101][102] Em qualquer caso, várias irmãs silenciosas irão acompanhar o corpo.[102][101] Principalmente entre os nobres, é dada grande importância à devolução do corpo à família do falecido,[103] e deixar de fazer isso pode ser motivo para ressentimento.[104]

Rituais de Batismo

A selvagem Dalla grávida de seu filho. Por Torbjörn Källström © FFG

Primeiro Nome

Artigo principal: Dia do nome

Nos Sete Reinos, as crianças recebem um nome ao nascer, fazendo com que o dia de seu nascimento seja chamado de "dia do nome" ou "dia do nome". O povo livre que vive além da Muralha nomeia seus filhos somente depois que a criança atingem a idade de dois anos, acreditando que dá azar se as crianças receberem um nome mais cedo, já que a mortalidade infantil é alta ao norte da Muralha.[105] Eles podem, no entanto, decidir qual nome dar à criança enquanto ela é ainda mais jovem.[61]

Sobrenome

No casamento, embora algumas mulheres (por exemplo, Cersei Lannister) mantenham o nome de solteira, a maioria das mulheres usa o sobrenome do marido.[106] No entanto, o uso pode variar. Por exemplo, embora ela seja chamada mais frequentemente de Catelyn Stark, Catelyn também é chamada de "Catelyn Tully"[107][104] e "Catelyn Tully Stark".[108][109] Se a família da mulher é de nascimento significativamente mais elevado do que a família do marido, a esposa pode escolher usar principalmente seu nome de solteira.[106]

Em Dorne, os costumes variam do resto de Westeros. Como os primogênitos herdam em Dorne, seguindo os costumes de Roinares, as mulheres herdam com mais freqüência as terras e títulos de suas famílias. Nesses casos, não levam o nome do marido.[106]

Bastardos com pelo menos um pai nobre podem receber sobrenomes de seus pais. Existem "sobrenomes bastardos usuais", que diferem por região. No norte, os bastardos são geralmente chamados de "Snow", nas terras fluviais "Rivers", nas Terras do Oeste "Hill", nas Ilhas de Ferro "Pyke", na Vale "Stone", nas Terras da Coroa "Waters", nas Terras da Tempestade "Storm", na Campina "Flowers" e em Dorne "Sand". Quando um bastardo do sexo masculino tem filhos legítimos, esses filhos recebem o nome bastardo do pai, embora uma geração posterior possa ajustar o nome para remover a mancha de bastardia,[106] (e.g., Casa Longwaters). Quando homem e mulher, ambos bastardos nascidos nobres, de regiões diferentes (ou seja, com um sobrenome diferente) se casam, seu filho provavelmente usará o sobrenome do pai.[110] Os pais também podem decidir dar ao seu bastardo um sobrenome diferente dos "sobrenomes bastardos usuais",[106] como por exemplo Tyrion Tanner, ou nenhum sobrenome.[106] Os homens que recebem terras e título de cavaleiro também podem ter um (novo) sobrenome. Daemon Waters, o filho bastardo do Rei Aegon IV Targaryen, assumiu o nome "Blackfyre" como seu sobrenome depois de ter sido nomeado cavaleiro e ter recebido terras próprias, embora ele não tivesse sido legitimado.[111] O contrabandista Davos, depois de receber o título de cavaleiro e as terras, tomou o nome de "Seaworth" para sua casa recém-construída.[112]

Os bastardos de dois nascidos comuns não recebem sobrenome.[106]

Dias Sagrados

Em Westeros, de acordo com o costume da Fé dos Sete, cada um dos sete deuses tem seu próprio feriado.[113] No entanto, apenas três são conhecidos atualmente pelo nome. O Dia da Donzela, um dia em que as donzelas de casas nobres são obrigadas a ir ao septo para acender velas brancas altas aos pés da Donzela e pendurar guirlandas em seu pescoço. Mães, prostitutas e viúvas e homens são barrados do septo. Essas donzelas que entram nos septos cantam canções de inocência.[114] O Dia de Festa do Nosso Pai no Céu é considerado o dia mais propício para fazer julgamentos.[115] Há também o Dia do Ferreiro.[38]

