Barristan Selmy

De Gelo e Fogo wiki
Ir para: navegação, pesquisa
Selmy.png
Barristan Selmy
Guarda Real.png
Barristan Selmy Amoka.jpg
Barristan Selmy como 'Arstan Barba-Branca', por Amoka ©
Apelido(s) Barristan, o Ousado
Arstan Barba-Branca
Sor Vovô
Barristan, o Velho
Título Sor
Senhor Comandante (antigamente)
Mão da Rainha
Lealdade Guarda Real
Guarda da Rainha
Casa Selmy
Cultura Westeros
Nascimento Em 237 d.C.
Aparece
Aparece
Aparece
Mencionado
PDV

GoT Logo.jpg
Barristan Selmy 1x06.jpg
Interpretado(a) por Ian McElhinney
Aparições 1ª Temporada | 3ª Temporada | 4ª Temporada | 5ª Temporada
Apareceu em 25 episódios (ver seção)

Sor Barristan Selmy, chamado de Barristan, o Ousado, é um famoso herói, e cavaleiro da Guarda Real, servindo durante uma época em que os cavaleiros da Guarda Real eram considerados os melhores cavaleiros do reino. No início dos livros, ele tem sessenta anos de idade. Na série de televisão é interpretado pelo ator Ian McElhinney. [1]

Aparência e características

Veja também: Imagens de Barristan Selmy
Barristan Selmy, por Riccardo Moscatello (Radialart)
Sor Barristan Selmy, por Kelly McClellan (javawombat)

Selmy tem pequenas rugas[2][3] nos cantos dos olhos de cor azuis,[4][5][3] e Daenerys considera-os tristes.[6] Selmy é alto[7][8][9] sendo mais alto que Sor Jorah Mormont.[5]Ele é um homem velho, com cabelos brancos,[10][11][7][8][5] mas em sua juventude seus cabelos eram da cor da luz do sol.[3] Apesar de velho, Daenerys considera-o um homem bonito usando armadura.[12][9] Barristan tem um rosto comprido,[13] gentil,[14] enrugado[6] e solene[13] que possui grande dignidade e força calma.[8] Mesmo tendo idade avançada, ele é gracioso e forte,[10] mas não é tão musculoso quanto Sor Jorah Mormont.[5] Posteriormente ele tenta se disfarçar sua identidade e, sob o nome de Arstan Barba-Branca, ele deixa a barba crescer.[15][16] Sua barba é fina, sedosa e tão branca quanto seus cabelos.[8][5] Apesar de sua idade, suas costas ainda são eretas,[2] apesar de ele próprio dizer que houve um encurtamento das costas, provavelmente pelos anos de vida.[3]

Quando era um jovem de dez anos, Barristan era o vaidoso, orgulhoso e tolo, mas era ousado e isso lhe rendeu sua alcunha.[17] Mas quando cresceu, Barristan se tornou um bom homem,[16] leal,[4] respeitador,[18] honroso,[4] forte,[14] galante,[16] discreto,[19] algumas vezes muito literal,[16] mas valente e respeitável,[11] corajoso[20] e ousado em combate.[20] Algumas pessoas como Petyr Baelish e Illyrio Mopatis o não o consideram astuto,[11][21] mas talvez isso se deva pelo seu desprezo por truques[22] e pelas estratagemas, sussurros e mentiras[23] que são muito comuns para os que jogavam os jogos dos tronos com engano, sussurros e mentiras.[3] Apesar de sempre cumprir seu dever sem hesitar, ele se questiona frequentemente se não cumpriu seu dever bem demais, visto que um lado seu se sente culpado pela queda da Casa Targaryen ao proteger Aerys II Targaryen tão bem, como no Desafio de Valdocaso, por exemplo.[3] Selmy detestava ver mortes de inocentes, ainda mais quando são crianças, como mostrado quando pediu para que o bebê Dontos Hollard não fosse morto quando a Casa Hollard foi destruída após o Desafio de Valdocaso,[24] ou quando ele afirma que mataria Robert Baratheon caso tivesse visto ele sorrir quando Tywin Lannister presenteou-lhe com os corpos do filho do Príncipe Rhaegar Targaryen.[23]

Ele pode falar um pouco de Alto Valiriano das Cidades Livres[8][14] e um pouco de Ghiscari da Baía dos Escravos.[17]

Selmy é um dos mais habilidosos e respeitados cavaleiros dos Sete Reinos.[25][21] Ele é considerado uma lenda viva sendo “feito do aço verdadeiro”, tal qual Ryam Redwyne, Príncipe Aemon, o Cavaleiro do Dragão e Serwyn do Escudo Espelhado.[22][26] Bran Stark pensa que Selmy é o maior cavaleiro vivo na atualidade.[25] Quando Daenerys Targaryen viu-o em ação, ela ficou chocada com a velocidade dele, pois quase não consegue acompanhar seus movimentos[15] e chega a conclusão que, mesmo sendo velho, os anos não roubaram suas habilidades com as armas,[2] mesmo que ele próprio pense que se tornou um velho lento, com os joelhos doloridos.[3] Lorde Eddard Stark tem profundo respeito pelo velho Senhor Comandante da Guarda Real[11] e afirma que ele foi o melhor espadachim dos Sete Reinos em sua juventude.[22] Quando perguntaram para George R. R. Martin quem venceria uma luta entre Sor Arthur Dayne e Sor Barristan Selmy, ele responde que Sor Arthur venceria apenas se tivesse equipado com a Alvorada, mas se ambos os cavaleiros estivessem igualmente equipados, seria uma luta imprevisível, sugerindo que ambos estavam no mesmo nível de habilidade.[27][28] Ele se destacou em vários torneios: vencendo o Torneio da Ponte de Prata; vencendo o corpo a corpo em Lagoa da Donzela; no Torneio de Vilavelha ao derrotando e desmascarando o cavaleiro misterioso Escudo-Negro, revelando-o como o Bastardo de Terraltas.[29] Ele também derrotou Lormelle Lança Longa e Cedrik Storm, o Bastardo de Portabrônzea.[29]

Durante seu tempo na Guarda Real do Rei Robert Baratheon, como todos os seus membros, ele usava um manto e uma armadura branca com um intricado conjunto de escamas brancas esmaltadas, brilhante como um campo de neve recém-caída, com relevos e fivelas de prata que brilhavam ao sol.[10] Após ser descartado pelo Rei Joffrey Baratheon, ele usava um manto de viajante feito de lã crua, com o capuz atirado para trás e um bastão de madeira dura de sua altura.[8] Em Meereen, a Rainha Daenerys Targaryen o presenteou, como um símbolo de sua estima, com uma linda armadura cuja cota de malha era dourada, finamente trabalhada, com os elos tão flexíveis quanto couro bom, as placas esmaltadas, duras como gelo e brilhante como neve recém-caída e usava uma adaga em um lado do quadril, sua espada longa do outro, pendurada em um cinto de couro branco com fivelas douradas, além de um longo manto branco sobre os ombros e um elmo que possuía uma fenda estreita nos olhos e asas de dragão ornamentadas, esplêndidas de se ver.[23]

