Duncan

De Gelo e Fogo wiki
(Redirecionado de Duncan o Alto)
Ir para navegação Ir para pesquisar

 

Dunk.png
Duncan
Guarda Real.png
Dunk Amoka.jpg
Dunk, por Amoka ©
Pseudônimo(s) Dunk[1]
Duncan, o Alto[1]
Dunk, o Pateta[1]
Dunk, o Opaco[2]
Dunk da Baixada das Pulgas[2]
Sor Gigante[3]
O Cavaleiro da Forca[3]
O Enforcado[3]
Título(s) Sor
Senhor Comandante da Guarda Real
Lealdade Casa Osgrey
Casa Targaryen
Guarda Real
Cultura Terras da Coroa
Filho(a)(s) Pelo menos um filho ou filha[4]
Nascimento Em ou entre 191 d.C. e 191 d.C.[5], em Porto Real
Morte Em 259 d.C.[6], em Solarestival[6]
Mencionado
Mencionado
Mencionado
PDV
PDV
PDV

Duncan o Alto.png
Uma estrela cadente verde sobre um olmo em fundo com as cores do pôr-do-sol.[1]

GoT Logo.jpg
Intérprete Peter Claffey[7]
Aparições A Knight of the Seven Kingdoms: The Hedge Knight

Sor Duncan, o Alto foi um cavaleiro que serviu como Senhor Comandante da Guarda Real durante o reino do rei Aegon V Targaryen. Seu escudo de armas pessoal é uma estrela cadente verde sobre um olmo tendo como fundo as cores do pôr-do-sol,[1][8] mas ele usou por pouco tempo o brasão de outro cavalheiro desconhecido “um homem enforcado balançando triste e cinzento embaixo de uma árvore”.[3]

Criado na Baixada das Pulgas, com a alcunha de Dunk, Duncan se tornou escudeiro de Sor Arlan de Centarbor, um cavaleiro andante. O próprio Duncan viajaria pelos Sete Reinos como um cavaleiro andante, com o jovem príncipe Aegon Targaryen, conhecido como "Egg" ("Ovo"), como seu escudeiro. Suas façanhas iniciais são narradas no livro O Cavaleiro dos Sete Reinos (Crônicas de "Dunk & Egg", na tradução livre do inglês). As histórias são divididas nos livros O Cavaleiro Andante, A Espada Juramentada e O Cavaleiro Misterioso.

Aparência e características

Veja também: Imagens de Duncan
Dunk, por Тхе Мичо ©

Dunk tem cabelos emaranhados, grossos e claros raiados de sol.[2][3] Com dezesseis ou dezessete anos, Dunk era um garoto desajeitado, desgrenhado, de ossos grandes, rápido, forte como um auroque e estava apenas começado a ganhar corpo.[1] Nessa mesma idade, Dunk era incrivelmente alto, estando mais próximo dos 7 Pés de altura (2,13 metros) do que dos 6 Pés (1,83 metros).[1] Quando Meistre Aemon mediu sua altura em algum momento entre 209 d.C. e 211 d.C., ele concluiu que faltava exatamente 1 polegada (2,54 centímetro) para alcançar os 7 Pés (2,13 metros), ou seja, sua altura era de 6 pés e 11 polegadas (6' 11" é aproximadamente 2 metros e 11 centímetros),[N 1] mas ele ainda era jovem e poderia crescer ainda mais.[2] Dunk também ficou com uma cicatriz na bochecha após os eventos de Pousoveloz em 211 d.C..[2][3]

Ele possuía uma personalidade humilde e muitas vezes refere a si mesmo como pateta, cabeça-dura ou lento como um auroque, lembrando-se da frase de Sor Arlan de Centarbor: “Dunk, o pateta, cabeça-dura como uma muralha de castelo”. Mas apesar disso, Duncan é leal e determinado e age rigorosamente de acordo com o conceito idealizado do código de honra e conduta dos verdadeiros Cavaleiros, mesmo que Dunk não tenha sido nomeado um Cavaleiro por Arlan de Centarbor,[9] apesar de ele mesmo afirma ser um cavaleiro.[1]

História

Infância

As lembranças mais antigas de Dunk são de ter vivido como um dos muitos órfãos na Baixada das Pulgas, o mais pobre dos distritos de Porto Real.[1] Seus amigos mais próximos atendiam pelos nomes de Fuinha, Rafe e Pudim. Em sua própria concepção, eles eram "pequenos monstros" sendo Dunk o pior de todos,[3] espancando e roubando outros meninos menores que ele.[2] Às vezes, chegavam a vender pedaços de carne de origem duvidosa para as lojas de ensopados.[1][3]

Duncan era órfão[1] e nunca conheceu nenhum de seus pais, mas ele supunha que provavelmente sua mãe era uma prostituta qualquer que talvez tenha morrido no parto.[3] Um cozinheiro conhecido de Dunk afirmava (sem qualquer prova) que seu pai era um ladrão qualquer que acabou sendo enforcado ou mandado para a Muralha.[3] Dunk sonhava em visitar a Patrulha da Noite na esperança de encontrar seu pai.

Dunk tinha cinco ou seis anos de idade quando Sor Arlan de Centarbor o encontrou perseguindo porcos[3] e fez de Dunk seu escudeiro[1] cerca de 2 anos[N 2] após a morte de seu antigo escudeiro e sobrinho, Roger de Centarbor, na Batalha do Campo do Capim Vermelho.[2][3] Sor Arlan tirou Duncan da Baixada das Pulgas, fazendo-o trabalhar muito e também ensinando ao garoto como ser um cavaleiro. O otimismo e a humildade de Sor Arlan tiveram grande influência no caráter e na personalidade de Dunk, mas sua mania de repreendê-lo como "Dunk, o pateta" acabou atrapalhando a auto confiança do rapaz. Os dois cavalgaram juntos por vários lugares de Westeros, exceto o Norte.[2] Eles também nunca visitaram Centarbor, a vila natal de Sor Arlan.[3] Eles serviram Lorde Leo Tyrell do Jardim de Cima durante os primeiros anos que Dunk serviu Sor Arlan,[1] visitando Porto Real em 205 d.C.,[3] onde ele viu pessoalmente pela primeira vez Brynden Rivers, o Corvo de Sangue.[2] Eles também serviram a Casa Florent por meio ano e depois eles serviram a Casa Dondarrion quando o Rei Abutre foi expulso das Montanhas Vermelhas em Dorne com a ajuda do Lorde Caron em 206 d.C..[1] Eles também visitaram Lannisporto, onde Duncan teve seu primeiro beijo com uma taverneira,[1] em 208 d.C. e vários outros lugares. Em algum momento Sor Arlan e Duncan, também acompanhados de Sor Bennis do Escudo Marrom, estiveram no grupo de cavaleiros contratados por um comerciante de Dorne para escoltá-lo em segurança de Lannisporto ao Passo do Príncipe em Dorne. Nessa época Sor Bennis beliscava Duncan muito forte enquanto Sor Arlan não estava por perto, mas Duncan nunca falou nada para Sor Arlan.[2]

Duncan aprendeu a cavalgar e lutar com espadas, lanças e outras armas com Sor Arlan,[1] embora suas experiências de luta na Baixada das Pulgas permaneceram relevantes mesmo depois de adulto.[1][2] Desde a primeira vez que Sor Arlan deixou Duncan segurar em uma espada, ele sonhava em se tornar um cavaleiro da Guarda Real.[3]

O Cavaleiro Andante

Duncan, o Alto, no graphic novel de O Cavaleiro Andante, por Mike S. Miller ©

Quando Dunk tinha por volta de dezesseis ou dezessete anos, Sor Arlan faleceu de um resfriado a caminho de Vaufreixo, onde aconteceria um torneio em 209 d.C.. Dunk dizia que ele tinha por volta de sessenta anos e morreu como viveu, como um cavaleiro andante. Cavalgando de castelo à castelo, servindo a vários senhores, lutando suas guerras e festejando em seus salões ao fim das batalhas, quando novamente tomava a estrada. O rapaz enterrou Sor Arlan e decidiu competir no Torneio de Vaufreixo, tomando os equipamentos uteis e usando cavalo de Sor Arlan.

