A Guerra dos Tronos - Capítulo 14

De Gelo e Fogo wiki
Ir para: navegação, pesquisa
Catelyn III
Capítulo de A Guerra dos Tronos
A Guerra dos Tronos.jpg
PDVCatelyn
LocalWinterfell, Norte, Westeros
Página96-103 PT-BR Leya (Outras versões)
CenaThe Kingsroad (Série HBO)
Cronologia dos capítulos (Todos)
Catelyn II
Tyrion II ← Catelyn III → Sansa I

Catelyn IV

Há uma tentativa de assassinato contra Bran. Catelyn impede o assassino por um tempo até que o lobo gigante de Bran chega e mata o assassino. Catelyn fica convencida de que Bran não caiu, mas foi empurrado.

Resumo

Verão atacando o homem que tentou assassinar Bran, extraído de 'A Guerra dos Tronos - Edição Ilustrada', por Victor Manuel Leza Moreno ©.

Oito dias após Eddard Stark e os outros terem deixado Winterfell, Catelyn (em um estado mental frágil e instável) ainda está sentada à beira do leito de Bran. Meistre Luwin vem a Catelyn insistindo que Winterfell precisa dela para governar e levanta várias questões. Indignada, Catelyn diz que não consegue pensar em coisas tão triviais enquanto Bran está morrendo. Neste momento, Robb chega e diz que vai tomar conta dessas questões. Em seguida, diz a Meistre Luwin que quer conversar a sós com sua mãe.

Quando ficam a sós, Robb diz a sua mãe que ela precisa sair daquele quarto, e que seu irmão caçula, Rickon está confuso e choroso. Rickon segue Robb para todos os lados com medo que seu irmão mais velho também o abandone, pois acredita que todos o abandonaram, já que seu pai Ned e suas irmãs Arya e Sansa deixaram Winterfell; e sua mãe Catelyn e seu irmão Bran desapareceram. Robb diz que está sobrecarregado e precisa da ajuda dela. Perturbada e frágil, Cat se recusa a deixar Bran. Quando uma torre começa a pegar fogo lá fora, Robb deixa o quarto, interrompendo a conversa.

De repente, um homem sujo segurando uma faca está cara-a-cara com Catelyn. O homem afirma que ela não deveria estar lá e se move em direção a Bran, alegando que matá-lo seria uma misericórdia. Catelyn ameaça gritar por ajuda, mas o homem é muito rápido e tenta cortar sua garganta. Catelyn tenta impedi-lo, mas não é forte o suficiente. Quando tudo parece estar perdido, o lobo gigante de Bran aparece do nada, matando o homem e salvando Catelyn e Bran. Após a morte do homem, o lobo se deita na cama de Bran.

Ferida, Catelyn é levada de volta para seu quarto. A Velha Ama a ajuda a tomar banho e Meistre Luwin trata de suas feridas, notando que seus dedos estão cortados quase até o osso. O Meistre dá-lhe um pouco de leite de papoula para que consiga suportar a dor. Ela acorda quatro dias depois com dores nas mãos. Quando Catelyn se lembra de seu comportamento desde a queda de Bran, ela fica envergonhada, prometendo a si mesma que não vai acontecer de novo.

Robb, agora usando armadura e uma espada, vem vê-la com Theon Greyjoy, Sor Rodrik Cassel e Hallis Mollen, o novo capitão da guarda. Hal diz a ela que ninguém sabe quem era o homem, mas que provavelmente ele estivera espreitando nos estábulos desde a visita do Rei. Encontraram noventa veados de prata escondidos debaixo da palha onde o homem estivera escondido. Quando Robb pergunta por que alguém iria querer matar Bran, Cat insiste que, como um Senhor, ele deve aprender a responder às suas próprias perguntas. Robb, então, presume que alguém pode ter medo do que Bran teria a dizer se ele acordasse e, portanto, reforça a guarda de Bran.

Sor Rodrik Cassel nota que a adaga usada pelo assassino é uma lâmina de Aço Valiriano com um punho de osso de dragão. Faz-se também notar que é uma arma muito fina e nobre para que qualquer homem de baixo nascimento a possua, então, conclui que alguém deve ter dado a ele. Catelyn conta a Rodrik, Theon e Robb, em estrita confidência, sobre as suspeitas de sua irmã Lysa sobre a morte de Jon Arryn. Ela lembra-lhes que Jaime Lannister não foi caçar com os outros no dia em que Bran caiu, e que ela não acredita que Bran tenha caído de verdade, mas que ele foi empurrado. O grupo admite que esta é uma conclusão razoável.

