Baelon Targaryen (Filho de Jaehaerys I)

De Gelo e Fogo wiki
Ir para: navegação, pesquisa
Targaryen.png
Baelon Targaryen
Targaryen.png
Apelido(s) Baelon, o Bravo
O Príncipe da Primavera
Bobo de Prata
Título Príncipe de Pedra do Dragão
Mão do Rei
Lealdade Casa Targaryen
Raça Valiriana
Cultura Terras da Coroa
Esposa(o) Alyssa Targaryen
Nascimento Em 57 d.C.[1]
Morte Em 101 d.C.[2]
Outros livros
Mencionado
Mencionado
Mencionado
Mencionado
Para os artigos que compartilham o mesmo título, por favor veja esta página de desambiguação. Disambig.png

Príncipe Baelon Targaryen, também conhecido como o Príncipe da Primavera na época de seu nascimento, e O Bravo, foi um membro da Casa Targaryen e foi a quarta criança e o terceiro filho homem do Rei Jaehaerys I Targaryen e da Rainha Alysanne Targaryen. Ele teve três filhos com sua esposa-irmã Alyssa, os príncipes Viserys, Daemon e Aegon. Baelon recebeu seu nome em homenagem a um antigo Senhor de Pedra do Dragão, que também foi um segundo filho. Baelon montou Vhagar.[3][2][4][1]

Aparência e características

Quando nasceu, ele era menor que seu irmão Aemon Targaryen, mas era mais barulhento e esfomeado.[1] Na infância e inicio da adolescência, ele era mais baixo e menos forte que seu irmão Aemon, mas era mais rápido e feroz. Baelon é cheio de energia.[1]

Baelon via em seu irmão mais velho, o Príncipe Aemon Targaryen, não apenas um irmão, mas um rival em tudo e seu melhor amigo e se espelhava nele para fazer qualquer coisa. A plebe amava Baelon, o Valente, e os senhores do reino o viam como sucessor óbvio do irmão.[5]

História

Em 57 d.C., apenas dois dias antes dele nascer, Corvos Brancos voaram da Cidadela para anunciar o início da primavera, e por isso o príncipe recebeu o apelido de Príncipe da Primavera.[1] Grande Meistre Benifer temia pela inimizade entre Baelon e seu irmão mais velho Aemon, como aconteceu com Aenys e Maegor, mas no fim não havia motivo para tais preocupações, pois Baelon admirava seu irmão e seguia-o por toda a parte, imitando seu passos. Eles eram extremamente próximos. Quando Príncipe Aemon teve idade suficiente para treinar com espadas, Príncipe Baelon tentou seguir seus passos também, mas era pequeno demais para segurar uma espada, então usava um graveto para treinar. Príncipe Aemon era tímido perto de Dragões, mas supostamente o Príncipe Baelon teria batido no focinho do próprio Balerion, Terror Negro quando entrou no Fosso dos Dragões pela primeira vez, o que lhe rendeu o apelido de Príncipe Baelon, o Bravo.[1]

Um pouco mais tarde, quando a Princesa Alyssa Targaryen nasceu em 60 d.C., a Rainha Alysanne Targaryen notou que a princesa era muito parecida com Príncipe Baelon: ousada e destemida. E tal como Príncipe Baelon seguia Príncipe Aemon para todo o canto em sua infância, a Princesa Alyssa seguia Príncipe Baelon a qualquer lugar que ele fosse.[1]

Quando Príncipe Aemon tinha sete anos, ele e Príncipe Baelon treinavam todos os dias no pátio e suas disputas eram tão equilibradas e vigorosas que costumavam atrair grande público. Após a morte da Princesa Daenerys Targaryen todos achavam que a Princesa Alyssa deveria se casar com o Príncipe Aemon, mas a Rainha Alysanne Targaryen sabia que a Princesa Alyssa e o Príncipe Baelon eram inseparáveis e que esse seria o casamento certo.[1]

