Manfryd Mooton

De Gelo e Fogo wiki
Ir para navegação Ir para pesquisar

 

Mooton.png
Manfryd Mooton
Mooton.png
Título(s) Lorde de Lagoa da Donzela
Lorde Regente
Lealdade Casa Mooton
Negros
Verdes
Cultura Homens dos Rios
Morte Em 134 d.C., em Porto Real
Outros livros
Mencionado
Mencionado

Manfryd Mooton foi o Senhor da Lagoa da Donzela e o chefe da Casa Mooton durante a Dança dos Dragões e a regência do Rei Aegon III Targaryen.

História

Dança dos Dragões

Manfryd apoiou os negros e a Rainha Rhaenyra Targaryen durante a Dança dos Dragões. Ele se tornou Senhor de Lagoa da Donzela quando seu irmão, Lorde Walys Mooton, foi carbonizado enquanto tentava matar Sunfyre após a retomada de Pouso de Gralhas.[1] Depois de ouvir que o Príncipe Aemond Targaryen estava devastando as terras fluviais em cima de Vhagar, Lorde Manfryd enviou mensagens urgentes para Rhaenyra. O príncipe Daemon Targaryen e sua suposta amante, Nettles, então usaram a Lagoa da Donzela como sua base. Manfryd sugeriu que os dois cavaleiros de dragão se separassem em sua busca por Aemond, mas Daemon recusou.[2]

A Rainha Rhaenyra foi traída pelos cavaleiros do dragão Ulf, o Branco e Hugh Martelo e foi convencida pelo conselho negro a condenar o também vilão Sor Addam Velaryon e Nettles. Com ciúmes do relacionamento de Nettles com Daemon, a rainha enviou uma carta ao Meistre Norren ordenando que Lorde Manfryd matasse Nettles, mas não fizesse mal a Daemon. Manfryd, perturbado, não queria quebrar o direito de hóspede, entretanto, já que Nettles e Daemon eram hóspedes sob seu teto. Depois de discutir a carta em segredo com seu meistre, seu capitão da guarda, um irmão restante e seu campeão, Sor Florian Greysteel, Manfryd decidiu ignorar as instruções de Rhaenyra.[2]

Norren informou Daemon e Nettles sobre a carta, alegando que não a tinha mostrado a ninguém dentro do castelo, e os dois partiram na manhã seguinte. Daemon agradeceu Manfyrd por sua hospitalidade e disse-lhe para passar a mensagem a Aemond se ele chegasse, de que Daemon estaria esperando por Aemond em Harrenhal. Manfryd recusou a oferta de Norren de renunciar. Na noite após a partida de Daemon e Nettles, Manfryd mandou derrubar o estandarte da Rainha Rhaenyra dos portões de Lagoa da Donzela, e substituí-lo pelos dragões dourados do Rei Aegon II Targaryen. Rhaenyra ordenou que um decreto fosse elaborado contra os Mootons, mas ela logo perdeu o poder após o Ataque ao Fosso dos Dragões.[3]

Regência

Após o fim da guerra e a coroação de Aegon III Targaryen, Lorde Manfryd tornou-se membro do conselho dos sete regentes que governariam até que o rei criança atingisse a maioridade.[4] Manfryd ficou acamado devido à Febre do Inverno em 133 d.C.. Após a morte de Sor Tyland Lannister, Manfryd queria que os regentes se reunissem e deliberassem. Ao invés de esperar, no entanto, Lorde Unwin Peake deixou de lado as nomeações de Aegon e se nomeou Mão do Rei.[5]

Após Alyn Velaryon atacar os braavosi nos Degraus em 133 d.C., Manfryd foi enviado em uma missão diplomática para Braavos para tratar com o Senhor do Mar de Braavos e devolver um elefante capturado. A comitiva de Lorde Mooton incluía seis lordes, seis cantores, e sessenta cavaleiros, guardas, servos, escribas e septãos. Notáveis ​​incluíam Lorde Follard, Lorde Cressey, Sor Herman Rollingford e Sor Denys Harte. Manfryd ficou impressionado com o Titã de Braavos e o Arsenal. Enquanto os lordes Cressey e Follard davam subornos a notáveis ​​à guardiões das chaves e magísteres, Manfyrd negociou com o Senhor do Mar. Em troca de uma grande indenização, o Senhor do Mar concordou em perdoar o ataque de Alyn Punho de Carvalho à frota de Bravosi. Braavos rompeu sua aliança com Tyrosh e Racallio Ryndoon e cedeu os Degraus para o Trono de Ferro, embora Braavos não controlasse o arquipélago na época.[5]