Sor Barristan sempre foi apaixonado pela irmã de Sor Arthur Dayne, a Senhora Ashara Dayne, no entanto ele manteve isso em segredo por toda sua vida. Mesmo assim ele pretendia nomeá-la como Rainha do amor e da beleza se ganhasse o Torneio de Harrenhal.[23] Sor Barristan se pergunta até os dias atuais se ele teria evitado a queda da Casa Targaryen se tivesse derrotado Príncipe Rhaegar Targaryen na justa final do toneio, sentindo-se culpado.[23]

Sor Barristan parece gostar de Lorde Eddard Stark[16] e apesar de ver todos os defeitos do Rei desleixado fraco que era Robert Baratheon, ele reconhece suas qualidades como homem,[30] mas enxerga em Daenerys Targaryen uma grande Rainha.[30]

História

Início de vida

Barristan foi o primogênito de Sor Lyonel Selmy, o Cavaleiro de Solar de Colheitas. Ele foi escudeiro de Lorde Manfred Swann em sua juventude. [15][29] Com dez anos, Barristan vestiu a armadura de um Cavaleiro Misterioso e participou do torneio de Portonegro. Príncipe Duncan teve pena do pequeno cavaleiro misterioso, enquanto outros riram. Duncan justou contra Selmy quando ninguém mais o faria. Príncipe Duncan o derrubou na primeira corrida e lhe deu o apelido de Ousado quando gentilmente o ajudou a levantar.[29][17]

O Rei Aegon V o tornou cavaleiro, com dezesseis anos, após derrubar da sela Príncipe Duncan e o Senhor Comandante da Guarda Real, Sor Duncan, o Alto, em um torneio em Porto Real, enquanto estava disfarçado novamente como Cavaleiro Misterioso.[29]

Guerra dos Reis de Nove Moedas

Sendo um eminentemente e bem sucedido cavaleiro de torneio ao longo de sua carreira, Sor Barristan também provou seu valor no campo de batalha em 260 d.C. ao participar de forma brilhante na Guerra dos Reis de Nove Moedas durante o reinado de Jaehaerys II Targaryen.[29][21][3][31] Após a morte de Lorde Ormund Baratheon, o Mão do Rei Jaehaerys II Targaryen e líder do exército Targaryen, o comando do exército passou para o novo Senhor Comandante da Guarda Real, o jovem Sor Gerold Hightower, o Touro Branco, mas seus homens foram duramente pressionados por um bom tempo até Sor Barristan cortar seu caminho através da Companhia Dourada para alcançar e matar Maelys, o Monstruoso[21][3] em combate singular,[29][31] terminando a linhagem dos pretendentes Blackfyre. Depois disso, a guerra se estendeu por mais meio ano de duras batalhas, mas sem Maelys, o Monstruoso, o restante dos Reis das Nove Moedas tinha pouco ou nenhum interesse em Westeros, e logo todos voltaram para seus próprios domínios.[31]

Nomeação para a Guarda Real

Barristan Selmy, por Тхе Мичо ©

Logo após o fim da Guerra dos Reis de Nove Moedas, Sor Barristan foi nomeado para a Guarda Real com vinte e três anos e jurou seus votos perante Sor Gerold Hightower,[7] enquanto o Rei Jaehaerys II Targaryen outorgava o manto branco sobre ele.[3] Ao se juntar à Guarda Real, ele abandonou a herança de sua família, e a donzela com quem deveria se casar casou-se com seu primo.[7][29]

Rei Aerys II Targaryen

Após a morte do Rei Jaehaerys II Targaryen, seu filho Aerys II Targaryen o sucedeu. Seu reinado começou promissor com a ajuda de sua Mão, Lorde Tywin Lannister, mas foi definhando aos poucos devido a muitos fatores, inclusive os constantes atritos com Lorde Tywin, por sentimentos loucos e ciumentos de sua Mão. Após o nascimento de Viserys Targaryen, Lorde Tywin Lannister tentou amenizar os atritos com o rei e organizou o Torneio em Honra do Nascimento de Viserys, onde Sor Barristan, Sor Gerion Lannister, Sor Tygett Lannister e vários outros cavaleiros foram derrotados pelo recém nomeado cavaleiro, o Príncipe Rhaegar Targaryen, mas este foi derrotado por Sor Arthur Dayne na justa final.[32][20]

Desafio de Valdocaso

Muitos diziam que o Rei Aerys II Targaryen estava marchando para a loucura, mas ele somente abraçou a loucura de verdade após o Desafio de Valdocaso em 277 d.C..[20]

O Lorde Denys Darklyn queria retomar a glória antiga de Valdocaso e percebeu que o atrito entre o Rei Aerys II Targaryen e a Mão Tywin Lannister era crescente e visível. Então armou uma armadilha para que o Rei Aerys II Targaryen viesse até Valdocaso onde ele foi capturado e Sor Gwayne Gaunt da Guarda Real foi morto. Depois disso a Mão Tywin Lannister organizou um cerco em Valdocaso que durou meio ano até que Tywin perdeu a paciência e mandou um ultimato final dizendo que invadiria Valdocaso a força, mas isso significaria a morte do Rei Aerys II Targaryen. Então Sor Barristan Selmy implora para que o deixe tentar resgatar o Rei ao entrar na cidade secretamente e a Mão Tywin lhe deu um dia como prazo. Então Sor Barristan escalou as muralhas de Valdocaso com as mãos nuas sem ser visto e, quando entrou, disfarçou-se de mendigo e seguiu até o Forte Pardo, onde escalou novamente as muralhas para entrar castelo e chagar até os calabouços onde Aerys estava aprisionado. Quando o descobriram as intenções de Sor Barristan, ele não se intimidou e acabou ficando e lutando em vez de se render e entregar o rei. Ele matou vários inimigos no processo, entre eles Sor Symon Hollard, o assassino de Sor Gwayne Gaunt, vingando assim seu irmão juramento.[29][20] Depois disso, ele correu com o rei até os estábulos e, com um cavalo, conseguiu fugir pelos portões Forte Pardo antes que ele fossem fechados e escapando de uma perseguição louca com cavalos pelas ruas de Valdocaso até as muralhas da cidade, onde ele escapa com o Rei.[20] durante todo o processo, ele estava ferido por uma em seu peito.[29] Após a fuga do Rei, Lorde Denys Darklyn abriu os portões e a ira de Aerys e toda sua família, incluindo tios, tias, parentes distantes e por casamento, mas Sor Barristan ainda conseguiu salvar uma criança inocente chamada Dontos Hollard da fúria de Aerys, ao implorar que o poupasse, pois o Rei devia sua vida a Sor Barristan.[24][20]

Em algum momento após o Desafio de Valdocaso, Sor Barristan venceu o Torneio em Ponta Tempestade, após derrotar Príncipe Rhaegar Targaryen na última justa da competição. Nesse mesmo Torneio, Sor Simon Toyne participou com um Cavaleiro Misterioso, mas foi derrotado e desmascarado pelo Príncipe Rhaegar Targaryen e fugiu.