No caminho, Dunk passa a noite em uma pousada onde conheceu um bêbado que afirma ter sonhado com ele, enquanto corria assustado. Dunk também conheceu um garoto careca e ousado que supôs ser o filho da dona da estalagem. O garoto suplicou para ser seu escudeiro, mas Dunk recusa o pedido, entregando ao desapontado garoto uma moeda de cobre, alegando que seria cruel tirá-lo de sua casa para ser um escudeiro de um Cavaleiro Andante. Dunk retoma sua jornada para Vaufreixo, sem notar que o garoto estava seguindo-o na traseira de uma carroça. Em Vaufreixo, Dunk procura Pate de Aço para comprar armamento adequado, mas é muito caro e quando retorna para seu humilde acampamento (na verdade, um grande olmo onde passaria a noite), ele encontra o garoto careca, que afirma se chamar “Egg” e que veio de Porto Real. Dunk presume que o garoto era da Baixada das Pulgas, assim como ele, e finalmente aceita Egg como seu escudeiro, sem saber quem ele realmente era. Eles ergueram acampamento fora de Vaufreixo para não chamar atenção, e observaram uma estrela cadente sob um grande olmo ao anoitecer. Para Dunk, aquele momento simbolizava o estilo de vida de um cavaleiro andante. Na manhã seguinte, Dunk tentou fazer sua inscrição no torneio com Plummer, um intendente de Vaufreixo, mas este não acreditou que Dunk era um Cavaleiro e sugeriu achar alguém que confirmasse isso. Dunk pensou em Lorde Dondarrion, já que ele e Sor Arlan serviram-no em Dorne. Ao sair, o Príncipe Aerion Targaryen acompanhado de Sor Roland Crakehall e Sor Donnel de Valdocaso, ambos da Guarda Real, arrogantemente confundiu Dunk com criado e saiu. Em seguida, Dunk vendeu os equipamentos de Sor Arlan e um dos cavalos, o Passomanso, para Henly, um cocheiro de Vaufreixo, com a intenção de comprar armaduras do seu tamanho, mas infelizmente não conseguiu tanto dinheiro quanto esperava nessa barganha. Enquanto ia até Pate de Aço para comprar sua armadura, ele esbarra com Sor Steffon Fossoway e seu escudeiro Raymun Fossoway treinando. Sor Steffon provoca Dunk, encorajando-o para um treino, mas Dunk rejeita e sai dali, com Raymun seguindo-o para pedir desculpas pela forma como ele e seu primo agiram com Dunk. Após comprar sua armadura de Pate de Aço, ele volta até Egg e no outro dia procurou Sor Manfred Dondarrion para que este possa reconhecer seu título de cavaleiro para que Plummer possa aceitá-lo no torneio, mas Sor Manfred não se lembra de Dunk nem de Sor Arlan e o expulsa do local. Preocupado por ninguém confirmar a legitimidade do seu título de Cavaleiro, Dunk retorna para o Castelo de Vaufreixo, onde encontra o Príncipe Baelor Targaryen, herdeiro do Trono de Ferro, discutindo com seu irmão mais novo, o Príncipe Maekar Targaryen, sobre o sumiço de dois dos seus filhos, Aegon e Daeron Targaryen. Dunk alegou aos organizadores do torneio que Sor Arlan o havia armado cavaleiro antes de sua morte,[N 3] mas Lorde Ashford recusa sua participação, até a intervenção de Príncipe Baelor Targaryen, que havia enfrentado Sor Arlan em uma notável ocasião. Príncipe Baelor permitiu que Dunk participasse do torneio, tratando-o de forma cortês e honrada, enquanto Príncipe Maekar estava impaciente com o Cavaleiro Andante. Ao se despedir de Dunk, Príncipe Baelor diz que ele deveria usar um brasão pessoal diferente do que carregava no escudo, pois cálice alado era o emblema de Sor Arlan de Centarbor, não dele. Dunk encontra Egg e sai a procura de um novo brasão de armas. Ele acabou encontrando uma bela marionetista dornesa, que tinha o nome de Tanselle, e era conhecida como Muito-Alta. Dunk carinhosamente se referia a ela como Não-Tão-Alta para ele. Devido sua habilidade para pintar marionetes, ele contratou-a para pintar em seu escudo uma estrela cadente sobre um olmo, tendo como fundo o pôr-do-sol, como sugerido por Egg.

Tanselle e Dunk discutem seu novo símbolo, com a ajuda de Egg. Arte por Mike S. Miller.

No outro dia, Dunk e Egg assistem o primeiro dia do torneio e, depois de vários combates, eles vislumbram o ato de covardia de Príncipe Aerion Targaryen, matando o cavalo de Sor Humfrey Hardyng, que quebrou a perna na queda. Durante todo o combate, Egg estava torcendo para Sor Humfrey matar Príncipe Aerion Targaryen. Lorde Ashford acabou as justas do dia e declarou Sor Humfrey Hardyng como vencedor do combate, dando o magnífico corcel do Príncipe Aerion Targaryen para Sor Humfrey, mas isso foi iniciativa do Príncipe Baelor Targaryen que também enviou seu próprio Meistre para cuidar de Sor Humfrey. Naquela noite, Dunk e Egg vão até Tanselle para saber sobre seu brasão pintado no escudo, mas ela estava no meio de uma apresentação, então Dunk conversa com Raymun Fossoway enquanto Egg espera Tanselle acabar sua apresentação, mas Aerion Targaryen atacou a marionetista, alegando traição por matar um dragão em sua peça de marionetes, e Dunk correu para salvá-la. Depois de quebrar vários dentes do Príncipe Aerion, o grandalhão foi subjugado pelos guardas Targaryen, mas Egg, revelando sua identidade como Aegon Targaryen, protegeu seu amigo das terríveis consequências que cairiam sobre ele por derramar “o sangue do dragão”.

Dunk foi aprisionado e recebeu a visita do Príncipe Aegon Targaryen, conhecido por Dunk como Egg, que pede desculpas por mentir e botar Dunk nessa confusão. Logo depois, Príncipe Baelor Targaryen também vista Dunk, informando que a punição por derramar sangue real é a morte ou a perda dos membros usados na agressão, mas diz que sempre existe a possibilidade de um Julgamento por combate. Vingativo, mas temendo o tamanho e a força de Dunk, Aerion exigiu um Julgamento de Sete, um julgamento por combate envolvendo sete combatentes de cada lado, mas o que Príncipe Aerion realmente queria era que Dunk não conseguisse juntar seis aliados para sua causa e, assim, morresse sem um combate. Infeliz por não acreditar que alguém tomaria seu partido contra alguém da família real, Dunk volta para seu acampamento com seu cavalo e sua prata, onde encontra Sor Steffon Fossoway, que afirma que tomará o partido de Dunk e tentará juntar outros a sua causa, saindo em sua busca. Raymun Fossoway, o escudeiro de Sor Steffon, diz para Dunk que dificilmente Sor Steffon vai juntar outros nomes a sua causa, mas que o escudeiro também vai fazer o seu melhor. Príncipe Aegon e Príncipe Daeron Targaryen chegam no local e o desconfiado Dunk questiona as intenções de Príncipe Daeron, que lutará por seu irmão Aerion, mas este responde que pretende cair do cavalo após a primeira investida e não levantar mais, ou seja, ele não será um problema para Dunk, mas informa que Sor Donnel, Sor Willem Wylde e Sor Roland Crakehall (todos da Guarda Real), serão adversários muito mais preocupantes. Príncipe Aegon também informa que Príncipe Maekar tomará o partido de Aerion. Desesperanço, Dunk afirma que só tem Sor Steffon Fossoway do seu lado. Então, Príncipe Daeron afirma que sonhou com Dunk sobrevivendo a tombo de um Dragão enorme e magnífico, que morreu nessa queda. Príncipe Daeron afirma que seus sonhos sempre se tornam reais e por isso certificou-se de procurar Dunk para implorar que não o mate no torneio. Mais tarde, Dunk se encontra com Pate de Aço que o entrega o escudo pintado por Tanselle e informa a Dunk que a garota fugiu de Vaufreixo, mas está profundamente agradecida por Dunk salvá-la. Dunk fica chocado ao descobrir que o povo comum estava torcendo por ele, pois era um cavaleiro verdadeiro que lembrava-se dos votos de proteger os indefesos. Nos momentos finais antes do torneio começar, Dunk encontra Raymun Fossoway, que conseguiu juntar Sor Humfrey Hardyng e Sor Humfrey Beesbury a sua causa. Egg ajudou Dunk a encontrar aliados como Sor Robyn Rhysling e o próprio Sor Lyonel Baratheon, o Tempestade Risonha em pessoa. Porém Sor Steffon Fossoway trai Dunk e afirma que tomará o partido do Príncipe Aerion Targaryen e sai. Furioso com a traição do seu primo, Raymun Fossoway implora a Dunk para armá-lo cavaleiro para que possa tomar partido de Dunk, mas esse hesita, já que mentiu sobre ser um cavaleiro de verdade.[9] No fim, foi Sor Lyonel Baratheon quem armou Raymun Fossoway como um cavaleiro, mas ainda faltava um aliado para completar os sete a favor de Dunk. Pouco antes do julgamento começar, Dunk implora na frente de todos para que alguém tome seu partido, mas foi ignorado por Lorde Damon Lannister, Sor Manfred Dondarrion, Lorde Caron, Lorde Swann e Sor Otho Bracken, o Bruto. Desolado, Dunk faz uma última súplica antes de Príncipe Baelor Quebralanças, herdeiro do Trono de Ferro, tomar seu partido. Príncipe Baelor elabora toda a estratégia de combate, usando lanças de torneio como armas durante a montaria e utilizando o juramento da Guarda Real dos adversários a favor da causa de Dunk. Quando soou as trombetas, o combate teve início. Dunk enfrentou Príncipe Aerion e sua inexperiência com a lança e a espada quase o levaram à morte. Utilizando sua força e os conhecimentos de briga adquiridos na Baixada das Pulgas, Dunk derrotou Aerion e o forçou a se render. Observou como Sor Lyonel Baratheon e Príncipe Baelor pressionavam duramente Príncipe Maekar em combate, enquanto Sor Raymun e Sor Steffon lutavam incansavelmente entre si. Dois membros da Guarda Real saiam machucados de combate, enquanto o terceiro estava inconsciente no chão. Dunk então arrastou o derrotado Príncipe Aerion pela lama até a arquibancada de Lorde Ashford e obrigou Príncipe Aerion a repetir sua rendição perante todos, para encerrar o combate, antes que mais baixas acontecessem. O vitorioso Duncan foi aclamado pela multidão, mas dois dos homens que lutaram em seu nome tombaram durante o combate (Sor Humfrey Beesbury morreu durante o torneio mesmo e Sor Humfrey Hardyng morreu mais tarde, devido a seus ferimentos em batalha), e pouco depois do julgamento terminar Príncipe Baelor também morreu devido a um ferimento na cabeça causado por seu próprio irmão, o Príncipe Maekar, que lutava por seu filho, Príncipe Aerion. Dunk ficou assolado pela morte de homens tão bons, especialmente por Príncipe Baelor Quebralanças. Durante o enterro, Dunk foi até Príncipe Valarr Targaryen, filho de Príncipe Baelor, para confortá-lo e agradecer, mas o príncipe culpou-o pela morte do seu pai e o expulsou dali. Mais tarde, o pai de Egg, Príncipe Maekar visita Dunk e informa que seu filho, o Príncipe Aerion, foi exilado para Lys e uma conversa segue, onde ele diz que nunca teve a intenção de matar seu irmão, mas mesmo assim as pessoas irão culpá-lo, assim como culparão Dunk. Então, Príncipe Maekar pediu para que Dunk tomasse o menino como seu escudeiro oficialmente para servir como uma boa influência para Egg. Dunk aceitou, mas se recusou servir a Casa Targaryen, preferindo permanecer como um cavaleiro andante, podendo assim ensinar à Egg a humildade que seus irmãos mais velhos, Aerion e Daeron, nunca haviam conhecido. Incrédulo com o que Dunk oferecera, Príncipe Maekar aceita relutantemente a proposta, permitindo que Egg viagem pelos Sete Reinos servindo como escudeiro de Dunk.