Em 72 d.C., foi realizado um torneio em Valdocaso para comemorar o casamento do jovem Lorde Darklyn com a filha do lorde Theomore Manderly. Durante o torneio, Príncipe Aemon foi o campeão do corpo-a-corpo ao derrotar o Príncipe Baelon (após este se render). Ainda no mesmo torneio, Príncipe Aemon, com 17 anos, foi nomeado cavaleiro após se sair bem nas justas. Logo após isso, Príncipe Aemon tomou o dragão Caraxes como sua montaria. Príncipe Baelon não podia ficar atrás de seu irmão e rival, então aos 16 anos, em 73 d.C. ele foi até Carvalho Velho, cede da Casa Oakheart para participar de um torneio, mas apresentou-se como um Cavaleiro Misterioso chamando-se de Bobo de Prata. No torneio ele derrubou Lorde Rowan, sor Alyn Ashford, os dois gêmeos Fossoway e sor Denys Oakheart, mas foi derrotado por sor Rickard Redwyne, que o nomeou Cavaleiro por seus feitos no torneio.[1] Após a celebração, Príncipe Baelon foi até Porto Real para tomar um dragão para si próprio e acabou por tomar o grande Vhagar como sua montaria pessoal, o segundo maior dragão vivo, perdendo apenas para Balerion, o Terror Negro.[1]

Príncipe Baelon se responsabilizou pelo treinamento de seu irmão mais novo, o Príncipe Vaegon Targaryen, após o Rei Jaehaerys I Targaryen pedir para treiná-lo, mas Vaegon era um jovem dado aos livros e não as espadas, por isso foi mandando para a Cidadela.

Em 75 d.C. o Príncipe Baelon se casou com a Princesa Alyssa Targaryen na Fortaleza Vermelha. A noiva tinha quinze anos, e o noivo, dezoito. Príncipe Baelon não havia parado de sorrir desde o casamento. Em 77 d.C. nasceu o primeiro filho do casal, o príncipe Viserys Targaryen

Em 81 d.C. o Príncipe Aemon foi nomeado como Mestre das Leis e o Príncipe Baelon o felicitou. Nesse mesmo ano nasceu seu segundo filho: o Príncipe Daemon Targaryen.

Em 83 d.C. a Quarta Guerra Dornesa começou quando o Príncipe de Dorne, Morion Martell, resolveu atacar Westeros, mas o Rei Jaehaerys I Targaryen tinha espiões em Dorne e antes mesmo de eles desembarcarem no Cabo da Fúria, o Rei Jaehaerys I Targaryen, com Vermithor, o Príncipe Aemon, com Caraxes e o Príncipe Baelon, com Vhagar, desceram das nuvens e acabaram com a invasão antes mesmo dela começar, matando vários Dorneses.[1] Nesse mesmo ano, a Princesa Alyssa Targaryen ficou grávida pela segunda vez e em 84 d.C. o terceiro filho de Príncipe Baelon nasceu: o Príncipe Aegon Targaryen. Mas tanto o garoto como a mãe morrerem logo depois.[1] Príncipe Baelon ficou arrasado, mas encontrou forças nos dois filhos restantes.

Em 86 d.C. Príncipe Baelon não demonstrava interesse em mulher alguma, mas sua irmã, a Princesa Viserra Targaryen, demonstrou interesse em seu irmão, não por desejá-lo, mas porque deseja ser rainha. Quando a Rainha Alysanne Targaryen decidiu que a Princesa Viserra deveria se casar com Lorde Theomore Manderly, a Princesa procurou os aposentos do Príncipe Baelon, se embebedou e esperou-o nua para tentar seduzi-lo, mas ele a expulsou do quarto. Pouco depois ela acabou morrendo por uma imprudência frustrada e o príncipe Baelon ficou arrependido por sua decisão, pois se sentia culpado pela morte da irmã.

Em 88 d.C. o Rei Jaehaerys I Targaryen partiu para uma turnê pelas Terras Ocidentais após uma briga com a Rainha Alysanne Targaryen e tanto Príncipe Aegon Targaryen como Príncipe Baelon o acompanharam em algumas dessas viagens.

Durante o evento que ficou conhecido como Banho de Sangue Myriano duas facções rivais de Myr disputaram a supremacia e a facção derrotada, expulsa da cidade e se tornando piratas, fugiu para os Degraus onde foi expulsa novamente e acabaram tentando, com sucesso temporário, tomar Tarth do Lorde Cameron Tarth. Em 92 d.C., Durante a tentava de retomada da cidade, o Príncipe Aemon Targaryen foi assassinado por um dardo, o que causou a fúria de seu pai, o Rei Jaehaerys I Targaryen, e de seu irmão, o Príncipe Baelon, o Bravo. Então, o Príncipe Baelon montou em seu dragão Vhagar e portou Irmã Negra e massacrou todos os Piratas de Myr. Após retornar para Porto Real, ele foi recebido como um verdadeiro herói sendo homenageado por toda a cidade, mas quando o príncipe se encontrou com sua mãe, ele caiu em lágrimas lamentando a morte de seu irmão, melhor amigo e rival.[6]

