Criston Cole

De Gelo e Fogo wiki
Ir para navegação Ir para pesquisar

 

Cole.png
Criston Cole
Guarda Real.png
Aegon II crowned.jpg
Sor Criston Cole coroando Aegon II por Douglas Wheatley
Apelido(s) "O Fazedor de Reis"
Título(s) Sor
Senhor Comandante da Guarda Real
Mão do Rei
Lealdade Casa Cole
Guarda Real
Os Verdes
Nascimento Em Portonegro, em 82 d.C.
Morte Em 130 d.C., em sul do Olho de Deus
Mencionado
Outros livros
Mencionado
Mencionado
Mencionado

GoT Logo.jpg
Interpretado(a) por Fabien Frankel
Aparições House of the Dragon

Sor Criston Cole era o Senhor Comandante da Guarda Real à época da morte do Rei Viserys I Targaryen e convenceu seu filho, Aegon a assumir o governo dos Sete Reinos, desafiando o desejo de Viserys, que queria que sua filha, a Princesa Rhaenyra Targaryen, o sucedesse. Isso fez eclodir a Dança dos Dragões, uma guerra civil entre Aegon II e Rhaenyra. O ato de Criston o tornou conhecido na História como o "Fazedor de Reis".

Na série House of the Dragon, da HBO, será interpretado pelo ator Fabien Frankel.[1]

História

Veja também: Imagens de Criston Cole

Começo da vida

Sor Criston era filho de um servo nobre do lorde Dondarrion de Portonegro. Ele venceu o combate individual no torneio em Lagoa da Donzela para celebrar a ascensão de Viserys I Targaryen, atraindo a atenção da corte real ao derrubar a Irmã Negra das mãos do príncipe Daemon Targaryen com sua morningstar. Ele deu o louro da vitória para a princesa Rhaenyra Targaryen, de sete anos de idade, cujo o favor ele carregou enquanto vencia Daemon nas justas, além também dos famosos gêmeos Cargyll da Guarda Real, antes de ser derrubado do cavalo por lorde Lymond Mallister. O rei Viserys decidiu atender a vontade de sua filha Rhaenyra ao nomear Criston como seu escudo juramentado. Em 105 d.C., Criston, que tinha vinte e três anos, se tornou um membro da Guarda Real, tomando o lugar do lendário Sor Ryam Redwyne.[2]

Cole carregou o favor de Rhaenyra novamente durante um torneio em 111 d.C., onde derrubou do cavalo Sor Gwayne Hightower, irmão mais novo e campeão da rainha Alicent Hightower, a esposa do rei Viserys.[3]

Em 112 d.C., Sor Criston ainda era o campeão e companheiro de Rhaenyra. O Senhor Comandante da Guarda Real, Sor Harrold Westerling, faleceu naquele ano, e Criston foi apontado como seu substituto. Existia um rumor que Cole teve um caso amoroso com Rhaenyra, em 113 d.C., mas nada foi confirmado.[4][2] O Septão Eustace dizia que Sor Criston entrou de fininho no quarto de Rhaenyra para confessar seu amor por ela, oferecendo-se para fugir com ela para uma das Cidades Livres onde ele iria prometer sua espada para algum príncipe comerciante, mas Rhaenyra o rejeitou, dizendo que uma Targaryen foi feita para ser mais do que a esposa de um mercenário e se ele pudesse ignorar seus votos da Guarda Real, ele também poderia esquecer seus votos de casamento.[2] O bobo da corte Cogumelo conta uma história diferente - que Rhaenyra tomava lições com seu tio, o príncipe Daemon, para que ela perdesse sua virgindade com Sor Criston, um homem que ela amava, ao invés do seu noivo, o suspostamente homossexual Laenor Velaryon. Ela teria falhado em seduzir Sor Criston na Torre da Espada Branca, contudo, e isso teria feito ela ter buscado consolo nos braços de Sor Harwin Strong, que se tornou amante dela. Seja como for, Cole deixou de ser o amigo fiel da princesa e passou a nutrir uma forte inimizade para com ela. Quando Rhaenyra partiu para Derivamarca, ela levou Sor Harwin como seu escudo juramentado.[2]

Em 114 d.C., Sor Criston compareceu ao casamento de Rhaenyra com Laenor, que foi concluído com sete dias de banquetes e torneios. Cole lutou contra o campeão da rainha Alicent e depois, durante o torneio de combates individuais, ele quebrou o colarinho de Sor Harwin, que fez com que Cogumelo apelidasse o novo amante de Rhaenyra como "Quebraossos". A morningstar de Criston também quebro o capacete de Sor Joffrey Lonmouth, o Cavaleiro dos Beijos, o favorito de Laenor, que faleceu seis dias mais tarde. Embora muitos tiveram ficado furiosos com Criston por isso, incluindo o rei Viserys, a rainha Alicent não compartilhava deste sentimento e pediu para Sor Criston se tornasse o escudo juramentado dela. Cole se tornou um forte apoiador de Alicent daquele dia em diante.[2]