Entre O Cavaleiro Andante e A Espada Juramentada

Em algum ponto entre o fim do conto O Cavaleiro Andante e o início do conto A Espada Juramentada, Dunk e Egg alcançaram o Passo do Príncipe em Dorne,[2] provavelmente procurando por Tanselle, a marionetista que ele havia salvo em Vaufreixo e que tinha dito para Dunk ir procurá-la em Dorne.[1]

Eles partiram para Vaith e durante a travessia, Castanha, o cavalo de Dunk, morreu, então Dunk e Egg montaram Trovão ao mesmo tempo por um período.[2] Uma vez em Vaith, Dunk conheceu a senhora Cassella Vaith e falou com ela tão sem jeito que acabou colocando sua vida e a de Egg em perigo. De acordo com Egg, a Senhora de Cassella Vaith era louca, dessa forma é impossível saber se esse perigo poderia ter sido evitado. Em 209 d.C. e 210 d.C., a Grande Praga da Primavera devastou Westeros, mas Dunk e Egg conseguiram escapar da doença, já que nesse período eles estavam em Dorne, uma das duas regiões não afetadas pela praga.[2]

Dunk eventualmente deixou Dorne acompanhado de Egg a bordo de um navio chamado Donzela Branca, que os pegou em Vila Tabueira e os levou até Vilavelha.[2][3] A bordo deste navio, Dunk teve sua primeira experiência de combate em alto mar, ajudando a tripulação a derrotar um grupo de piratas.[3] Em Vilavelha, o irmão de Egg, o Meistre Aemon, mediu a altura de Dunk e concluiu que ele tem 6 pés e 11 polegadas (2 metros e 11 centímetros).[2] Em algum momento, Egg foi presenteado com uma mula chamada Meistre por um de seus irmão,[2] provavelmente Meistre Aemon, já que Dunk e Egg visitaram-no nesse mesmo período e o nome da mula sugere uma homenagem ao Aemon.

Nesse tempo Dunk desistiu de tentar encontrar Tanselle ou mesmo falar sobre ela. Não é dito se eles a encontraram ou não, mas Dunk muitas vezes disse ter sonhos com a dornesa mesmo eles nunca tendo se tocado, nem mesmo de uma maneira inocente.

A Espada Juramentada

Duncan, o Alto, no graphic novel de O Cavaleiro Andante, por Mike S. Miller ©

Dunk e Egg deixaram Vilavelha e viajaram para Pousoveloz, ainda nas terras da Campina, onde começaram a servir Sor Eustace Osgrey, um pobre cavaleiro de terras que também havia contratado um antigo desafeto de Dunk, Sor Bennis, o Marrom. Em 211 d.C. havia uma grave seca na Campina que durava quase dois anos e boa parte do povo comum culpava injustamente Lorde Brynden Rivers, o Mão do Rei Aerys I Targaryen, que sucedeu o Rei Daeron, o Bom após sua morte na Grande Praga da Primavera. O Riacho Xadrez de Pousoveloz havia secado de uma maneira muito súbita e suspeita, mesmo para aquela seca, então Dunk insiste em investigar, apesar dos protestos de Sor Bennis, que relutantemente acompanha Dunk. Ambos entraram em terras da Casa Webber, uma casa de muito desafeto de Sor Eustace Osgrey. Dunk e Sor Bennis descobriram que os camponeses da Senhora Rohanne Webber de Fosso Gelado haviam construído uma represa para desviar o curso do córrego que corria na direção de Pousoveloz, tornando as terras de Sor Osgrey secas e inférteis. Imprudentemente, Sor Bennis fere o rosto de um desses camponeses, afugentando todos. No caminho de volta, Sor Bennis diz para Dunk mentir sobre o Riacho Xadrez para Sor Eustace Osgrey, dizendo que foi a seca (e não a barragem) a responsável pelo fim do riacho, pois a verdade levaria ao derramamento de sangue. Dunk se recusa a mentir e, ao chegar em Pousoveloz, procura Sor Eustace. Dunk escuta pacientemente a história de um membro histórico da Casa Osgrey, Sor Wilbert Osgrey, O Pequeno Leão, que derrotou um Rei Lannister antes da Guerra da Conquista. Mas quando finalmente a barragem do Riacho Xadrez foi mencionada, Sor Eustace ficou preocupado e ao saber do ataque imprudente de Sor Bennis aos camponeses de Fosso Gelado: ele soube que haveria retaliação e decidiu armar e treinar seu povo para defender suas terras. O treinamento foi um fracasso, já que o povo nunca havia lutado uma guerra se quer. Egg sugeriu usar sua verdadeira identidade para evitar a guerra e salvar a vidas dos camponeses, mas Dunk recusou revelar sua identidade secreta para manter o garoto seguro. Sentindo que uma batalha seria uma péssima ideia, Sor Eustace ordenou que Dunk fosse visitar Fosso Gelado para tratar com a Senhora Rohanne Webber sobre a paz, talvez pagando o que ele chamou de "O Preço de Sangue". Dunk e Egg partem com Sor Eustace, que acompanhou os dois até um pedaço do caminho. Antes de voltar, Sor Eustace conversa sobre a Batalha do Campo do Capim Vermelho na Primeira Rebelião Blackfyre.

