Ações

Vidro de Dragão

(Redirecionado de Vidro de dragão)
Uma adaga de obsidiana, por Rogério Souza ©.

Vidro de dragão é um vidro natural formado pela ação vulcânica, também conhecido como obsidiana. Os filhos da floresta faziam armas de vidro de dragão, incluindo punhais, lâminas e pontas de flechas [1]. Durante a Era dos Heróis, a Patrulha da Noite registrou que os filhos da floresta davam aos irmãos de negro, centenas de punhais de obsidiana a cada ano[2]. As armas feitas de vidro de dragão são um dos poucos pontos fracos dos Outros. Um Outro que é perfurado por uma lâmina de obsidiana morre quase instantaneamente. Lâminas de obsidiana são mais afiadas do que o aço, mas muito mais frágeis.[3]

Os valirianos chamavam a obsidiana de fogo congelado e manipulavam obsidiana para fazer a suas velas de vidro.[4]

De acordo com GRRM, a obsidiana possui,

... características magia que obviamente a obsidiana da vida real não possui necessariamente. Afinal, nós vivemos em um mundo que não tem mágica. Meu mundo tem magia, então é um pouco diferente.[5]


Os plebeus gostam de dizer que o vidro de dragão é feito por dragões, enquanto os meistres dizem que a substância yem origem dos fogos da terra.[6] Existem grandes depósitos de dvidro de dragão em Pedra do Dragão,[7] e é um produto de exportação em Asshai.[8] Mors Umber usa um pedaço de vidro de dragão no lugar de um olho perdido.[9]

Veja também

Eventos Recentes

A Guerra dos Tronos

Em sua torre em Winterfell Meistre Luwin despeja um punhado de pontas de flechas pretas e brilhantes em um pote verde e as mostra para Bran Stark, Rickon Stark, e Osha. Bran pega uma e vê que é feito de vidro. Osha então nomeia de "vidro de dragão". Meistre Luwin diz que é obsidiana; ele diz que os filhos da floresta não trabalhavam com metal e caçavam com obsidiana, e no lugar de espadas carregavam lâminas de obsidiana. Osha observa que os filhos da floresta ainda o fazem. Bran examina a ponta da flecha, notando que o vidro preto é escorregadio e brilhante. Ele acha bonito e pergunta ao Meistre Luwin se ele pode ficar com uma.[1]

A Fúria dos Reis

Sam armado com uma adaga de obsidiana pronto para matar um Outro, por Amoka ©.

No Punho dos Primeiros Homens, Jon Snow descobre um esconderijo de facas, pontas de lança em forma de folha e numerosas pontas de flechas feitas de obsidiana. Vidro de dragão, ele pensa para si mesmo. Abaixo do vidro de dragão, há um velho corno de guerra, e quando Jon sacode a sujeira de dentro dele, um bom punhado de pontas de flechas cai. Jon dá à Samwell Tarly uma ponta de lança e uma dúzia de pontas de flechas também, e passa o resto entre seus outros amigos para dar sorte.[3]

Em Qarth, com o boato sobre os dragões se espalhando, muitos chegam para descobrir que a lenda é verdadeira, e todo tipo de prenda é oferecida à Daenerys, a Mãe dos Dragões. Entre outras ofertas, os capitães comerciantes trazem vidro de dragão de Asshai para Dany. Daenerys acaba vendendo o vidro de dragão, para acumular riquezas. No entanto ela acaba gastando tudo o que tem com os Puronatos.[8]

Xaro Xhoan Daxos conta a Daenerys Targaryen que velas de vidro que não queimaram em centenas de anos agora estão queimando na casa de Urrathon, o Caminhante da Noite.[10]

A Tormenta de Espadas

Samwell Tarly e os poucos sobreviventes do Punho estão escapando para o sul, com uma forte nevasca caindo. Em um cavalo morto-vivo, um Outro solitário aparece. Em um pânico cego, Sam mata o Outro esfaqueando-o com o punhal de vinho de dragão dado a ele por Jon Snow. A adaga faz o Outro encolher e se liquefazer e dissolver. Apenas a adaga permanece,

embrulhada em vapor, como se estivesse viva e transpirando.