Irmandade da Mata de Rei

Em 281 d.C., ainda no reinado de Rei Aerys II Targaryen, um grupo fora-da-lei denominado a Irmandade da Mata do Rei, liderados por Sor Simon Toyne, começou a ser um grande problema nas redondezas de Porto Real. Então o Rei mandou um exército leal para lidar com os bandidos. Inicialmente ele seria liderado pelo Senhor Comandante Touro Branco, mas devido a um ferimento de flecha causado por Ulmer da Mata de Rei, a liderança foi dada a Sor Arthur Dayne, que virou o povo contra a Irmandade da Mata do Rei. Nesse evento, três pessoas se destacaram: Sor Barristan, Sor Arthur Dayne e o jovem escudeiro Jaime Lannister. Sor Barristan salvou a Senhora Jeyne Swann e a sua septã dos fora-da-lei e derrotou o Cavaleiro Sorridente[29] em um combate (que conseguiu escapar por razões desconhecidas). Posteriormente, Jaime Lannister cruza espadas com o Cavaleiro Sorridente e sobrevive até que Sor Arthur Dayne o mate.[29] Sor Barristan, por outro lado, matou Sor Simon Toyne, o líder da Irmandade da Mata do Rei, em um Combate Singular. Após o fim da batalha, Jaime Lannister então é nomeado cavaleiro.[33][29] Pouco tempo depois, o Rei Aerys II Targaryen pretendia nomear Sor Jaime Lannister como membro da Guarda Real, mas Sor Barristan é contra sua nomeação, pois o julgava muito jovem e inexperiente.[34]

Torneio de Harrenhal

Sor Barristan estava presente no Torneio de Harrenhal em 281 d.C., onde Sor Jaime Lannister foi nomeado como membro da Guarda Real. Durante o torneio em si, ele foi magnífico ao chegar na final, mas não conseguiu derrubar o Príncipe Rhaegar Targaryen do cavalo,[23] que se sagrou campeão e chocou a todos quando não nomeou sua esposa, a Princesa Elia Martell, como Rainha do amor e da beleza, mas sim a jovem Lyanna Stark.[35][23][20]

Após o torneio, Sor Barristan retorna para Porto Real com o Rei Aerys II Targaryen e sua corte, mas o Príncipe Rhaegar Targaryen sequestra a jovem Lyanna Stark e assim começa a Rebelião de Robert.[20]

Rebelião de Robert

Sor Barristan permaneceu com o Rei Aerys II Targaryen em Porto Real até a derrota de Lorde Jon Connington na Batalha dos Sinos.[36][20] Sor Barristan, com Sor Jon Darry, foi enviado para reunir os restos do exército de Jon Connington no Septo de Pedra.[36] Na Batalha do Tridente, ele lutou bravamente, mas foi gravemente ferido por flechas, lanças e espadas.[29] Lorde Roose Bolton aconselhou que sua garganta fosse cortada, mas Robert, ao invés disso, chamou por seu Meistre para atendê-lo, dizendo que não mataria um homem por ele ser leal.[4] Selmy não estava presente em Porto Real quando os corpos de Rhaenys e Aegon Targaryen foram apresentados à Robert Baratheon.[23]

Rei Robert I Baratheon

Barristan Selmy, por Romain Leguay

Embora tenha lutado bravamente pelos Targaryen durante a rebelião que os derrubou, Sor Barristan, mais tarde, obteve o perdão do novo rei e virou Senhor Comandante da Guarda Real do Rei Robert Baratheon.[4][29]Selmy também tinha dúvidas sobre servir Rei Robert Baratheon, no entanto serviu-o lealmente.[23] Sor Barristan não aprovou o perdão de Sor Jaime Lannister por ter matado Aerys e muito menos a manutenção dele como membro da Guarda Real, visto que ele concordava com Lorde Eddard Stark em mandá-lo para a Muralha e vestir o Negro da Patrulha da Noite.[34]

Em sua juventude, o Senhor Comandante da Patrulha da Noite, Jeor Mormont, conheceu o Senhor Comandante da Guarda Real de Robert Baratheon, Sor Barristan Selmy.[37]

Rebelião Greyjoy

Em 289 d.C., Balon Greyjoy se proclamou Rei das Ilhas de Ferro e se ergueu em uma rebelião conhecida como a Rebelião Greyjoy, sob o pretexto de que nenhum Casa Greyjoy jurou fidelidade a Baratheon algum. Após a queda da Frota de Ferro no mar, que foi liderada por Stannis Baratheon, o Rei Robert Baratheon organizou um ataque as Ilhas de Ferro, onde: Sor Barristan liderou o ataque a Velha Wyk,[29] enquanto Lorde Stannis Baratheon liderou o ataque a Grande Wyk,[38] enquanto o Rei Robert, recebendo suporte de Lorde Eddard Stark e Lorde Tywin Lannister lideraram e subjugaram Pyke no Cerco de Pyke.[39][40]

Sor Barristan participou ou assistiu o Torneio de Lannisporto em comemoração ao fim da Rebelião Greyjoy e presenciou a vitória de Sor Jorah Mormont sobre Sor Jaime Lannister na justa final.[8][5] Bem depois disso, com cinquenta e sete anos de idade, Sor Barristan venceu um Torneio em Porto Real.[11][29] Já com sessenta anos, ele participou de um torneio em 297 d.C., onde derrubou Sandor Clegane.[11]

Eventos recentes

Info Aviso: Esta seção contém revelações sobre o enredo (spoilers).

A Guerra dos Tronos

Sor Barristan empunhando sua espada, ao ser despojado de seu cargo pelo Rei Joffrey I (Série de TV)

Como Senhor Comandante da Guarda Real de Robert viajou junto de Lorde Renly Baratheon e Sor Ilyn Payne até a Estalagem do Entroncamento para servir como guarda de honra na volta do Rei Robert e sua nova Mão do Rei, Lorde Eddard Stark até Porto Real. No caminho de volta, eles passam por Darry onde Sor Barristan presencia a Rainha exigindo a morte de Lady por causa do ataque que Nymeria ao Príncipe Joffrey Baratheon.[41] Durante o Torneio da Mão, ele só foi derrotado por Sor Jaime Lannister após três justas, tendo derrotado homens dez e vinte anos mais novos que ele nas primeiras justas.[42] Quando Sor Hugh do Vale foi morto no torneio por Sor Gregor Clegane, Selmy ficou de vigília sobre o corpo do jovem cavaleiro, já que o jovem não tinha ninguém.[22] Sor Barristan e Lorde Eddard Stark conseguem convencer o Rei Robert Baratheon de não participar do corpo a corpo no Torneio da Mão.[22]

Ele esteve presente no Pequeno Conselho quando Robert Baratheon ordenou a morte da grávida Daenerys Targaryen. Ele e Eddard Stark foram os únicos membros do conselho que protestaram contra a decisão.[4] Ele acompanhou o Rei Robert à sua infeliz caça de javali, que levou à morte do rei, pois Robert dispensou a proteção de Sor Barristan.[43] Sor Barristan fica chocado quando a Rainha Cersei Lannister rasga a carta com as últimas palavras do Rei Robert e presencia a prisão de Lorde Eddard Stark, após ser traído por Petyr Baelish.[44]