Em Fosso Gelado, Dunk descobre que, se deseja falar com a Senhora Rohanne Webber, ele precisa primeiro da aprovação de Sor Lucas Inchfield, o Castelão de Fosso Gelado. Enquanto procurava o cavaleiro, Dunk viu uma jovem garota sardenta e com tranças treinando com arco e flecha. Dunk encontra Sor Lucas Inchfield e Septão Sefton Staunton, que pregam uma peça em Dunk ao apresentá-lo a Senhora Helicent Uffering como se ela fosse a Senhora Rohanne Webber. Desconfiando da pegadinha, Dunk sente que tem algo de errado, mas é interrompido pela verdadeira Senhora Rohanne, que acaba com a brincadeira de mau gosto de Sor Lucas Inchfield e Septão Sefton Staunton. Impressionado pela beleza e jovialidade da garota, Dunk se perde entre suas próprias palavras e vira alvo de chacota mais uma vez, mas Senhora Rohanne repreende a todos pela falta de educação, inclusive Sor Lucas. Ela ordena que Septão Sefton faça companhia a Dunk na câmara de audiência enquanto ela se prepara para a reunião. Septão Sefton e Dunk conversam sobre os problemas dos Sete Reinos, sobre a Mão do Rei, Lorde Brynden Rivers, e sobre os falecidos esposos da Senhora Rohanne, que precisava casar-se novamente para não perder suas terras para seu primo, Sor Wendell Webber. Quando finalmente chega, a Senhora Rohanne pede desculpas pelas troças e informa que Sor Lucas Inchfield sentiu-se intimidado pelo tamanho e força de Dunk. Quando as negociações finalmente começaram, mesmo que houvesse uma forte tensão sexual entre eles, a Senhora Rohanne recusou todas as ofertas de perdoar Sor Bennis. Então, Duncan descobre que Sor Eustace havia lutado por Daemon Blackfyre durante a Rebelião Blackfyre, o que fazia dele um rebelde derrotado que perdeu grande parte de suas terras para a Casa Webber[N 4]. Sor Eustace também mentiu a Dunk sobre ser o proprietário do Riacho Xadrez. Desesperado e encurralado, Dunk apela pela amizade que Senhora Rohanne tinha pelo filho de Sor Eustace, o falecido Addam Osgrey. Furiosa pelo apelo, a Senhora Rohanne estapeou o rosto de Dunk e o expulsou de Fosso Gelado, exigindo que entreguem Sor Bennis ou ela invadirá as terras de Sor Eustace com fogo e espadas. Confuso pela fúria repentina da Senhora, Dunk apenas observa ela ir embora. Septão Sefton Staunton explica para Dunk que Rohanne era apaixonada por Addam Osgrey e que ela sempre culpou Sor Eustace pela morte do garoto.

Dunk e Egg, por Gary Gianni

Chocado com aquelas revelações sobre Sor Eustace, Dunk deixa Fosso Gelado e no caminho ele planejava derrubar a barragem pela força, mas esta estava sendo vigiada por besteiros, então decide seguir seu caminho de volta para Pousoveloz. No caminho, ele e Egg conversam sobre Príncipe Maekar, Lorde Corvo de Sangue e Bastardia. Eles chegam em Pousoveloz ao anoitecer, então Dunk procura por Sor Eustace, questionando-o sobre suas mentiras. Dunk percebe que ele ainda era um partidário do Dragão Negro em seu coração. Egg questiona se ele escolheu apoiar Daemon Blackfyre para recuperar suas terras, mas ele responde que apoiou-o por acreditar que era o melhor homem, julgando o Rei Daeron II Targaryen como um homem fraco. Ao escutar as palavras de Sor Eustace, Dunk decide deixar Pousoveloz e abandonar os serviços da Casa Osgrey na manhã seguinte. Durante sua última noite e Pousoveloz, Dunk se deparou pensando em Rohanne antes de dormir e sonhar com a jovem Senhora, mas acordou a noite com gritos de terror, pois o Bosque Wat estava em chamas, o que fez com que Dunk desconfiasse que a Senhora Rohanne já tivesse iniciado sua campanha contra Sor Eustace. O incêndio durou até o amanhecer, mas o exército da Senhora Rohanne não chegou. Egg pede para Dunk fazer alguma coisa para ajudar as pessoas, mas Dunk afirma que esse não é mais um assunto deles, já que vão partir de Pousoveloz. Então, Egg sugere irem para Ilha Leal e servirem Lorde Farman. Antes de irem, Dunk nota que Sor Bennis do Escudo Marrom (com a anuência de Sor Eustace) está disposto a sacrificar o povo comum de Pousoveloz para salvar-se, então repentinamente Dunk decide mandá-los de volta para suas casas, mas promete encarar a Senhora Rohanne[N 5] ao lado do velho cavaleiro enquanto Sor Bennis ficaria para proteger Pousoveloz. Indo de encontro as forças armadas de Fosso Gelado no Bosque Wat, Sor Eustace sugere que Dunk mate Senhora Rohanne para que seu exército se disperse sem um líder e Dunk relutantemente confirma, mas deseja em pensamentos que não chegue a esse ponto. Esperaram a chegada da Senhora Rohanne na fronteira de suas terras. Pouco depois, trinta e três homens armados de Fosso Gelado aparece com seus cavalos, junto com Sor Lucas Inchfield e a Senhora Rohanne em pessoa. Sor Eustace acusa Senhora Rohanne de ter ateado fogo em Bosque Wat, mas ela rebate dizendo que não o fez, pois o fogo poderia se espalhar até suas próprias terras, devido a grande seca. A tensão aumenta, até que Dunk intervém, chamando a Senhora Rohanne para uma conversa a sós. Antes de Dunk ir, Sor Eustace sugere aproveitar a oportunidade para assassiná-la. Dunk e Senhora Rohanne conversam nas águas do riacho, afastados de todos. Dunk revela para Senhora Rohanne o segredo que Egg é, na verdade, um Targaryen e filho do Príncipe Maekar, mostrando o anel deste. Senhora Rohanne explica que não pode simplesmente perdoar o acontecido, pois as pessoas interessadas em suas terras detectarão fraqueza com essa atitude, principalmente pelo fato de ela ser mulher. Dunk então mente que não foi Sor Bennis quem atacou o camponês, mas sim ele, cortando sua própria bochecha para compensar o mau feito: “Uma bochecha por uma bochecha”. Surpresa e admirada, Senhora Rohanne aceita, mas exige que Sor Eustace retire a acusação da queimada do Bosque Wat e que peça desculpas imediatamente, ou ela exigirá um julgamento. Teimosamente, Sor Eustace recusa-se em retirar a acusação, então um Julgamento por combate se inicia, onde Sor Lucas Inchfield é o campeão da Senhora Rohanne, enquanto Duncan é o campeão de Sor Eustace. Novamente, as habilidades de briga que Dunk aprendera na Baixada das Pulgas combinada com sua força e peso compensaram sua falta de destreza com a espada. Ele matou Sor Lucas com uma adaga, enquanto o manteve submerso na água do riacho, mas recebeu muitos ferimentos e se afogou no córrego, mas foi trazido de volta de forma semelhante as tradições dos sacerdotes do Deus Afogado das Ilhas de Ferro.

Egg ajudou a tirem Dunk da água. Como estava muito ferido demais para voltar a Pousoveloz, Senhora Rohanne ordenou que o levassem até a torre do Meistre Cerrick em Fosso Gelado. Egg acompanhou-o preocupado durante todo o tempo. Quando acordou, ainda todo ferido, com uma lesão no tornozelo, um entorse no joelho, uma clavícula quebrada e cheio hematomas. Meistre Cerrick informa Dunk sobre o casamento da Senhora Rohanne Webber com Sor Eustace Osgrey: Senhora Rohanne pediu a Sor Eustace permissão para visitar o túmulo de Addam Osgrey, onde eles passaram a noite toda conversando e uma reconciliação aconteceu. Antes de adormecer novamente, Dunk descobre também que enquanto estava dormindo a chuva finalmente voltou e a grande seca finalmente teve um fim. Septão Sefton Staunton visitou-o quase todos os dias durante o processo de recuperação, informando-o sobre o que acontecia no castelo. Dunk descobriu que enquanto lutava no córrego, Sor Bennis amarrou as pessoas de Pousoveloz e fugia com todos os bens de valor de Sor Eustace. Após se recuperar parcialmente, Dunk resolve sair de Fosso Gelado e voltar a suas andanças, mas finalmente recebeu a visita da Senhora Rohanne Webber, que foi avisada por Egg de sua partida. Senhora Rohanne não havia visitado-o nenhuma vez sequer durante todo o período de recuperação e, somado ao casamento com Sor Eustace, fez com que Dunk se sentisse rejeitado. Ela o repreende por sair sem avisar, dizendo que ele não precisa ir e oferece-lhe o cargo de capitão da sua guarda, mas Dunk recusa, mesmo com a insistência da Senhora. Então um corcel incrível é oferecido a Dunk como presente para que se recorde dela, mas ele recusa novamente, dizendo que nunca vai esquecê-la. Senhora Rohanne insiste para que aceite e então Dunk rouba um último beijo de Rohanne e, como uma forma de vingança, corta uma grande parte de sua longa trança ruiva para guardar como lembrança. Depois disso, Dunk e Egg deixaram aquelas terras com a intenção de irem até a Muralha.

