A Guerra dos Tronos - Capítulo 19

De Gelo e Fogo wiki
Ir para: navegação, pesquisa
Jon III
Capítulo de A Guerra dos Tronos
A Guerra dos Tronos.jpg
PDVJon Snow
LocalCastelo Negro na Muralha, Norte, Westeros
Página131 PT-BR Leya (Outras versões)
CenaLord Snow (Série HBO)
Cronologia dos capítulos (Todos)
Jon II
Catelyn IV ← Jon III → Eddard IV

Jon IV

Após um treinamento com espadas (no qual Jon fere Grenn no pulso), Jon Snow é atacado por Grenn, Todder e mais 2 outros recrutas, mas é salvo por Donal Noye, que mostra o quão mal Jon está agindo com seus irmãos juramentados. Ainda amuado, Jon encontra-se com Tyrion com quem tem uma conversa sobre a Muralha e sobre seu tio, Benjen Stark. Logo depois, Sor Alliser Thorne o convoca para uma audiência com o Senhor Comandante Jeor Mormont, na qual descobre que seu irmão Bran despertou do coma. Feliz pela notícia, Jon volta ao salão comum, pede desculpas para Grenn e tenta ficar mais próximo dos seus Irmãos.

Resumo

A Muralha, extraído de 'A Guerra dos Tronos - Edição Ilustrada', por Ted Nasmith©.

Jon está sendo treinado, junto com os outros recrutas, sob supervisão do mestre de armas de Castelo Negro, Sor Alliser Thorne. Jon é, de longe, o espadachim mais experiente e durante um duelo ele acidentalmente fere Grenn. Irritado com os recrutas, Thorne encerra o treinamento do dia. Jon sabe que Thorne não gosta dele, mas que ele não gosta dos outros ainda mais. Thorne os repreende sem piedade e dá a Jon o apelido de "Lorde Snow", fazendo ironia do status de bastardo de Jon. Para o aborrecimento de Jon, todos agora o chamam assim.

Jon descobre que Castelo Negro é frio, com pessoas ainda mais frias. Ele não tem amigos entre os 20 recrutas e percebe que os despreza mais com o passar do tempo. Jon se ressente de que ninguém, além de Tyrion Lannister, lhe contara que a Muralha seria assim.[1] O fato de que nem mesmo seu pai nunca lhe tenha dito isso, faz com que a dor seja muito pior. Até seu tio Benjen parece tê-lo abandonado, tornando-se um homem muito diferente, que passa todo o tempo entre os altos oficiais. Três dias depois de chegar à Muralha, Jon pediu permissão para ir a uma patrulha com seu tio. Benjen disse que ele era apenas um menino que ainda tinha que ganhar o direito de ir. Benjen também explicou que, embora amasse sua família, os homens da Patrulha da Noite eram seus verdadeiros irmãos. Na manhã seguinte, Benjen sorri, mas não para Jon, dizendo-lhe que eles conversariam quando ele voltasse.

Jon, então, vai para o armeiro se trocar, e, cansado, se pega pensando no quanto sente falta de sua família. Seus pensamentos são interrompidos pela chegada de Grenn, Sapo e outros dois recrutas. Todos eles são brutos e valentões, enviados à Muralha por crimes que cometeram. Depois que Grenn insulta a mãe de Jon, uma pequena briga irrompe, e logo Jon está no chão. No entanto, antes que os rapazes possam machucar Jon, o ferreiro Donal Noye, intervém.

Depois que os outros saem, Noye diz a Jon que a Patrulha da Noite precisa de cada homem, e que não há honra em matar garotos como Grenn. Quando Jon insiste que eles insultaram sua mãe, Noye ressalta que o fato deles falarem isso não torna a sentença verdadeira. Quando Noye lembra a Jon que ele agora será parte da Patrulha por toda a vida, Jon reflete, com raiva, o fato de que Donal Noye teve uma vida antes de vestir o negro. Ele se divertiu, viveu e lutou em batalhas, apenas vestindo o negro depois de perder um braço durante o cerco de Pyke.

