Casamento

De Gelo e Fogo wiki
Ir para navegação Ir para pesquisar

 

Theon Greyjoy conduz Jeyne Poole ao casamento com Ramsay Snow, em Winterfell. Ilustração por Sam Hogg para o Calendário 2021 de As Crônicas de Gelo e Fogo. ©
Um noivo e uma noiva na sua cerimônia de casamento, por JB Casacop, Fantasy Flight Games ©.

O casamento é um vínculo, legal ou formal, estabelecido (normalmente) entre duas pessoas.[1] Esta união socialmente reconhecida estabelece direitos e obrigações entre os cônjuges, bem como a filhos biológicos ou adotados. O costume descrito em As Crônicas de Gelo e Fogo varia dependendo das terras onde acontece a cerimônia ou da religião professada em determinada região. No mundo conhecido, prevalece, nas cerimônias religiosas, a união entre um homem e uma mulher (na maioria das regiões, em termos de casamento entre famílias, a união não pode ser mais próxima do que entre primos em primeiro grau), envolvendo a troca de votos na presença de uma testemunha sagrada em particular, como um septão (no caso da Fé dos Sete), uma árvore-coração (no caso dos deuses antigos),[2] ou um sacerdote ou sacerdotisa (no caso do Deus Afogado ou no culto a R'hllor). Geralmente o casamento é seguido de um banquete, onde a noiva e o noivo comem e bebem com seus convidados para comemorar a ocasião. Depois disso, o casal é acompanhado até a cama, onde irão consumar sua união.

História

No Império Valiriano era costume entre os senhores de dragões casar irmão com irmã, ou, em alguns casos, tio com sobrinha ou tia com sobrinho. Em Valíria também era socialmente aceitável a prática da poligamia, embora não fosse tão comum assim. Os valirianos tinham suas próprias cerimônias religiosas, embora não houvesse a necessidade de uma figura religiosa, como quando a rainha Visenya Targaryen oficializou sozinha o casamento do seu filho Maegor numa cerimônia tipicamente valiriana.[3] Após a Conquista de Aegon, a Casa Targaryen continuou com suas práticas incestuosas, mesmo com a Fé dos Sete, a principal religião de Westeros, interpretar incesto como um pecado vil.[3] Isto levou ao Levante da Fé Militante, que começou no reinado de Aenys I Targaryen[3] e continuou no reinado de Maegor I.[4]

Noivado

A maioria dos noivados entre a nobreza tem o propósito de aliar duas famílias e não são feitas necessariamente por amor;[5][6] tais casamentos por conveniência também são comuns pela classe média e os camponeses.[6] De acordo com Stannis Baratheon, "a maneira mais segura de selar uma nova aliança é com um casamento".[7] Noivados e casamentos podem fazer parte de uma afirmação de lealdade ou apoio, ou para ajudar a organizar a paz entre rivais.[8]

É esperado que o chefe de uma Casa nobre providencie casamentos para seus filhos e parentes não casados. Embora um lorde não possa forçar um casamento se seus dependentes se recusarem a fazer seus votos, isso teria grandes consequências.[9] Um exemplo disso é quando Sor Brynden Tully recusou a aceitar a ordem de casamento do seu irmão e senhor, o lorde Hoster Tully, o que arruinou o relacionamento entre os irmãos.[10] Embora lordes normalmente não arranjem casamentos para seus vassalos e cavaleiros com terras, é aconselhável para um nobre consultar o seu senhor suserano e respeite sua opinião sobre a proposta de matrimônio.[9] Noivados podem acontecer em várias faixas de idade. Crianças tão jovens quanto um bebê de dois anos (como Baela e Rhaena Targaryen) podem ser prometidos para casamento,[11] embora normalmente os noivados sejam feitos quando as partes já são mais velhas. Onze anos é considerado uma boa idade para um casamento,[12] embora quando questões políticas severas estejam envolvidas, os noivos podem ser mais novos que isso.[N 1]

