Ações

Adaga de Aço Valiriano e Osso de Dragão

Adaga de aço valiriano ilustrada por Lucas Durham © FFG.

A Adaga de Aço Valiriano e Osso de Dragão é uma adaga não nomeada de Aço Valiriano que foi usada pelo assassino de aluguel na tentativa de assassinato de Bran Stark.[1]

Aparência

Veja também: Imagens da adaga

A adaga é uma arma bela,[2] boa,[3][1] simples e bem-feita.[4][3] Sua simplicidade não exalta nada de luxo, pois seu acabamento não tem nada trabalhado em ouro ou joias no cabo e não tem relevos de prata na lâmina,[3] mas tem um cabo feito de osso de dragão e sua lâmina é de Aço Valiriano,[1][5][2][4][6][3] com um gume muito afiado.[1][7][3]

História

Em 298 d.C., durante o Torneio em homenagem ao Dia do Nome do Príncipe Joffrey Baratheon, o Rei Robert Baratheon ganhou a Adaga de Aço Valiriano ao apostar que Sor Loras Tyrell venceria a justa contra Sor Jaime Lannister e apesar de não ser mencionado com quem o Rei Robert apostou,[4] através de fontes semi-canônicas, sabemos que essa adaga pertencia a Petyr Baelish antes de perdê-la para Robert na aposta.[8] Durante o banquete após o torneio, Rei Robert ficou bêbado e mostrou a adaga para Sor Jaime Lannister para humilhá-lo, pois ganhou-a através da derrota do Regicida.[4] Após esse dia, o Rei Robert nunca mais a usou, já que costumava usar apenas sua faca de caça que ele recebeu de Lorde Jon Arryn em sua juventude.[9] Robert provavelmente se esqueceu da adaga, deixando-a guardada com o resto de suas armas.[3]

Eventos recentes

Info Aviso: Esta seção contém revelações sobre o enredo (spoilers).

A Guerra dos Tronos

Sor Rodrik Cassel com a adaga em cena de Game of Thrones.

Após a queda de Bran Stark em Winterfell, o Rei Robert ficou bêbado e falou que seria misericordioso matá-lo ao invés de deixá-lo aleijado e seu filho, o Príncipe Joffrey Baratheon, escutou e levou a afirmação a sério e organizou o assassinato para agradar seu pai.[10] Príncipe Joffrey Baratheon então foi escondido até os estoques bélicos pessoais do Rei e pegou a adaga de Aço Valiriano, mas não confiou em Sandor Clegane para a missão, então procurou alguém na comitiva de cavaleiros livres, mercadores e seguidoras de acampamentos que se ligou à comitiva do rei durante sua vinda de Porto Real até Winterfell e achou um Assassino de aluguel e entregou a adaga para ele, ordenando que só fizesse o atentado depois que o Rei e sua comitiva voltasse para Porto Real.[3]

O Assassino de aluguel ficou nos estábulos durante todo o tempo esperando o momento certo enquanto foi visto vagando pelo castelo, mas como o quarto de Bran Stark estava sempre vigiado, ele botou fogo na Torre da Biblioteca como distração e foi até o quarto do garoto aleijado, mas ao chegar lá encontrou a Senhora Catelyn Stark. Eles lutam e o assassino machuca as mãos dela com sua adaga de Aço Valiriano, mas Verão protegeu Bran e matou o Assassino de aluguel. Acreditando que os Lannisters eram culpados pelo atentado, a Senhora Catelyn Stark ficou em posse da adaga.[1] Senhora Catelyn Stark e Sor Rodrik Cassel viajam para Porto Real para informar Lorde Eddard Stark secretamente Sor Rodrik Cassel procura Sor Aron Santagar para procurar informações sobre a adaga e Senhora Catelyn Stark é interceptada por Varys que corta o dedo ao examinar a adaga até que Petyr Baelish chega ao local e informa que aquela adaga era dele, mas mente ao informar que perdeu-a para Tyrion Lannister em uma aposta sobre uma justa entre Sor Jaime Lannister e Sor Loras Tyrell.[11] Posteriormente, Petyr Baelish arranja o encontro secreto entre a Senhora Catelyn Stark e Lorde Eddard Stark, que é informado dos acontecimentos até então, mas quando Petyr Baelish sugere jogar a adaga fora, pois não tem provas sobre a tentativa de assassinato, Lorde Eddard Stark se recusa e fica com a adaga para si e manda sua esposa de volta para Winterfell.[12]

Tyrion Lannister é capturado pela Senhora Catelyn Stark na Estalagem do Entroncamento[13] e levado até o Ninho da Águia. Durante sua jornada ele insiste que nunca possuiu a referida adaga e declara sua inocência tanto para Senhora Catelyn Stark[14] como para Bronn.[15] Ele foi considerado inocente após o Julgamento por combate.[16]

Depois da morte do Rei Robert, Lorde Eddard Stark é traído por Petyr Baelish, que prometeu o poder da Patrulha da Cidade de Porto Real para Lorde Eddard, mas estava conspirando com a Rainha Cersei Lannister sobre a traição. Petyr Baelish recupera sua adaga de Aço Valiriano que antes estava sob a posse de Lorde Eddard Stark.[7]

A Fúria dos Reis

Adaga de aço valiriano feita por Valyrian Steel ® Collection de acordo com a série de televisão da HBO.

