A Tormenta de Espadas - Capítulo 46

De Gelo e Fogo wiki
Ir para navegação Ir para pesquisar

 

Samwell III
Capítulo de A Tormenta de Espadas
A Tormenta de Espadas.jpg
PDVSamwell
LocalAldeia abandonada na Floresta Assombrada, Para Lá da Muralha, Westeros
Página483-490 PT-BR Leya (Outras versões)
Cena. (Série HBO)
Cronologia dos capítulos (Todos)
Samwell II
Catelyn V ← Samwell III → Arya IX

Samwell IV


Sam e Goiva são cercados por criaturas, mas são salvos por um homem misterioso vestido de preto e com as mãos frias como gelo.

Sinopse

Goiva protege seu filho das criaturas Além da Muralha Arte extraída de 'A Tormenta de Espadas - Edição Ilustrada', por Gary Gianni ©.

Sam e Goiva chegam em uma vila abandonada

Samwell Tarly e Goiva chegam a uma aldeia abandonada que Sam espera ser Brancarbor. Há uma represeiro nesta aldeia, mas Sam ainda não tem certeza se é o local que busca. Ao redor da árvore há um punhado de cabanas, um edifício comprido feito de troncos e coberto de musgo, um poço de pedra, e um curral sem ovelhas. Não há pessoas a vista. Sam está em péssimo estado depois que um dos dois cavalos morreu três dias após o início da marcha: suas botas estão se despedaçando, as bolhas em seus pés estouraram e novas bolhas já estão se formando sob os calos. Goiva ainda está fraca por conta do parto, e por isso ele deu a ela o segundo cavalo.

Sam traz Goiva para o salão e sai para examinar as outras cabanas. É decidido que Goiva deve acender uma fogueira, afinal ela é melhor nisso do que Sam. A última vez que ele tentou, cortou a mão com a faca e a ferida agora está infeccionada. Ao examinar as casas, ele percebe que nem sabe o que está procurando. Ele retorna ao represeiro, sem resultado. Ele percebe que o represeiro é muito menor do que o de Brancarbor, e que a face nesta árvore também é diferente. Ele cai de joelhos e ora aos Deuses Antigos porque os Sete, os deuses de seu pai Randyll Tarly, não o ouviam. Goiva inicia uma fogueira no longo corredor e amamenta seu bebê. As mulheres de Craster forneceram a eles alguns mantimentos, mas eles haviam se esgotado há muito tempo. Embora Sam venha de Monte Chifre, onde há muita caça, ele jamais conseguiu pegar algo no norte, nem mesmo um peixe em um dos riachos. Goiva pergunta o quanto eles ainda precisam viajar, e Sam tenta acalmá-la. Apesar dos mapas, Sam se perdeu quando tiveram que caminhar ao redor de um lago e depois ele tentou encontrar a direção certa. Agora ele não consegue nem dizer se eles estão muito longe a leste ou muito a oeste. Ele sente falta de Bannen ou Dywen, que os teria levado de volta à Castelo Negro há muito tempo, mas um morreu, e os outro estava longe. Afinal, ele tem certeza de que estavam rumo ao sul e, mais cedo ou mais tarde, deveriam cruzar a Muralha. Durante o dia ele se orientou pelo sol e à noite pela cauda do Dragão de Gelo. Agora ele conta a Goiva sobre as terras do sul para acalmá-la e canta A Canção dos Sete para a criança a seu pedido. Sam se lembra de cantar a música com sua mãe para o pequeno Dickon Tarly. Então seu pai correu e repreendeu-os, dizendo que ela não deveria suavizar seu segundo filho com canções. Goiva ainda não deu a seu bebê um nome porque é um costume entre o povo livre. Só depois de dois anos de idade é que as crianças ganham seus nomes, porque muitos deles morrem antes disso. Goiva elogia Sam pela música e sua voz. Sam explica a Goiva porque a música descreve apenas seis aspectos: o sétimo é "o estranho" que carrega a face da morte sobre a qual ninguém canta. Eles comem um pouco e depois Sam sai.