Noivados podem ser quebrados,[13] mas isso pode trazer consequências ruins. Por exemplo, quando o príncipe Duncan Targaryen quebrou sua promessa de casamento com a filha do lorde Lyonel Baratheon para ficar com Jenny de Pedravelhas, Lyonel ficou tão irritado que levantou seus domínios em revolta.[14][15] A quebra de um voto de noivado pode encerrar uma aliança.[N 2]

Se um nobre que foi noivado morre antes da cerimônia política do casamento, um irmão ou qualquer outro herdeiro presuntivo pode tomar seu lugar. Um exemplo disso é quando Brandon Stark, herdeiro de Winterfell, foi morto, seu casamento com Catelyn Tully passou para seu irmão mais novo Eddard Stark, sendo que esta união sedimentou a aliança entre os rebeldes na Guerra do Usurpador.[16]

Embora dotes de casamento nos Sete Reinos são pagos pela família da noiva para a do noivo,[17][18][19][20][21] nas Cidades Livres isso não é muito comum, com o rei Daeron II Targaryen recebendo um dote pago pelo Arconte de Tyrosh como havia sido prometido ao seu pai, Aegon IV, quando seu meio irmão, Daemon Blackfyre, se casou com Rohanne de Tyrosh.[22]

Ao invés do noivado, é esperado que os homens do povo comum que vivem além da Muralha provem seu valor ao "roubar" mulheres de outras tribos.[23][24]

Casamento

Idade

Assim como homens e mulheres podem ser prometidos em casamento em grande variedade de idades, eles também podem se casar em uma grande variedade de idades, que pode depender da necessidade de um herdeiro ou do ambiente político. Embora casamentos possam acontecer antes dos noivos terem atingido a maioridade ou da mulher ter florescido (tido a primeira menstruação), estes casos são raros. Além disso, levar para cama uma garota que não tenha florescido é considerado um ato perverso e é mal visto. Geralmente, casamentos são adiados até que a garota tenha florescido.[25] A maioria das garotas de nascimento elevado (nobres) têm sua primeira menstruação aos 12 ou 13 anos.[26] Neste caso, especialmente entre a nobreza, não é incomum uma mulher casar pouco tempo depois de ter florescido,[27] ou no primeiro ano após este acontecimento.[28] Alguns preferem esperar passar para a maioridade (ou seja, quando completam 16 anos), como foi o caso de Catelyn Tully. Mesmo assim, crianças já foram casadas para garantir que uma família tenha direito a uma determinada terra,[N 3] mas isso é raro e normalmente é feito por contrato.[29]

Casamentos quando a noiva ou o noivo estão abaixo da idade de puberdade não são consumados,[28][30][31] embora os noivos possam compartilhar cerimonialmente uma cama na noite de núpcias.[28] Quando a noiva, embora florescida, esteja abaixo da maioridade, muitos maridos vão esperar sua esposa chegar aos 15 ou 16 anos antes de dormir com ela, para evitar as mortes no parto que meistres reportam em mães tão jovens.[25]

Cerimônia

Westeros

Alys Karstark e Sigorn com o manto de sua casa durante seu casamento - Ilustrados por shebsart ©.

Em Westeros, a cerimônia de casamento tem um caráter religioso. O pai da noiva, ou a pessoa que assume o seu lugar (normalmente um parente próximo), escolta a mulher até seu futuro marido e aquele que preside a cerimônia.[32][33] Todos os vestidos de noiva que foram descritos nos livros têm um tom de branco.[N 4]

No caso da Fé dos Sete, um septão preside a cerimônia, que envolve orações, votos e canções,[32] e normalmente acontece em um septo.[34] A noiva usa um manto de virgem nas cores de sua Casa (se ela for uma mulher nobre).[32][35] O pai da noiva, ou o homem que assume esta posição, remove o manto dos ombros dela, para que o marido possa colocar o seu manto, com as cores de sua Casa, sobre seus ombros. Isso significa que a noiva está passando da proteção de seu pai para a proteção do marido. A noiva e o noivo falam as palavras rituais terminando com "Com este beijo prometo meu amor",[32][35] potencialmente seguido pela noiva dizendo "… eu o tomo como meu senhor e marido" e o noivo responde com "… eu a tomo como minha senhora e esposa",[32] com o septão, em seguida, declarando os dois como 'marido e mulher', afirmando que eles são “uma carne, um coração, uma alma, agora e sempre”.[32][35]