No entanto, Meistre Luwin aponta que tudo o que eles têm é conjectura, e que eles devem ter provas ou então manter em silêncio. Depois de ponderar algumas questões, Catelyn decide que ela e Sor Rodrik irão para Porto Real pelo mar, com a esperança de chegar antes do grupo do Rei e poder informar Lorde Eddard Stark sobre o ocorrido.

Citações

(...) Não saiu deste quarto desde que Bran se machucou. Nem sequer foi ao portão quando o pai e as meninas partiram para o Sul.[1]
Robb Stark, para sua mãe Catelyn.
Rickon precisa da senhora. Só tem três anos, não compreende o que está se passando. Pensa que todos o abandonaram, e por isso me segue para todo lado, agarrando-se à minha perna e chorando. Não sei o que fazer com ele. Mãe, eu também preciso da senhora. Estou tentando, mas não posso... não posso fazer tudo sozinho...[2]
— Robb Stark, para sua mãe Catelyn.
É uma misericórdia. Ele já tá morto.[3]
Assassino de aluguel, para Catelyn.
Ele veio por Bran. Ficou o tempo todo resmungando que eu não devia estar ali. Provocou o incêndio da biblioteca pensando que eu correria para tentar apagá-lo, levando os guardas comigo. Se não estivesse meio louca de desgosto, teria funcionado.[4]
— Catelyn, após se recuperar da tentativa de assassinato de Bran.
Alguém tem medo de que Bran acorde. Medo do que ele possa dizer ou fazer, medo de qualquer coisa que ele sabe.[5]
— Robb, para sua mãe Catelyn.
Enquanto o Senhor Eddard estiver fora, é o meu filho quem governa Winterfell.[6]
— Catelyn, para Hallis Mollen.
Encontramos a faca ainda na mão do vilão. Pareceu-me uma arma boa demais para um homem daqueles, e olhei-a longa e atentamente. A lâmina é de Aço Valiriano e o punho, de osso de dragão. Uma arma assim não tem nada a ver com um homem como ele. Alguém lhe deu.[7]
— Sor Rodrik, para Catelyn.
Ocorre-me que Jaime Lannister não se juntou à caçada no dia em que Bran caiu. Permaneceu aqui no castelo. Não me parece que Bran tenha caído daquela torre. Penso que foi atirado (...) Não há limites para o orgulho ou a ambição dos Lannister.[8]
— Catelyn, para seus aliados.
Deve haver sempre um Stark em Winterfell.[9]
— Catelyn, para Robb.

Passagens destacadas

  • Robb Stark tem 14 anos de idade, e Rickon, 3 anos.[10]
  • As longas línguas de fogo que jorraram das janelas da biblioteca de Winterfell, fatalmente, destruíra os livros que os Stark tinham reunido ao longo dos séculos.[11]
  • Diante da desgraça que quase ocorrera com Bran, Catelyn Stark reconhece, e aceita, a forte ligação entre seus filhos e os filhotes de lobos gigantes.[12][13]
  • Robb Stark acelera seu processo de amadurecimento frente aos acontecimentos recentes, e portanto, ganha o direito de carregar uma espada de verdade à cintura.[14] Além disso, passa a governar Winterfell enquanto seu pai estiver fora.[15]

Listas

Personagens

Aparecem:

Aparecem:

Mencionados:

Mencionados:

Casas

Aparecem:

Mencionadas:

Locais

Aparecem:

Mencionados:

Outros termos

Galeria

Links externos

Sobre a página

Esta página utiliza conteúdo baseado em A Game of Thrones-Chapter 14, um artigo de A Wiki Of Ice And Fire.

Referências

  1. A Guerra dos Tronos, Capítulo 14, Catelyn, página 97.
  2. A Guerra dos Tronos, Capítulo 14, Catelyn, página 97.
  3. A Guerra dos Tronos, Capítulo 14, Catelyn, página 99.
  4. A Guerra dos Tronos, Capítulo 14, Catelyn, página 100.
  5. A Guerra dos Tronos, Capítulo 14, Catelyn, página 101.
  6. A Guerra dos Tronos, Capítulo 14, Catelyn, página 101.
  7. A Guerra dos Tronos, Capítulo 14, Catelyn, página 101.
  8. A Guerra dos Tronos, Capítulo 14, Catelyn, página 102.
  9. A Guerra dos Tronos, Capítulo 14, Catelyn, página 102.
  10. A Guerra dos Tronos, Capítulo 14, Catelyn, página 97.
  11. A Guerra dos Tronos, Capítulo 14, Catelyn, página 98.
  12. A Guerra dos Tronos, Capítulo 14, Catelyn, página 99.
  13. A Guerra dos Tronos, Capítulo 14, Catelyn, página 101.
  14. A Guerra dos Tronos, Capítulo 14, Catelyn, página 100.
  15. A Guerra dos Tronos, Capítulo 14, Catelyn, página 101.