Tyrion Lannister volta para Porto Real como Mão do Rei Joffrey Baratheon e tem a intenção de confrontar Petyr Baelish sobre a adaga de Aço Valiriano e sobre a falsa acusação de assassinato que Petyr fez.[5]

A Senhora Catelyn Stark vai até as masmorras de Correrrio em busca de Sor Jaime Lannister para interrogá-lo sobre várias questões e Jaime afirma que realmente ouve uma adaga de Aço Valiriano que trocou de mãos depois de uma aposta, mas não é mencionado quem era seu antigo dono, apenas que ela passou a ser posse do Rei Robert depois da aposta.[4]

A Tormenta de Espadas

Após receber a Lamento de Viúva como presente de casamento, o Rei Joffrey Baratheon destrói o presente de Tyrion Lannister com a espada e afirma que o Aço Valiriano não é estranho para ele. Furioso, Tyrion tem um momento de epifania após as palavras do Rei ser familiarizado ao aço de Valíria e pergunta a Joffrey Baratheon se o próximo presente poderia ser também Aço Valiriano e sugere uma faca com um cabo de osso de dragão para combinar com a sua nova espada. O Rei Joffrey entendeu a indireta do Tyrion, mas tenta disfarçar.[6] Tyrion conclui que Joffrey foi a cabeça por trás da tentativa de assassinato de Bran Stark.[6] Posteriormente, Sor Jaime Lannister chega a mesma conclusão ao discutir com a Rainha Cersei Lannister sobre como Joffrey escutou Robert dizer que seria misericordioso matar o aleijado Bran Stark; como Joffrey buscava a aprovação de seu pai, ele organizou a tentativa de assassinato.[10] Quando Sor Jaime Lannister foi salvar seu irmão Tyrion nas masmorras da Fortaleza Vermelha, eles concordam que Joffrey foi o responsável pela tentativa de assassinato de Bran.[17]

Nos Dedos, Petyr Baelish usa sua adaga para comer frutas enquanto conversa com Sansa Stark. [18]

Citações

Encontramos a faca ainda na mão do vilão. Pareceu-me uma arma boa demais para um homem daqueles, e olhei-a longa e atentamente. A lâmina é de aço valiriano e o punho, de osso de dragão. Uma arma assim não tem nada a ver com um homem como ele. Alguém lhe deu.[1]
— Sor Rodrik Cassel
Sua mão dobrou-se em torno do suave cabo de osso de dragão, e ele bateu com a lâmina na mesa, sentindo-a morder a madeira.[12]
— Lorde Eddard Stark
(…) desembainhou o punhal e o pousou na mesa entre eles; um bocado de osso de dragão e de aço valiriano, tão afiado quanto a diferença entre o certo e o errado, entre a verdade e a mentira, entre a vida e a morte.[7]
— Lorde Eddard Stark
Tyrion sorriu, lembrando-se de um certo punhal com um cabo de osso de dragão e uma lâmina de aço valiriano. Teremos de ter uma conversa sobre isso, e em breve. Perguntou a si mesmo se Lorde Petyr também acharia esse assunto divertido.[5]
Tyrion Lannister
Tyrion:Essa também é uma bela faca.

Petyr: Ah, é? Aço valiriano e um cabo de osso de dragão. Um pouco simples, no entanto. É sua, se quiser.

Tyrion: Minha? Não. Penso que não. Minha, nunca.[2]

Tyrion Lannister e Petyr Baelish
Jaime: Que punhal era esse?

Catelyn: Era deste tamanho, simples, mas bem-feito, com uma lâmina de aço valiriano e um cabo de osso de dragão. Seu irmão o ganhou de Lorde Baelish no torneio no dia do nome do Príncipe Joffrey.

Jaime: Este vinho parece melhorar à medida que o bebo. Imagine. Acho que recordo desse punhal, agora que o descreve. Diz que ele o ganhou? Como?

Catelyn: Apostando em você na justa contra o Cavaleiro das Flores. Não… Teria sido o contrário?

Jaime: Tyrion sempre me apoiou nas liças, mas nesse dia Sor Loras derrubou-me do cavalo. Pouca sorte. Encarei o rapaz com ligeireza em excesso, mas não importa. Seja o que for que meu irmão tenha apostado, perdeu… Mas esse punhal realmente mudou de mãos, lembro-me agora. Robert mostrou-me nessa noite, no banquete. Sua Graça adorava pôr sal em minhas feridas, especialmente quando estava bêbado. E quando é que não estava? [4]

— Senhora Catelyn Stark e Sor Jaime Lannister
Joffrey: Você e a Senhora Sansa devem-me um presente melhor, tio Duende. Este está feito em pedaços.

Tyrion: Talvez uma faca, senhor. Para combinar com a sua espada. Um punhal do mesmo belo aço valiriano... digamos, com um cabo de osso de dragão?

Joffrey: Você... sim, um punhal para combinar com a minha espada, ótimo. Um... um cabo de ouro com rubis. Osso de dragão é simples demais.[6]

— Príncipe Joffrey Baratheon e seu tio Tyrion Lannister
A lâmina que Joff escolheu era boa e simples. Nada de trabalhos em ouro, nada de joias no cabo, nada de relevos de prata na lâmina. O Rei Robert nunca a usara, provavelmente tinha esquecido que lhe pertencia. Mas o aço valiriano era mortalmente afiado... suficientemente afiado para cortar pele, carne e músculo num golpe rápido. Não sou estranho ao aço valiriano. Mas tinha sido, não tinha? De outro modo nunca teria sido idiota a ponto de escolher a faca de Mindinho.[3]
Tyrion Lannister

Sobre a página

Esta página utiliza conteúdo baseado em Valyrian steel dagger, um artigo de A Wiki Of Ice And Fire.

Referências