O Cavaleiro Misterioso

Dunk e Egg, por Hazem Ameen ©

Dunk e Egg viajam através das Terras Fluviais e visitam o Septo de Pedra, onde Dunk comprou um escudo novo para substituir o antigo que fora quebrado por Sor Lucas Inchfield no Julgamento por combate. O novo escudo ostentava o símbolo de um homem cinza enfocado embaixo de uma árvore. Infelizmente, Dunk não teve tempo de pintá-la com seu símbolo pessoal: o olmo e estrela cadente. Eles cavalgavam para o Norte para oferecer seus serviços à Lorde Beron Stark, que estava contratando homens para ajudá-lo a expulsar as invasões dos Greyjoy na costa norte. Eles encontraram a cabeça decapitada de um Septão que eles encontraram três dias atrás pregando traições contra o Mão do Rei, o Lorde Brynden Rivers. No caminho, Dunk e Egg cruzaram com um comboio liderado por Lorde Gormon Peake de Pontestrelada, cujo escudo de armas era formado por três castelos negros em fundo alaranjado. Tal brasão de armas incomoda Dunk por algum motivo, que se pergunta da onde ele conhece tal símbolo. Nesse comboio também havia um Senhor chamado Alyn Cockshaw e um homem bem vestido e ricamente adornado que se dizia ser um Cavaleiro Andante chamado Sor John, o Violinista. Dunk foi desafiado e insultado por Lorde Gormon e Lorde Alyn durante a viagem, mas o Violinista sempre o tratou com cortesia. Antes de partirem, Sor John convida Dunk e Egg a juntarem-se a comitiva para irem juntos até Alvasparedes e participarem do torneio de casamento de Lorde Ambrose Butterwell com uma Frey da Travessia, mas Dunk gentilmente recusa o convite. Antes de partir, Sor John, o Violinista, se despede e diz que gostaria de ver Dunk novamente. Dunk estranha como um simples Cavaleiro Andante pode ter vestimentas e modos tão requintados.

No decorrer das coisas, Dunk acabou tomando aversão por Lorde Gormon Peake, pois finalmente recordou sobre o brasão de armas da Casa Peake, lembrando-se que Sor Arlan - de quem Dunk havia sido escudeiro - tinha dito uma vez que seu antigo escudeiro e sobrinho, um rapaz chamado Roger tinha sido morto por Lorde Gormon na Batalha do Campo do Capim Vermelho. Egg contou para Dunk que o escudo de armas de Peake tinha três castelos negros porque a Casa Peake possuía três castelos, e contou também que dois deles foram tomados pelo Trono de Ferro quando Peake escolheu apoiar a Casa Blackfyre na Primeira Rebelião Blackfyre.

No fim das contas, mesmo sem se juntar a comitiva de Sor John, o Violinista, Dunk decide participar do Torneio de Alvasparedes antes de seguir caminho até a Muralha, mesmo com os avisos de Egg sobre Dunk não estar pronto para participar de um torneio. Durante a jornada, eles ficaram amigos de outros três cavaleiros andantes: Sor Kyle, o Gato, Sor Glendon Ball e Sor Maynard Plumm. Todos eles estavam esperando o bote para atravessar o rio a caminho Alvasparedes. Eles passaram a noite conversando, comendo e bebendo com seus estoques pessoais de carne seca, ovos em conserva e vinho azedo. Foi dito que o torneio celebraria a união de Butterwell com uma Frey da Travessia, pois Lorde Ambrose Butterwell perdeu dois de seus filhos na Primeira Rebelião Blackfyre e seu último filho morreu logo depois. Também é dito que o prêmio para o vencedor do Torneio de Alvasparedes seria um Ovo de dragão. Sor Glendon Ball revelou ser filho de Sor Quentyn Ball, o Bola de Fogo, e deseja provar seu valor nesse torneio. No outro dia, enquanto esperavam pelo bote, Egg notou que Lorde Shawney e Lorde Costayne também estavam indo para o Torneio de Alvasparedes. Então, Egg informou à Dunk suas suspeitas de que aquele era o casamento de traidores, uma vez que a maioria dos nobres que estavam indo para o casamento aliaram-se a Casa Blackfyre durante a Primeira Rebelião Blackfyre. Dunk disse para ele manter sua suspeita para si e tentar não chamar atenção. Em Alvasparedes, Dunk foi aceito no grande salão, mas foi separado de Egg, que deveria tomar seu lugar ao lado de outros escudeiros durante o jantar. No entanto, Dunk sentou-se ao lado de Sor Kyle, o Gato, Sor Maynard Plumm e um outro cavaleiro, Sor Uthor Underleaf, durante o jantar. Eles viram Sor Glendon Ball ser destratado enquanto tentava assumir um lugar entre os nobres, mas foi reconduzido até os acentos junto com Dunk e os outros. Quando os brindes em homenagem a outros nobres começaram, o primeiro brinde foi ao "Rei" e muitos outros o seguiram. Dunk preocupadamente nota que grande parte dos convidados (incluindo Sor Glendon Ball) se recusaram a brindar em nome de Lorde Brynden Rivers, a Mão do Rei. Dunk bebe felizmente quando fazem homenagem a memória dos mortos. Dentre tantos outros brindes, Dunk nota que Sor John, o Violinista, solicita um brinde em homenagem a seus irmãos, mesmo sendo apenas um Cavaleiro Andante. A comida e a bebida eram abundantes e Dunk acaba ficando bastante bêbado e vai até a rua para urinar. Acaba achando um arbusto e, sem querer, escuta a conversa entre Lorde Gormon Peake e um sujeito misterioso sobre Açoamargo não estar no casamento, um possível despertar de um dragão e uma vitória sobre Corvo de Sangue, mas Dunk estava bêbado demais para entender o que aquilo significava. Dunk volta para o grande salão onde o banquete está acontecendo. Quando chegou o momento conduzirem os recém-casados até seus aposentos para consumarem o casamento, Dunk foi chamado por John, o Violinista para carregar a noiva até os aposentos de seu marido. Na volta, o bêbado Dunk achou o Ovo de dragão e pegou-o na mão, mas foi reprendido pelo mesmo homem que estava conspirando com Lorde Gormon Peake a pouco tempo atrás. Depois, Dunk saiu do castelo para o telhado ao ar livre. Sor John, o Violinista admite que seguiu-o até ali para fugir de Lorde Alyn Cockshaw e, nesse momento, revelou que havia lhe reconhecido na estrada no primeiro encontro que tiveram. Contou que Duncan havia aparecido para ele em um sonho onde vestia uma armadura completa da Guarda Real. O Violinista disse que seus sonhos sempre se tornavam realidade, assim como uma vez ele sonhou com a morte dos irmãos e também que um Ovo de dragão chocaria em Alvasparedes. A conversa é abruptamente interrompida por Lorde Gormon Peake, que aparece ameaçando tirar a vida de Dunk se ele falar a qualquer pessoa sobre essa conversa. Quando voltou para seus aposentos, estava quase sóbrio e encontrou Egg lendo um livro. Egg tentou alertá-lo mais uma vez sobre os nobres que participam desse torneio pertencem a casas que apoiaram Daemon Blackfyre na Primeira Rebelião Blackfyre, mas Dunk não quis dar ouvidos, achando que eram apenas coincidência e que o dragão negro estava morto e aqueles que lutaram com ele fugiram ou foram perdoados. Dunk ordenou que Egg o inscrevesse no torneio no outro dia.

Dunk decidiu lutar na primeira partida da justa como um cavaleiro misterioso, então Egg inscreve-o no Torneio de Alvasparedes com o nome de "Cavaleiro da Forca",[N 6] no caso de alguém ter ouvido falar de Sor Duncan, o Alto, no Torneio de Vaufreixo. Ele acabou derrotado na primeira tentativa por Sor Uthor Underleaf, conhecido como "Cavaleiro Caracol", devido ao seu brasão de armas. A lança de Sor Uthor atingiu Duncan na cabeça, derrubando-o do cavalo e quase matando-o. Sor Kyle, o Gato, perdeu para Lorde Joffrey Caswell e Sor Glendon Ball venceu Sor Argrave, o Desafiante. Inconsciente, Dunk é levado até o Meistre Lothar de Alvasparedes. Preocupado, Egg acompanhou Dunk, mas teve de ser expulso pelo Meistre. Após se recuperar quatro horas depois, Dunk viu-se desesperançoso, pois perdeu suas posses e seu cavalo para Sor Uthor Underleaf ao perder na justa. Dunk sai do local e encontra Sor Kyle, o Gato, que também perdeu suas posses e seu cavalo na justa contra Lorde Joffrey Caswell, enquanto Sor Maynard Plumm adverte que todos os três cavaleiros andantes deveriam deixar Alvasparedes o mais rápido possível, antes que o Violinista traga uma "uma tempestade", sugerindo que John está armando algo e que o torneio é uma fachada. Então, Dunk vai até Egg, que abraça-o aliviado por estar vivo e bem. Triste, Dunk diz para seu escudeiro que provavelmente seus dias como cavaleiro acabaram, já que ele não possui mais armas, armadura ou cavalo. Egg sugere que Dunk vá até Solarestival e procure ajuda do Príncipe Maekar ou que use a influência de seu escudeiro como Príncipe da Casa Targaryen para recuperar os pertences, mas Dunk tristemente recusa-se a mendigar e diz que seria melhor para Egg que ficasse junto de seu pai e fosse treinado por um Mestre de armas capaz, pondo um fim na discussão. Com Egg esperando tristemente do lado de fora da tenda de Sor Uthor, Dunk foi até Underleaf entregar sua armadura e cavalo como manda a regra dos torneios, uma vez que ele não tinha condições de pagar para permanecer com eles. Ambos cavaleiros conversaram por alguns instantes e Dunk descobre que alguém pagou o escudeiro de Sor Uthor com "Ouro de traidor": moedas de ouro cujo "rei" esculpido era Daemon Blackfyre da Primeira Rebelião Blackfyre. Sor Uthor também revela o passado secreto de Sor Glendon Ball, que na verdade é um bastardo de nome "Flowers". Durante a conversa, Dunk faz uma última proposta desesperada, dizendo que poderia pagar o resgate futuramente, quando tivesse dinheiro, mas Sor Uthor Underleaf recusa. Dunk descobre todo o esquema financeiro do ganancioso Sor Uthor, que envolve subornos e apostas. Sor Uthor faz uma contra-proposta, dizendo que poderia usá-lo em seu esquema, mas Dunk se recusa a participar disso. Com os pertences de Dunk, mas rejeitado pelo mesmo, Sor Uthor informou à Dunk que havia sido subornado para tentar matá-lo durante a justa, afirmando ainda que poderia ter concluído a tarefa se o pagamento tivesse sido melhor. De toda forma, ele deixou Dunk alertado para perigos futuros.