Na Cidade Livre de Qohor, a Cabra Negra de Qohor recebe um sacrifício de sangue diário. Embora geralmente animais (bezerros, bois e cavalos) sejam usados para esse fim, nos dias sagrados criminosos condenados são sacrificados.[116]

Hospitalidade

Artigo principal: Direito de hóspede

O costume do “direito de hóspede” é uma regra sagrada e antiga.[21] As obrigações de hospitalidade são levadas muito a sério, tanto além da Muralha,[117][21] quanto nos Sete Reinos; No entanto, o costume do direito de hóspede aparece menos nos reinos do sul, sendo mais querido no norte.[118] Lá, quebrar o direito do hóspede é raro, mas quando ocorre, é punido de forma semelhante à mais terrível das traições.[118] Pelo menos na Cidade Livre de Pentos, o direito de hóspede também é praticado.[119] A hospitalidade pode ser oferecida por um senhor na chegada do anfitrião. A forma mais comum de receber hospitalidade, também chamada de “direito de hóspede”, é comendo “pão e sal”.[120] Uma vez que o direito de hóspede tenha sido oferecido e aceito, os hóspedes e anfitriões são protegidos contra danos uns aos outros durante a estadia.[118] Os presentes dos hóspedes podem ser dados no dia da partida dos convidados,[121][122] possivelmente como um meio de acabar com a proteção do direito de hóspede. No entanto, presentes de convidados não são mais dados por todos os lordes.[121]

Lazer

O nobre Tyrion Lannister desfrutando de sua leitura e vinho. Arte por Aleksander Karcz © FFG

Nobres e plebeus participam de uma variedade de passatempos para seu entretenimento.

As crianças brincam com brinquedos (por exemplo, fantoches,[14] aros de barril, blocos, estátuas de madeira entalhada,[123] e bonecas[124][125]) ou jogue uma variedade de jogos. Espera-se que as crianças nascidas nobres, especialmente quando crescerem, treinem várias habilidades para seu entretenimento, bem como para a educação geral. Meninos e meninas aprendem a andar a cavalo.[126][127][128] As meninas aprendem artes femininas, que incluem costura,[129] bordar, dançar, cantar, escrever poesia ou tocar instrumentos musicais (por exemplo, a harpa ou sinos).[126] A partir de uma certa idade, meninos começam a treinar habilidades marciais. Normalmente começando em tenra idade, meninos são treinados com lança, espada e escudo.[130] Meninos mais novos treinam com espadas de madeira.[131][132] Aos 12 anos, meninos comumente há treinam em armas há anos.[133]

Lugares que os adultos gostam de visitar para se divertir incluem tavernas e bordeis. A maioria dos nobres é alfabetizada e, portanto, pode preferir passar o tempo lendo livros.[129] Os nobres desfrutam da navegação por prazer,[134][127][48] ou simplesmente dar um passeio a cavalo, às vezes para colher flores ou festejar ao ar livre.[127] Adultos e crianças, nobres e plebeus, gostam de nadar em lagos, rios, piscinas e fossos.[2][135][32][136][137][138][139][80]

Jogos

Veja também: Lista de jogos conhecidos

Jogos infantis em Westeros incluem entra-no-meu-castelo, monstros e donzelas, busca do tesouro, pula rã, gira a espada, e gatos e ratos.[140][131][141][142] Popular entre as crianças da Casa Frey nas Gêmeas é o jogo senhor da travessia,[131] nomeado em homenagem ao título detido pelo chefe da Casa Frey.