Para aqueles que mantém os deuses antigos, as cerimônias são significativamente mais curtas e não tem sacerdotes. A noiva é escoltada até o noivo, que a está aguardando em frente de uma árvore-coração num Bosque Sagrado, e a cerimônia continua com uma conversação, onde a identidade da noiva, do noivo e da pessoa que dá a noiva é estabelecida. A noiva é questionada se ela aceita o homem como seu marido e ela dá seu consentimento ("eu tomo este homem"), os dois noivos então dão as mãos, se ajoelham perante a árvore-coração e abaixam suas cabeças como sinal de submissão. Quando eles se levantam novamente, após um momento de oração silenciosa, o noivo remove o manto da donzela dos ombros da mulher e coloca sobre ela o manto da noiva, com ele a carregando nos braços até o local onde é realizado o banquete.[33] Alguns nortenhos acreditam que uma nevasca durante a cerimônia resultará num casamento frio.[36]

Após a cerimônia, acontece um banquete, que é seguido pela tradição de levar o noivo e a noiva para a cama.[32][35][33][36] Para o casamento entre a nobreza feito pela Fé dos Sete, uma torta de casamento será apresentada durante o banquete, que é cortada junto pelos noivos. A torta é cheia de pássaros (como pombas, gaio-azuis, alaudas, rolas, sabiás, rouxinóis, pardais, papagaios ou outros pássaros canoros), que voam soltos quando a torta é partida.[37][35]

É considerado azar recusar uma hospitalidade de cavaleiro no dia do seu casamento.[37] Um torneio pode ser realizado para celebrar um casamento.[37][22] Não é costumeiro ter brigas nas festividades,[37] mas no Casamento Dourado de 49 d.C. ocorreu a "Guerra pelos Mantos Brancos", que foi um torneio com combates individuais. Essa cerimônia foi a maior da história de Westeros, com quase 40 mil convidados.[38]

Essos

Khaleesi no dia de seu casamento dothraki, com sua pilha de presentes. Arte por Levi Pinfold ©.

Costumes de casamento no continente de Essos são um tanto diferentes das cerimônias westeroris. Casamentos feitos sob o Senhor da Luz envolve um sacerdote vermelho. O sacerdote (ou sacerdotisa) recita a oração cerimonial, que é respondida pelos convidados em uníssono. O sacerdote e o noivo aguardam a noiva perto de uma vala incendiada. A noiva é escoltada até o sacerdote, que pede para ela se identificar e depois pergunta quem vem reivindicar a noiva. Os noivos então são perguntados se eles compartilharam seu fogo um com o outro, para aquece-los "quando a noite for escura e cheia de terrores". A noiva e o noivo pulam uma pequena trincheira em chamas, emergindo como um só. Em seguida, o noivo remove o manto de donzela da mulher e coloca o manto da noiva sobre os ombros dela.[36]

Na tradição Ghiscari, nos costumes de casamento praticados em Meereen, as parentes mulheres do noivo examinam as partes íntimas da noiva, para garantir sua fertilidade. Três Graças (sacerdotisas da fé Ghiscari) testemunham este ritual antigo e recitam orações. A noiva tem suas roupas removidas para este propósito. Após estes 'exames', as mulheres comem um bolo feito especialmente para os noivos, que os homens são proibidos de comer.[39] Em seguida, a noiva lava os pés do noivo, significando que ela será a companheira do marido.[39] Sob circunstâncias especiais, pode ser o noivo a lavar os pés da noiva.[40][N 5] A noiva tradicionalmente veste um tokar de seda branca, com véus vermelhos escuros. O tokar é franjado com pequenas pérolas, que simbolizam fertilidade.[39] O casamento da nobreza de Meereen acontece no Templo das Graças. A cerimônia pode durar até quatro horas e quando o marido e a esposa emergem do templo, eles estão presos no pulso e tornozelo com correntes de ouro amarelo.[40]