Jon afirma que os outros o odeiam porque ele é melhor do que eles, mas Noye insiste que o odeiam porque ele pensa que é melhor. Noye então chama Jon de bastardo e arruaceiro. Ser chamado de arruaceiro surpreende Jon, porque seus agressores eram mais velhos e maiores do que ele. Noye explica que Jon humilhou e envergonhou os outros recrutas, que não tiveram treinamento formal em espada, enquanto ele foi treinado por um cavaleiro ungido. Jon começa a se sentir envergonhado, mas ainda está com raiva. Noye lhe diz para aceitar sua vida na Muralha e reconsiderar como ele trata seus companheiros, ou então deve passar a dormir com uma adaga ao lado da cama.

Castelo Negro

Quando ele parte, Jon olha para a Muralha, um enorme penhasco de gelo branco-azulado que enche metade do céu e anula o Castelo Negro abaixo dele. A Muralha é a maior estrutura construída pelos homens, de acordo com Benjen, e a mais inútil, de acordo com Tyrion. Mais antigo do que os Sete Reinos, à Jon parece representar a fronteira do mundo.

Tyrion interrompe o olhar de Jon para a muralha, comentando que ela nos faz perguntar sobre o que está além dela. Desde sua chegada, Jon viu pouco de Tyrion, que estava ali como um convidado de honra entre os altos oficiais. Quando Tyrion pergunta a Jon se ele tem curiosidade sobre o que está Além da Muralha, Jon responde que não há nada especial, mas por dentro deseja poder montar com seu tio Benjen em uma patrulha. Quando Tyrion o chama de "Lorde Snow" por engano, Jon se ofende, mas Tyrion pergunta se ele preferiria ser chamado de "Duende" e aconselha Jon, novamente, a usar sua fraqueza como força, aceitando.[1]

Tyrion pergunta sobre Fantasma, e Jon diz que ele mantém o lobo gigante preso nos velhos estábulos durante o treinamento, mas que o resto do tempo ele fica com Jon na área de dormir na Torre de Hardin. Tyrion diz que pensou que esses edifícios estivessem abandonados, mas Jon explica que, uma vez que grande parte do castelo está abandonado, ninguém se importa onde as pessoas dormem. Ele continua a dizer a Tyrion que dorme sozinho porque os outros têm medo de Fantasma. Tyrion então diz que os outros são sábios, e então menciona que Benjen Stark está atrasado no retorno de sua patrulha. Jon lembra que seu tio deveria ter voltado no dia do seu nome, há quinze dias. Tyrion diz que ele ouviu que um grande número de guardas desapareceram na floresta recentemente.

No Salão Comum, Jon se serve de comida e escolhe um lugar longe dos outros recrutas, e Tyrion se senta de frente para ele. Sor Alliser interrompe a conversa de Jon para dizer-lhe que o Senhor Comandante da Patrulha quer falar com ele sobre uma mensagem enviada por seu meio-irmão. Tyrion suspeita o pior e dá a Jon seus pêsames. Jon corre para os aposentos do comandante, onde Jeor Mormont lhe dá a mensagem de Robb de Winterfell. A mensagem explica que Bran acordou, mas que agora está paraplégico.

Jon, feliz pelo fato de Bran estar vivo, corre para contar a notícia à Tyrion. Alegre, Jon também se desculpa com Grenn e oferece mostrar-lhe como se defender contra o movimento que o feriu. Sor Alliser comenta, sarcasticamente, que ele teria mais êxito em ensinar um lobo a fazer malabarismos do que treinar Grenn em luta. Jon responde que aceita a aposta, pois ele adoraria ver do que Fantasma seria capaz. Todos os homens no salão, incluindo Grenn, começam a rir. Enquanto Sor Alliser aperta o punho com raiva, Jon percebe que ele se tornou um inimigo para toda a vida.

