Cregan Stark

De Gelo e Fogo wiki
Ir para navegação Ir para pesquisar

 

Stark.png
Cregan Stark
Stark.png
Cregan Stark by Naomi naomimakesart.png
Lorde Cregan Stark, por naomimakesart ©.
Pseudônimo(s) O Homem Velho do Norte[1]
O lobo do Norte[2]
o Lobo de Winterfell[2]
A Mão do Rei sem coroa[2]
Título(s) Lorde de Winterfell
Protetor do Norte
Mão do Rei
Lealdade Casa Stark
Os Negros
Cultura Nortenha
Esposa(o) 1ª: Arra Norrey
2ª: Alysanne Blackwood
3ª: Lynara Stark
Filho(a)(s) Rickon Stark[3]
Sarra Stark[3]
Alys Stark[3]
Raya Stark[3]
Mariah Stark[3]
Jonnel Stark[3]
Edric Stark[3]
Lyanna Stark[3]
Barthogan Stark[3]
Brandon Stark[3]
Nascimento Em 108 d.C.[4]
Morte Em ou entre 157 d.C. e 209 d.C.[4]
Mencionado
Mencionado
Livros Históricos
Mencionado
Mencionado
Mencionado

HOTD LOGO.png
Intérprete Tom Taylor
Aparições 2ª Temporada

Cregan Stark, conhecido como O Lobo do Norte e O Homem Velho do Norte, foi o Senhor de Winterfell, Protetor do Norte e chefe da Casa Stark durante os reinados de Viserys I, Aegon II, Aegon III, Daeron I Targaryen.[5][6][1] Ele serviu, brevemente, como Mão do Rei para Aegon III Targaryen após a Dança dos Dragões.[6]

Aparência e características

Veja também: Imagens de Cregan Stark

Lorde Cregan tinha olhos cinzentos e frios que lembravam ao Septão Eustace uma tempestade de inverno.[2]

De acordo com o arquimeistre Gyldayn, Lorde Cregan era um senhor severo[2] e formidável.[1] Lorde Cregan tem uma presença intimidadora e, aparentemente, valoriza mulheres de atitude e força.[2] Como muitos outros Starks, Lorde Cregan era um bom amigo da Patrulha da Noite.[2] Lorde Cerwyn era considerado seu amigo mais próximo.[2] Lorde Cregan já lutou com Príncipe Aemon Targaryen, o Cavaleiro do Dragão,[5] que por sua vez afirmou que nunca enfrentou um espadachim melhor do que Cregan Stark.[7]

História

Início da vida

Cregan Stark nasceu em 108 d.C.,[1] filho mais velho do lorde Rickon Stark e da senhora Gilliane Glover.[3] Ele tinha um irmão mais novo, que morreu em 119 d.C. e, de acordo com O Testemunho de Cogumelo, uma irmã bastarda, Sara Snow.[1] Cregan se tornou o Lorde de Winterfell e Guardião do Norte em 121 d.C. aos treze anos de idade, quando seu pai faleceu. Durante sua minoridade, seu tio Bennard governou o Norte como regente. Quando Cregan alcançou os 16 anos e virou um homem feito, em 124 d.C., Bennard não queria abrir mão do poder. A relação entre Cregan e Bennard continuou a se deteriorar com o lorde de Winterfell vendo seus poderes sendo limitados pelo tio.[1]

Finalmente, em 126 d.C., Cregan se levantou contra seu tio Bennard e o aprisionou junto com seus três filhos, tomando o controle total do Norte em suas mãos. Logo depois, ele se casou com a senhora Arra Norrey, uma companheira de infância. Contudo, ela morreu em 128 d.C. dando a luz ao seu filho, que Cregan tinha nomeado Rickon, em homenagem ao pai.[1]

A Dança dos Dragões

Lorde Cregan Stark, por Ertaç Altınöz.