Dentre os Dothraki, casamentos acontecem a céu aberto. A cerimônia pode durar o dia inteiro, com os convidados comendo, bebendo, dançando e lutando, muita das vezes até a morte.[41] Ao fim da cerimônia, a noiva recebe seus presentes de casamento. Uma khaleesi recebe um presente de casamento de cada um dos companheiros de sangue do marido, que ela deve recusar e entregar ao seu companheiro. Após a cerimônia dos presentes, o khal e sua khaleesi deverão consumar seu casamento.[41] Em seguida, o khal apresenta sua nova esposa para as dosh khaleen em Vaes Dothrak.[41]

Em Qarth, durante a cerimônia há o costume do noivo e da noiva possam perguntar um ao outro por um símbolo mundano de amor que não pode ser recusado.[42]

Consumação

Em Westeros, a cerimônia de levar o casal recém casado para a cama acontece durante o banquete. A noiva é escoltada para a cama, normalmente pelos homens presentes, que vão remover as roupas da noiva, normalmente enquanto fazem piadas rudes e inapropriadas.[37][18][32] As mulheres presentes na cerimônia fazem o mesmo com o noivo.[32][37] Normalmente, uma vez que o noivo e a noiva estejam no quarto, eles são deixados sozinhos, embora os convidados possam ficar do lado de fora, gritando "sugestões" do outro lado da porta.[32] Mesmo assim, em alguns casos, testemunhas também podem estar presentes durante a cerimônia de cama,[43] embora não seja sabido até onde vai esta função.

Espera-se que as mulheres, especialmente aquelas pertencentes a nobreza, se casem virgens (chamadas donzelas), obviamente, no seu primeiro casamento. Em alguns casamentos, os lençóis são exibidos para mostrar o sangue, provando que a virgindade da noiva foi tirada na noite do casamento. Contudo, como é sabido que montar a cavalo pode romper o hímen de uma mulher, poucas famílias insistem na prova física de virgindade.[44]

Embora seja bem raro para um casamento ocorrer antes da noiva ter florescido, isso pode acontecer as vezes. Contudo, considera-se perverso levar para a cama uma noiva que seja tão jovem.[25] Mesmo assim, é considerado dar azar para o casamento se o homem dormir separado da noiva na noite de núpcias.[28]

Na antiguidade, era permitido aos Lordes em Westeros manter o direito da primeira noite, um costume onde o senhor suserano pode levar para sua cama uma mulher recém casada, antes do marido, que habite em suas terras. Mesmo com a prática já em desuso, a rainha Alysanne convenceu o rei Jaehaerys I Targaryen a abolir o direito da primeira noite em todos os Sete Reinos,[45][40] mas alguns poucos senhores ainda tentam preservar esta prática, especialmente no Norte.[46]

Legalidade, divórcio e anulação

Casamento de Rhaegar Targaryen e Elia Martell. Arte por AMAATI ©.

Votos de casamento que são ditos à força não são considerados válidos,[43] e, em teoria, uma pessoa não pode ser declarada casada se uma das partes se recusou a fazer seus votos.[47] Contudo, ainda pode haver questões de consentimento, mesmo que os votos sejam proferidos de bom grado. Casamentos podem ser realizados entre crianças ou bebês, normalmente por procuração.[48][49] Mesmo que o casamento tenha ocorrido forçosamente, um lorde pode afirmar que o casamento seja legal se houver questão de terras envolvido.[43]

Na religião do Deus Afogado, é possível alguém se casar por procuração, sem consentimento e sem que os votos sejam ditos.[50] Contudo, como tal casamento não foi consumado, este pode ser facilmente descartado.[51]

Divórcio em Westeros não é comum.[52] Ao invés disso, um homem e uma mulher que não tem mais interesse em viver juntos simplesmente podem se mudar e passar a viver separadamente (como foi o caso de Doran Martell e Mellario).[5]

Casamentos nos Sete Reinos podem ser desfeitos de vários jeitos. Um rei pode descartar uma rainha — mesmo se ela já tenha dado a ele filhos legítimos — e se casar com outra mulher.[53][54] Na Fé dos Sete, um casamento não consumado pode ser anulado por um Alto Septão ou um Conselho da Fé.[55][56][57] Um casamento consumado também pode ser descartado,[58][59][60][14][61][62][30][63] mesmo que filhos tenham sido gerados, embora isso seja raro.[64][65] Nem a noiva nem o noivo precisam estar presentes para uma anulação, mas deve ser solicitado por pelo menos um dos pares casados.[66] O papel e o procedimento de um Conselho de Fé ainda não foi relatado nos livros.