Criston tutorou o príncipe Aemond Targaryen em armas.[2]

A Dança dos Dragões

Veja também: Dança dos Dragões

Devido a fontes contraditórias, os reais motivos que levaram Criston a apoiar Aegon II não são claros; alguns acreditam que ele apoiou Aegon por ambição, acreditando que ele era mais controlável do que sua obstinada meia-irmã Rhaenyra; de fato, Aegon II eventualmente elevou Sor Criston para o cargo de Mão do Rei.[4] Contudo, alguns dizem a rejeição pessoal de Rhaenyra a ele os afastaram.[4] Mas há aqueles que apontam um motivo mais nobre para Cole, dizendo que ele defendia o velho costume ândalo onde um filho sempre têm precedência sobre uma filha; ou talvez ele não queria ver os filhos de Rhaenyra no Trono de Ferro, já que Sor Criston acreditava que eles eram bastardos nascidos de adultério.[3] De qualquer maneira, muitos lordes e nobres do reino estavam cientes do desejo de Viserys de ter Rhaenyra como sua sucessora e se tornar a primeira rainha na história do país, dividindo assim os reinos e levou a uma guerra civil.[4]

Criston Cole mata Lyman Beesbury, em animação especial da HBO ©.

Durante um reunião do pequeno conselho após a morte do rei Viserys, em 129 d.C., Cole cortou a garganta de lorde Lyman Beesbury, o único membro do conselho a apoiar a ascensão da princesa Rhaenyra contra Aegon. Criston coroou Aegon II com a coroa de ferro e rubi de Aegon o Conquistador. Contudo, Rhaenyra, que estava em Pedra do Dragão neste momento, ficou enfurecida por ter seu direito usurpado e começou a reunir aliados, levando o reino a uma violenta guerra civil conhecida como Dança dos Dragões. Sor Criston Cole se tornou então um dos principais líderes militares dos Verdes, a facção que apoiava Aegon II.[3]

Com os Negros (como eram chamados os apoiadores de Rhaenyra) reunindo suas tropas, Aegon II ficou frustrado com a ineficiência de sua Mão do Rei, Sor Otto Hightower, e o dispensou de sua posição, dando o cargo para Sor Criston Cole, que fora apelidado de "o Fazedor de Reis". Crisotn se mostrou um líder militar mais agressivo que Sor Otto e sugeriu que os Verdes partissem para a ofensiva. Ele então liderou os soldados do rei até Valdocaso (onde saquearam a cidade) e Pouso de Gralhas, tomando esta fortaleza após feroz batalha. Quando o príncipe Aemond Targaryen se tornou Protetor do Território e Regente após o rei Aegon II se ferir, Criston permaneceu como rei.[3]

A batalha do Baile do Açougueiro, em animação especial da HBO ©.

O príncipe Aemond e Sor Criston Cole mantiveram-se em campo, liderando um exército de quase 4 000 homens de Porto Real para tentar retomar Harrenhal, nas Terras Fluviais, que estava sob controle de Daemon Targaryen, um dos principais líderes dos Negros. Porém, quando o exército Verde se aproximou, Daemon já tinha abandonado sua posição. Em seguida, notícias chegaram que uma tropa Lannister foi derrotada na Batalha da Margem do Lago, Aemond começou a queimar vilas e castelos por toda as Terras Fluviais, enquanto Cole marchou com 3 600 homens pelo oeste do Olho de Deus, com o objetivo de unir suas forças ao exército de lorde Ormund Hightower. Porém, as tropas de Criston foram emboscadas pelos Lobos de Inverno e cavaleiros das Terras Fluviais, ao sul do Olho de Deus. Criston desafiou lorde Roderick Dustin, Sor Pate de Folhalonga e Sor Garibald Grey para um combate singluar, mas eles negaram. O exército de Sor Criston foi massacrado e ele próprio morto por flechas na batalha conhecida como Baile do Açougueiro, em 130 d.C..[5][3]

Eventos recentes

Info Aviso: Esta seção contém revelações sobre o enredo (spoilers).

O Festim dos Corvos

Tentando atrair Sor Arys Oakheart em sua conspiração para coroar Myrcella Baratheon, Arianne Martell disse que Lorde Anders Yronwood era Criston Cole renascido.[4]

Enquanto mostrava a Sor Loras Tyrell o Livro Branco da Guarda Real, o Senhor Comandante Jaime Lannister mencionou o polêmico Criston Cole.[6]

Citações


Que os Sete salvem este reino se um bastardo se sentar no Trono de Ferro. Eles transformarão a Fortaleza Vermelha num bordel. Nenhuma filha estará a salvo, nenhuma esposa. Nem mesmo os garotos… nós sabemos o que Laenor foi.”
—— Sor Criston Cole declarou ao Pequeno Conselho, logo após a morte do Rei Viserys I Targaryen.

Citações sobre Criston


Minha nova Mão é uma manopla de aço.
—— Rei Aegon II Targaryen, logo após nomear Sor Criston Cole sua nova Mão do Rei.

Referências