Os Starks se mantiveram distantes das políticas sulistas durante todos os mais de cem anos da Dinastia Targaryen até então. Após a morte de Viserys I Targaryen, os Negros da Rainha Rhaenyra Targaryen e os Verdes do Rei Aegon II Targaryen entraram em disputa pela sucessão do Trono de Ferro. O Príncipe Jacaerys Velaryon foi enviado para conseguir suporte para Os Negros e voou para o Vale de Arryn, Vilirmã, Porto Branco e, finalmente, até Winterfell com seu dragão Vermax para ganhar apoio dos Starks e do norte na pretensão da sua mãe, Rhaenyra Targaryen, ao Trono de Ferro. De acordo com o Grande Meistre Munkun, Lorde Cregan Stark e o Príncipe Jacaerys Velaryon se deram bem, pois Lorde Cregan achou que Príncipe Jacaerys lembrava seu falecido irmão mais novo. Depois de passar um tempo bebendo, caçando e treinando, Lorde Cregan e Príncipe Jacaerys fizeram um juramento de fraternidade. Em contraste com os escritos de Munkun, o Septão Eustace afirmou que Príncipe Jacaerys passou seu tempo tentando converter Lorde Stark a Fé dos Sete. Cogumelo afirmou que Lorde Cregan tinha uma meia-irmã, Sara Snow, que dormiu com Príncipe Jacaerys, e por isso Lorde Cregan ficou furioso e só cedeu depois de saber que Príncipe Jacaerys e Sara haviam se casado secretamente no Bosque Sagrado de Winterfell. No entanto, o arquimeistre Gyldayn é cético em relação às histórias obscenas de Cogumelo. Independentemente de qual versão seja verdadeira, uma aliança foi formada entre Lorde Cregan Stark e o Príncipe Jacaerys Velaryon conhecida como Pacto de Gelo e Fogo e foi acertado que uma Princesa Targaryen se casaria com um integrante da família Stark.[1] Lorde Cregan deu seu apoio então para os Negros durante a Dança dos Dragões, uma guerra civil dentro da Casa Targaryen.[8]

Lorde Roderick Dustin, conhecido como Roddy a Ruína, comandou a primeira tropa nortenha que marchou para o sul, conhecidos como "Lobos de Inverno", composta por homens que temiam um longo inverno. A tropa de Lorde Dustin ajudou Os Negros a obter várias vitórias sobre Os Verdes nas Terras Fluviais, mas os Lobos de Inverno eventualmente perderam na Primeira Batalha de Tumbleton. Lorde Desmond Manderly também enviou soldados por mar para dar apoio a Rainha Rhaenyra Targaryen. Os homens de Porto Branco eram liderados pelos dois filhos de Lorde Desmond, Sor Medrick e Sor Torrhen Manderly.[9]

O Príncipe Jacaerys foi morto na Batalha da Goela,[10] já a Rainha Rhaenyra fugiu de Porto Real após o Assalto ao Fosso dos Dragões. Enquanto Rainha Rhaenyra estava em Valdocaso em 130 d.C., Lorde Cregan enviou uma mensagem de Winterfell dizendo que reuniria um exército de dez mil nortenhos para ela, mas sua marcha até o sul precisaria esperar até a última colheita antes que o inverno chegasse, só que a Rainha Rhaenyra foi morta pouco tempo depois, quando voltou para Pedra do Dragão.[11]

Embora o Rei Aegon II tenha retornado a Porto Real para governar, Lorde Stark honrou sua palavra aos Negros e marchou para o sul com uma segunda tropa do Norte em 131 d.C.; Septão Eustace afirma que Lorde Cregan tinha vinte mil homens, enquanto Grande Meistre Munkun acredita que o número de nortenhos era de oito mil.[12] Enquanto os nortenhos ainda estavam em marcha, os homens das Terras Fluviais derrotaram Lorde Borros Baratheon na Batalha da Estrada do Rei, e o Rei Aegon II logo foi envenenado na capital.[6][12]

A Hora do Lobo

Lorde Cregan Stark, por Ertaç Altınöz.