Do lado de fora, ele cria um buraco no gelo para o cavalo no riacho próximo e decide levá-lo para o salão durante a noite para que ele não congele até a morte. Ele pensa em como Goiva é corajosa e forte. Sam afasta os pensamentos de como proceder quando eles realmente chegarem à Castelo Negro. Goiva vive dizendo que pode se tornar a esposa de Sam, mas isso não será possível por causa do juramento dele. Além disso, como Tarly, ele nunca poderia se casar com uma mulher simples do povo livre. Ele conduz o cavalo para o salão, acrescenta lenha e cobre a si, Goiva e o bebê com seu casaco enorme.

Criaturas aparecem à noite

Durante a noite, Sam sonha com Monte Chifre, mas seu pai não está lá e o castelo pertence a ele. Jon Snow e Jeor Mormont estão com ele e Grenn, Pyp, Eddison Tollett, Todder e todos os outros irmãos. Todos eles usam roupas brilhantes e coloridas em vez do preto da Patrulha da Noite. Eles estão todos sentados em uma mesa comprida e ele usa Veneno de Coração para cortar fatias grossas de um assado. Também tem bolo e música, e todos estão dançando. No final no banquete ele vai para o seu antigo quarto, onde Goiva o espera. Ela está deitada na cama sem nada e o leite pinga de seus seios.

Mãos Frias e seu alce protegem Goiva, Sam e o bebê, por Igor Kieryluk ©.

De repente, Sam acorda cheio de medo e frio. O cavalo está inquieto e Goiva está sentada perto do fogo com a criança. O ar parece ter ficado ainda mais frio. Então ele vê uma sombra na soleira da porta. Goiva choraminga enquanto conta que veio ver o recém-nascido porque as criaturas podem sentir o cheiro de bebês. Sam o reconhece: É o corpo do Paul Pequeno, e ele caminha lentamente para o salão. Ele tem olhos azuis brilhantes, suas mãos são pretas e um corvo está sentado em seu ombro, bicando a pele de suas bochechas. Sam faz xixi nas calças e diz a Goiva para tirar o cavalo enquanto ele fica parado com sua adaga feita de vidro de dragão. Ele tomou a adaga de Mormont depois de sua morte. Sam fala com Paul e ele tenta lembrá-lo de como ele resgatou Sam na floresta e o carregou dias atrás. Paul empurra Sam contra a parede, mas antes que ele possa alcançá-lo, ele é distraído pelo cavalo empinado e se vira. Sam enfia a adaga várias vezes nas costas de Paul, mas o vidro do dragão se estilhaça na cota de malha que Paul ainda está usando. Paul se vira, agarra Sam pelo pescoço e começa a sufocá-lo. Em desespero, Sam puxa Paul para o chão com todo o seu peso. Ele encontra um tronco carbonizado que ainda está brilhando e o enfia na boca de Paul. Demora um pouco, mas então a cabeça de Paul pega fogo e suas mãos finalmente se separam.

Quando ele corre para fora em busca de Goiva, ele a encontra encostada na árvore de represeiro no meio de outras criaturas, incluindo alguns dos homens da Patrulha da Noite que caíram no Punho dos Primeiros Homens: Lark, Pé-Leve, Ryles, Chett, Hake e alguns outros. Eles haviam pegado o cavalo e estavam puxando seus intestinos. Alguns atacam Goiva.

De repente, Sam percebe que milhares de corvos estão sentados nas árvores, gritando e se movendo, enquanto caem sobre as criaturas e as atacam. Um dos corvos pousa no ombro de Sam e diz a ele para correr, e ele agarra Goiva e foge. Então, uma figura estranha chama Sam de "irmão" e chama por eles. Ela usa uma capa, monta um alce enorme e está envolto em mantos cinza e preto. A figura os oferece para sentar e o alce cai de joelhos. O estranho os ajuda em seu alce e, quando Sam pega sua mão, percebe que ela é negra, fria e dura como pedra.

Citações


Ele veio buscar o bebê. Sente o cheiro dele. Um bebê recém-nascido fede a vida. Ele veio buscar a vida.
—— Goiva para Samwell Tarly.



Desapareceu, o brilho azul desapareceu.
—— pensamentos de Samwell Tarly após matar a criatura.



Irmão! Aqui.


Links externos

Sobre a página

Esta página utiliza conteúdo baseado em A Storm of Swords-Chapter 46, um artigo de A Wiki Of Ice And Fire.