Lorde Peake chocou Manfryd e Lorde Thaddeus Rowan ao tentar casar sua filha, Myrielle Peake, com Aegon III após a morte da Rainha Jaehaera Targaryen.[5] Manfryd estava com Aegon nas docas de Porto Real quando Alyn Punho de Carvalho retornou à cidade com o irmão desaparecido do rei, o Príncipe Viserys Targaryen.[6]

Manfryd morreu de velhice e doença em 134 d.C..[4]

Citações


Manfryd: Vivemos tempos sórdidos e é sórdida essa escolha que a rainha me ofereceu. A menina é uma hóspede sob meu teto. Se eu obedecer, Lagoa da Donzela será amaldiçoada para sempre. Se eu me negar, seremos condenados e destruídos.
Irmão: É possível que sejamos destruídos qualquer que seja a nossa decisão. O príncipe gosta muito dessa menina,[N 1] e seu dragão está próximo. Um senhor sábio mataria os dois, para evitar que o príncipe queime Lagoa da Donzela em sua fúria.
Manfryd: A rainha proibiu que ele sofresse qualquer mal, e assassinar dois hóspedes na cama é duas vezes mais sórdido do que assassinar um. Eu seria duplamente amaldiçoado. Eu queria jamais ter lido esta carta.
Norren: Talvez o senhor nunca tenha lido.[2]
—— Manfryd, seu irmão, e Norren



Se ele morrer sem herdeiro, vamos dançar novamente, por menos que gostemos da música.[7]
—— Manfryd para os regentes


Família

Manfryd e seus irmãos podem ser os filhos de Lorde Jonah Mooton e sua esposa, Perianne Moore, que são conhecidos por terem tido um casamento bem-sucedido.[8]

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Walys
 
Manfryd
 
Irmão
Desconhecido
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Jeyne
 


Notas

  1. Neste trecho, há uma edição na publicação brasileira realizada pela SUMA.
    Em inglês, lê-se: "It may be we shall be destroyed whatever choice we make. The prince is more than fond of this brown child, and his dragon is close at hand. A wise lord would kill them both, lest the prince burn Maidenpool in his wroth".
    Em português, a editora LEYA traduz da seguinte maneira em A Princesa e a Rainha: "Podemos ser destruídos qualquer que seja a nossa escolha. O príncipe é mais que carinhoso com essa criança marrom, e seu dragão está à mão. Um senhor sábio mataria a ambos, para que o príncipe não queime Lagoa da Donzela em sua ira."
    Já a editora SUMA resolve suprimir o termo "brown child" do texto, resultando na frase integral lida no objeto deste artigo.

Referências

  1. Fogo & Sangue, A morte dos dragões: O dragão vermelho e o dourado.
  2. 2,0 2,1 2,2 Fogo & Sangue, A morte dos dragões: Rhaenyra triunfante.
  3. Fogo & Sangue, A morte dos dragões: Rhaenyra destituída.
  4. 4,0 4,1 O Mundo de Gelo e Fogo, Os Reis Targaryen: Aegon III.
  5. 5,0 5,1 5,2 Fogo & Sangue, Sob os regentes: Guerra e paz e exposição de gado.
  6. Fogo & Sangue, Sob os regentes: A viagem de Alyn Punho de Carvalho.
  7. Fogo & Sangue, Sob os regentes: A Mão encapuzada.
  8. Fogo & Sangue, O longo reinado Jaehaerys e Alysanne: Política, progênie e provação.


Sobre a página

Esta página utiliza conteúdo baseado em Manfryd Mooton, um artigo de A Wiki Of Ice And Fire.