Sor Barristan Selmy, por Alexandre Dainche

Em um ato sem precedentes, ele foi demitido da Guarda Real e do Pequeno Conselho pelo novo Rei Joffrey Baratheon sob o pretexto de sua idade avançada e por permitir a morte do antigo Rei Robert. Mas os verdadeiros motivos, no entanto, eram para permitir a Joffrey dar um manto branco para seu "cão", Sandor Clegane, e para que Cersei Lannister pudesse colocar Sor Jaime Lannister como o novo Senhor Comandante da Guarda Real. Sor Barristan então tira seu manto e sua armadura e saca sua espada, o que gera um momento tenso na corte, mas imediatamente joga sua espada aos pés do Rei Joffrey Baratheon e vai embora enquanto fala que Stannis Baratheon vai tomar o Trono de Ferro.[7] Furioso, Rei Joffrey Baratheon ordena que Sor Barristan fosse preso e questionado pela ameaça proferida no calor de sua demissão.[7] Sor Barristan vai direto para Torre da Mão e escreve no Livro Branco seus últimos momentos como membro da Guarda Real.[29] Depois disso Selmy não sabe o que fazer. Ele poderia ter retornado a Solar de Colheitas, onde seus parentes o receberiam, mas Selmy não queria que a ira do Rei Joffrey Baratheon caísse sobre eles. Sor Barristan decide servir ao verdadeiro herdeiro vivo do Rei Aerys II Targaryen, Rainha Daenerys Targaryen e resolve sair de Porto Real. Quando Selmy estava saindo da Fortaleza Vermelha, o Comandante Janos Slynt e três Mantos Dourados interceptaram-no. Sor Barristan não tinha espada, mas tinha um punhal e atacou um deles no rosto e cavalgou entre os outros em direção a saída da Fortaleza Vermelha onde foi abordado por outros Mantos Dourados, mas Barristan saltou para cima de um deles arrancando sua lança e matando o outro e escapa de Porto Real pelo Portão da Lama, matando dois homens da Mantos Dourados na fuga.[16][7][26] Selmy vendeu seu cavalo e se disfarçou como um cidadão normal. Ele retornou à cidade junto do fluxo de camponeses que estavam fugindo da guerra e indo a Porto Real. Entrou pelo Portão dos Deuses com sujeira na cara, barba por fazer, com roupas rústicas e nenhuma arma além de um bastão de madeira.[16] Ele perdeu-se entre os refugiados, e para economizar dinheiro, dormiu em septos e becos, e comeu em casas de pasto. Deixou sua barba crescer e se camuflou na idade.[16] Ele esteve presente entre a multidão quando Lorde Eddard Stark foi executado.[45] Depois disso, foi ao Grande Septo de Baelor, para agradecer aos deuses por Joffrey ter tirado seu manto.[16] Esses eventos fizeram com que Barristan reavaliasse seus anos em serviço na Guarda Real de Robert, junto com homens como o Regicida, e outros que considerara tão ruins quanto. Ele chegou a conclusão de que seu serviço com Robert era imperdoável. Ele pensa que Robert fora um bom cavaleiro, mas um pobre rei, e que deveria achar um verdadeiro rei, e morrer à seu serviço. Tudo isto levou Selmy a atravessar o Mar Estreito até Pentos.[16]

A Fúria dos Reis

Barristan (Ian McElhinney) conversando com Eddard Stark (Sean Bean)

Barristan é mencionado na conversa entre Rei Renly Baratheon e a Senhora Catelyn Stark, mas como nenhum dos dois estavam com Selmy, Renly conclui que ele só pode estar com o Rei Stannis Baratheon.[46]

Enquanto Daenerys Targaryen estava andando pelas docas de Qarth visitando navios para poder viajar, Sor Jorah Mormont percebeu que estavam sendo seguidos por dois homens, um homem gordo e moreno (pesado e coberto de cicatrizes) e um velho homem (aparentemente, de Westeros) com um bastão. Ele parou Dany, e, usando um prato de bronze em um navio, fez com que ela visse os homens, sem que soubessem que foram descobertos. Jorah e Dany, então, voltaram para escapar dos homens. O comerciante da loja os perseguiu, tentando fazer com que Dany comprasse o prato; e finalmente, com o preço baixo, Dany instruiu Jorah a comprá-lo, só para se livrar do homem. Logo então, como Dany estava distraída, um qarteno empurrou uma caixa de madeira esculpida com um belo rosto, indicando que é um presente para a mãe de dragões. Ela abriu a caixa, e viu um bonito e valioso escaravelho; ao tentar tocar nele, o escaravelho desenrolou-se em um silvo. Antes que a manticora pudesse picar seu braço, Barba-Branca usou seu bastão para jogar a caixa para longe, e então esmagou a criatura com o cabo de seu bastão.[8]

Antes que os protetores de Daenerys pudessem matar os dois, ela se colocou entre seus Companheiro de Sangue e os dois homens, dizendo-lhes que o velho tinha tirado uma manticora de suas mãos. Antes que Dany pudesse mostrar a seus companheiros de sangue seu agressor, um dos Homens Pesarosos, ele desaparecera.[8]

Dany questionou o velho, que falou que seu nome era Arstan Barba-Branca, mas na verdade ele era Sor Barristan Selmy disfarçado. Ele afirma ser o escudeiro de Belwas, o Forte, o eunuco largo com cicatrizes que nunca perdera nas arenas de luta. Ele continuou, dizendo que o Magíster Illyrio Mopatis os enviara através do mar para servi-la, já que ele não podia viajar. Arstan Barba-Branca afirma já ter visto Sor Jorah Mormont lutando em um torneio em Lannisporto. Belwas diz que Illyrio Mopatis quer a volta Dany até Pentos e eles estavam ali para levá-la de volta.[8]

A Tormenta de Espadas

Arstan Barba-Branca, por Тхе Мичо ©

Em vez de navegar até Pentos, Daenerys decide navegar até Astapor para comprar escravos guerreiros chamados Imaculados. Escondendo sua verdadeira identidade sob o nome de “Arstan Barba-Branca”, para avaliar se Daenerys possuía uma mente sã, Barristan a educou sobre cultura Westerosi e a história de sua família.[5] Sor Jorah Mormont desconfia de Barristan e Belwas, apontando que Barristan fala muito descaradamente por um mero escudeiro.[5]

“Arstan Barba-Branca” está com Dany na Praça do Orgulho quando eles se encontram com Kraznys mo Nakloz, um comerciante de escravo. “Arstan Barba-Branca” desaprova o comércio de escravos e que o escravagismo é terminantemente proibido nos Sete Reinos, e quando Daenerys pergunta como ela devia tomar Westeros sem um exército, ele responde que metade dos Sete Reinos irão apoiá-la por causa de seu irmão Rhaegar. Quando ela pergunta se Westeros se levantaria por seu pai Aerys, no entanto, “Arstan” tem pouco a dizer. Ele aconselha Daenerys que ela deveria enviar pessoas para sondar os lorde de Westeros, e que mesmo aqueles que se opunham a seu pai poderiam apoiá-la.[14] “Barba-Branca” ficou enojado quando soube como os Imaculados eram treinados.[14] Ele também se opõe ao plano de Daenerys de pagar pelos Imaculados com um de seus dragões, mas mesmo assim ela conquista Astapor, ordenando seus novos Imaculados que tomem a cidade,[47] depois de libertá-los da escravidão. Ela então recupera Drogon.