Uma outra maneira de encerrar um casamento é fazer com que a noiva se junte as irmãs silenciosas.[37] Similarmente, quando um homem faz seus votos para se juntar a Patrulha da Noite, seu casamento é considerado encerrado.[67]

Poligamia

Aegon Targaryen com suas irmãs-rainhas, Visenya (esquerda) e Rhaenys (direita), por Amok ©.

Embora na maioria das culturas do Mundo Conhecido o casamento ser firmado entre apenas um homem e uma mulher, o ato da poligamia é comum em algumas partes do mundo.

Antes da chegada dos Ândalos em Westeros, Garland II Gardener, o Rei da Campina conhecido como "o Noivo", tinha várias esposas. Para se casar com a filha do lorde Lymond Hightower, ele deixou suas outras esposas de lado.[64][65] De acordo com as canções, Ronard Storm foi um Rei da Tempestade que tinha vinte e três esposas.[68]

Embora não fosse uma prática tão comum, os senhores de dragões e príncipes feiticeiros de Valíria as vezes tinham várias esposas.[3] O rei Aegon I Targaryen, que invadiu e conquistou Westeros e uniu seis dos Sete Reinos sob uma única coroa, havia se casado com suas duas irmãs.[21] Embora a Fé dos Sete não permita poligamia e considere que seja um pecado,[69][70] acabou aceitando a situação durante o reinado de Aegon I. De fato, durante a Conquista, Aegon recebeu uma proposta do Rei da Tempestade, Argilac Durrandon, para se casar com sua filha Argella, enquanto Sharra Arryn, regente durante a minoridade do rei Ronnel Arryn, se ofereceu em casamento para Aegon.[21] O filho mais novo de Aegon, Maegor I Targaryen, foi o último Targaryen a ter múltiplas esposas. Ao faze-lo, contudo, enfureceu a Fé, o que resultou inicialmente em seu exílio.[62] Posteriormente, de acordo com o meistre Yandel, Daemon I Blackfyre também acreditava que ele podia ter mais de uma esposa.[22][N 6]

Enquanto os seguidores do Deus Afogado podem ter somente uma mulher (a chamada esposa de rocha), com quem ele terá seus filhos legítimos, os homens podem tomar outras mulheres, chamadas de "esposa de sal". Filhos nascidos das esposas de sal não são considerados bastardos e podem herdar as terras do pai, se este não tiver filhos nascidos de sua esposa de rocha.[69][71]

Entre os Dothraki, é sabido que pelo menos o khal pode ter várias esposas. Por exemplo, Khal Jommo tinha quatro esposas.[72] Além disso, de acordo com o "jeito antigo", um khal pode comparitlhar sua khaleesi com seus companheiros de sangue, um costume ainda praticado em alguns khalasars.[73]

Casamentos incestuosos

Incesto é a prática de casamento entre dois indivíduos que são familiarmente muito próximos para casar, pois possuem uma relação de consanguinidade.[74] Em Westeros, a prática de incesto é considerado uma abominação e um pecado, tanto pela Fé dos Sete quanto pelos adoradores dos Deuses Antigos (embora um casamento entre primos não seja considerado incesto).[75] Contudo, os reis Targaryens continuaram com a prática, sob a doutrina do excepcionalismo.[76] No antigo Império Valiriano, a prática do incesto era considerada comum entre os senhores de dragões.[3]

