Melisandre

De Gelo e Fogo wiki
Ir para: navegação, pesquisa
Coração Ardente.png
Melisandre
Coração Ardente.png
Melisandre de Asshai Amoka.jpg
Melisandre, por Amoka ©
Apelido(s) A Sacerdotisa Vermelha
A Mulher Vermelha
A Sombra Vermelha do Rei [1]
Senhora Vermelha [1]
Melony
Lealdade Fé de R'hllor
Cultura Asshai
Aparece
Aparece
Mencionada
PDV

GoT Logo.jpg
Melisandre-Season-5-Episode-9.jpg
Interpretado(a) por Carice Van Houten
Aparições 2ª Temporada | 3ª Temporada | 4ª Temporada | 5ª Temporada | 6ª Temporada | 7ª Temporada
Apareceu em 28 episódios (ver seção)

Senhora Melisandre de Asshai, também conhecida como a Sacerdotisa Vermelha, é uma sacerdotisa de R'hllor a serviço do Rei Stannis Baratheon, ao qual ela acredita cegamente ser Azor Ahai reencarnado. Na série de televisão, a personagem é interpretada pela atriz Carice Van Houten.

Aparência e características

Veja também: Imagens de Melisandre
Melisandre, por Тхе Мичо ©

Melisandre é uma mulher muito bela e atraente,[2][3][4] mas com um ar estranhamente sobrenatural que frequentemente intimida e assusta os homens ao seu redor.[2][5][6][4][7] Ela é jovem com o corpo cheio,[3] mas esguia, graciosa, mais alta que a maior parte dos cavaleiros, com seios fartos, cintura estreita.[2] Ela tem o rosto em forma de coração,[2][5][3] sua pele é lisa e branca, imaculada, clara como leite.[2] Seus cabelos são ruivos de um profundo acobreado lustroso,[2][5][3] como sangue e chamas,[7] que brilhava à luz das tochas.[2] Até mesmo seus olhos são sobrenaturalmente vermelhos e brilhantes,[3][2][5][6] como duas estrelas vermelhas, brilhando na escuridão,[8] com algo bastante perturbador no olhar.[4] Frequentemente Jon Snow se lembra de Ygritte ao olhar para Melisandre, por causa de seus cabelos beijados pelo fogo,[4][7] apesar de Melisandre ser mais alta, mais magra e mais velha que Ygritte.[8] Melisandre tem uma voz como se fosse uma melodia[9] e seu riso é como música.[10]

Melisandre sempre se veste de vermelho dos pés à cabeça,[2] as vezes com cetim cintilante em tom de escarlate[6] e veludo cor de sangue,[11] que se move como chamas em um turbilhão de seda e cetim quando ela caminhava,[5] outras vezes com um longo vestido solto de seda esvoaçante, brilhante como fogo, com profundos cortes no corpete, pelos quais se entrevia um tecido mais escuro, vermelho-sangue, por baixo.[2] Todos seus vestidos têm longas mangas cheias de bolsos ocultos, onde ela guarda seus pós que usa para manipular tanto as cores das chamas, como os sons que elas fazem e até mesmo suas fumaças que tem diferentes efeitos nas pessoas que as aspiram,[12] talvez por isso ela tenha um cheiro característico como a forja de ferro incandescente e o odor de fumaça e sangue.[4] Melisandre sempre usa em torno da garganta uma gargantilha de ouro vermelho, mais apertada do que qualquer corrente de meistre, ornamentada com um único grande rubi vermelho,[2][13][6] que brilha rubro,[3] especialmente quando ela usa sua magia,[8] aquecendo muito a ponto de queimar a pele de Melisandre.[12]

Melisandre de Asshai, por Elia Fernández©

Melisandre é extremamente fiel a sua religião e acredita cegamente que Stannis Baratheon é a figura messiânica de R'hllor da profecia de Azor Ahai e, apesar de apoiar sua causa para o Trono de Ferro, ela não se importa com as guerras entre os Reis de Westeros, pois sua grande missão em vida é derrotar o Senhor das Trevas e salvar o mundo da Grande Guerra entre a luz e escuridão.[6] Por causa de sua fé que prega a luta eterna entre o bem e mal, Melisandre tem uma forma bem polarizada de perceber as pessoas e as coisas, pois não acredita em meios termos, apenas no bem ou no mal.[13][6] Apesar de ter um objetivo bem altruísta de salvar o mundo, ele não é o tipo de pessoa que dá valor a vida dos outros, pois sempre que pode, ela sacrifica vidas a R'hllor, queimando-as vivas, inclusive crianças. Sua forma de pensar e agir muitas vezes faz com que as pessoas não confiem nela e interpretam-na errado, mesmo quando ela quer ajudá-los, como Jon Snow,[7][8][12] Davos Seaworth[6][14] e o próprio Stannis Baratheon que demorou muito tempo para confiar nela totalmente.[12] Graças a sua ligação com R'hllor, Melisandre e os Sacerdotes Vermelhos têm poderes mágicos ligados as chamas e ao sangue, como a criação de sombras assassinas,[15][13] usar o sangue de rei em sanguessugas e queimá-las para assassinatos a distância,[14] magias de ilusões que ela chama de Sedução,[8][12] e principalmente visões proféticas que lhe dão um conhecimento parcial dos acontecimentos futuros e Melisandre tem fé absoluta nessas visões, mesmo que ela mesma admita que pode interpretá-las de forma errada, pois é apenas uma humana.[7][12] Melisandre é expert em ver os segredos das chamas sagradas.[12] Melisandre faz questão de dizer que suas habilidades mágicas são mais triviais do que realmente são, pois quanto mais fácil o feitiço parecia ser, mais os homens temiam as habilidades dos feiticeiro.[12] Melisandre dorme pouco, no máximo uma hora por dia e tem dias que ele nem mesmo dorme, pois tem medo do sono e dos pesadelos que tem do seu passado traumático, ainda não revelado.[12]

História

Melisandre era uma escrava e possivelmente era chamada Melony,[12] mas não é confirmado. Melisandre foi vendido para um templo dos Sacerdote Vermelho ainda muito jovem. De alguma forma as palavras “Melony” e “Lote sete” estão relacionadas com seu passado, provavelmente relacionadas ao leilão de quando ela foi vendida,[12] mas não é confirmado.