Quando Daenerys anuncia seu plano de tomar Yunkai, Barristan concorda com Sor Jorah Mormont que ela realmente é irmã de Rhaegar Targaryen e uma verdadeira rainha. Enquanto aguardam os resultados da batalha contra Yunkai, “Arstan Barba-Branca” e Rainha Daenerys Targaryen conversam sobre Rhaegar, sobre Torneio de Harrenhal e Solarestival.[48]

Quando Daenerys sitia Meereen, Oznak zo Pahl sai da Muralha em um cavalo branco com uma lança de quatorze metros, desafiando-os a enviar um campeão. Sor Jorah Mormont aconselha-a a ignorá-lo, mas “Arstan Barba-Branca” diz a Dany que este desafio não deve ser ignorado e Daenerys decide que Belwas é a melhor escolha para derrotar Oznak zo Pahl.[48]

Rainha Daenerys então decide montar entre o povo com poucos guardas, então ela é atacada pelo ex-comandante dos Segundos Filhos, Mero, o Bastardo do Titã, que estava disfarçado entre o povo. Mas “Arstan Barba-Branca” salvou sua vida de Daenerys e derrotou Mero facilmente apenas com um bastão movendo-se tão rápido que a própria Daenerys não acha não ser possível, quebrando a perna do ex-mercenário e o deixando caído coberto em sangue, daí o povo cai em cima dele para terminar o que “Barba-Branca” começou.[15] Daenerys, em gratidão, desejou que “Arstan Barba-Branca” fosse nomeado cavaleiro por Sor Jorah Mormont, mas ambos recusaram ao mesmo tempo. Quando Sor Barristan admite ser um cavaleiro e que seu verdadeiro nome não era “Arstan Barba-Branca” e que estava ali por um motivo, finalmente Sor Jorah Mormont identificou a sua verdadeira identidade e revelou a Daenerys que seu verdadeiro nome é Barristan Selmy, que traiu a Casa Targaryen para servir Robert Baratheon.[15] Em contra partida, Selmy diz que Sor Jorah Mormont é um espião a serviço de Varys e está traindo Daenerys em troca de perdão real, mas que Selmy estava disfarçado apenas para não atrair a atenção dos Lannister e que está ali para servi-la. Sor Jorah Mormont confirma a acusação de Selmy, mas diz que já não faz mais parte dos homens de Varys.[15]

Sentindo desolada por ser enganada por duas pessoas que confiava sua vida,[15] Rainha Daenerys os manda tomar Meereen pelos esgotos, para assim libertar os escravos. Depois, Barristan raspa a barba e parece dez anos mais novo. Daenerys revela que esperava a morte deles nos esgotos. Sor Barristan é completamente sincero, dizendo-lhe que seu irmão Viserys tinha a mácula dos Targaryens que seu pai, o Rei Louco, tinha. Porém, Rhaegar Targaryen não tinha a mácula, e aparentemente Daenerys também não. Selmy diz que ele fará o que ela pedir e Daenerys o aceita em seu serviço. Sor Barristan recebe uma espada dela, recusando-se a tocar em qualquer espada oferecida por outra pessoa. Em contrapartida, Sor Jorah Mormont é exilado de Meereen.[30]

Rainha Daenerys percebe que Sor Barristan conhecia pessoalmente seu avô, Jaehaerys II, e poderia contar a ela mais sobre de onde ela veio. Depois que ele foi perdoado, Barristan vai até ela no terraço e diz a ela que os segredos reais de seu pai Aerys agora pertencem a Rainha Daenerys. Ele informa a Daenerys que seu pai não era louco inicialmente, mas que seus lapsos pioraram com o tempo, enquanto sua mãe Rhaella fez o possível para proteger Viserys Targaryen da insanidade de seu pai. Daenerys decide que ela não quer ouvir sobre isso naquele momento. Barristan está entre seus conselheiros quando ela declara que não irá embora, mas que permanecerá e governará Meereen como Rainha.[30]

A Dança dos Dragões

Sor Barristan, vestido em armadura, por Mike Capprotti ©.

Sor Barristan continuou em serviço da Rainha Daenerys Targaryen como Senhor Comandante da Guarda da Rainha.[2] Barristan foi presenteado com uma nova armadura por Daenerys.[49]Sor Barristan tenta levá-la por um caminho honroso em direção à segurança de Meereen. Barristan se opôs à relação de Daenerys com seu amante Daario Naharis e sugere, sem sucesso, fazer um Torneio no lugar de abrir as Arenas de Luta.[16] Sor Barristan e Groleo inspecionam o navio que Xaro Xhoan Daxos trouxe a Meereen como presente. Sor Barristan sugere que Daenerys deixe Meereen e volte para Westeros usando o presente, mas Daenerys recusa.[50]

Grazdar zo Galare e outros garotos nobres são instruídos no cavalheirismo ocidental por Sor Barristan.[19] Selmy também começou a treinar mais de sessenta escravos libertos e trinta deles ainda perseverantes.[3] Os mais promissores deles se tornaram os escudeiros de Barristan, incluindo Tumco Lho, Larraq, o Chicote, Ovelha Vermelha, e três irmãos Ghiscari.[23][51]

Quando Yunkai marcha até Meereen, Skahaz mo Kandaq aconselha Daenerys a permanecer dentro das muralhas fortes da cidade, enquanto Sor Barristan sugere derrotar os Yunkai no campo de batalha. Selmy se opõe a permitir que os refugiados de Astapor entrem em Meereen, por causa do perigo do fluxo sangrento,[6] e o cavaleiro também se oponha quando Daenerys encontra os refugiados fora das muralhas.[52] O Senhor Comandante não aprova o casamento da Rainha Daenerys Targaryen com Hizdahr zo Loraq, uma vez que os homens não o aceitariam nos Sete Reinos.[19] Príncipe Quentyn Martell informa a Rainha Daenerys sobre o pacto secreto de casamento entre Viserys Targaryen e Arianne Martell como forma de apoio de Dorne a causa da Casa Targaryen e, então, Príncipe Quentyn propõe casamento a ela e Sor Barristan apoia o casamento, mas a Rainha Daenerys permanece com a ideia de se casar com Hizdahr em vez de Quentyn para assegurar paz temporária dentro de Meereen,[12] frustrando Sor Barristan.[17]

Como celebração do casamento, Hizdahr zo Loraq ordena abrir as Arenas de Luta com o consentimento relutante da Rainha. A Rainha Daenerys manda Sor Barristan Selmy libertar Bela Meris e mandá-la de volta ao Soprados pelo Vento, na esperança de convencê-los a abandonar a causa de Yunkai.[13] Quando começam as celebrações nas arenas, Sor Barristan permanece ao lado de sua Rainha. Quando Drogon começa a atacar pessoas em Arena de Daznak,[9] Sor Barristan fica chocado e não consegue evitar que Daenerys vá em direção à Drogon e se culpa por estar velho e lento.[3] No entanto, Sor Barristan tenta proteger Rainha Daenerys chamando a atenção de Drogon para si mesmo. A rainha acaba fugindo de Meereen em cima de Drogon[9] e Sor Barristan observou impotente o dragão voando e, mais tarde, os Bestas de Bronze reportaram para Sor Barristan a quantidade de mortos e feridos.[3]

Depois da partida da Rainha Daenerys, o Hizdahr zo Loraq substitui os conselheiros reais, mas Sor Barristan se encontra com Skahaz mo Kandaq e Verme Cinzento.[3] Ele esteve presente quando Barbassangrenta apresentou à corte a cabeça de Groleo, que foi morto em resposta à morte de Yurkhaz zo Yunzak. Barristan estava enfurecido, e queria matar Barbassangrenta, mas para, pois tal ato quebraria a paz da rainha. [17] Sor Barristan aconselha Príncipe Quentyn e seus companheiros a deixar Meereen para sua própria segurança,[17] mas os Dorneses permanecem na cidade.[53]