Depois disso, Grenn se dobra para apanhar a adaga, e a atira imediatamente no chão, sentindo-a extremamente gelada.[11]

Na Fortaleza de Craster, Samwell discute obsidiana com Jeor Mormont. O Senhor Comandante diz a Sam que se vidro de dragão matar os Outros como Sam afirma, ele irá querer mais. Sam observa que as crianças da floresta saberiam onde encontrar obsidiana, mas o Senhor Comandante Mormont diz a ele que as crianças estão todas mortas.[6]

Sam e Goiva, escapando do motim na Fortaleza de Craster, são ameaçados por uma criatura, que um dia foi Paul Pequeno. Sam tenta esfaqueá-lo com o punhal de vidro de dragão, mas ele se quebra ao entrar em contato com a cota de malha de Paul.[12]

Na Muralha, depois de ouvir sobre as propriedades de vidro de dragão ditas por Sam, o Rei Stannis Baratheon manda uma mensagem para o seu castelão Sor Rolland Storm em Pedra do Dragão para começar a mineração de obsidiana. Ele teme que não poderá manter sua posição por muito tempo, mas espera que o Senhor da Luz lhes conceda “fogo congelado” suficiente para se armarem contra os Outros antes que Pedra do Dragão caia.[7]

O Festim dos Corvos

Em Vilavelha, Leo Tyrell diz a seus colegas acólitos e noviços da Cidadela que há uma vela de vidro acesa nos aposentos de Arquimeistre Marwyn. Armen explica a vigília que um acólito deve realizar para se tornar um meistre, onde um aprendiz tenta acender uma das velas de vidro da Cidadela, e diz que a obsidiana não queima. Pate lembra que os plebeus chamam obsidiana de vidro de dragão, e Alleras se pergunta se o retorno dos dragões é o que está permitindo que a vela queimaenovamente.[13]

Na Muralha, Samwell Tarly diz a Jon Snow que ele aprendeu que as crianças da floresta costumavam dar à Patrulha da Noite uma centena de adagas de obsidiana todos os anos, durante a Era dos Heróis.[2]

Quando Sam chega à Cidadela, há uma vela de vidro negra acesa nos aposentos de Marwyn na Ilha dos Corvos. Marwyn diz-lhe que a chama queima mas não é consumida.[4]

A Dança dos Dragões

Em Meereen, Quaithe diz para Daenerys Targaryen que as velas de vidro estão queimando.[14]

Citações

Osha: Vidro de dragão.
Mesitre Luwin: Obsidiana. Forjada nas fogueiras dos deuses, nas profundezas da terra. Os filhos da floresta caçavam com isso há milhares de anos. Eles não trabalhavam o metal. Em lugar de cota de malha, usavam longas camisas de folhas entrelaçadas e envolviam as pernas com cortiça, para que parecessem se fundir com a floresta. No lugar de espadas, usavam lâminas de obsidiana.[1]
— Meistre Luwin


Por fim, só o punhal de vidro de dragão ficou, embrulhado em vapor, como se estivesse vivo e transpirando. Grenn dobrou-se para apanhá-lo, e atirou-o imediatamente no chão. "Mãe, como está.frio!"[11]


Encontrei menções sobre a obsidiana. As crianças da floresta costumavam dar para a Patrulha da Noite cem adagas de obsidiana todos os anos, durante a Era dos Heróis.
Samwell Tarly, ao Senhor Comandante Jon Snow


O fogo os assusta, e eles são vulneráveis à obsidiana. [14]
Samwell Tarly, ao Senhor Comandante Jon Snow


Vidro de dragão. Fogo congelado, na língua da antiga Valíria. Pouco admira que seja anátema para aqueles frios filhos do Outro. [7]
Melisandre



Enredo da adaptação da HBO

Livro encontrado na Cidadela que fala sobre as adagas de obsidiana. HBO ©.

Em Game of Thrones da HBO, vemos diversas diferenças sobre a maneira como a obsidiana se comporta ao longo da história.

Sexta Temporada

É revelado que vidro de dragão seria a arma usada pelas Crianças da Floresta ao criar o primeiro Caminhante Branco. Folha e várias das outras crianças forçaram um punhal de vidro de dragão através do coração de um dos Primeiros Homens. A arma, na série de TV, consegue matar um Caminhante Branco quando em contato com sua pele.

Mais tarde, Benjen Stark conta que, quando foi esfaqueado por um Caminhante Branco e deixado para morrer, os Filhos da Floresta o encontraram e o salvaram da morte, transformando-o em Mãos Frias. Para isso, as crianças teriam cravado um punhal em seu coração.

Sétima Temporada

Durante sua pesquisa sobre os Caminhantes Brancos na Cidadela em Vilavelha, Samwell Tarly descobre que uma enorme montanha de vidro de dragão poderia ser encontrada em Pedra do Dragão. Ele imediatamente envia uma mensagem para o Norte, informando Jon Snow de sua descoberta.

Em Pedra do Dragão, Jon conta a Tyrion Lannister e Daenerys Targaryen sobre a habilidade da arma contra o exército dos mortos. Em seguida, o exército de ambos exploram as cavernas para lapidar a pedra e produzir armas para a guerra.


Referências