Embora fossem aliados, os nortenhos superavam em número os homens das Terras Fluviais quando chegaram a Porto Real. O Senhor de Winterfell tinha praticamente a mesma idade dos Senhores de Corvarbor e Correrrio, mas eles eram garotos intimados com a presença de Lorde Cregan, que já era um homem. Muitos de seus nortenhos não tinham filhos ou lar e muitos eram solteiros ou filhos mais novos marchando para a guerra para poupar suas famílias de sustentá-los no rigoroso inverno do Norte. Lorde Stark pretendia continuar a guerra marchando para Ponta Tempestade, Vilavelha e Rochedo Casterly, sedes que ainda apoiavam Os Verdes. Lorde Cregan prendeu muitos membros da corte pelo assassinato do Rei Aegon II Targaryen, para posteriormente julgá-los.[2] Embora ele tenha sido inimigo do Rei Aegon II durante a Dança dos Dragões, Lorde Stark se opôs a um monarca ser assassinado covardemente por veneno em vez de em batalha.[6]

Lorde Cregan manteve a corte na Fortaleza Vermelha de Porto Real por seis dias, em um período que ficou conhecido como "a Hora do Lobo", mas manteve confinado e protegido na Fortaleza de Maegor o jovem Príncipe Aegon de onze anos, filho da falecida Rainha Rhaenyra com Daemon Targaryen. Os senhores Verdes restantes enviaram notícias de seu desinteresse em continuar a guerra, e as mulheres na corte também encorajaram a paz. Lorde Stark relutantemente concordou em não marchar sobre os castelos verdes, embora insistisse que os assassinos do Rei Aegon II Targaryen, fossem responsabilizados por seus atos. A fim de administrar a justiça, Lorde Stark foi nomeado Mão do Rei pelo Príncipe Aegon III Targaryen. Governando sem sentar no Trono de Ferro, Lorde Cregan permitiu que o Septão Eustace fosse libertado por falta de provas, mas condenou o Grande Meistre Orwyle e Sor Gyles Belgrave da Guarda Real. Lorde Cregan condenou e voltou a prender vinte e dois homens pelo assassinato de Aegon II, entre eles o Lorde Larys Strong e Lorde Corlys Velaryon. Lord Stark condenou os soldados da Casa Strong à prisão, mesmo perante as súplicas da Senhora Baela Targaryen, já que foram estes soldados que a salvaram, mas quando a mesma Baela brandiu uma espada em sua defesa, Lorde Cregan concordou em poupá-los, admirando a determinação da jovem senhora.[2]

Lorde Cregan também condenou Lorde Corlys Velaryon, Senhor das Marés, sob a acusação do envenenamento do Rei Aegon II Targaryen. Lorde Corlys disse ter agido pelo bem dos Sete Reinos, mas não convenceu Lorde Cregan. Lorde Larys Strong, Senhor de Harrenhal, também foi acusado pela Mão do Rei, mas optou por não se defender das acusações. Baela e sua irmã Rhaena Targaryen convenceram o Príncipe Aegon, o jovem, a poupar Lorde Corlys da sua punição, no entanto, Lorde Cregan não concordou com o perdão real imediatamente. De acordo com Septão Eustace, foi a Mãe que convenceu-o a poupar Lorde Corlys, mas isso era pouco provável já que Lorde Cregan não venerava a Fé dos Sete. Septão Eustace ainda afirma que Lorde Cregan temia a represalia de Alyn Velaryon, caso seu avô fosse condenado, mas isso também parece improvável já que tanto Lorde Cregan com seus homens estavam sedentos por batalha. A explicação mais provável pela aceitação do perdão Real veio de Cogumelo, que afirma que Lorde Cregan só concordou em poupar a Lorde Corlys por meio das ações de Alysanne Blackwood, com quem Lorde Cregan ficou encantado durante seu tempo na Fortaleza Vermelha. Em troca da vida de Lorde Corlys, Aly Black concordou em se casar com Lorde Cregan, que estava viúvo.[2]

De acordo com a tradição do Norte, o homem que decreta a sentença deve brandir a espada. Então, depois do julgamento, Lorde Cregan decidiu decapitar pessoalmente os condenados com Gelo, a ancestral espada de Aço Valiriano da Casa Stark. Mas quando Lorde Stark permitiu que Sor Perkin a Pulga se juntasse à Patrulha da Noite, a maioria esmagadora dos outros condenados teve suas vidas poupadas ao vestirem o manto negro também. No entanto, Sor Gyles Belgrave e Lorde Larys Strong foram os únicos aceitaram a execução pela espada de Lorde Cregan, que renunciou ao cargo de Mão do Rei no dia seguinte.[2]