Sor Barristan Selmy e Skahaz mo Kandaq, por Alexandre Dainche

Convencido de que Hizdahr zo Loraq tentou assassinar a Rainha Daenerys com gafanhotos envenenados, Sor Barristan decide trabalhar com Verme Cinzento e Skahaz mo Kandaq, apesar de odiar o último e sua inibição sobre tomar decisões de estado na ausência de sua rainha.[3] Selmy lidera com honra e recusa o conselho de Skahaz mo Kandaq em matar as crianças Ghiscari que serviram como copeiros, pagens e acompanhantes da Rainha Daenerys e eram filhos e filhas de poderosos nobres de Meereen. Sor Barristan e as Bestas de Bronze planejam levar o Rei Consorte Hizdahr zo Loraq como refém, mas Selmy teme que, se ele prejudicar Hizdahr, os Yunkaitas matem seus reféns (Daario Naharis, Jhogo e Herói) da mesma forma que eles mataram Groleo. Quando Barristan vai capturar Hizdahr, ele mata Khrazz, o protetor do rei consorte.[23] Enquanto isso, Quentyn tenta domar um dos dragões, mas Rhaegal e Viserion se libertam e ferem mortalmente Príncipe Quentyn.[54][55]

Barristan assume o título de Mão, enviando Galazza Galare aos Yunkaitas e impedindo Skahaz mo Kandaq de executar reféns. Sor Barristan se recusa a manter a corte, em vez disso, realiza uma reunião do conselho para planejar a batalha contra Yunkai.[55] Sor Barristan discretamente se encontra com Sor Gerris Drinkwater e Sor Archibald Yronwood, os companheiros de Príncipe Quentyn, mandando-os falar pessoalmente com o Príncipe Esfarrapado e oferecendo Pentos ao capitão mercenário se ele proteger os reféns restantes no acampamento Yunkaita.[55] Durante uma reunião entre Sor Barristan e Galazza Galare depois que ela retorna, Skahaz mo Kandaq notifica Sor Barristan que as catapultas de Yunkai estão atirando cadáveres infectados com a égua descorada na cidade.[55]

Os Ventos do Inverno

A ameaça de Yunkai no Segundo Cerco de Meereen foi aumentada pela presença do Fluxo Sangrento. Sor Barristan observa que, em circunstâncias normais, ele defenderia Meereen de trás de suas muralhas fortes. No entanto, como os Yunkaitas levaram a Égua descorada até Meereen ao catapultar os cadáveres infectados sobre as paredes da cidade, ele resolve sair e encontrar seu inimigo no campo de batalha, em vez de assistir o surto iminente aniquilar Meereen. Na véspera da ofensiva, ele dá um discurso para seus cavaleiros e soldados recém-ungidos. Quando sua fala é interrompida pela chegada do amanhecer, Sor Barristan ordena que Ovelha Vermelha para soar o ataque.

Info Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo (spoilers).

Citações

Citações de Barristan

Vossa Graça, existe honra em enfrentar um inimigo no campo de batalha, mas não há nenhuma em matá-lo no ventre da mãe. Perdoe-me, mas devo colocar-me ao lado de Lorde Eddard.[4]
— Sor Barristan Selmy apoiando Eddard Stark em não assassinar Daenerys Targaryen e seu filho
Nada temam, senhores, vosso rei está a salvo... mas não graças a vocês. Mesmo agora, poderia abrir caminho através dos cinco tão facilmente como um punhal corta o queijo. Se aceitam servir às ordens do Regicida, então nem um é digno de usar o branco. Tome, rapaz. Funda-a e junte-a às outras, se quiser. Fará melhor serviço que as espadas nas mãos destes cinco. Talvez calhe que Lorde Stannis se sente em cima dela quando lhe tomar o trono.[7]
— Sor Barristan Selmy ao ser dispensado da Guarda Real
Para que pedir a verdade se fecha os ouvidos a ela? [30]
— Sor Barristan para Daenerys Targaryen
Sor Barristan sentia-se muito cansado, muito velho. Para onde foram todos os anos? Ultimamente, sempre que se ajoelhava para beber de um espelho d’água, via um rosto estranho encarando-o das profundezas da água. Quando esses pés de galinha apareceram ao redor de seus claros olhos azuis? Havia quanto tempo seu cabelo deixara a luz do sol para tornar-se neve? Anos atrás, velho. Décadas.[3]
— Sor Barristan
Eu me tornei velho e lento.[3]
— sor Barristan lamentando a fuga de Daenerys Targaryen com Drogon em Meereen
Não gostava daquilo. Cheirava a engano, sussurros e mentiras, e tramas eclodidas na escuridão, todas as coisas que esperava ter deixado para trás com o Aranha, Lorde Mindinho e sua laia. Barristan Selmy não era um homem dado à leitura, mas várias vezes folheara as páginas do Livro Branco, onde os feitos de seus predecessores haviam sido gravados.[3]
— Sor Barristan
Fiquei lá, vi e escutei, e mesmo assim não fiz nada. Mas, não. Aquilo não era justo. Cumprira seu dever. Algumas noites, Sor Barristan se perguntava se não tinha cumprido aquele dever bem demais. Jurara seus votos diante dos olhos dos deuses e dos homens e não podia ir contra eles com honra... mas manter esses votos ficara mais difícil nos últimos anos do reinado do Rei Aerys. Vira coisas que eram doloridas de lembrar, e mais de uma vez se perguntou quanto do sangue estava em suas próprias mãos. Se não tivesse ido para Valdocaso resgatar Aerys do calabouço de Lorde Darklyn, o rei bem que poderia ter morrido quando Tywin Lannister saqueou a cidade. Então, o Príncipe Rhaegar teria assumido o Trono de Ferro, talvez para curar o reino. Valdocaso havia sido o melhor momento de Barristan Selmy e, mesmo assim, a memória deixava um gosto amargo em sua língua.[3]
— Sor Barristan questionando sobre si mesmo
Quando era escudeiro, podia dormir dez horas por noite e ainda estar bocejando quando tropeçava para dentro do pátio de treinamento. Com sessenta e três, achava que cinco horas por noite eram mais do que suficientes.[17]
— Sor Barristan
Não sou feito para isso. Conluios, estratagemas, sussurros, mentiras, segredos dentro de segredos, e de alguma maneira me tornei parte disso.[23]
— Sor Barristan
Nada de bom veio do silêncio tampouco. Se eu tivesse derrubado Rhaegar do cavalo e coroado Ashara rainha do amor e da beleza, ela teria olhado para mim em vez de Stark?[23]
— Sor Barristan se questionando sobre o passado

Citações sobre Barristan

Talvez tenha sido um erro contratar esse bravosi. Se quiser, pedirei a Jory para substituí-lo nas suas aulas. Ou posso ter uma discreta conversa com Sor Barristan Selmy. Quando jovem, foi o melhor espadachim dos Sete Reinos.[22]
Eddard Stark para Arya Stark
Petyr: Se ao menos a mente do velho Selmy fosse tão ágil como sua arma, as reuniões do nosso conselho seriam bem mais animadas.