As crianças em Meereen jogam um jogo que envolve sentar em um círculo e se revezar para girar uma adaga. Quando ela para, eles cortam uma mecha de cabelo de quem quer que a adaga esteja apontando. Barristan Selmy se lembra de um jogo semelhante que ele jogou com seus primos no Solar de Colheitas em Westeros quando ele era um menino. O jogo da infância de Barristan envolvia beijos[143]

A dança dos dedos é um jogo jogado pelos homens de ferro das Ilhas de Ferro, e envolve arremessar um machado que deve ser agarrado ou saltado sem errar um passo. O nome do jogo se deve ao fato de que geralmente termina com o dançarino perdendo um ou mais dedos.[19]

Cyvasse é um jogo de tabuleiro de estratégia militar originário de Volantis.[144][145] Também é jogado em Lys,[146] e desde aproximadamente 299 d.C. esteve presente em Westeros, depois que uma galera comercial de Volantis introduziu o jogo em Dorne, de onde foi espalhado.[144] O jogo chegou a Porto Real em 300 d.C..[147]

Caça

Tanto homens quanto mulheres podem caçar por esporte. Homens podem querer caçar uma grande variedade de animais, como javalis,[73][9] auroques,[148] ou veados.[8] Podem ser usados cães de caça.[149][117] Ao caçar javalis, uma lança é necessária, bem como cavalos e cães, e homens para expulsar o javali de seu covil.[150] As mulheres geralmente não se juntam a esses grupos de caça.[151][152]

Ambos homens[73][86] e mulheres[134][27][129] podem praticar uma forma mais específica de caça: a falcoaria, "o esporte de caça com falcões, águias, ou outras aves de rapina".[153] Os nobres podem possuir um falcão (por exemplo, Jon Arryn,[125][154] Stannis Baratheon,[155]) Ardrian Celtigar,[156] Robert I Baratheon,[155] Margaery Tyrell[27]) ou uma águia (por exemplo, Willas Tyrell)[157].

As caçadas podem ser perigosas e os acidentes durante uma caçada são comuns o suficiente para que possam ser falsamente usados para assassinar alguém.[109][129][158] Embora a falcoaria seja muito mais segura, ainda ocorrem acidentes fatais. Lorde Luthor Tyrell despencou de um penhasco enquanto caçava,[134] e Lady Rhea Royce sofreu um ferimento letal quando foi atirada do cavalo durante a falcoaria.[159]

Combate

Belwas e seu oponente na arena de luta. Por Kaija Rudkiewicz. © FFG
Artigo principal: Torneios e Arenas de luta

Populares em Westeros são os torneios, competições cavalheirescas onde os homens competem uns contra os outros em uma justa, um corpo a corpo, e em competição de arco e flecha. O formato e as regras usadas durante um torneio podem variar entre as diferentes regiões de Westeros, demonstrando os desejos do lorde anfitrião.[160] O costume Westerosi também apresenta eventos esportivos com ursos[161][12] e javalis.[103]

As cidades Ghiscari na Baía dos Escravos preferem assistir a combates de gladiadores nas arenas de luta. Essas arenas podem ser encontradas em pelo menos Astapor[162] e Meereen.[143] Dentro desses fossos, os lutadores (sendo homens e mulheres) lutam entre si, ou contra um animal, até que um morra. Além disso, crianças podem ser obrigadas a lutar contra animais selvagens.[162]

Apostas

Outros passatempos incluem jogos de azar,[9] como jogo de dados[163][164][109][36] ou ladrilhos.[9][165] Este último pode ter três lados.[166] No entanto, as apostas podem ser feitas sobre qualquer coisa, incluindo o resultado de um torneio.[167][80]

Pantomimeiros e músicos

Veja também: Pantomimeiros e Canções

Pantomimeiros ou saltimbancos,[164][168][169][170] cantores,[171][154] e titereiros[93] costumam viajar de um lugar para outro em Westeros e Essos. Enquanto cantores costumam viajar sozinhos,[154] pantomimeiros e titereiros viajam em trupes, realizando seus atos aonde quer que vão.[93][169][170] Lugares localizados mais remotamente, como Winterfell[154] ou a Ilha dos Ursos,[171] podem não ser visitados por artistas viajantes ao longo de anos ou temporadas a fio. Cantores viajantes, chamados de "cantores errantes", raramente viajam para o norte.[167] Torneios[172][173] e casamentos[174] podem atrair grupos de músicos e cantores. Além disso, pantomimeiros, cantores e titereiros podem encontrar serviço com um senhor ou senhora nobre.[134][142][125][127]