Quinze dias após a coroação do Rei Aegon III Targaryen, Lorde Cregan começou sua jornada de volta ao Norte, tendo recusado uma oferta para servir na Regência de Aegon III.[13] No entanto, muitos dos nortenhos que marcharam para Porto Real permaneceram no sul,[6] escolhendo se casar com mulheres das Terras Fluviais na Feira de Viúvas realizada em Corvarbor, Correrrio, Septo de Pedra, Gêmeas e Feirajusta. Outros nortenhos serviram como guardas e homens de armas, com alguns se juntando a companhias mercenárias recém-criadas, como os Tempestuosos liderados por Oscar Tully para atuar em Essos. Enquanto outros nortenhos fundaram sua própria companhia mercenária chamada Matilha de Lobos, comandada por Hallis Hornwood e Timotty Snow.[13]

Era da Regência

Cregan Stark e Alysanne Blackwood, por naomimakesart ©.

Após seu retorno a Winterfell em 132 d.C., Lorde Cregan se casou com Alysanne Blackwood. Seu sobrinho, o Lorde Benjicot Blackwood de Solar de Corvarbor, estava presente no casamento.[13]

Mais tarde naquele mesmo ano, no entanto, o Norte foi uma das primeiras regiões de Westeros atingida pela Febre do Inverno, que continuou até 133 d.C.. A praga acabou se espalhando para a maior parte de Westeros, até o sul de Águanegra, mas notou-se que era muito mais agressiva em climas frios. Quando se espalhou por Porto Real, matou um quinto da cidade, portanto, a taxa de mortalidade foi aparentemente muito maior no Norte, onde Porto Branco e Vila Acidentada foram duramente atingidos.

Com o Norte tão enfraquecido pela fome, o inverno e pela doença devastadora, os selvagens Para Lá da Muralha aproveitaram a oportunidade para lançar grandes ataques ao sul. Em 133 d.C., um chefe selvagem chamado Sylas, o Terrível, liderou uma grande força de 3.000 para forçar seu caminho ao sul da Muralha em Portão da Rainha, esmagando a guarnição da Patrulha da Noite locada nesse castelo. Depois eles começaram a saquear as terras da Dádiva. Lorde Cregan cavalgou de Winterfell e reuniu os homens aptos que restaram para seu estandarte: Glovers do Bosque Profundo, Flints e Norreys dos clãs das colinas e cem patrulheiros da Patrulha da Noite. A força combinada de Lorde Cregan então caçou e destruiu Sylas, o Terrível, e seus selvagens.[14]

Após a morte da Rainha Jaehaera Targaryen no final de 133 d.C., Lorde Cregan se opôs à sugestão de Lorde Unwin Peake, Senhor de Piquestrela e Mão do Rei, de que o Rei Aegon III Targaryen deveria se casar com sua filha, Myrielle Peake.[14]

Vida posterior

O Rei Aegon III Targaryen deu muitas recompensas para Lorde Cregan, apesar de nunca ter dado uma princesa Targaryen para se casar com um Stark.[15] O meistre Kennet serviu em Winterfell durante o longo governo de Lorde Cregan.[16]

A segunda esposa de Cregan, a Senhora Alysanne Blackwood, deu a ele quatro filhas, embora Rickon - seu único filho nascido do seu primeiro casamento - permanecesse como seu herdeiro. Alguns anos mais tarde, Alysanne faleceu e Cregan logo se casou pela terceira vez, com Lynara Stark. Lynara era uma prima distante do Senhor Stark. Ela deu a ele quatro filhos e uma filha. Devido à lei de herança de preferência masculina, todos estes quatro filhos ficaram na linha de sucessão à frente de suas quatro meias-irmãs mais velhas de Aly Blackwood.

