Ações

Dywen

Minigdn.png
Dywen
Minigdn.png
Dywen Тхе Мичо.jpg
Dywen por Тхе Мичо
Lealdade Patrulha da Noite
Aparece
Aparece
Aparece
Mencionado
Aparece

Dywen é um patrulheiro da Patrulha da Noite.

Aparência e características

Veja também: Imagens de Dywen

Dywen é velho e áspero.[1] Seu rosto é enrugado como couro e suas mãos nodosas como velhas raízes.[2] Ele possui dentes esculpidos em madeira mal assentados em sua boca e tem o costume de chupá-los, fazendo barulhos estranhos.[3][4][5] Ele gosta de se vangloriar dizendo que é capaz de cheirar a neve chegando.[3][2]

Eventos recentes

Info Aviso: Esta seção contém revelações sobre o enredo (spoilers).

A Guerra dos Tronos

Dywen, Bowen Marsh e outros patrulheiros fazem uma escolta que leva Jon Snow e Samwell Tarly para a Floresta Assombrada para jurar seus votos como novos Membros da Patrulha da Noite perante um Represeiro. Após Jon e Sam fazerem seu juramento, Fantasma se junta ao grupo novamente, mas carregando um pedaço de uma mão humana na boca. Dywen é o primeiro a notar a mão que o Lobo Gigante carrega.[1]

No outro dia, o Senhor Comandante Mormont lidera uma escolta para investigar sobre a mão do cadáver que Fantasma encontrou na Floresta Assombrada. Tal comitiva é composta por Dywen, Sor Jaremy Rykker, Hake, Ketter, Bass, Chett e outros. O grupo encontra os cadáveres de Othor e Jafer Flowers na Floresta Assombrada. Ao observar seus cadáveres, Dywen e Sor Jaremy Rykker notam que Othor e Jafer Flowers nunca tiveram olhos azuis quando eram vivos.[3]

A Fúria dos Reis

De acordo com Dywen, os ursos gigantes podem ser encontrados além da Muralha. O Senhor Comandante Mormont duvida disso.[6]

Dywen participa da Grande Patrulha Para Lá da Muralha liderados pelo Senhor Comandante Mormont. Enquanto estavam na Fortaleza de Craster, Dywen demonstra antipatia por Craster, contudo demonstra interesse nas suas esposas e afirma ter dormido com algumas de suas esposas e filhas, mas seus companheiros não acreditam nele.[4]

Enquanto estava acampado no Punho dos Primeiros Homens, Dywen sente o cheiro de frio, mas nenhum de seus irmãos acreditou nele, exceção Jon Snow, que também entende o frio como um sinal da presença das Criaturas.[2]

A Tormenta de Espadas

Dywen é um daqueles selecionados por Chett e seus companheiros conspiradores para morrer por causa de suas excelentes habilidades de rastreamento.[7] No entanto, antes que a trama possa começar o Punho dos Primeiros Homens é atacado por Criaturas. Dywen está entre os sobreviventes do ataque.

Uma vez que retorna para a Fortaleza de Craster, Dywen é um dos poucos homens que leva Samwell Tarly a sério quando ele diz aos homens que ele matou um Outros com sua adaga de Vidro de Dragão. Dywen junta-se a Edd Doloroso Tollett ao fazer com que Sam e Grenn digam ao Senhor Comandante Mormont o que aconteceu.[8]

Dywen permanece leal a Patrulha da Noite durante o Motim na Fortaleza de Craster, no qual o Senhor Comandante Mormont é assassinado. Dywen é um dos poucos sobreviventes que voltam até Castelo Negro.[9]

A Dança dos Dragões

Dywen e Kedge Olho-Branco relatam para o Senhor Comandante Snow que dois dos Homens da Rainha, Sor Richard Horpe e Sor Justin Massey, cavalgaram para o sul ao longo da estrada Estrada do Rei.[10]

Dywen é um dos patrulheiros a ir abertamente contra a proposta de selar os portões e outras entradas da Muralha para evitar que os Outros e mais Selvagens passem. Ele argumenta que ameaças como o Tormund O Terror dos Gigantes e o Chorão cruzaria a Ponte das Caveiras ou passaria por um portão que poderia estar aberto em outros castelos da muralha, atraindo o Patrulha da Noite desnecessariamente. Ele reúne a maioria dos Patrulheiros a favor de Jon, enquanto os construtores e intendentes ficam do lado de Bowen Marsh.[11]

O Senhor Comandante Snow nomeia Dywen como um dos líder dos três grupos de Patrulheiros enviados para uma Patrulha.[5] Seu grupo inclui Sor Alliser Thorne. Melisandre avisa Jon logo após a partida que, nas suas visões, viu três dos nove guardas retornarem sem olhos, chorando sangue.[5]

Quando as cabeças decapitadas do grupo lideradas por Jack Negro Bulwer aparecem no norte de Castelo Negro, Owen Idiota questiona se Dywen estava entre as vítimas. Jon pergunta a Melisandre se ela também viu os seis guardas sobreviventes, incluindo Dywen, em suas visões. Melisandre revela que ainda não viu seus destinos.[12]

Citações

Citações de Dywen

Pode ser que não tenham morrido aqui. Pode ser que alguém os trouxe e os deixou para nós. Como um aviso. E pode ser que eu esteja doido, mas não me lembro de Othor ter olhos azuis.[3]
— Dywen nota que o cadáver de Othor está diferente, pois este se tornou uma Criatura
Grenn: Minha mãe sempre disse que a chuva era boa para fazer crescer a safra.

Dywen: Sim, uma boa safra de bolor. A melhor coisa de uma chuva como essa é que livra um homem de tomar banho.[4]

— Dywen reclamando para Grenn sobre a chuva na Grande Patrulha Pra Lá da Muralha
Craster tem dez dedos e um pau, portanto não sabe contar até mais do que onze. Nunca dará falta de um par delas.[4]
— Dywen falando sobre as esposas de Craster
Dywen: Conheço esta floresta tão bem quanto qualquer homem vivo, e digo-lhes que não gostaria de percorrê-la sozinho esta noite, Não sentem o cheiro?

Edd Doloroso: O cheiro que sinto é o da merda de duzentos cavalos. E deste guisado. Que tem quase o mesmo aroma bem aqui, agora que o cheiro bem.

Grenn: Como é que cheira para você, Dywen?

Dywen: Parece-me que tem cheiro... bem... de frio.[2]

— conversa entre Dywen, Grenn, Jon Snow e Eddison Tollett
Ensinaremos o que você precisa aprender, sor. Ensinar você a limpar sua bunda bem-nascida com folhas, como um legítimo patrulheiro.[5]
— Dywen debochando de Alliser Thorne após Jon Snow mandá-lo em um patrulha Pra Lá da Muralha

Citações sobre Dywen

Se Bannen ou Dywen estivessem conosco, a essa altura estaríamos em Castelo Negro, aquecendo os pés na sala comum.[13]
Samwell Tarly lembrando de Dywen enquanto tentava voltar para o Castelo Negro com a Goiva

Sobre a página

Esta página utiliza conteúdo baseado em Dywen, um artigo de A Wiki Of Ice And Fire.

Referências