Melisandre aprendeu a Língua Comum, Alto Valiriana, e a língua de Assai.[11]

Em algum momento antes do início da Guerra dos Cinco Reis, Melisandre viaja para Pedra do Dragão por conta própria, ou seja, sua busca não é uma missão imposta pelo templo dos Sacerdote Vermelho,[16] e sua busca era pelo Azor Ahai Reencarnado que lutará contra o Grande Outro em favor de R'hllor. Ela está convencida de que Pedra do Dragão é o lugar de fumaça e sal onde Azor Ahai renascerá.[6][17] Melisandre passa a acreditar que Stannis Baratheon, o Senhor de Pedra do Dragão, é Azor Ahai renascido e torna-se confidente da esposa de Lorde Stannis, Senhora Selyse Florent.[18]

Eventos recentes

Info Aviso: Esta seção contém revelações sobre o enredo (spoilers).

A Guerra dos Tronos

Lorde Tywin Lannister diz ao filho Tyrion que, de acordo com um dos rumores que Varys ouviu, o Lorde Stannis Baratheon tinha trazido uma feiticeira de Asshai para Pedra do Dragão,[19] possivelmente uma referência a Melisandre, embora ela tenha chegado em Pedra do Dragão alguns anos atrás.[18]

A Fúria dos Reis

Melisandre de Asshai e a morte de Meistre Cressen, por Gino Whitehall©

Melisandre reside em Pedra do Dragão, onde ela converteu a Senhora Selyse Florent à fé de R'hllor. Ela é temida pela maioria dos servos, que a chamam de “Mulher Vermelha”, pois não se atrevem a dizer o nome dela. Melisandre acredita que Stannis, recentemente auto proclamado Rei, cumpre a antiga profecia de Asshai sobre Azor Ahai renascido.[11] Determinado a impedir que a “loucura” de Melisandre se espalhe além de Pedra do Dragão, o Meistre Cressen propõe um brinde com Melisandre, usando vinho envenenado.[2] Melisandre sabia da tentativa de assassinato,[20] ao usar sua magia,[12] e mesmo assim ela bebe a maior parte do vinho, permanecendo ilesa de alguma forma, mas quando Meistre Cressen bebe o vinho, ele acaba morrendo.[2]

Embora o Rei Stannis não esteja tão comprometido com R'hllor quanto sua esposa e os Homens da Rainha em sua corte, Melisandre convence-o a queimar as estátuas da Fé dos Sete do Castelo de Pedra do Dragão em sacrifício para R'hllor.[11] Fora dos portões de Pedra do Dragão, Melisandre proclama que Rei Stannis é Azor Ahai Renascido e faz com que ele arranque uma espada do fogo das estátuas em chamas, declarando que aquela é o lendário espada Luminífera.[11] Ele eventualmente cria um novo brasão para si mesmo: o veado coroado da Casa Baratheon dentro do ardente coração do Senhor da Luz.[21]

Melisandre de Asshai e o Rei Stannis Baratheon, por Magali Villeneuve

Em Porto Real, Petyr Baelish lembra o Pequeno Conselho que, alguns anos atrás, Varys havia relatado que Selyse havia se envolvido com uma Sacerdotisa Vermelha. Os conselheiros decidem usar a religião de Melisandre e a Escamagris da Princesa Shireen Baratheon, assim como levantar uma calúnia sobre uma bastardia da mesma, para desacreditar Rei Stannis.[18]

O irmão mais novo do Rei Stannis, o carismático Renly, Senhor de Ponta Tempestade, também se declarou Rei, e reuniu o apoio da maioria das forças das Terras da Tempestade e dos homens da Campina. Quando Rei Stannis zarpa de Pedra do Dragão para sitiar Ponta Tempestade, Melisandre o acompanha. Ela pede que Rei Stannis se encontre com Rei Renly uma última vez e lhe dê uma última chance de jurar lealdade a seu irmão mais velho.[14] Durante a reunião, ela serve como porta-bandeira do Rei Stannis.[21] Melisandre já havia visto a morte de Rei Renly em suas chamas,[2] e fora dos muros de Ponta Tempestade cria um sombra assassina que se parece com Rei Stannis e mata o Rei Renly na manhã anterior a batalha.[15]

Rei Stannis começa a ter terríveis pesadelos após a morte de seu irmão mais novo, e apenas Melisandre pode acalmá-lo para dormir.[13] Embora muitos Senhores das Terras da Tempestade se juntem ao Rei Stannis após a morte de Rei Renly, algumas forças leais continuam a deter Ponta Tempestade, enquanto Sor Loras Tyrell retorna a Ponteamarga para assumir o controle de uma grande parte dos homens que Rei Renly havia deixado para trás. O castelão de Ponta Tempestade, Sor Cortnay Penrose, se recusa a ceder. Rei Stannis diz a Sor Davos Seaworth que Melisandre previu que Sor Cortnay morrerá dentro de um dia. Ele também revela que viu o falecido Rei Renly esmagando as forças do Rei Stannis sob as muralhas de Porto Real, mas Rei Stannis acredita que a morte de seu irmão impediu que esse visão se torne realidade. À noite, Rei Stannis faz Sor Davos Seaworth velejar com Melisandre sob Ponta Tempestade, onde ela pari uma nova sombra assassina[13] que mata Sor Cortnay.[22] Depois do Senhor Elwood Meadows render Ponta Tempestade para Rei Stannis,[23] Melisandre persuade seu Rei a queimar o antigo Represeiro Branco do castelo.[24]