Eddard: Sor Barristan é tão valente e respeitável como qualquer homem em Porto Real.[11]

— Lorde Eddard Stark e Petyr Baelish
Ned tinha um profundo respeito pelo idoso e grisalho Senhor Comandante da Guarda Real.[11]
— Lorde Eddard Stark
O maior cavaleiro vivo era Sor Barristan Selmy, Barristan, o Ousado, o Senhor Comandante da Guarda do Rei. O pai prometera que conheceriam Sor Barristan quando chegassem a Porto Real, e Bran marcara a passagem dos dias na parede do quarto, ansioso por partir, por ver um mundo com que só sonhara e começar uma vida que quase nem conseguia imaginar.[25]
Bran Stark
Um dos cavaleiros usava um intricado conjunto de escamas brancas esmaltadas, brilhante como um campo de neve recém-caída, com relevos e fivelas de prata que brilhavam ao sol. Quando tirou o elmo, Sansa viu que era um homem idoso, de cabelos tão alvos como a armadura, mas, apesar disso, parecia forte e gracioso. De seus ombros pendia o manto de um branco puro da Guarda Real.[10]
Sansa Stark
Os dias em que homens como Ryam Redwyne e Príncipe Aemon, o Cavaleiro do Dragão, usavam o manto branco estão perdidos na poeira e nas canções. Daqueles sete, só Sor Barristan Selmy é feito do aço verdadeiro, e Selmy é velho.[22]
Varys
Sor Barristan era Senhor Comandante da Guarda Real de Robert Baratheon. Ele e Jaime são os únicos sobreviventes dos sete de Aerys Targaryen. O povo fala dele da mesma forma que se referem a Serwyn do Escudo de Espelhos ou ao Príncipe Aemon, o Cavaleiro do Dragão.[26]
Tyrion Lannister
O outro homem usava um manto de viajante feito de lã crua, com o capuz atirado para trás. Longos cabelos brancos caíam sobre seus ombros, e uma barba branca e sedosa cobria a metade inferior do seu rosto. Apoiava o peso num bastão de madeira dura tão alto quanto ele.[8]
Daenerys Targaryen
estudou o rosto de Arstan. Possuía uma grande dignidade, uma força calma que lhe agradava.[8]
Daenerys Targaryen
O nome do homem era Arstan, mas Belwas, o Forte, apelidara-o de BarbaBranca devido à cor dos pelos que cresciam em seu rosto, e agora quase todos o chamavam assim. Era mais alto do que Sor Jorah, embora não fosse tão musculoso; seus olhos eram azul-claros, e sua longa barba era branca como neve e fina como seda.[5]
Daenerys Targaryen
Ele tem rosto gentil e uma grande força, pensou Dany. Não conseguia compreender por que Sor Jorah desconfiava tanto do velho.[14]
Daenerys Targaryen
Bran assentiu com a cabeça, com ar sabedor. Cavaleiros misteriosos apareciam frequentemente nos torneios, com elmos que escondiam seus rostos, e escudos ora vazios ora ostentando um símbolo estranho qualquer. Às vezes eram campeões famosos sob disfarce. O Cavaleiro do Dragão certa vez ganhara um torneio como o Cavaleiro das Lágrimas, para poder nomear a irmã rainha do amor e da beleza no lugar da amante do rei. E Barristan, o Ousado, vestiu por duas vezes uma armadura de cavaleiro misterioso, a primeira quando tinha apenas dez anos.[35]
Bran Stark
Sor Barristan Selmy ficou para trás. Seu cabelo era branco e havia pequenas rugas nos cantos de seus olhos azuis. Suas costas, no entanto, ainda eram eretas e os anos não tinham roubado sua habilidade com as armas.[2]
Daenerys Targaryen
Você é um duende esperto, como Varys disse, e Daenerys vai precisar de homens espertos ao seu lado. Sor Barristan é um cavaleiro valente e verdadeiro, mas acredito que ninguém alguma vez o tenha chamado de astuto.[21]
Illyrio Mopatis
Ele se perguntava o que Barristan Selmy pensaria de cavalgar para a batalha com a Companhia Dourada. Durante a Guerra dos Reis de Nove Moedas, Selmy tinha aberto um sangrento caminho entre as fileiras inimigas para matar o último dos Pretendentes Blackfyre.[21]
Tyrion Lannister
O velho cavaleiro era um bom homem, mas algumas vezes muito literal.[16]
Daenerys Targaryen
Sor Barristan, com seu rosto enrugado e tristes olhos azuis[6]
Daenerys Targaryen
Uma sombra de dúvida passou pelo rosto comprido e solene de Barristan Selmy[13]
Daenerys Targaryen
Apesar de sua idade, ele parecia alto e bonito na armadura que ela lhe dera.[9]
Daenerys Targaryen
Ele não imaginava que Barristan, o Ousado, o recebesse com nada além de hostilidade. Selmy nunca aprovara a presença de Jaime em sua preciosa Guarda Real. Antes da rebelião, o velho cavaleiro o julgava muito jovem e inexperiente; depois ficara conhecido por dizer que o Regicida devia trocar o manto branco por um negro. E seus próprios crimes eram piores. Jaime matara um louco. Tyrion enfiara um dardo através da virilha do próprio pai, um homem que Sor Barristan conhecera e servira por anos.[34]
Tyrion Lannister

Livro Branco

Sor Barristan da Casa Selmy. Filho primogênito de Sor Lyonel Selmy de Solar de Colheitas. Serviu como escudeiro de Sor Manfred Swann. Cognominado “o Ousado” no seu 10º ano, quando envergou uma armadura emprestada para surgir como cavaleiro misterioso no torneio em Portonegro, onde foi derrotado e desmascarado por Duncan, o Príncipe das Libélulas. Armado cavaleiro no seu 16º ano pelo Rei Aegon V Targaryen, após realizar grandes feitos de perícia como cavaleiro misterioso no torneio de inverno em Porto Real, derrotando o Príncipe Duncan, o Pequeno, e Sor Duncan, o Alto, Senhor Comandante da Guarda Real. Matou Maelys, o Monstruoso, o último dos Pretendentes Blackfyre, em combate singular durante a Guerra dos Reis de Nove Moedas. Derrotou Lormelle Lança Longa e Cedrik Storm, o Bastardo de Portabrônzea. Nomeado para a Guarda Real no seu 23º ano pelo Senhor Comandante Sor Gerold Hightower. Defendeu a passagem contra todos os desafiantes no torneio da Ponte de Prata. Vencedor do corpo a corpo em Lagoa da Donzela. Levou o Rei Aerys II até lugar seguro durante o Desafio de Valdocaso, apesar de um ferimento de flecha no peito. Vingou o assassinato de seu Irmão Juramentado, Sor Gwayne Gaunt. Salvou a Senhora Jeyne Swann e a sua septã da Irmandade da Mata de Rei, derrotando Simon Toyne e o Cavaleiro Sorridente, e matando o primeiro. No torneio de Vilavelha, derrotou e desmascarou o cavaleiro misterioso Escudo-Negro, revelando-o como o Bastardo de Terraltas. Único campeão no torneio de Lorde Steffon em Ponta Tempestade, onde derrubou Lorde Robert Baratheon, o Príncipe Oberyn Martell, Lorde Leyton Hightower, Lorde Jon Connington, Lorde Jason Mallister e o Príncipe Rhaegar Targaryen. Ferido por flecha, lança e espada na Batalha do Tridente enquanto lutava ao lado de seus Irmãos Juramentados e Rhaegar, Príncipe de Pedra do Dragão. Perdoado e nomeado Senhor Comandante da Guarda Real pelo Rei Robert I Baratheon. Serviu na guarda de honra que trouxe a Senhora Cersei da Casa Lannister para Porto Real, a fim de desposar o Rei Robert. Liderou o ataque contra Velha Wyk durante a Rebelião de Balon Greyjoy. Campeão do torneio em Porto Real, no seu 57º ano. Destituído do serviço pelo Rei Joffrey Baratheon no seu 61º ano, por motivo de idade avançada.[29]
Livro Branco