Dunk e Egg, por Marc Simonetti ©

Ao perceber que Egg também havia sumido quando saiu da tenda de Sor Uthor, Dunk correu por toda parte a procura de seu escudeiro. Foi até Sor Glendon Ball perguntar sobre Egg, só que este também não o viu. Sor Glendon também informou a Dunk que Lorde Gormon Peake tentou suborná-lo para perder a justa contra Sor John, o Violinista, mas acabou recusando. Dunk seguiu procurando por seu escudeiro e foi falar diretamente com Sor John, o Violinista. Enquanto conversava, Dunk finalmente entendeu que Sor John não era quem dizia ser, mas a conversa é interrompida por Lorde Gormon Peake, que ameaça-o quando Dunk suspeita da conspiração por trás do Torneio de Alvasparedes, informando que Sor John é, na verdade, um Blackfyre. Dunk é avisado que está sendo vigiado e se tentar sair de Alvasparedes, será morto. Dunk sente-se um idiota por ignorar todas as pistas sobre conspiração Blackfyre que estava acontecendo bem debaixo de seu nariz, pondo em risco a vida Egg. Dunk estava acompanhado de Lorde Alyn Cockshaw antes que as justas continuassem, quando ocorreu a notícia de que o Ovo de dragão havia sumido, e a culpa caiu sobre Sor Glendon Flowers, que foi aprisionado por Lorde Gormon Peake. Dunk tenta intervir, mas é segurado por Lorde Alyn Cockshaw, que ameaça matar Egg se tentasse interferir, obrigando-o a segui-lo até o lugar onde Egg está, no entanto era apenas um embuste de Lorde Cockshaw, que levou-o até um poço onde pretendia esfaqueá-lo e deixá-lo afogar-se. Dunk quase foi morto por Alyn Cockshaw, que revelou ser ele a pessoal que havia subornado Sor Uthor para matá-lo na justa, por ter ciúmes da obsessão que John, o Violinista tinha por Dunk. Lorde Cockshaw informa que o verdadeiro nome de Sor John, o Violinista, é Daemon, mesmo nome do seu pai. Quando finalmente Lorde Cockshaw avançou com a faca até Dunk, este pegou uma pedra e acertou-o na boca, pegou-o pelo braço e chutou-lhe o traseiro, empurrando-o em direção ao poço. Na luta, Dunk foi ferido pela faca de Cockshaw, mas recebeu auxílio de Maynard Plumm, que também lhe disse onde poderia encontrar seu escudeiro. Inicialmente, Sor Maynard afirma que Egg está "com os deuses", o que fez Dunk acreditar que seu escudeiro estava morto, deixando-o desolado, mas Sor Maynard revela que ele estava no Septo. Sor Maynard tem muitas informações privilegiadas sobre tudo que estava acontecendo em Alvasparedes, demonstrando não ser apenas um Cavaleiro Andante, como diz ser, porém ele não parecia fazer parte da conspiração Blackfyre como os outros. Depois de sua ferida ser tratada por Sor Maynard, Dunk deixa-o e vai em direção ao Septo, mas antes passa na tenda de Sor Maynard Plumm e pega a força seus antigos escudos e espadas.

Dunk encontrou Egg no septo com o covarde Lorde Ambrose Butterwell, que havia descoberto a verdadeira identidade do escudeiro, que agora ameaçava sua vida acusando de traição contra o Trono de Ferro. Egg disse a Ambrose (falsamente) que ele e Dunk eram espiões enviados para investigar o torneio e que seu pai, Príncipe Maekar estava a caminho com um exército. Temendo por sua vida, Lorde Ambrose Butterwell insiste que é inocente e põe a culpa em Lorde Gormon Peake e Negro Tom Heddle, os verdadeiros articuladores da conspiração Blackfyre. Surpreso com o cenário que encontrou no Septo, Dunk exige falar com seu escudeiro em particular. Egg explica porque havia sumido: ele escapou de Dunk com intenção de enviar um corvo para seu pai resolver o problema da perda dos pertences de Dunk, mas Meistre Lothar (que cuidava dos corvos) levou-o até Lorde Butterwell e Lorde Frey quando descobriu a verdadeira identidade do escudeiro. O Ovo de dragão tinha acabado de ser roubado e Egg pensou em mentir que ele era o ladrão, mas sabia que não era uma boa ideia, então apostou em intimidá-los, o que funcionou muito bem, já que Lorde Frey fugiu para as Gêmeas e Lorde Butterwell estava implorando por sua vida. Dunk soube que com a partida de Lorde Frey de Alvasparedes era questão de tempo até alguém vir atrás de Egg, já que Lorde Frey provavelmente avisou sobre Príncipe escudeiro para os outros e assim foi: o enteado de Lorde Ambrose, Negro Tom Heddle, aparece para tentar ferir Egg, mas acabou morto por Dunk enquanto seus homens ficam indecisos se deveriam obedecer as ordens de Lorde Butterwell ou de Sor Negro Tom Heddle. Então, Lorde Butterwell diz que precisa sair de Alvasparedes imediatamente. Duncan então disse para Egg fugir de Ambrose assim que tiver uma oportunidade pra isso, mas o próprio Dunk não vai deixa Alvasparedes ainda. A fim de ganhar tempo para a fuga, Dunk confrontou o autoproclamado Rei Daemon II Blackfyre - o falso John - acusando Gormon Peake de ter aprisionado Glendon Flowers injustamente pelo roubo do Ovo de dragão. Daemon, que tem muita consideração por Dunk, cai em sua armadilha, exigindo ver o Ovo de dragão pessoalmente. Dunk acusa Lorde Gormon Peake de subornar os adversários de Daemon para que estes perdessem as justas, o que fere o orgulho de Daemon. Duncan sugeriu que houvesse um Julgamento por combate para resolver aquele impasse e Daemon aceita o desafio. Sor Glendon Flowers é trazido a público e os traços de tortura em seu corpo eram visíveis: alguns de seus dentes haviam sido quebrados e três de suas unhas haviam sido arrancadas, enquanto seu olho estava chorando sangue e partes da sua pele estavam em carne-viva. Tal tortura foi orquestrada por Sor Tom Heddle. Dunk sugere que Sor Glendon use uma lança de torneio na justa, tal qual Baelor Targaryen sugeriu que Duncan e seus aliados fizessem no Julgamento de Sete em Vaufreixo. Sor Glendon acabou derrotando Daemon com facilidade e logo após o duelo, Lorde Brynden Rivers, Mão do Rei, conhecido por "Corvo de Sangue", chega com seu exército e prendeu todos os aliados de Daemon, dando fim a Segunda Rebelião Blackfyre antes mesmo dela começar. Dunk inicialmente pensa que o exército de Lorde Corvo de Sangue era na verdade de Príncipe Maekar, tal qual Egg havia falado em sua mentira, mas estava enganado. Daemon tenta inflamar seus seguidores a se erguer em batalha contra Lorde Brynden Rivers, mas estava desmoralizado pela derrota contra Sor Glendon e pelas revelações que Dunk fez contra Lorde Gormon Peake. Desesperado para mostrar valor, Daemon pega um cavalo e vai sozinho até Lorde Brynden Rivers, exigindo um combate singular, mas este não deu ouvidos ao desafio e captura o humilhado Daemon na frente de todos seus apoiadores.