Com a tomada de Ponta Tempestade, o Rei Stannis está pronto para marchar para Porto Real. Lorde Bryce Caron convence Rei Stannis a enviar Melisandre de volta a Pedra do Dragão, enquanto travam sua batalha em Porto Real, argumentando que seus homens poderiam dizer que a vitória viria apenas dos feitiços de Melisandre se ele permitir que ela participe da batalha.[25] No entanto, Rei Stannis é derrotado na Batalha da Água Negra, após a chegada dos exércitos dos Lordes Tywin Lannister e Mace Tyrell,[26][27] com Sor Garlan Tyrell, liderando a vanguarda de Lorde Tywin,[28] vestindo a armadura verde do falecido Rei Renly durante o ataque,[29] tornando verdadeira, de certa forma, a visão de Melisandre de que Renly, em sua armadura verde, derrotaria as forças do Rei Stannis sob as muralhas de Porto Real.[13]

A Tormenta de Espadas

Melisandre de Asshai, por PolliPo©

Melisandre e Rainha Selyse queimam Lorde Guncer Sunglass e os filhos sobreviventes de Sor Hubard Rambton como sacrifícios a R'hllor enquanto Rei Stannis está atacando Porto Real.[28]

Quando Sor Davos Seaworth retorna a Pedra do Dragão de Baía da Água Negra,[5] Rei Stannis se recusa a ver qualquer pessoa além de Melisandre. Sor Davos Seaworth está determinado a matar Melisandre,[28] acreditando que ela seja a responsável pela derrota na Batalha da Água Negra e, consequentemente, a responsável pela morte de seus quatro filhos mais velhos: Dale, Allard, Matthos e Maric Seaworth.[28] De acordo com Melisandre, ela viu as intenções de Sor Davos Seaworth através de suas chamas[6] e aprisionou-o nas celas de Pedra do Dragão.[28] Ela mais tarde visita Sor Davos Seaworth em seu calabouço, e admite que não ousa fazer outra sombra assassina com Rei Stannis, pois ele já está fraco demais e isso poderia matá-lo. Melisandre sugere fazer um com Sor Davos, mas ele se recusa. Sor Davos então acusa-a injustamente de ter matado seus filhos, mas ela responde que não teve culpa, pois o Rei Stannis não escutou seus conselhos.[6]

Apesar da insistência de Sor Axell Florent em sacrificar Sor Sor Davos para R'hllor, Melisandre defende-o, dizendo para tirá-lo das celas e logo o Rei Stannis o nomeia Mão do Rei.[14] Melisandre diz a Rei Stannis que há poder no sangue de um rei, e ela deseja sacrificar Edric Storm, o reconhecido filho bastardo do falecido Rei Robert Baratheon, para “acordar o dragão de pedra”. Tanto Melisandre como Rei Stannis estão convencidos da necessidade de unir rapidamente os sete reinos sob um rei, em preparação para a batalha contra o Grande Outro, sobre quem Melisandre mostrou visões para Rei Stannis nas chamas.[14] Rei Stannis se recusa a permitir que Melisandre sacrifique Edric, no entanto, Melisandre toma três sanguessugas cheias de sangue de Edric para fazer mais um feitiço de sangue e entrega-os ao Rei Stannis, que joga-os nas chamas, enquanto proclama os nomes dos três falsos reis que devem morrer através da magia: Rei Balon Greyjoy, Rei Robb Stark e Rei Joffrey Baratheon.[14]

Melisandre de Asshai, por Michael Komarck

Com o tempo, Rei Balon cai de Pyke[30] e Rei Robb Stark é assassinado no Casamento Vermelho.[31] Melisandre afirma que foi obra de R'hllor e adverte que outros falsos reis tomarão as coroas daqueles que caíram.[3] Melisandre pressiona ainda mais o Rei Stannis para sacrificar Edric Storm, visto que já tinha provado que o sangue real tem poder. Quando Sor Davos Seaworth nota que Rei Stannis começa a se inclinar para o poder do sangue real, mesmo sendo contra o sacrifício de Edric, o Mão argumenta que é contra o ritual e pressiona o Rei a não escutar Melisandre, pois o Rei Joffrey Baratheon ainda está vivo e o poder do sangue real ainda não se provou por completo. Aliviado, o Rei Stannis concorda com sua Mão e diz que “dois não é igual a três” e que não vai sacrificar Edric enquanto o poder do sangue real queimado como as sanguessugas ainda não se provar por completo.[3] Após a morte do Rei Joffrey Baratheon no Casamento Púrpura,[32] uma carta informando a situação chega em Pedra do Dragão, mas Sor Davos, como Mão do Rei, decide guardar segredo absoluto enquanto corre contra o tempo pela noite para salvar Edric Storm de ser sacrificado, tirando-o de Ponta Tempestade e enviando-o para a segurança das Cidades Livres de Essos. Algum tempo depois disso, quando Edric Storm já estava em segurança, Sor Davos vai até o Rei Stannis Baratheon e entrega a carta informando a morte do Rei Joffrey Baratheon. Agora que as três mortes se concretizaram, Rei Stannis finalmente cedeu a pressão de Melisandre e decide sacrificar o garoto, mas nesse momento Sor Davos informa que mandou o garoto para longe e aguenta a fúria do Rei, antes de informá-lo sobre uma carta que recebeu de Meistre Aemon da Muralha sobre a invasão de Povo Livre ou coisas ainda piores no Reino e implora por ajuda, pois a Patrulha da Noite tem poucos homens para isso.[20]