Cregan teve uma vida longa, que lhe rendeu o apelido de "O Homem velho do Norte". A data exata da morte de Cregan ainda não foi fornecida, mas porque ele veio a governar jovem (assim que completou 16 anos, em 126 d.C.) e viveu até uma idade avançada, governando o Norte por décadas. Cregan ainda estava vivo em 157 d.C., portando pode-se estabelecer que ele de fato governou por mais de trinta anos. Em 157 d.C., Cregan teria pelo menos 49 anos de idade, não sendo muito velho. É possível, embora improvável, que Cregan tenha vivido até a época da Primeira Rebelião Blackfyre em 196 d.C. - sendo que ele teria 88 anos nessa época.[15]

Cregan uma vez lutou com Aemon, o Cavaleiro do Dragão.[5] Este, por sua vez, elogiou Lorde Stark como um excelente espadachim.[7]

Lorde Cregan foi enterrado nas Criptas de Winterfell.[7][5]

Legado

Lorde Cregan sobreviveu tempo suficiente para ver seu filho mais velho e herdeiro, Rickon morrer em Lançassolar durante a Conquista de Dorne pelo Rei Daeron I Targaryen em 157 d.C..[15] Rickon deixou duas filhas, Sansa e Serena, e pelas leis conhecidas de sucessão, elas deveriam estar à frente dos irmãos mais novos de Rickon na linha de sucessão, no entanto, as leis de sucessão do norte podem simplesmente ser diferentes,[17][18] nunca houve uma rainha governante de inverno ou uma senhora governante de Winterfell, por exemplo,[19] e a promigenitura não é necessariamente vinculativa para outros nos sete reinos também. Seja qual for o caso, o segundo filho de Lorde Cregan, Jonnel Stark, sucedeu-o após sua morte, casando-se com sua própria meia-sobrinha Sansa.[3] O terceiro filho de Cregan, Edric Stark, casou-se com a outra filha de Rickon, Serena.[3] O casamento de Jonnel com Sansa não teve filhos, mas após sua morte, a regra passou não para o terceiro filho de Cregan, Edric, mas para seu quarto filho, Barthogan Stark.[20] Embora seja possível que Edric tenha falecido antes de seu irmão mais novo, ele teve dois filhos e duas filhas com Serena, e as filhas tiveram seus próprios filhos,[3] e todos estes deveriam estar à frente de Barthogan na linha de sucessão. As razões exatas e as circunstâncias pelas quais Barthogan se tornou Lorde de Winterfell ainda são desconhecidas.

O próprio Barthogan morreu mais tarde sem filhos, quando foi morto na rebelião Skagosi durante o reinado de Daeron II Targaryen,[20] e foi sucedido pelo quinto e último filho de Cregan, Brandon, de quem descendem as gerações posteriores da Casa Stark. Os complicados desafios de sucessão permaneceram por décadas, possivelmente através dos filhos de Serena e Edric - e entre os próprios netos rivais de Brandon. Por sua vez, Brandon foi sucedido por seu filho mais velho, Rodwell Stark, que morreu sem descendência, após o qual o governo passou para seu irmão mais novo, Beron Stark. O neto de Cregan, Beron foi mortalmente ferido lutando contra uma incursão do nascido de ferro de Dagon Greyjoy, e enquanto ele morria em Winterfell, várias viúvas Stark fizeram suas reivindicações de sucessão de seus filhos - apenas para a improvável dupla itinerante Dunk e Egg se envolverem nos eventos seguintes.[21][22]

Eventos recentes

Info Aviso: Esta seção contém revelações sobre o enredo (spoilers).

A Guerra dos Tronos

Bran Stark menciona vários Lordes Starks nas Criptas de Winterfell, dentre eles o próprio Lorde Cregan, que lutou contra Aemon, o Cavaleiro do Dragão.[7]

A Fúria dos Reis

Escondido de Theon Greyjoy nas Criptas de Winterfell, Bran Stark mais uma vez menciona vários Lordes Starks nas Criptas de Winterfell e novamente menciona a luta de Lorde Cregan contra Aemon, o Cavaleiro do Dragão.[5]

Info Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo (spoilers).