Sor Roland Crakehall da Guarda Real avisa que Lorde Brynden Rivers quer falar com Dunk pessoalmente. Ele encontra Corvo de Sangue em seu pavilhão, onde as cabeças de Peake e Heddle estavam sendo exibidas em lanças, porém Lorde Brynden Rivers perdoou a vida de Lorde Ambrose Butterwell, mesmo que tenha imposto severas penas, como a perda de suas riquezas e seu castelo Alvasparedes. Lá ele também encontra Egg, que demanda que Brynden ofereça recompensas à Sor Glendon Ball, Dunk e outros cavaleiros andantes. Nesse momento, Brynden percebe que Egg está muito mais valente e confiante do que era quando morava em Porto Real e que não era exatamente um dragão verdadeiro que nasceria do Ovo de dragão de Alvasparedes, como havia previsto Daemon em seu sonho, mas sim o próprio Egg revelando-se um verdadeiro Targaryen. Acatando o desejo do garoto, Corvo de Sangue ofereceu dinheiro à Dunk para que ele retomasse sua armadura e cavalo perdidos no torneio. Ainda curioso, Duncan pergunta à Lorde Brynden o que acontecerá com Daemon e este responde que a decisão final será do Rei Aerys I Targaryen, mas que provavelmente vão mantê-lo vivo e preso para que sirva como refém e evite que um outro Blackfyre se autoproclame Rei. Egg pergunta o que realmente aconteceu com o Ovo de dragão e Lorde Brynden diz que, se tivesse que adivinhar, diria que alguém subiu a saída da latrina e tomou o ovo. Insatisfeito com a resposta, Egg diz que a latrina é estreita demais para alguém subir, mas Lorde Brynden diz que uma criança poderia fazê-lo. "Um anão também", havia pensado Duncan ao se lembrar que haviam alguns anões acrobatas no casamento, entendendo que eles eram agentes de Lorde Corvo de Sangue.

Tempos depois

Sor Duncan, o Alto, enfrentando o Lorde Lyonel Baratheon em um julgamento por combate, por Chase Stone

Em algum momento depois de Alvasparedes, Duncan e Egg visitaram Winterfell.[10]

Aegon deu ao seu primeiro filho o nome Duncan, que era conhecido como "Duncan, o Pequeno",[11] provavelmente em homenagem a Dunk. Quando perguntaram a George R. R. Martin sobre isso, ele recusou-se a responder.[12]

Especula-se que Duncan participou da Terceira Rebelião Blackfyre, em 219 d.C., pois Príncipe Aegon participou do evento e ambos são muito próximos.[13] A mesma especulação pode-se fazer sobre o Levante Peake, em 233 d.C., onde Rei Maekar I Targaryen, pois também é confirmada a participação de Príncipe Aegon nesse evento, de acordo com fonte semi-canônica.[14] Ainda em 233 d.C., quando Egg sentou-se no Trono de Ferro como Rei Aegon V Targaryen, foi ordenado que Brynden Rivers fosse até Atalaialeste do Mar na Muralha para este fazer seu juramento a Patrulha da Noite como punição por ter matado traiçoeiramente Aenys Blackfyre quando este tinha um salvo-conduto para vir até Porto Real (tal salvo-conduto foi assinado pelo próprio Brynden Rivers como Mão do Rei) reivindicar seu nome como pretendente ao Trono de Ferro após a morte do Rei Maekar I Targaryen. Meistre Aemon decidiu se juntar a Patrulha da Noite junto com Brynden Rivers para evitar qualquer maquinação onde ele próprio poderia ser usado contra a pretensão ao Trono de Ferro de seu irmão mais novo, o Rei Aegon V Targaryen.[6] Sor Duncan foi ordenado para escoltar Meistre Aemon nessa viagem até a Muralha em um navio chamado "Dragão Dourado".[15]

Duncan eventualmente se juntou a Guarda Real e tornar-se seu Senhor Comandante. Não se sabe exatamente a data dos seus votos, mas a primeira menção dele como membro da Guarda Real foi em 236 d.C., quando Duncan marchou com o Rei Aegon V Targaryen para suprimir a Quarta Rebelião Blackfyre. Ele matou o líder rebelde Daemon III Blackfyre em combate singular e botou o exército inimigo em fuga.[6]

Em 239 d.C., Duncan serviu como campeão do Rei Aegon V Targaryen em um julgamento por combate contra o Lorde Lyonel Baratheon, quando este ergueu Ponta Tempestade em revolta contra o Trono de Ferro, porque Príncipe Duncan Targaryen se recusou a casar-se com a filha de Lorde Lyonel, quebrando o tratado que havia sido feito a muito tempo pela Rainha Betha Blackwood. A rebelião foi curta e sangrenta, mas foi resolvida quando Lorde Lyonel perdeu o confronto contra Duncan, Senhor Comandante da Guarda Real, e voltou a aceitar a vassalagem da Casa Targaryen.[6][16]

Em 252 d.C. ou 253 d.C., Duncan participou de um torneio de inverno em Porto Real, onde ele foi derrubado em uma justa por um jovem e promissor escudeiro de dezesseis anos que estava competindo como um Cavaleiro Misterioso. Este escudeiro era ninguém menos que Barristan Selmy, que foi nomeado cavaleiro pelo próprio Rei Aegon V Targaryen depois do torneio.[11]

Em 259 d.C. Duncan acabou tombando, junto ao Rei Aegon e o Príncipe Duncan, na Tragédia de Solarestival.[17][6] Pouco se sabe sobre os eventos trágicos de Solarestival, mas sabe-se que o valor de Duncan salvou a vida de alguns sobreviventes de tal evento.[6]

Eventos recentes

A Tormenta de Espadas

Na Torre da Espada Branca, Sor Jaime Lannister admira os antigos Senhores Comandantes da Guarda Real, incluindo Duncan. Ele também lê o capítulo de Sor Barristan Selmy no Livro Branco, que afirma que o jovem escudeiro Barristan (como Cavaleiro Misterioso) derrotou Duncan durante o torneio de inverno em Porto Real.[11]

O Festim dos Corvos

Por motivos desconhecidos, um escudo com o brasão pessoal de Dunk está exposto no arsenal de Lorde Selwyn Tarth de Solar do Entardecer. Em Valdocaso, a filha de Lorde Selwyn, Brienne, carregou uma versão semelhante desse escudo de armas durante suas viagens pelas Terras Fluviais e Terras da Coroa.

Meistre Aemon relata que quando se juntou à Patrulha da Noite, seu irmão Egg insistiu que Sor Duncan o acompanhasse até Atalaialeste do Mar.[15] Meistre Aemon também sonha com sua juventude em Vilavelha, uma época em que bebia na estalagem Pena e Caneca com Egg e "aquele cavaleiro grande que ele servia".[18]

A Dança dos Dragões

Bran Stark tem visões do passado ao ver através da Árvore-coração no Bosque Sagrado de Winterfell. Entre as visões está uma garota esguia de cabelos castanhos beijando um cavaleiro tão alto quanto Hodor,[19] possivelmente Duncan.

Montarias

Quando O Cavaleiro Andante começa, Dunk possui três cavalos, herdados de Sor Arlan.

No progresso de suas aventuras, Dunk adquiriu outros animais.

  • Meistre, uma mula, presente de um dos irmãos de Egg.
  • Chuva, outro palafrém, também um presente.

Citações

Citações de Duncan


Daeron: Sonhei com você.

Duncan: Você disse isso na estalagem.

Daeron: Disse? Bem, é verdade. Meus sonhos não são como os seus, Sor Duncan. Os meus são de verdade. Assustam-me. Você me assusta. Sonhei com você e um dragão morto, veja. Um animal grande, imenso, com asas tão grandes que podiam cobrir este campo. Tinham caído em cima de você, mas você estava vivo e o dragão morto.

Duncan: Eu o matei?

Daeron: Isso eu não sei dizer, mas você estava lá, assim como o dragão.[1]

—— Príncipe Daeron Targaryen teve um sonho profético onde Dunk sobrevive e Príncipe Baelor Targaryen morre





Duncan: Eu devia ter ficado com o cálice. Pelo menos tinha asas, para voar para longe, e Sor Arlan disse que a taça era cheia de fé e amizade e coisas boas para se beber. O escudo está todo pintado como a morte.

Pate: O olmo está vivo! Vê como as folhas estão verdes? Folhas de verão, com certeza. E já vi escudos com brasões com crânios, lobos, corvos e até homens enforcados e cabeças ensanguentadas. No entanto, serviram bem o bastante. Conhece a velha rima do escudo? Carvalho e ferro, guardem-me bem...

Duncan: ... senão estou morto e no inferno também! Quanto lhe devo pelo novo rebordo e tudo o mais?

Pate: Você? Uma moeda de cobre.[1]

—— Pate de Aço tentando animar Duncan antes do Julgamento de Sete





Duncan: NÃO HÁ CAVALEIROS DE VERDADE ENTRE VOCÊS?

Aerion: Não se zomba do dragão!

Baelor: Tomarei partido de Sor Duncan.[1]

—— Príncipe Baelor Targaryen tomando o partido de Duncan no Julgamento de Sete





Duncan: Aceitarei seu filho como meu escudeiro, Vossa Graça, mas não em Solarestival. Não por um ano ou dois. Ele já viu castelos suficientes, imagino. Só o aceitarei se puder levá-lo comigo para a estrada. Ele montará meu corcel, vestirá meu manto velho e manterá minha espada afiada e minha cota de malha limpa. Dormiremos em estalagens e estábulos e, de vez em quando, nos salões de algum cavaleiro com terras ou senhor de menor importância, e talvez sob as árvores quando for necessário.