Quando Rei Stannis navega para a Muralha, Melisandre sacrifica o Senhor Alester Florent para R'hllor para terem ventos favoráveis para a viagem até o Norte.[33][34] Viajando para o oeste a partir de Atalaialeste do Mar, Melisandre usa mais uma magia de fogo para matar com chamas a águia que um dia foi o Troca-peles Orell, mas que agora está sob o comando do Troca-peles Varamyr Seis Peles, fazendo o referido selvagem enlouquecer de dor e perder controle de seus outros animais durante a batalha contra a Muralha.[35][4]

Melisandre mantém seus fogos no Castelo Negro. Ela traz Jon Snow até o Rei Stannis, e quando este oferece fazer de Jon Snow um Stark legítimo e o novo Senhor de Winterfell, Melisandre pede que Jon queime o Represeiro Branco de Winterfell e aceite a oferta como um presente de R'hllor. Rei Stannis afirma a Jon Snow que Melisandre viu em suas chamas que os Selvagens retornarão.[4]

Em uma reunião com os altos oficiais da Patrulha da Noite, Melisandre informa-os que eles precisam realizar fogueiras em seus portões como forma de combater seu inimigo. O Meistre Aemon reconhece que ela está falando sobre a Batalha da Aurora, e pergunta sobre o Príncipe que foi prometido e Melisandre informa que Rei Stannis é o homem da profecia.[10]

O Festim dos Corvos

Com Rei Stannis pretendendo executar Mance Rayder, Melisandre planeja sacrificá-lo a R'hllor para acordar o dragão de pedra com o sangue de Mance, o Rei-Para-Lá-da-Muralha.[36] Jon envia o Meistre Aemon para Vilavelha, temendo que Melisandre pudesse dar Meistre Aemon para as chamas, já que ele é o filho do Rei Maekar I Targaryen e tem sangue de rei.[36] Jon faz com que a garota Goiva, que cuida de ambos os filhos, acompanhe Meistre Aemon. Ele secretamente força Goiva a levar o filho de Mance com ela, fingindo ser seu próprio filho, para salvar o filho de Mance das chamas de Melisandre, salvando ambos os bebês.[37][38]

A Dança dos Dragões

Jon Snow e Melisandre por Alexandre Dainche.

Melisandre anda no topo da Muralha todas as noites com Rei Stannis.[7] Ela está presente em uma reunião entre Rei Stannis e Senhor Comandante Snow e após a reunião, ela caminha com o bastardo de volta para seus aposentos. Após ver como Senhor Comandante Snow insiste para Rei Stannis como Mance Rayder poderia ser útil para eles se ele permanecesse vivo, Melisandre diz que vai pedir a R'hllor por orientação sobre o que fazer com Mance, já que Rei Stannis planeja queimá-lo. Ela avisa para Senhor Comandante Snow se cuidar contra seus inimigos, afirmando que ela o viu cercado por inimigos em suas chamas, rodeados de adagas na escuridão.[7]

Apesar dos esforços do Senhor Comandante Snow para convencer Rei Stannis, o sacrifício de Mance Rayder é inevitável. Melisandre usa sua magia de ilusão que ela chama de Sedução sobre Mance, fazendo com que ele pareça ser o selvagem chamado Camisa de Chocalho. O Senhor dos Ossos, por sua vez, também é enfeitiçado para se parecer com Mance, e morto em seu lugar, sacrificado nas chamas.[12][9] Melisandre também destrói o chamado Berrante de Joramun nas chamas.[9] Ela mantém Mance disfarçado no Castelo Negro, e oferece seu serviço ao Senhor Comandante Snow, que recusa a oferta por desprezar Camisa de Chocalho.[1] Rei Stannis e Melisandre permitem que os selvagens atravessem a Muralha, fazendo-os jurarem por R'hllor e abandonarem seus deuses.[9] Os selvagens, porém, fingem lealdade a R'hllor e, em segredo, mantêm a fé nos Deuses Antigos.[39]

Melisandre permanece no Castelo Negro, assistida por velhos, feridos e aleijados, enquanto o Rei Stannis marcha pelas Montanhas do Norte. Julgando que Sor Davos Seaworth já perdeu filhos demais na guerra, Melisandre pede a Rei Stannis que deixe Devan Seaworth, o filho vivo mais velho de Sor Davos, em Castelo Negro, para mantê-lo seguro.[12]

Os poderes de Melisandre estão muito mais fortes na Muralha, e ela constantemente procura em seus fogos por visões. Quando ela olha para as chamas, ela vê um “rosto endurecido como madeira, um cadáver branco” com mil olhos vermelhos, acompanhado por um menino com o rosto de lobo. Ela assume que eles são servos do Grande Outro. Ela pede para ver Azor Ahai, esperando por Rei Stannis, mas vê apenas Jon Snow cercado por crânios: primeiro ele era um homem, depois um lobo, no fim um homem novamente.[12] Ela continua a ascender seus fogos todas as noites. Mas, como Rei Stannis levou a maioria de seus homens com ele, poucas pessoas comparecem.[8] Pouco depois, Senhor Comandante Snow recebe uma carta anunciando o casamento de Ramsay Bolton e Arya Stark, Melisandre informa que viu uma menina cinzenta nas chamas, fugindo de seu casamento em um cavalo moribundo e presume que ela era Arya Stark, a irmã de Jon Snow. Ela diz ao Senhor Comandante Snow que ela pode mostrá-lo como usar seus poderes de Troca-peles, mas ele continua desconfiado com ela. Ela então avisa ao Senhor Comandante Snow que ela viu a morte de três dos nove Patrulheiros que ele enviou Para Lá da Muralha, e que ela viu seus rostos sem seus globos oculares, chorando sangue.[8]