Citações

Aqui não é Winterfell. Na Muralha, um homem só obtém aquilo que ganha. Você não é um patrulheiro, Jon, não passa de um rapaz verde ainda cheirando a verão. (...) É e será um rapaz até que Sor Alliser diga que está apto para ser um homem da Patrulha da Noite. Se pensava que seu sangue Stark lhe traria favores fáceis, enganou-se. Quando fazemos nossos votos, deixamos de lado as velhas famílias. Seu pai terá sempre um lugar no meu coração, mas meus irmãos agora são estes.[2]
— Benjen Stark, para Jon Snow.
Jon: Lorde Eddard Stark não é homem de dormir com putas. Sua honra...
Noye: ... não o impediu de ser pai de um bastardo. Não é?[3]
— Jon Snow e Donal Noye.
Sim. Frio, duro e miserável, é assim a Muralha e assim são os homens que a percorrem. Nada como as histórias que sua ama de leite te contou. Pois bem, cague nas histórias e cague na sua ama de leite. É assim que as coisas são, e está aqui para a vida toda, tal como o resto de nós.[4]
— Donal Noye, para Jon Snow.
Jon: Eles não são meus irmãos. Odeiam-me porque sou melhor que eles.
Noye: Não. Odeiam-no porque age como se fosse melhor que eles. Olham para você e veem um bastardo educado num castelo que pensa que é um fidalgo. Não é fidalgo nenhum. Lembre-se disso. É um Snow, não um Stark. É um bastardo e um arruaceiro.[5]
— Jon Snow e Donal Noye.
Muito se pode dizer em defesa de apanhar as pessoas desprevenidas. Nunca se sabe o que se pode aprender.[6]
— Tyrion Lannister, para Jon Snow.
... por que será que quando um homem constrói uma parede, o homem seguinte precisa imediatamente saber o que está do outro lado? Você quer saber o que está do outro lado, não quer?[7]
— Tyrion Lannister, para Jon Snow, sobre a Muralha.
Se deixá-los perceber que suas palavras o magoam, nunca se virá livre da troça. Se lhe quiserem atribuir um nome, aceite-o, faça-o seu. Assim, não poderão voltar a magoá-lo com ele.[8]
— Tyrion Lannister, para Jon Snow, sobre chamarem-no de Lorde Snow.
Sor Alliser: Não se intrometa em assuntos que não lhe dizem respeito, Lannister. Não tem lugar aqui.
Tyrion: Mas tenho lugar na corte. Uma palavra ao ouvido certo e morrerá como um velho amargo antes que tenha outro rapaz para treinar.[9]
— Sor Alliser Thorne e Tyrion Lannister.

Listas

Personagens

Aparecem:

Aparecem:

Mencionados:

Mencionados:

Casas

Aparecem:

Mencionadas:

Locais

Aparecem:

Mencionados:

Mencionados:

Outros termos

Adaptação para o seriado

Os eventos deste capítulo se passam no episódio 3 da temporada 1 de Game of Thrones, denominado Lord Snow. Foi dividido em três cenas, com enredo bem fiel ao livro, considerando as seguintes adaptações:

Info Aviso: Esta seção contém revelações sobre o enredo (spoilers).

  • É Tyrion quem salva Jon quando os novos recrutas fazem uma emboscada para agredi-lo. É ele também que mostra a Jon o quão injusto ele tem sido com os novos irmãos, já que teve chance de crescer em uma família rica e ser treinado por um mestre-em-armas. O personagem de Donal Noye, que tem esse papel no livro, não faz parte da série.[10]
  • A mensagem de Robb sobre Bran é entregue a Jon por Tyrion, diferentemente do livro, que compete ao Senhor Comandante Jeor Mormont.[11]
  • Assim como no livro, Benjen Stark é duro com Jon quando ele se declara melhor que os outros recrutas e acha que está pronto para ir em sua primeira patrulha, entretanto, não é demonstrada a frieza do tio para com o sobrinho, conforme Jon relata, no livro, a partir de sua lembrança do evento. Talvez a mágoa pela recusa e saudades de sua família o tenham feito pensar assim, a partir de seu ponto de vista.

Info Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo (spoilers).

Sobre a página

Esta página utiliza conteúdo baseado em A Game of Thrones-Chapter 19, um artigo de A Wiki Of Ice And Fire.

Referências

  1. 1,0 1,1 A Guerra dos Tronos, Capítulo 13, Tyrion.
  2. A Guerra dos Tronos, Capítulo 19, Jon, página 132.
  3. A Guerra dos Tronos, Capítulo 19, Jon, página 134.
  4. A Guerra dos Tronos, Capítulo 19, Jon, página 135.
  5. A Guerra dos Tronos, Capítulo 19, Jon, página 135.
  6. A Guerra dos Tronos, Capítulo 19, Jon, página 136.
  7. A Guerra dos Tronos, Capítulo 19, Jon, página 137.
  8. A Guerra dos Tronos, Capítulo 19, Jon, página 137.
  9. A Guerra dos Tronos, Capítulo 19, Jon, página 138.
  10. A Guerra dos Tronos, Capítulo 19, Jon, página 134.
  11. A Guerra dos Tronos, Capítulo 19, Jon, página 139.