Alguns grupos de pantomimeiros preferem se apresentar de um local fixo (por exemplo, o Lanterna Azul e o Domo, dois teatros de pantomimeiros em Braavos,[158] e o salão dos pantomimeiros em Porto Branco[91]). Pelo menos nos teatros dos pantomimeiros em Braavos, os atores encenam histórias escritas, em vez de inventar farsas.[175]

Em Essos, trupes de pantomimas podem conter atores escravizados.[170][169] Esses escravos podem comprar sua lliberdade assim que obtiverem riqueza suficiente.[170]

Gênero e Sexualidade

Artigo principal: Gênero e Sexualidade

As várias culturas em Westeros, Essos e Sothoryos têm diversas atitudes e padrões sociais em relação ao gênero e sexualidade.

Veja também

Notas

  1. Por exemplo, Baela e Rhaena Targaryen.

Referências

  1. A Guerra dos Tronos, Capítulo 20, Eddard.
  2. 2,0 2,1 2,2 A Guerra dos Tronos, Capítulo 4, Eddard.
  3. A Guerra dos Tronos, Capítulo 43, Eddard.
  4. 4,0 4,1 A Guerra dos Tronos, Capítulo 1, Bran.
  5. A Tormenta de Espadas, Capítulo 72, Jaime.
  6. Assim Falou Martin: Land Ownership and Marriage in Westeros (December 19, 1999)
  7. 7,0 7,1 7,2 O Cavaleiro dos Sete Reinos, A Espada Juramentada.
  8. 8,0 8,1 A Guerra dos Tronos, Capítulo 45, Eddard.
  9. 9,0 9,1 9,2 9,3 A Fúria dos Reis, Capítulo 8, Tyrion.
  10. 10,0 10,1 A Dança dos Dragões, Capítulo 32, Fedor.
  11. A Guerra dos Tronos, Capítulo 41, Jon.
  12. 12,0 12,1 A Tormenta de Espadas, Capítulo 44, Jaime.
  13. A Dança dos Dragões, Capítulo 19, Davos.
  14. 14,0 14,1 A Guerra dos Tronos, Capítulo 29, Sansa.
  15. 15,0 15,1 15,2 15,3 A Tormenta de Espadas, Capítulo 60, Tyrion.
  16. A Dança dos Dragões, Capítulo 38, O Sentinela.
  17. A Guerra dos Tronos, Capítulo 53, Bran.
  18. A Fúria dos Reis, Prólogo.
  19. 19,0 19,1 A Fúria dos Reis, Capítulo 24, Theon.
  20. A Fúria dos Reis, Capítulo 57, Sansa.
  21. 21,0 21,1 21,2 A Tormenta de Espadas, Capítulo 7, Jon.
  22. 22,0 22,1 A Guerra dos Tronos, Capítulo 46, Daenerys.
  23. A Fúria dos Reis, Capítulo 21, Bran.
  24. 24,0 24,1 Assim Falou Martin: The Hornwood Inheritance and the Whents (November 02, 1999)
  25. Em A Forum of Ice and Fire: "A primogenitura é costumeira, mas não obrigatória ... especialmente para um rei. Temos outros exemplos de pessoas sendo preteridas, ou potencialmente preteridas, por outras."
  26. A Guerra dos Tronos, Capítulo 63, Catelyn.
  27. 27,0 27,1 27,2 A Tormenta de Espadas, Capítulo 16, Sansa.
  28. 28,0 28,1 A Dança dos Dragões, Capítulo 44, Jon.
  29. 29,0 29,1 A Guerra dos Tronos, Capítulo 59, Catelyn.
  30. 30,0 30,1 O Mundo de Gelo e Fogo, O Reinado dos Dragões: A Conquista.
  31. A Dança dos Dragões, Epílogo.
  32. 32,0 32,1 32,2 A Fúria dos Reis, Capítulo 16, Bran.
  33. A Guerra dos Tronos, Apêndice.
  34. A Tormenta de Espadas, Apêndice.