Melisandre por Simona Bonafini

Melisandre diz a Mance Rayder que eles só podem ganhar a confiança do Senhor Comandante Snow resgatando sua irmã. Melisandre encontra Jon Snow ao norte da Muralha, onde as cabeças de Negro Jack Bulwer, Hal Peludo e Garth Pena-Cinza foram empaladas pelo Chorão, fazendo com que a primeira de suas previsões se tornar realidade. Senhor Comandante Snow pede que ela procure em suas chamas pelos outros seis Patrulheiros. Ele informa que Sor Denys Mallister na Torre Sombria acredita que os selvagens podem tentar forçar seu caminho através da Ponte das Caveiras, e Melisandre diz que ela viu torres à beira-mar submergido sob uma maré negra e sangrenta. Embora ela esconda de Jon Snow que as torres em sua visão não se parecem com aquelas em Atalaialeste do Mar, Melisandre afirma que o ataque cairá lá quando questionada por Jon Snow.[12] Ela leva Jon para seus aposentos e sugere mandando “Camisa de Chocalho” para o sul para salvar Arya Stark. Quando Jon Snow protesta, ela revela a verdadeira identidade de Mance Rayder para ele.[12] Afirmando ser um bardo chamado “Abel”, Mance Rayder viaja para Winterfell com seis Esposas de Lança para resgatar Arya Stark, sem saber que na verdade ela era Jeyne Poole.[40][41]

A segunda previsão de Melisandre se torna realidade quando Alys Karstark - não Arya Stark - chega em Castelo Negro, fugindo de seu primo Cregan, que quer forçar um casamento entre eles para reivindicar Karhold para si.[42] Rainha Selyse Florent, que chega de Atalaialeste do Mar, concorda em casar Alys Karstark com Sigorn, o Magnar dos Thenns, e Melisandre realiza a cerimônia.[43]

Quando Senhor Comandante Snow planeja mandar homens para Durolar em uma missão de resgate, Melisandre pede que ele não o faça, alegando que é uma causa perdida e que ela viu que nenhum dos navios de resgate de Cotter Pyke retornaria.[44] Apesar dos avisos de Melisandre ao Senhor Comandante Snow, ele é traído no Motim de Castelo Negro.[44]

Info Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo (spoilers).

Citações

Citações de Melisandre

Nos livros antigos de Asshai está escrito que chegará um dia, após um longo Verão, em que as estrelas sangrarão e o bafo frio da escuridão cairá, pesado, sobre o mundo. Nessa hora de terror, um guerreiro retirará do fogo uma espada em chamas. E essa espada será a Luminífera, a Espada Vermelha dos Heróis, e aquele que a pegar será Azor Ahai renascido, e a escuridão fugirá perante ele. Azor Ahai, o amado de R’hllor! O Guerreiro da Luz, o Filho do Fogo! Avance, a sua espada o espera! Avance, e tome-a em sua mão![11]
— Melisandre para o Rei Stannis ao forjar a Luminífera
Melisandre: Um homem cinza. Nem branco nem preto, mas com um pouco de ambos. É isso o que é, Sor Davos?

Davos: E se for? Parece-me que a maioria dos homens é cinza.

Melisandre: Se metade de uma cebola estiver preta de podridão, é uma cebola podre. Um homem ou é bom ou é mau.

Davos: Cuidado com a cabeça, senhora (...). Fala de homens e cebolas. E as mulheres? Não acontece o mesmo com elas? É boa ou má, senhora?

Melisandre: Ah, muito bem. Sou uma espécie de cavaleiro, querido sor. Um campeão da luz e da vida.[13]

— Sor Davos Seaworth e Melisandre
Não há sombras na escuridão. As sombras são as servas da luz, as filhas do fogo. A mais brilhante das chamas lança as mais escuras das sombras. [13]
— Melisandre
Davos: Você é a mãe das trevas. Eu vi isso sob Ponta Tempestade, quando pariu diante de meus olhos.

Melisandre: Estará o bravo Sor Cebolas assim tão assustado por uma sombra passageira? Se é assim, anime-se. As sombras só vivem quando são geradas pela luz, e os fogos do rei ardem tão fracos que não me atrevo a tirar-lhe mais para fazer outro filho. Isso poderia até matá-lo. Mas com outro homem... um homem cujas chamas ainda se erguem quentes... se realmente deseja servir à causa do seu rei, venha uma noite aos meus aposentos. Poderia dar lhe prazer tal como nunca conheceu e, com seu fogo da vida, poderia gerar...

Davos: ... um horror. Não quero nada com a senhora. Ou com o seu deus. Que os Sete me protejam. [6]

— Sor Davos Seaworth e Melisandre
Melisandre: A verdade está à sua volta, basta olhar para ela. A noite é escura e cheia de terrores, o dia, luminoso, belo e cheio de esperança. Uma é negra, o outro, branco. Há gelo e há fogo. Ódio e amor. Amargor e doçura. Macho e fêmea. Dor e prazer. Inverno e verão. Mal e bem.

Davos: A guerra?

Melisandre: A guerra! Existem dois, Cavaleiro das Cebolas. Nem sete, nem um, nem cem ou mil. Dois! Acha que atravessei metade do mundo para colocar mais um rei frívolo em mais um trono vazio? A guerra é travada desde o começo dos tempos, e, antes de chegar ao fim, todos os homens devem escolher de que lado se encontram. De um lado está R’hllor, o Senhor da Luz, o Coração de Fogo, o Deus da Chama e da Sombra. Contra ele ergue-se o Grande Outro, cujo nome não pode ser pronunciado, o Senhor das Trevas, a Alma do Gelo, o Deus da Noite e do Terror. A nossa escolha não é entre Baratheon e Lannister, entre Greyjoy e Stark. O que escolhemos é a morte ou a vida. A escuridão ou a luz.[6]

— Sor Davos Seaworth e Melisandre
Davos: Se pode ver o futuro nessas chamas, como foi que ardemos na Água Negra? Entregou meus filhos ao fogo... meus filhos, meu navio, meus homens, todos queimando...