Notas

  1. Por exemplo, Myrcella Baratheon (de 9 anos) foi noivada com Trystane Martell (de 11 anos) para formar uma aliança entre o Trono de Ferro e Dorne durante a Guerra dos Cinco Reis.
  2. Quando o rei Robb Stark quebrou uma promessa de casamento com uma mulher da Casa Frey para ficar com Jeyne Westerling, os Freys responderam encerrando seu apoio aos Starks durante a Guerra dos Cinco Reis, culminando no Casamento Vermelho.
  3. Por exemplo, quando a senhora Ermesande Hayford, que não tinha mais do que um ano de idade, se casou com Tyrek Lannister.
  4. Sansa Stark usou um vestido de samito de branco marfim quando se casou com Tyrion Lannister; Margaery Tyrell usou ceda de branco marfim quando se casou com Joffrey I Baratheon e depois com Tommen I Baratheon; e Jeyne Poole usou lã de cordeiro branca quando se casou Ramsay Bolton.
  5. Quando Daenerys Targaryen se casa com Hizdahr zo Loraq, ela se senta numa cadeira de marfim e o marido dela lava seus pés com água de uma tigela dourada, enquanto cinquenta eunucos cantavam.
  6. Adicionamento, de acordo com Jorah Mormont, Daenerys Targaryen é capaz de ter dois maridos.