Na série de televisão

Veja também: Imagens de Barristan Selmy em Game of Thrones

Aparições

Aparições na 1ª Temporada de Game of Thrones
Winter Is Coming The Kingsroad
Baelor Fire and Blood
Aparições na 3ª Temporada de Game of Thrones
Dark Wings, Dark Words
The Climb
Aparições na 4ª Temporada de Game of Thrones
The Lion and the Rose
Mockingbird The Watchers on the Wall
Aparições na 5ª Temporada de Game of Thrones
High Sparrow
Unbowed, Unbent, Unbroken The Gift Hardhome The Dance of Dragons Mother's Mercy

Sobre a página

Esta página utiliza conteúdo baseado em Barristan Selmy, um artigo de A Wiki Of Ice And Fire.

Referências

  1. HBO: Game of Thrones: cast and crew
  2. 2,0 2,1 2,2 2,3 2,4 A Dança dos Dragões, Capítulo 2, Daenerys.
  3. 3,00 3,01 3,02 3,03 3,04 3,05 3,06 3,07 3,08 3,09 3,10 3,11 3,12 3,13 3,14 3,15 3,16 3,17 3,18 A Dança dos Dragões, Capítulo 55, O Guarda da Rainha.
  4. 4,0 4,1 4,2 4,3 4,4 4,5 4,6 A Guerra dos Tronos, Capítulo 33, Eddard.
  5. 5,0 5,1 5,2 5,3 5,4 5,5 5,6 5,7 5,8 A Tormenta de Espadas, Capítulo 8, Daenerys.
  6. 6,0 6,1 6,2 6,3 A Dança dos Dragões, Capítulo 30, Daenerys.
  7. 7,0 7,1 7,2 7,3 7,4 7,5 7,6 7,7 A Guerra dos Tronos, Capítulo 57, Sansa.
  8. 8,00 8,01 8,02 8,03 8,04 8,05 8,06 8,07 8,08 8,09 8,10 8,11 A Fúria dos Reis, Capítulo 63, Daenerys.
  9. 9,0 9,1 9,2 9,3 9,4 A Dança dos Dragões, Capítulo 52, Daenerys.
  10. 10,0 10,1 10,2 10,3 A Guerra dos Tronos, Capítulo 15, Sansa.
  11. 11,0 11,1 11,2 11,3 11,4 11,5 11,6 11,7 A Guerra dos Tronos, Capítulo 25, Eddard.
  12. 12,0 12,1 A Dança dos Dragões, Capítulo 43, Daenerys.
  13. 13,0 13,1 13,2 13,3 A Dança dos Dragões, Capítulo 50, Daenerys.
  14. 14,0 14,1 14,2 14,3 14,4 14,5 A Tormenta de Espadas, Capítulo 23, Daenerys.
  15. 15,0 15,1 15,2 15,3 15,4 15,5 15,6 A Tormenta de Espadas, Capítulo 57, Daenerys.
  16. 16,00 16,01 16,02 16,03 16,04 16,05 16,06 16,07 16,08 16,09 16,10 16,11 A Dança dos Dragões, Capítulo 11, Daenerys.
  17. 17,0 17,1 17,2 17,3 17,4 17,5 17,6 A Dança dos Dragões, Capítulo 59, O Cavaleiro Descartado.
  18. A Guerra dos Tronos, Capítulo 45, Eddard.
  19. 19,0 19,1 19,2 A Dança dos Dragões, Capítulo 23, Daenerys.
  20. 20,0 20,1 20,2 20,3 20,4 20,5 20,6 20,7 20,8 20,9 O Mundo de Gelo e Fogo, Aerys II.
  21. 21,0 21,1 21,2 21,3 21,4 21,5 A Dança dos Dragões, Capítulo 5, Tyrion.
  22. 22,0 22,1 22,2 22,3 22,4 22,5 22,6 A Guerra dos Tronos, Capítulo 30, Eddard.
  23. 23,00 23,01 23,02 23,03 23,04 23,05 23,06 23,07 23,08 23,09 23,10 23,11 23,12 A Dança dos Dragões, Capítulo 67, O Derrubador de Reis.
  24. 24,0 24,1 O Festim dos Corvos, Capítulo 9, Brienne.
  25. 25,0 25,1 25,2 A Guerra dos Tronos, Capítulo 8, Bran.
  26. 26,0 26,1 26,2 A Fúria dos Reis, Capítulo 3, Tyrion.
  27. Gelo e Fogo: Quem são os melhores guerreiros de Westeros?
  28. So Spake Martin: The Sword of the Morning vs. Barristan the Bold, September 02, 2011
  29. 29,00 29,01 29,02 29,03 29,04 29,05 29,06 29,07 29,08 29,09 29,10 29,11 29,12 29,13 29,14 29,15 29,16 29,17 29,18 A Tormenta de Espadas, Capítulo 67, Jaime.
  30. 30,0 30,1 30,2 30,3 30,4 A Tormenta de Espadas, Capítulo 71, Daenerys.
  31. 31,0 31,1 31,2 O Mundo de Gelo e Fogo, Jaehaerys II.
  32. O Festim dos Corvos, Capítulo 24, Cersei.
  33. A Tormenta de Espadas, Capítulo 11, Jaime.
  34. 34,0 34,1 34,2 A Dança dos Dragões, Capítulo 57, Tyrion.
  35. 35,0 35,1 A Tormenta de Espadas, Capítulo 24, Bran.
  36. 36,0 36,1 A Tormenta de Espadas, Capítulo 37, Jaime.
  37. A Guerra dos Tronos, Capítulo 52, Jon.
  38. A Dança dos Dragões, Capítulo 26, A Noiva Rebelde.
  39. A Guerra dos Tronos, Capítulo 27, Eddard.
  40. A Fúria dos Reis, Capítulo 12, Daenerys.
  41. A Guerra dos Tronos, Capítulo 16, Eddard.
  42. A Guerra dos Tronos, Capítulo 29, Sansa.
  43. A Guerra dos Tronos, Capítulo 47, Eddard.
  44. A Guerra dos Tronos, Capítulo 49, Eddard.
  45. A Guerra dos Tronos, Capítulo 65, Arya.
  46. A Fúria dos Reis, Capítulo 33, Catelyn.
  47. A Tormenta de Espadas, Capítulo 27, Daenerys.
  48. 48,0 48,1 A Tormenta de Espadas, Capítulo 42, Daenerys.
  49. A Tormenta de Espadas, Capítulo 43, Arya.
  50. A Dança dos Dragões, Capítulo 16, Daenerys.
  51. A Dança dos Dragões, Apêndice.
  52. A Dança dos Dragões, Capítulo 36, Daenerys.
  53. A Dança dos Dragões, Capítulo 60, O Pretendente Rejeitado.
  54. A Dança dos Dragões, Capítulo 68, O Domador de Dragões.
  55. 55,0 55,1 55,2 55,3 A Dança dos Dragões, Capítulo 70, A Mão da Rainha.