Melisandre: Trata-me injustamente, Cavaleiro das Cebolas. Esses incêndios não foram meus. Se eu estivesse com vocês, sua batalha teria tido um final diferente. Mas Sua Graça estava rodeado de descrentes, e seu orgulho mostrou-se mais forte do que sua fé. A punição foi severa, mas aprendeu com o erro.[6]

— Sor Davos Seaworth e Melisandre
Azor Ahai temperou a Luminífera com o sangue do coração de sua amada esposa. [3]
— Melisandre
Jon: Não sente frio, senhora?

Melisandre: Nunca. O fogo do Senhor vive dentro de mim, Jon Snow. Sinta-o. É esta a sensação que a vida deve ter. Só a morte é fria.[4]

— Melisandre e Jon Snow
Jon: E o fogo nunca erra?

Melisandre: Nunca... apesar de que nós, sacerdotes, somos mortais e algumas vezes erramos, confundindo o deve ser com o pode ser.[7]

— Melisandre e Senhor Comandante Snow
Melisandre: Já vi você nas chamas, Jon Snow.

Jon: É uma ameaça, senhora? Quer me queimar também?

Melisandre: Você se engana com meus propósitos. Temo tê-lo deixado inquieto, Lorde Snow.

Jon: A Muralha não é lugar para uma mulher.

Melisandre: Está enganado. Sonhei com sua Muralha, Jon Snow. Grande foi o conhecimento que a ergueu e grandes foram os feitiços presos sob seu gelo. Nós caminhamos por baixo de uma dobradiça do mundo. Este é meu lugar tanto quanto é seu, e logo você precisará seriamente de mim. Não recuse minha amizade, Jon. Vi você na tempestade, muito pressionado, com inimigos por todos os lados. Você tem tantos inimigos... Devo dizer-lhe seus nomes?

Jon: Eu sei os nomes.

Melisandre: Não esteja tão certo disso. Não são os inimigos que o maldizem abertamente que você deve temer, mas aqueles que sorriem quando você está olhando e amolam as facas quando você vira as costas. Faz bem em manter seu lobo sempre por perto. Gelo, eu vi, e adagas na escuridão. Sangue congelado vermelho e duro, e aço nu. Estava muito frio.

Jon: É sempre frio na Muralha.

Melisandre: Você acha?

Jon: Eu sei, senhora.

Melisandre: Então você não sabe nada, Jon Snow.[7]

— Melisandre e Senhor Comandante Snow
Eu vi sua irmã em minhas chamas, fugindo desse casamento que arranjaram para ela. Vindo para cá, para você. Uma garota de cinza, em um cavalo moribundo, vi isso tão claro quanto o dia. Não aconteceu ainda, mas acontecerá.[8]
— Melisandre falando sobre Alys Karstark, mas confundindo-a com Arya Stark, irmã do Senhor Comandante Snow
Melisandre: Sua Muralha é um lugar estranho, mas há poder aqui, se você usá-lo. Poder em você e neste animal. Você resiste a isso, e esse é seu erro. Abrace-o. Use-o.

Jon: E como eu faria isso?

Melisandre: Posso mostrar a você. O Senhor da Luz, em sua sabedoria, nos fez macho e fêmea, duas partes de um todo maior. Na nossa união há poder. Poder para criar vida. Poder para criar luz. Poder para projetar sombras.[8]

— Melisandre e Senhor Comandante Snow
Jon: Certa vez, Dalla me disse uma coisa. A irmã de Val, esposa de Mance Rayder. Ela disse que a feitiçaria era uma espada sem cabo. Não há jeito seguro de pegá-la.

Melisandre: Uma mulher sábia. Mas uma espada sem cabo ainda é uma espada, e uma espada é uma coisa boa quando os inimigos estão por aí.[8]

— Melisandre e Senhor Comandante Snow
Um rosto se formou na lareira. Stannis?, ela pensou, só por um momento... mas não, essas não eram as feições dele. Um rosto endurecido como madeira, um cadáver branco. Era este o inimigo? Milhares de olhos vermelhos flutuavam nas chamas que subiam. Ele me vê. Ao lado dele, um menino com rosto de lobo jogou a cabeça para trás e uivou.[12]
— Melisandre vê o Corvo de Três Olhos e Bran Stark nas chamas
As chamas crepitavam suavemente, e em seu crepitar ela ouviu uma voz sussurrando o nome de Jon Snow. Seu rosto comprido flutuou diante dela, delineado em chamas vermelhas e laranja, aparecendo e desaparecendo novamente, meio escondido atrás de uma cortina esvoaçante. Primeiro ele era um homem, depois um lobo, no fim um homem novamente. Mas as caveiras estavam ali também, as caveiras estavam todas ao redor dele. Melisandre vira o perigo que ele corria antes e tentara avisar o rapaz.[12]
— Melisandre vê o Jon Snow nas chamas
Rezo por um vislumbre de Azor Ahai, e R’hllor me mostra apenas Snow.[12]
— Melisandre
Ela se perguntava se teria sido o rosto dele que havia visto, olhando para as chamas. Não. Certamente, não. A visão dele teria sido mais assustadora do que aquilo, fria, negra e terrível demais para qualquer homem contemplar e viver. Mas o homem endurecido como madeira que ela vislumbrara e o garoto com o rosto de lobo... eram servos dele, certamente... campeões dele, como Stannis era o dela.[12]
— Melisandre
Não tinha tempo para dormir, com o peso do mundo sobre seus ombros. E tinha medo de sonhar. Dormir é uma pequena morte, sonhos são sussurros do Outro que quer nos arrastar para a noite eterna. Preferia sentar-se banhada pelo brilho avermelhado das chamas do seu senhor vermelho, seu rosto enrubescendo pelas ondas de calor como se fossem beijos de um amante. Algumas noites, ela dormitava, mas nunca mais do que uma hora. Um dia, Melisandre esperava, não dormiria mais. Um dia estaria livre dos sonhos. Melony, pensou. Lote Sete. [12]
— Melisandre