Citações

Citações de Cregan Stark


Corlys: Você veio tarde, meu lorde, pois a guerra acabou e o rei está morto.

Cregan: Pela mão de quem e pela ordem de quem, eu me pergunto?[2]

—— Conversa entre Lorde Cregan Stark e Lorde Corlys Velaryon





Benjicot: Metade dos seus homens vão morrer, lorde Stark!

Cregan: Eles morreram no dia em que partimos, garoto.[2]

—— Conversa entre Lorde Cregan Stark e Lorde Benjicot Blackwood





Corlys: A matança já está acontecendo há tempo demais. Rhaenyra e Aegon estão mortos. Deixem que a disputa morra com eles. Você fala em tomar Ponta Tempestade, Vilavelha e Rochedo Casterly, meu senhor, mas os homens que ocupavam esses assentos foram mortos em batalha, todos eles. São garotos pequenos e bebês de colo que ocupam os lugares deles agora, e não são ameaça para nós. Conceda-lhes termos honrosos e eles se curvarão.

Cregan: Garotinhos se tornam homens grandes com o tempo e um bebê suga o ódio da mãe junto com o leite. Acabem com esses inimigos agora, senão aqueles de nós que não estiverem no túmulo em vinte anos vão se arrepender da nossa loucura quando esses bebês embainharem as espadas dos pais e vierem atrás de vingança.

Corlys: O rei Aegon disse a mesma coisa e morreu por isso. Se tivesse seguido nosso conselho e oferecido paz e perdão a seus inimigos, poderia estar sentado conosco hoje.

Cregan: Foi por isso que você o envenenou, meu senhor? (...) Não é surpresa você se chamar Serpente Marinha, pois pode rastejar para lá e para cá, mas, ah, suas presas são venenosas. Aegon era perjuro, assassino de parentes e usurpador, mas era rei. Quando não quis seguir seu conselho de covarde, você o eliminou como um covarde faria, desonrosamente, com veneno… e agora vai responder por isso.[2]

—— Conversa entre Lorde Cregan Stark e Lorde Corlys Velaryon





A cidade é um ninho de víboras. Há mentirosos, vira-mantos e envenenadores nesta corte que o assassinariam tão rapidamente quanto fizeram com seu tio, para garantir o próprio poder.[2]
—— Conversa entre Lorde Cregan Stark e o jovem Príncipe Aegon





Nenhum cavaleiro da Guarda Real deve sobreviver ao seu rei quando esse rei morre por violência.[2]
—— Lorde Cregan Stark para Sor Gyles Belgrave



Citações sobre Cregan Stark


Ah, ali, aquele é Cregan Stark. Lutou uma vez contra o Príncipe Aemon, e o Cavaleiro do Dragão disse que nunca tinha defrontado melhor espadachim.[7]
—— Bran Stark





Quando as sombras se moveram, pareceu por um instante que os mortos também estavam se levantando. Lyanna e Brandon, Lorde Rickard Stark, seu pai, Lorde Edwyle, pai deste, Lorde Willam e o irmão Artos, o Implacável, Lorde Donnor, Lorde Beron e Lorde Rodwell, Lorde Jonnel, com um olho só, Lorde Barth, Lorde Brandon e Lorde Cregan, que tinha lutado contra o Cavaleiro do Dragão.[5]
—— Bran Stark





Cregan prendeu vinte e dois homens em nome de Aegon III ‒ entre eles Larys Pé-Torto e Corlys Velaryon. Intimidado, o jovem Aegon III ‒ que tinha onze anos na época ‒ concordou em tornar Lorde Cregan sua Mão.[6]
—— Trecho de O Mundo de Gelo e Fogo





Sempre que o lobo do Norte entrava em um aposento, Ben Sangrento lembrava que só tinha treze anos, enquanto lorde Tully e seu irmão se agitavam e gaguejavam e ficavam tão vermelhos quanto seus cabelos.[2]
—— Cogumelo





A cidade era dele, para fazer o que quisesse. O nortenho a tomou sem nem puxar espada e sem desperdiçar uma flecha. Fossem homens do rei ou da rainha, homens da tempestade ou cavalos-marinhos, senhores fluviais ou cavaleiros de sarjeta, bem-nascidos ou não, todos se curvavam como se tivessem nascido a serviço dele.[2]
—— Septão Eustace