  35. Assim Falou Martin: The Martell Name’s Inheritance (June 13, 2001)
  36. 36,0 36,1 36,2 36,3 A Dança dos Dragões, Capítulo 37, O Príncipe de Winterfell.
  37. A Tormenta de Espadas, Capítulo 4, Tyrion.
  38. 38,0 38,1 Fogo & Sangue, A Primavera Lysena e o fim da regência.
  39. 39,0 39,1 39,2 A Tormenta de Espadas, Capítulo 45, Catelyn.
  40. 40,0 40,1 A Guerra dos Tronos, Capítulo 6, Catelyn.
  41. O Mundo de Gelo e Fogo, Os Sete Reinos: As Terras Ocidentais.
  42. O Mundo de Gelo e Fogo, Os Reis Targaryen: Aegon V.
  43. A Dança dos Dragões, Capítulo 67, O Derrubador de Reis.
  44. O Mundo de Gelo e Fogo, A Queda dos Dragões: O Fim.
  45. The Sons of the Dragon reading notes (August 16, 2014)
  46. 46,0 46,1 O Mundo de Gelo e Fogo, Os Reis Targaryen: Aenys I.
  47. O Mundo de Gelo e Fogo, Os Reis Targaryen: Maegor I.
  48. 48,0 48,1 48,2 48,3 O Príncipe de Westeros.
  49. O Mundo de Gelo e Fogo, Os Reis Targaryen: Jaehaerys I.
  50. 50,0 50,1 O Mundo de Gelo e Fogo, Os Reis Targaryen: Viserys I.
  51. 51,0 51,1 A Princesa e a Rainha.
  52. 52,0 52,1 52,2 O Mundo de Gelo e Fogo, Os Reis Targaryen: Aegon II.
  53. asoiaf.westeros.org: Aegon II and Aegon III (April 23)
  54. O Mundo de Gelo e Fogo, Os Sete Reinos: As Terras da Tempestade, Casa Baratheon.
  55. Assim Falou Martin: Comic Con San Diego (July 23, 2006)
  56. O Mundo de Gelo e Fogo, Os Reis Targaryen: Maekar I.
  57. A Fúria dos Reis, Capítulo 6, Jon.
  58. George R. R. Martin's A World of Ice and Fire, Rhaella Targaryen.
  59. A Fúria dos Reis, Capítulo 22, Catelyn.
  60. A Guerra dos Tronos, Capítulo 30, Eddard.
  61. 61,0 61,1 O Festim dos Corvos, Capítulo 35, Samwell.
  62. A Guerra dos Tronos, Capítulo 3, Daenerys.
  63. A Fúria dos Reis, Capítulo 40, Daenerys.
  64. O Mundo de Gelo e Fogo, Os Sete Reinos: O Vale.
  65. 65,0 65,1 65,2 Assim Falou Martin: Age of Sexual Relations (October 5, 1999)
  66. Assim Falou Martin: Age of Majority (November 4, 1999)
  67. A Fúria dos Reis, Capítulo 55, Catelyn.
  68. O Festim dos Corvos, Capítulo 40, A Princesa na Torre.
  69. A Fúria dos Reis, Capítulo 52, Sansa.
  70. A Guerra dos Tronos, Capítulo 67, Sansa.
  71. O Festim dos Corvos, Capítulo 23, Alayne.
  72. 72,0 72,1 Assim Falou Martin: Some Questions (March 16, 2000)
  73. 73,0 73,1 73,2 A Guerra dos Tronos, Capítulo 47, Eddard.
  74. A Fúria dos Reis, Capítulo 36, Tyrion.
  75. A Tormenta de Espadas, Capítulo 1, Jaime.
  76. 76,0 76,1 76,2 A Tormenta de Espadas, Capítulo 28, Sansa.
  77. 77,0 77,1 77,2 A Dança dos Dragões, Capítulo 49, Jon.
  78. 78,0 78,1 A Dança dos Dragões, Capítulo 43, Daenerys.
  79. 79,0 79,1 A Guerra dos Tronos, Capítulo 11, Daenerys.
  80. 80,0 80,1 80,2 O Cavaleiro dos Sete Reinos, O Cavaleiro Misterioso.