Citações sobre Melisandre

Como sempre, trajava vermelho dos pés à cabeça, com um longo vestido solto de seda esvoaçante, brilhante como fogo, com longas mangas pendentes e profundos cortes no corpete, pelos quais se entrevia um tecido mais escuro, vermelho-sangue, que usava por baixo. Tinha em torno da garganta uma gargantilha de ouro vermelho, mais apertada do que qualquer corrente de meistre, ornamentada com um único grande rubi. O cabelo não era de tom alaranjado ou cor de morango dos ruivos comuns, mas de um profundo acobreado lustroso que brilhava à luz das tochas. Até seus olhos eram vermelhos… Mas a pele era lisa e branca, imaculada, clara como leite. E era esguia, graciosa, mais alta que a maior parte dos cavaleiros, com seios fartos, cintura estreita e um rosto em forma de coração. Os olhos dos homens que a encontravam não se afastavam facilmente, nem mesmo os de um meistre.[2]
Meistre Cressen
Melisandre estava toda vestida de cetim escarlate e veludo cor de sangue, com os olhos tão vermelhos como o grande rubi que cintilava na sua garganta, como se estivesse em chamas.[11]
— Sor Davos Seaworth
só ela tinha vindo sem outra armadura além de suas soltas vestes vermelhas. Na garganta, o rubi vermelho bebia a luz do dia.[13]
— Sor Davos Seaworth
Melisandre também viu outro dia em suas chamas. Um amanhã em que Renly chegava do sul em sua armadura verde para esmagar minha tropa sob as muralhas de Porto Real.[13]
— Rei Stannis Baratheon dizendo para Sor Davos Seaworth que Melisandre previu sua derrota na Batalha da Água Negra
o rosto em forma de coração, os olhos vermelhos, os longos cabelos acobreados, seu vestido vermelho movendo-se como chamas quando ela caminhava, um turbilhão de seda e cetim. Tinha vindo de Asshai, no leste, para Pedra do Dragão e conquistado Selyse e os homens da rainha para seu deus estrangeiro, e depois o rei, o próprio Stannis Baratheon. Este chegou ao ponto de colocar o coração flamejante em seus estandartes, o coração flamejante de R’hllor, Senhor da Luz e Deus da Chama e da Sombra. Por insistência de Melisandre, tinha tirado os Sete de seu septo em Pedra do Dragão e os queimado diante dos portões do castelo, e mais tarde queimara também o bosque sagrado em Ponta Tempestade, e até queimara a árvore-coração, um enorme represeiro branco com um rosto solene.[5]
— Sor Davos Seaworth
Stannis: Por que quis assassinar a Senhora Melisandre?

Davos: Quatro de meus filhos arderam na Água Negra. Ela entregou-os às chamas.

Stannis: Está sendo injusto com Melisandre. Aqueles incêndios não foram obra dela. Amaldiçoe o Duende, amaldiçoe os piromantes, amaldiçoe aquele idiota do Florent que avançou com a minha frota para dentro das mandíbulas de uma armadilha. Ou amaldiçoe-me por meu orgulho obstinado, por mandá-la embora quando mais precisava dela. Mas Melisandre não. Ela continua sendo minha fiel servidora.

Davos: Meistre Cressen era seu fiel servidor. Ela matou-o, tal como matou Sor Cortnay Penrose e seu irmão Renly.

Stannis: Agora soa como um tolo. Ela viu o fim de Renly nas chamas, sim, mas não desempenhou nele um papel maior do que eu. A sacerdotisa estava na minha companhia. Seu Devan poderá confirmar. Pergunte a ele, se duvida de mim. Ela teria poupado Renly se tivesse podido. Foi Melisandre quem me pediu para me encontrar com ele e lhe dar uma última chance de reparar sua traição. E foi Melisandre quem me disse para mandar buscar você quando Sor Axell quis entregá-lo a R’hllor.[14]

— Sor Davos Seaworth e Rei Stannis Baratheon
A mulher vermelha era tudo que Selyse não era; jovem, de corpo cheio, e estranhamente bela, com seu rosto em forma de coração, cabelos acobreados e olhos sobrenaturalmente vermelhos. [3]
— Sor Davos Seaworth
Meistre Cressen tentou matá-la, e ela soube de imediato. Pelas chamas, suponho. Parece-me que é muito rápida em sentir qualquer ameaça à sua pessoa.[20]
— Sor Davos Seaworth
Tinha visto Melisandre nas fogueiras noturnas, e nas idas e vindas pelo castelo, mas nunca tão de perto. É bela, pensou... mas havia algo mais do que um pouco perturbador em seus olhos vermelhos.[4]
Jon Snow
Até cheira a vermelho. O odor lembrou-lhe a forja de Mikken, o modo como o ferro cheirava quando incandescente; o odor era fumaça e sangue. Beijada pelo fogo, pensou, recordando Ygritte. O vento penetrou no interior das longas vestes vermelhas de Melisandre e fez com que batessem contra as pernas de Jon, a seu lado. [4]
Jon Snow
A Senhora Melisandre estava sentada perto do fogo, seu rubi brilhando contra a pele branca do pescoço. Ygritte fora beijada pelo fogo; a sacerdotisa vermelha era o fogo e seus cabelos eram sangue e chamas.[7]
Senhor Comandante Snow
Os olhos dela eram duas estrelas vermelhas, brilhando na escuridão. Em sua garganta, o rubi resplandecia, um terceiro olho ainda mais brilhante do que os outros. Jon viu os olhos do Fantasma ardendo, vermelhos do mesmo jeito, quando a luz caiu sobre eles.[8]
Senhor Comandante Snow