Maekar: O julgamento abalou seu juízo, homem? Aegon é um príncipe real. O sangue do dragão. Príncipes não são feitos para dormir em valas e comer carne salgada dura. O que tem medo de me dizer? Diga o que desejar, sor.

Duncan: Daeron nunca dormiu em uma vala, aposto. E toda a carne que Aerion já comeu era grossa, tenra e ensanguentada, provavelmente.[1]

—— Duncan convence Príncipe Maekar Targaryen a aceitar Egg como seu escudeiro





Duncan: Egg, já pensou que eu posso ser um bastardo?

Egg: Você, sor? Você não é!

Duncan: Posso ser. Nunca conheci minha mãe, ou soube o que foi feito dela. Talvez eu tenha nascido grande demais e a matado. Mais provável que ela fosse alguma puta ou garota de taverna. Não se encontram senhoras bem-nascidas na Baixada das Pulgas. E se ela chegou a se casar com meu pai... bem, o que aconteceu com ele? Havia uma casa de pasto em Porto Real onde eu costumava vender ratos, gatos e pombos para o guisado. O cozinheiro sempre afirmou que meu pai era algum ladrão ou larápio. “É provável que eu o tenha visto enforcado”, ele costumava me dizer, “mas talvez só o tenham mandado para a Muralha.” Quando era escudeiro de Sor Arlan, eu perguntava para ele se não podíamos ir naquele caminho algum dia, para pegar serviço em Winterfell ou em algum outro castelo nortenho. Eu tinha essa ideia de que, se conseguisse chegar à Muralha, talvez encontrasse algum velho, um homem realmente alto que se parecesse comigo. No entanto, nunca fomos.[20]

—— Dunk e Egg





Rohanne: Você é bem louco. Se fosse bem-nascido, me casaria com você.

Duncan: Sim, senhora. E se porcos tivessem asas, e escamas e soltassem fogo pelas ventas, seriam tão bons quanto dragões.[20]

—— Dunk e Rohanne Webber





Sou melhor com uma espada do que com uma lança e até mesmo melhor com um machado de batalha. Vai haver um corpo a corpo aqui?[3]
—— Duncan


Citações sobre Duncan


Da última vez que passei por aqui, vi todas as pedras, árvores e carneirinhos, e observei as gaivotas cinzentas que voavam em nossa esteira. Tinha trinta e cinco anos, e era um meistre da corrente havia dezesseis. Ovo queria que o ajudasse a governar, mas eu sabia que meu lugar era este. Ele mandou-me para o norte a bordo do Dragão Dourado e insistiu que seu amigo Sor Duncan me levasse em segurança até Atalaialeste. Nenhum recruta chegara à Muralha com tanta pompa desde que Nymeria enviara para a Patrulha seis reis presos em correntes de ouro. Ovo também esvaziou as masmorras, para que eu não tivesse de proferir os votos sozinho. Chamava-os minha guarda de honra. Um deles foi ninguém mais, ninguém menos que Brynden Rivers. Mais tarde escolhido Senhor Comandante.[15]
—— Meistre Aemon





Sim. Sonhei com Vilavelha, Sam. Era jovem outra vez, e tinha comigo meu irmão Ovo e aquele cavaleiro grande que ele servia. Estávamos bebendo na velha estalagem onde faziam a cidra terrivelmente forte.[18]
—— Meistre Aemon


Descendência

Pelas próprias palavras de George R. R. Martin, especula-se que Dunk pode ter deixado alguns filhos durante suas viagens por Westeros e alguns de seus descendentes estão presentes na série, como em A Tormenta de Espadas.[21][22] Em 29/05/2016, George R R Martin confirmou na Convenção de Fantasia e Ficção Científica de Baltimore, Maryland (Science Fiction Convention in Baltimore, Maryland) que Brienne Tarth é uma das descendências de Duncan.[23][24][25] Ele disse que com o tempo, nos próximos livros, serão reveladas mais informações sobre isso.

Sobre a página

Esta página utiliza conteúdo baseado em Duncan the Tall, um artigo de A Wiki Of Ice And Fire.

Notas

  1. Existe um problema com a tradução feita pela LEYA, pois na tradução diz que Duncan tem pouco menos de 2 metros de altura, mas na versão original diz que tem pouco menos de 7 pés que é 2,13 metros, ou seja, houve um erro nas conversões de unidades durante a tradução para o português.
  2. Dunk afirma que tinha três ou quatro anos quando Roger de Centarbor morreu.
  3. George R. R. Martin já confirmou que Dunk mentiu sobre ser um Cavaleiro, como podemos ver no seguinte link NOREASCON (BOSTON, MA; SEPTEMBER 2-6) - SEPTEMBER 03, 2004. Além do mais, muitos de seus pensamentos e atitudes ao longo de O Cavaleiro dos Sete Reinos indicam que Dunk realmente não foi armado Cavaleiro, como quando ficou extremamente desconfortável quando Raymun Fossoway pediu para que o armasse um cavaleiro, deixando que Lyonel Baratheon o fizesse.
  4. Antes da Guerra da Conquista a Casa Osgrey tinha terras e prestigio, mas foi perdendo muita influência depois da unificação dos Westeros, perdendo Fosso Gelado durante o reinado de Maegor I Targaryen e perdeu ainda mais terras depois da Primeira Rebelião Blackfyre
  5. seu plano secreto era tentar convencê-la a desistir do ataque usando a identidade de Egg para influencia-la a desistir do ataque a Pousoveloz.
  6. Tal nome foi utilizado pois Dunk adquiriu um escudo cujo símbolo é um homem enforcado, que lembra o da Casa Trant, após o seu ter sido danificado durante o duelo contra Sor Lucas Inchfield no conto O Cavaleiro Misterioso

Referências

  1. 1,00 1,01 1,02 1,03 1,04 1,05 1,06 1,07 1,08 1,09 1,10 1,11 1,12 1,13 1,14 1,15 1,16 1,17 1,18 1,19 1,20 1,21 O Cavaleiro dos Sete Reinos, O Cavaleiro Andante.
  2. 2,00 2,01 2,02 2,03 2,04 2,05 2,06 2,07 2,08 2,09 2,10 2,11 2,12 2,13 2,14 2,15 2,16 O Cavaleiro dos Sete Reinos, A Espada Juramentada.
  3. 3,00 3,01 3,02 3,03 3,04 3,05 3,06 3,07 3,08 3,09 3,10 3,11 3,12 3,13 3,14 3,15 3,16 3,17 O Cavaleiro dos Sete Reinos, O Cavaleiro Misterioso.
  4. So Spake Martin: Mysterious Galaxy Signing (San Diego, CA), November 08, 2000
  5. Veja os cálculos de Duncan no site A Wiki of Ice and Fire
  6. 6,0 6,1 6,2 6,3 6,4 6,5 6,6 O Mundo de Gelo e Fogo, Os Reis Targaryen: Aegon V.
  7. The Hollywood Reporter: "Dunk and Egg cast" (5 de abril de 2024)
  8. The Citadel. Heraldry: Houseless Hedge Knights
  9. 9,0 9,1 NOREASCON (BOSTON, MA; SEPTEMBER 2-6) - SEPTEMBER 03, 2004
  10. Not a Blog: Dunk and Egg (April 15th, 2014)
  11. 11,0 11,1 11,2 A Tormenta de Espadas, Capítulo 67, Jaime.
  12. So Spake Martin: Duncan the Small and the Young Starks (August 06, 2000)
  13. O Mundo de Gelo e Fogo, Os Reis Targaryen: Aerys I.
  14. Fonte semi-canônica da amostra "estendida" de O Mundo de Gelo e Fogo: As Terras Ocidentais (integral) de georgerrmartin.com
  15. 15,0 15,1 15,2 O Festim dos Corvos, Capítulo 15, Samwell.
  16. O Mundo de Gelo e Fogo, Os Sete Reinos: As Terras da Tempestade, Casa Baratheon.
  17. George R. R. Martin's A World of Ice and Fire, Duncan.
  18. 18,0 18,1 O Festim dos Corvos, Capítulo 26, Samwell.
  19. A Dança dos Dragões, Capítulo 34, Bran.
  20. 20,0 20,1 O Mundo de Gelo e Fogo, História Antiga.
  21. So Spake Martin: US Signing Tour (Dayton, OH) (November 10, 2005)
  22. So Spake Martin: Mysterious Galaxy Signing (San Diego, CA) (November 08, 2000)
  23. Gelo e Fogo:George R. R. Martin lê capítulo de Aeron Greyjoy em The Winds of Winter
  24. George R.R. Martin confirms GAME OF THRONES/SONG OF ICE AND FIRE fan theory
  25. Os descendentes de Sor Duncan em ‘As Crônicas de Gelo e Fogo’