Família

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Benjen
 
Lysa Locke
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Desconhecido
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Rickon
 
Gilliane Glover
 
 
 
 
 
Bennard
 
Margaret Karstark
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Filho
 
Benjen
 
Brandon
 
Elric
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Sara Snow
 
 
Alysanne Blackwood
 
 
 
 
 
Arra Norrey
 
Cregan
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Lynara Stark
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Sarra
 
Alys
 
Raya
 
Mariah
 
Rickon
 
Jeyne Manderly
 
Robyn Ryswell
 
Jonnel
 
Edric
 
Lyanna
 
Barthogan
 
Alys Karstark
 
Brandon
 
Wylla Fenn
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Jon Umber
 
Serena
 
Sansa
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Cregard
 
Torrhen
 
Arrana
 
Osric Umber
 
Aregelle
 
Robard Cerwyn
 
Myriame Manderly
 
Rodwell
 
Beron
 
Lorra Royce
 
Arsa
 
Lonnel Snow
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Filho(a)
 
 
 
 
 
Filho(a)
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Casa Stark
 


Referências

  1. 1,0 1,1 1,2 1,3 1,4 1,5 1,6 1,7 Fogo & Sangue, A morte dos dragões: Um filho por um filho.
  2. 2,00 2,01 2,02 2,03 2,04 2,05 2,06 2,07 2,08 2,09 2,10 2,11 2,12 2,13 2,14 2,15 2,16 2,17 2,18 Fogo & Sangue, O momento posterior: A hora do lobo.
  3. 3,00 3,01 3,02 3,03 3,04 3,05 3,06 3,07 3,08 3,09 3,10 3,11 3,12 3,13 O Mundo de Gelo e Fogo, Apêndice: Árvore Genealógica dos Stark.
  4. 4,0 4,1 Veja os cálculos de Cregan Stark no site A Wiki of Ice and Fire
  5. 5,0 5,1 5,2 5,3 5,4 5,5 A Fúria dos Reis, Capítulo 69, Bran.
  6. 6,0 6,1 6,2 6,3 6,4 6,5 O Mundo de Gelo e Fogo, Os Reis Targaryen: Aegon III.
  7. 7,0 7,1 7,2 7,3 7,4 A Guerra dos Tronos, Capítulo 66, Bran.
  8. A Princesa e a Rainha.
  9. Fogo & Sangue, A morte dos dragões: Rhaenyra triunfante.
  10. Fogo & Sangue, A morte dos dragões: O dragão vermelho e o dourado.
  11. Fogo & Sangue, A morte dos dragões: Rhaenyra destituída.
  12. 12,0 12,1 Fogo & Sangue, A morte dos dragões: O breve e triste reinado de Aegon II.
  13. 13,0 13,1 13,2 Fogo & Sangue, Sob os regentes: A Mão encapuzada.
  14. 14,0 14,1 Fogo & Sangue, Sob os regentes: Guerra e paz e exposição de gado.
  15. 15,0 15,1 15,2 O Mundo de Gelo e Fogo, Os Sete Reinos: O Norte, Os Senhores de Winterfell.
  16. O Mundo de Gelo e Fogo, História Antiga: A Era da Aurora.
  17. So Spake Martin: CORRESPONDENCE WITH FANS (DECEMBER 17, 1999)
  18. Assim Falou Martin nº 13: dezembro de 1999
  19. So Spake Martin: VARIOUS QUESTIONS CONCERNING TYWIN, OBERYN, GREGOR, THE NORTH, AND SANSA (APRIL 15, 2008)
  20. 20,0 20,1 O Mundo de Gelo e Fogo, Os Sete Reinos: O Norte, Os Nascidos na Pedra de Skagos.
  21. So Spake Martin: BOSKONE (BOSTON, MA; FEBRUARY 17-19) parte 1
  22. So Spake Martin: BOSKONE (BOSTON, MA; FEBRUARY 17-19) parte 2