  81. O Mundo de Gelo e Fogo, Os Sete Reinos: A Campina, Os Reis Gardener.
  82. O Mundo de Gelo e Fogo, Os Sete Reinos: A Campina, Vilavelha.
  83. O Mundo de Gelo e Fogo, Os Sete Reinos: As Terras da Tempestade, Casa Durrandon.
  84. A Guerra dos Tronos, Capítulo 36, Daenerys.
  85. O Mundo de Gelo e Fogo, Os Sete Reinos: As Ilhas de Ferro.
  86. 86,0 86,1 A Fúria dos Reis, Capítulo 11, Theon.
  87. A Guerra dos Tronos, Capítulo 66, Bran.
  88. A Guerra dos Tronos, Capítulo 12, Eddard.
  89. A Tormenta de Espadas, Capítulo 35, Catelyn.
  90. A Fúria dos Reis, Capítulo 1, Arya.
  91. 91,0 91,1 A Dança dos Dragões, Capítulo 15, Davos.
  92. Assim Falou Martin: Asshai.com Interview in Barcelona (July 28, 2012)
  93. 93,0 93,1 93,2 O Cavaleiro dos Sete Reinos, O Cavaleiro Andante.
  94. A Guerra dos Tronos, Capítulo 38, Tyrion.
  95. A Guerra dos Tronos, Capítulo 51, Sansa.
  96. O Festim dos Corvos, Capítulo 44, Jaime.
  97. A Tormenta de Espadas, Capítulo 10, Davos.
  98. O Festim dos Corvos, Capítulo 8, Jaime.
  99. O Festim dos Corvos, Capítulo 17, Cersei.
  100. O Festim dos Corvos, Capítulo 7, Cersei.
  101. 101,0 101,1 A Fúria dos Reis, Capítulo 39, Catelyn.
  102. 102,0 102,1 O Festim dos Corvos, Capítulo 16, Jaime.
  103. 103,0 103,1 O Festim dos Corvos, Capítulo 33, Jaime.
  104. 104,0 104,1 A Dança dos Dragões, Capítulo 41, O Vira-casaca.
  105. A Tormenta de Espadas, Capítulo 46, Samwell.
  106. 106,0 106,1 106,2 106,3 106,4 106,5 106,6 Assim Falou Martin: SF, Targaryens, Valyria, Sansa, Martells, and More (June 26, 2001)
  107. A Guerra dos Tronos, Capítulo 35, Eddard.
  108. A Guerra dos Tronos, Capítulo 10, Jon.
  109. 109,0 109,1 109,2 A Guerra dos Tronos, Capítulo 34, Catelyn.
  110. Assim Falou Martin: Bastard's Offspring (January 20, 1999)
  111. O Mundo de Gelo e Fogo, Os Reis Targaryen: Aegon IV.
  112. A Fúria dos Reis, Prólogo.
  113. Not a Blog: Books for Brains! (October 31, 2015)
  114. O Festim dos Corvos, Capítulo 39, Cersei.
  115. Fogo & Sangue, Sob os regentes: Guerra e paz e exposição de gado.
  116. O Mundo de Gelo e Fogo, Além do Reino do Pôr do Sol: As Cidades Livres, Qohor.
  117. 117,0 117,1 A Fúria dos Reis, Capítulo 23, Jon.
  118. 118,0 118,1 118,2 O Mundo de Gelo e Fogo, Os Sete Reinos: O Norte.
  119. A Dança dos Dragões, Capítulo 1, Tyrion.
  120. A Tormenta de Espadas, Capítulo 49, Catelyn.
  121. 121,0 121,1 A Dança dos Dragões, Capítulo 29, Davos.
  122. A Dança dos Dragões, Capítulo 46, Um Fantasma em Winterfell.
  123. A Dança dos Dragões, Capítulo 18, Tyrion.
  124. A Tormenta de Espadas, Capítulo 39, Arya.
  125. 125,0 125,1 125,2 A Tormenta de Espadas, Capítulo 80, Sansa.
  126. 126,0 126,1 A Guerra dos Tronos, Capítulo 7, Arya.
  127. 127,0 127,1 127,2 127,3 O Festim dos Corvos, Capítulo 28, Cersei.