Referências

  1. Definição de "casamento" do dicionário Oxford, em inglês, acessado em 27 de dezembro de 2017.
  2. A Fúria dos Reis, Capítulo 34, Jon.
  3. 3,0 3,1 3,2 3,3 3,4 O Mundo de Gelo e Fogo, Os Reis Targaryen: Aenys I.
  4. O Mundo de Gelo e Fogo, Os Reis Targaryen: Maegor I.
  5. 5,0 5,1 A Dança dos Dragões, Capítulo 68, O Domador de Dragões.
  6. 6,0 6,1 So Spake Martin: Asshai.com Entrevista em Barcelona (28 de julho de 2012)
  7. A Tormenta de Espadas, Capítulo 76, Jon.
  8. A Dança dos Dragões, Capítulo 48, Jaime.
  9. 9,0 9,1 So Spake Martin: Some Questions (16 de março de 2000)
  10. A Guerra dos Tronos, Capítulo 71, Catelyn.
  11. Fogo & Sangue, Herdeiros do dragão: Uma questão de sucessão.
  12. A Guerra dos Tronos, Capítulo 4, Eddard.
  13. A Fúria dos Reis, Capítulo 65, Sansa.
  14. 14,0 14,1 O Mundo de Gelo e Fogo, Os Reis Targaryen: Aegon V.
  15. O Mundo de Gelo e Fogo, Os Sete Reinos: As Terras da Tempestade, Casa Baratheon.
  16. A Guerra dos Tronos, Capítulo 2, Catelyn.
  17. A Tormenta de Espadas, Capítulo 37, Jaime.
  18. 18,0 18,1 A Tormenta de Espadas, Capítulo 51, Catelyn.
  19. O Festim dos Corvos, Capítulo 41, Alayne.
  20. Os Ventos do Inverno, capítulo Alayne I
  21. 21,0 21,1 21,2 O Mundo de Gelo e Fogo, O Reinado dos Dragões: A Conquista.
  22. 22,0 22,1 22,2 O Mundo de Gelo e Fogo, Os Reis Targaryen: Daeron II.
  23. A Tormenta de Espadas, Capítulo 26, Jon.
  24. A Dança dos Dragões, Capítulo 69, Jon.
  25. 25,0 25,1 25,2 So Spake Martin: Age of Sexual Relations (5 de outubro de 1999)
  26. A Guerra dos Tronos, Capítulo 67, Sansa.
  27. A Dança dos Dragões, Capítulo 44, Jon.
  28. 28,0 28,1 28,2 28,3 O Festim dos Corvos, Capítulo 12, Cersei.
  29. A Tormenta de Espadas, Capítulo 2, Catelyn.
  30. 30,0 30,1 Fogo & Sangue, Sob os regentes: A Mão encapuzada.
  31. Fogo & Sangue, Sob os regentes: Guerra e paz e exposição de gado.
  32. 32,0 32,1 32,2 32,3 32,4 32,5 32,6 32,7 32,8 32,9 A Tormenta de Espadas, Capítulo 28, Sansa.
  33. 33,0 33,1 33,2 A Dança dos Dragões, Capítulo 37, O Príncipe de Winterfell.
  34. A Guerra dos Tronos, Capítulo 6, Catelyn.
  35. 35,0 35,1 35,2 35,3 35,4 A Tormenta de Espadas, Capítulo 60, Tyrion.
  36. 36,0 36,1 36,2 A Dança dos Dragões, Capítulo 49, Jon.
  37. 37,0 37,1 37,2 37,3 37,4 37,5 37,6 O Cavaleiro dos Sete Reinos, O Cavaleiro Misterioso.
  38. Fogo & Sangue, O ano das três noivas: 49 DC.
  39. 39,0 39,1 39,2 A Dança dos Dragões, Capítulo 36, Daenerys.
  40. 40,0 40,1 40,2 A Dança dos Dragões, Capítulo 43, Daenerys.
  41. 41,0 41,1 41,2 A Guerra dos Tronos, Capítulo 11, Daenerys.
  42. A Fúria dos Reis, Capítulo 40, Daenerys.
  43. 43,0 43,1 43,2 A Fúria dos Reis, Capítulo 35, Bran.
  44. O Festim dos Corvos, Capítulo 28, Cersei.
  45. O Cavaleiro dos Sete Reinos, A Espada Juramentada.
  46. A Dança dos Dragões, Capítulo 32, Fedor.
  47. A Tormenta de Espadas, Capítulo 80, Sansa.
  48. A Fúria dos Reis, Capítulo 2, Sansa.
  49. A Fúria dos Reis, Capítulo 25, Tyrion.
  50. A Dança dos Dragões, Capítulo 26, A Noiva Rebelde.
  51. Os Ventos do Inverno, Theon I
  52. So Spake Martin: Asshai.com Interview in Barcelona (28 de julho de 2012)
  53. A Guerra dos Tronos, Capítulo 8, Bran.
  54. A Guerra dos Tronos, Capítulo 32, Arya.
  55. A Tormenta de Espadas, Capítulo 32, Tyrion.
  56. O Festim dos Corvos, Capítulo 8, Jaime.
  57. Fogo & Sangue, ma abundância de governantes.
  58. A Fúria dos Reis, Capítulo 44, Tyrion.
  59. O Mundo de Gelo e Fogo, Os Reis Targaryen: Viserys I.
  60. O Mundo de Gelo e Fogo, Os Reis Targaryen: Aerys I.
  61. O Mundo de Gelo e Fogo, Os Sete Reinos: As Terras Ocidentais, Casa Lannister sob os Dragões.
  62. 62,0 62,1 Fogo & Sangue, Os filhos do dragão.
  63. Fogo & Sangue, Sob os regentes: A viagem de Alyn Punho de Carvalho.
  64. 64,0 64,1 O Mundo de Gelo e Fogo, Os Sete Reinos: A Campina, Os Reis Gardener.
  65. 65,0 65,1 O Mundo de Gelo e Fogo, Os Sete Reinos: A Campina, Vilavelha.
  66. So Spake Martin: Minisa Tully and Sansa (September 08, 2000)
  67. A Tormenta de Espadas, Capítulo 70, Tyrion.
  68. O Mundo de Gelo e Fogo, Os Sete Reinos: As Terras da Tempestade, Casa Durrandon.
  69. 69,0 69,1 O Mundo de Gelo e Fogo, Os Sete Reinos: As Ilhas de Ferro.
  70. Bad reference param1.
  71. A Fúria dos Reis, Capítulo 11, Theon.
  72. A Guerra dos Tronos, Capítulo 46, Daenerys.
  73. A Guerra dos Tronos, Capítulo 36, Daenerys.
  74. Definição de Incesto, segundo a Wikipédia.
  75. A Fúria dos Reis, Capítulo 33, Catelyn.
  76. Fogo & Sangue, Um Tempo de Testes: Um Reino Refeito.