Na série de televisão

Veja também: Imagens de Melisandre em Game of Thrones

Aparições

Aparições na 2ª Temporada de Game of Thrones
What is Dead May Never Die The Ghost of Harrenhal
The Old Gods and the New A Man Without Honor The Prince of Winterfell Blackwater
Aparições na 3ª Temporada de Game of Thrones
Dark Wings, Dark Words And Now His Watch Is Ended Kissed by Fire
The Rains of Castamere
Aparições na 4ª Temporada de Game of Thrones
Two Swords Breaker of Chains Oathkeeper First of His Name
The Laws of Gods and Men The Mountain and the Viper The Watchers on the Wall
Aparições na 5ª Temporada de Game of Thrones
The House of Black and White High Sparrow
Unbowed, Unbent, Unbroken Hardhome
Aparições na 6ª Temporada de Game of Thrones
Blood of My Blood The Broken Man No One
Aparições na 7ª Temporada de Game of Thrones
Dragonstone The Spoils of War Eastwatch
Beyond the Wall The Dragon and the Wolf - - -

Sobre a página

Esta página utiliza conteúdo baseado em Melisandre, um artigo de A Wiki Of Ice And Fire.

Referências

  1. 1,0 1,1 1,2 A Dança dos Dragões, Capítulo 17, Jon.
  2. 2,00 2,01 2,02 2,03 2,04 2,05 2,06 2,07 2,08 2,09 2,10 2,11 2,12 2,13 2,14 A Fúria dos Reis, Prólogo.
  3. 3,0 3,1 3,2 3,3 3,4 3,5 3,6 3,7 3,8 3,9 A Tormenta de Espadas, Capítulo 54, Davos.
  4. 4,0 4,1 4,2 4,3 4,4 4,5 4,6 4,7 4,8 4,9 A Tormenta de Espadas, Capítulo 76, Jon.
  5. 5,0 5,1 5,2 5,3 5,4 5,5 5,6 A Tormenta de Espadas, Capítulo 5, Davos.
  6. 6,00 6,01 6,02 6,03 6,04 6,05 6,06 6,07 6,08 6,09 6,10 6,11 6,12 A Tormenta de Espadas, Capítulo 25, Davos.
  7. 7,0 7,1 7,2 7,3 7,4 7,5 7,6 7,7 7,8 7,9 A Dança dos Dragões, Capítulo 3, Jon.
  8. 8,00 8,01 8,02 8,03 8,04 8,05 8,06 8,07 8,08 8,09 8,10 A Dança dos Dragões, Capítulo 28, Jon.
  9. 9,0 9,1 9,2 9,3 A Dança dos Dragões, Capítulo 10, Jon.
  10. 10,0 10,1 A Tormenta de Espadas, Capítulo 78, Samwell.
  11. 11,0 11,1 11,2 11,3 11,4 11,5 11,6 A Fúria dos Reis, Capítulo 10, Davos.
  12. 12,00 12,01 12,02 12,03 12,04 12,05 12,06 12,07 12,08 12,09 12,10 12,11 12,12 12,13 12,14 12,15 12,16 12,17 12,18 12,19 12,20 12,21 A Dança dos Dragões, Capítulo 31, Melisandre.
  13. 13,0 13,1 13,2 13,3 13,4 13,5 13,6 13,7 13,8 13,9 A Fúria dos Reis, Capítulo 42, Davos.
  14. 14,0 14,1 14,2 14,3 14,4 14,5 14,6 A Tormenta de Espadas, Capítulo 36, Davos.
  15. 15,0 15,1 A Fúria dos Reis, Capítulo 33, Catelyn.
  16. So Spake Martin: ASSHAI.COM INTERVIEW IN BARCELONA (JULY 28, 2012)
  17. A Dança dos Dragões, Capítulo 53, Jon.
  18. 18,0 18,1 18,2 A Fúria dos Reis, Capítulo 15, Tyrion.
  19. A Guerra dos Tronos, Capítulo 69, Tyrion.
  20. 20,0 20,1 20,2 A Tormenta de Espadas, Capítulo 63, Davos.
  21. 21,0 21,1 A Fúria dos Reis, Capítulo 31, Catelyn.
  22. A Fúria dos Reis, Capítulo 44, Tyrion.
  23. A Fúria dos Reis, Capítulo 45, Catelyn.
  24. A Fúria dos Reis, Capítulo 52, Sansa.
  25. A Fúria dos Reis, Capítulo 58, Davos.
  26. A Fúria dos Reis, Capítulo 62, Sansa.
  27. A Fúria dos Reis, Capítulo 65, Sansa.
  28. 28,0 28,1 28,2 28,3 28,4 A Tormenta de Espadas, Capítulo 10, Davos.
  29. A Tormenta de Espadas, Capítulo 67, Jaime.
  30. A Tormenta de Espadas, Capítulo 45, Catelyn.
  31. A Tormenta de Espadas, Capítulo 51, Catelyn.
  32. A Tormenta de Espadas, Capítulo 60, Tyrion.
  33. A Tormenta de Espadas, Capítulo 75, Samwell.
  34. A Dança dos Dragões, Capítulo 9, Davos.
  35. A Tormenta de Espadas, Capítulo 73, Jon.
  36. 36,0 36,1 O Festim dos Corvos, Capítulo 5, Samwell.
  37. O Festim dos Corvos, Capítulo 15, Samwell.
  38. O Festim dos Corvos, Capítulo 35, Samwell.
  39. A Dança dos Dragões, Capítulo 21, Jon.
  40. A Dança dos Dragões, Capítulo 35, Jon.
  41. A Dança dos Dragões, Capítulo 37, O Príncipe de Winterfell.
  42. A Dança dos Dragões, Capítulo 44, Jon.
  43. A Dança dos Dragões, Capítulo 49, Jon.
  44. 44,0 44,1 A Dança dos Dragões, Capítulo 69, Jon.