  128. A Dança dos Dragões, Capítulo 68, O Domador de Dragões.
  129. 129,0 129,1 129,2 129,3 O Festim dos Corvos, Capítulo 24, Cersei.
  130. A Dança dos Dragões, Capítulo 25, O Soprado pelo Vento.
  131. 131,0 131,1 131,2 A Fúria dos Reis, Capítulo 4, Bran.
  132. O Festim dos Corvos, Capítulo 31, Brienne.
  133. A Dança dos Dragões, Capítulo 21, Jon.
  134. 134,0 134,1 134,2 134,3 A Tormenta de Espadas, Capítulo 6, Sansa.
  135. A Fúria dos Reis, Capítulo 14, Arya.
  136. A Fúria dos Reis, Capítulo 35, Bran.
  137. A Tormenta de Espadas, Capítulo 2, Catelyn.
  138. A Tormenta de Espadas, Capítulo 41, Jon.
  139. O Festim dos Corvos, Capítulo 2, O Capitão dos Guardas.
  140. A Guerra dos Tronos, Capítulo 22, Arya.
  141. A Tormenta de Espadas, Capítulo 22, Arya.
  142. 142,0 142,1 A Tormenta de Espadas, Capítulo 68, Sansa.
  143. 143,0 143,1 A Dança dos Dragões, Capítulo 70, A Mão da Rainha.
  144. 144,0 144,1 O Festim dos Corvos, Capítulo 13, O Cavaleiro Maculado.
  145. A Dança dos Dragões, Capítulo 47, Tyrion.
  146. A Dança dos Dragões, Capítulo 6, O Homem do Mercador.
  147. O Festim dos Corvos, Capítulo 36, Cersei.
  148. A Guerra dos Tronos, Capítulo 15, Sansa.
  149. A Guerra dos Tronos, Capítulo 27, Eddard.
  150. A Fúria dos Reis, Capítulo 19, Arya.
  151. A Guerra dos Tronos, Capítulo 8, Bran.
  152. A Tormenta de Espadas, Capítulo 19, Tyrion.
  153. Definição de "falcoaria" extraída do Dictionary.com
  154. 154,0 154,1 154,2 154,3 O Festim dos Corvos, Capítulo 10, Sansa.
  155. 155,0 155,1 A Fúria dos Reis, Capítulo 10, Davos.
  156. A Tormenta de Espadas, Capítulo 54, Davos.
  157. A Tormenta de Espadas, Capítulo 18, Samwell.
  158. 158,0 158,1 O Festim dos Corvos, Capítulo 32, Cersei.
  159. Fogo & Sangue, Herdeiros do dragão: Uma questão de sucessão.
  160. Assim Falou Martin: Tourney Rules (April 29, 1999)
  161. A Fúria dos Reis, Capítulo 50, Theon.
  162. 162,0 162,1 A Tormenta de Espadas, Capítulo 23, Daenerys.
  163. A Guerra dos Tronos, Capítulo 19, Jon.
  164. 164,0 164,1 A Guerra dos Tronos, Capítulo 26, Jon.
  165. A Fúria dos Reis, Capítulo 15, Tyrion.
  166. A Fúria dos Reis, Capítulo 34, Jon.
  167. 167,0 167,1 A Guerra dos Tronos, Capítulo 28, Catelyn.
  168. A Guerra dos Tronos, Capítulo 58, Eddard.
  169. 169,0 169,1 169,2 A Fúria dos Reis, Capítulo 44, Tyrion.
  170. 170,0 170,1 170,2 170,3 A Dança dos Dragões, Capítulo 33, Tyrion.
  171. 171,0 171,1 A Fúria dos Reis, Capítulo 12, Daenerys.
  172. A Guerra dos Tronos, Capítulo 32, Arya.
  173. A Tormenta de Espadas, Capítulo 42, Daenerys.
  174. A Tormenta de Espadas, Capítulo 59, Sansa.
  175. O Festim dos Corvos, Capítulo 15, Samwell.

Sobre a página

Esta página utiliza conteúdo baseado em Customs, um artigo de A Wiki Of Ice And Fire.