Após a morte de seu irmão mais velho, o príncipe Aemon, Baelon foi nomeado o herdeiro aparente de seu pai, o rei Jaehaerys I. Assim, ele foi nomeado o Príncipe de Pedra do Dragão, ultrapassando a filha mais velha do Príncipe Aemon Targaryen e única herdeira, princesa Rhaenys,[4] pois Príncipe Baelon era um cavaleiro experiente de trinta e cinco anos e era mais adequado ao governo do que a princesa Rhaenys, de dezoito anos, mas isso causou atrito tanto com a Casa Velaryon como com a Casa Baratheon.[5]

Em 99 d.C.[5][N 1] Príncipe Baelon foi nomeado Mão do Rei, sucedendo nessa posição a Sor Ryam Redwyne que tinha sido deposto. Nos momentos finais da Rainha Alysanne Targaryen, o único filho que permaneceu próximo dela foi Baelon, mas ele era o Príncipe de Pedra do Dragão, Mão do Rei, então não podia dedicar todo seu tempo para sua mãe. Em um de seus encontros, a Rainha Alysanne Targaryen afirmou que Príncipe Baelon seria um Rei ainda maior que seu pai. Neste mesmo ano de 100 d.C. a Rainha Alysanne Targaryen faleceu.[6] Baelon serviu admiravelmente, mas uma tragédia aconteceu um ano depois, em 101 d.C., quando, durante uma viagem de caça, Baelon queixou-se de uma dor aguda na lateral de seu corpo. Ele morreu dentro de dias, de uma ruptura no ventre,[4] na Torre da Mão com seu pai, o Rei Jaehaerys I Targaryen ao seu lado.[5]

Depois de sua morte, uma assembléia de lordes realizou o primeiro Grande Conselho, para responder à questão de quem iria suceder Rei Jaehaerys após a sua morte.[3][4] O filho mais velho de Baelon, Viserys, foi o escolhido e sucedeu Jaehaerys I, dois anos depois como Rei Viserys I.[3]

Família

Baelon era casado com sua irmã mais velha, Alyssa, e teve três filhos com ela: Viserys, Daemon e Aegon.[7]

Descendentes

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Rodrik
Arryn
 
Daella
 
 
 
 
 
Baelon
 
Alyssa
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Aemma Arryn
 
 
 
 
 
Viserys I
 
 
 
 
 
Alicent Hightower
 
Daemon*
 
Aegon
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
filho
desconhecido
 
Baelon
 
Rhaenyra
 
Daemon*
 
Aegon II
 
Helaena
 
Aemond
 
Daeron
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Aegon III
 
Viserys II
 
Visenya
 
Jaehaerys
 
Jaehaera
 
Maelor
 


Sobre a página

Esta página utiliza conteúdo baseado em Baelon Targaryen (son of Jaehaerys I), um artigo de A Wiki Of Ice And Fire.

Notas

  1. De acordo com o livro O Mundo de Gelo e Fogo de 2014, Sor Ryam Redwyne assumiu como Mão do Rei em 99 d.C., logo após a morte do Septão Barth, e Príncipe Baelon assumiu como Mão menos de um ano após a nomeação de Sor Ryam, mas não se sabia até então se ele tinha assumido no final de 99 d.C. ou 100 d.C.. Contudo, novas informações vieram em 2018 quando o livro Fogo & Sangue foi lançado: Septão Barth morreu em 98 d.C. (e não em 99 d.C. como foi informado em O Mundo de Gelo e Fogo) e Sor Ryam Redwyne o serviu como Mão por um ano inteiro após ser substituído por Príncipe Baelon em 99 d.C..

Referências

  1. 1,00 1,01 1,02 1,03 1,04 1,05 1,06 1,07 1,08 1,09 1,10 1,11 Fogo & Sangue, Jaehaerys e Alysanne, Triunfos e Tragédias.
  2. 2,0 2,1 O Príncipe de Westeros.
  3. 3,0 3,1 3,2 A Princesa e a Rainha.
  4. 4,0 4,1 4,2 4,3 O Mundo de Gelo e Fogo, Os Reis Targaryen: Jaehaerys I.
  5. 5,0 5,1 5,2 5,3 Fogo & Sangue, Herdeiros do Dragão, Uma Questão de Sucessão.
  6. 6,0 6,1 Fogo & Sangue, O Longo Reindo Jaehaerys e Alysanne, Política, Progênie e Provação.
  7. O Mundo de Gelo e Fogo, Apêndice: Árvore Genealógica dos Targaryen.