A Fúria dos Reis - Capítulo 56

De Gelo e Fogo wiki
Ir para navegação Ir para pesquisar

 

Theon V
Capítulo de A Fúria dos Reis
A Fúria dos Reis.jpg
PDVTheon Greyjoy
LocalWinterfell, Norte, Westeros
Página516-522 PT-BR Leya (Outras versões)
Cena. (Série HBO)
Cronologia dos capítulos (Todos)
Theon IV
Catelyn VII ← Theon V → Sansa V

Theon VI

Theon Greyjoy é acordado por Wex Pyke e Fedor e informado da chegada de sua irmã, Asha. Theon se encontra com Asha, que o repreende por ter matado Bran e Rickon Stark e ter montado suas cabeças sobre os portões de Winterfell. Theon se recusa a abandonar seu assento conquistado, o que faz com que Asha vá embora. Como última medida, Theon manda Reek embora com um saco de moedas em busca de homens para defender o castelo. Depois ele tem outro pesadelo, o que faz com que ele perceba que tudo ao seu redor pertence aos Starks.


Resumo

O broche de Bran Stark, usado por Theon para identificar falsamente as crianças mortas. Arte extraída de 'A Fúria dos Reis - Edição Ilustrada', por Lauren Cannon ©.

Theon e Fedor matam os dois filhos do moleiro

Theon Greyjoy é mais uma vez atormentado por pesadelos: ele é perseguido por lobos gigantes com cabeças de crianças enquanto corre pela floresta implorando por misericórdia. Todas as árvores têm rostos e riem dele. Ramsay Snow, que ainda se apresenta como Fedor, e seu escudeiro Wex Pyke o acordam e informam que sua irmã Asha Greyjoy chegou em Winterfell. Theon tem pesadelos quase sempre. Sonhara como ele e Fedor haviam matado os dois garotos no velho moinho de Água de Bolotas e pendurado suas cabeçsa nos portões de Winterfell. Na noite anterior, ele sonhara com a esposa do moleiro: ela o mordia. Ela também morreu, quando Gelmarr a golpeou com um machado.

Ele toma um banho, primeiro se veste com elegância, depois troca para roupas simples por causa de Asha, e finalmente coloca a coroa do príncipe. Ele vai ao Salão Principal onde Asha está com Fedor, Urzen e Kromm. Os moradores de Winterfell querem sua morte, e ele não vai mais a lugar algum sozinho. Theon fez com que os três homens de ferro que estavam com eles no moinho morressem misteriosamente, temendo que não pudessem manter a boca fechada: imediatamente após retornar do moinho, Gelmarr estava descendo um lance de escada e pronto. Pescoço quebrado. No dia seguinte, eles encontraram Aggar com a garganta cortada. Alguns dias depois, Gynir também foi encontrado morto, embora tivesse se tornado extremamente cauteloso: foi encontrado morto em um poço. Theon quis fazer de Farlen o culpado pelos assassinatos, e o sentenciou à morte. Durante o julgamento, Farlen disse que Eddard Stark sempre usou suas próprias mãos e, portanto, Theon se sentiu obrigado a fazê-lo. O primeiro golpe errou o alvo e acertou-o entre os ombros, e foram necessários mais três para fazer o trabalho. Então Theon ficou mal quando se lembrou de quantas vezes compartilhara hidromel com Farlen depois de uma caçada, mas precisava de um culpado. Lorren então empurrou Theon a desistir de Winterfell, mas Theon não quer ser expulso de sua cadeira. Ele acha que Asha quer sua morte para que ela possa assumir sua herança.

Theon fala com Asha

Theon Greyjoy nas ameias de Winterfell. Arte extraída de 'A Fúria dos Reis - Edição Ilustrada', por Lauren Cannon ©.

Quando ele chega ao Salão Principal, Asha está sentada na cadeira alta dos Starks, comendo um capão. Ela apareceu com apenas 20 homens. Quando Theon a acusa de ter ciúmes de sua conquista, ela zomba dele e pergunta quem teria oferecido mais resistência: o Aleijado ou o Bebê. Theon pensa em como ele trouxe os corpos dos meninos de volta: a Velha Ama apenas olhou incrédula em choque, e Farlen atacou Theon e teve que ser espancado por Urzen e Cadwyl. Meistre Luwin pediu permissão para costurar as cabeças de volta nos corpos e enterrá-las nas criptas, mas Theon não concedeu esse pedido, empilhou as cabeças nas muralhas e queimou os corpos. Theon recorda que precisava das cabeças para exibi-las, mas queimara os corpos decapitados naquele mesmo dia, vestidos com suas belas roupas. Depois, ajoelhou-se entre os ossos e cinzas para recuperar uma escória de prata derretida e azeviche rachado, tudo o que restava do broche em forma de cabeça de lobo que antes pertencera a Bran. Ele se lembra que guardou o broche consigo.

Então, enquanto os irmãos Greyjoy discutem, é revelado que Asha só trouxe apenas vinte homens de Bosque Profundo, mas ela pretende deixar apenas metade deles em Winterfell. Então ela pede que ele fale com ele em particular.

Theon explica a ela que Dagmer foi morto em Praça Torrhen na Batalha de Praça de Torrhen, Leobald Tallhart Sor Rodrik Cassel, Lorde Wyman Manderly enviou uma dúzia de barcos com equipamento de guerra para o Faca Branca, e Mors e Hother Umber juntaram seus homens em Rio Último. Em alguns dias, Sor Rodrik Cassel estaria em seus portões com um grande exército. É dito para Asha desistir e levar suas tropas para Winterfell. Asha responde que a conquista de Winterfell foi realizada de maneira inteligente, mas que Theon deveria ter trazido os dois príncipes como reféns para Pyke. Asha o chama novamente de idiota pelo que fez, porque Winterfell está muito longe do mar e, portanto, é inacessível aos navios de guerra dos homens de ferro. Acima de tudo, ela critica que ele matou dois meninos indefesos e virou todo o Norte contra ele. Theon se justifica dizendo que eles se opunham a ele, e ele também vingou a morte de seus dois irmãos Maron Greyjoy e Rodrik Greyjoy. Asha também zomba e pergunta se ele teria levado os fantasmas, que geralmente só visitam seu pai, a Winterfell. Ela oferece a ele uma última chance de destruir Winterfell e retornar a Bosque Profundo com ela. Theon se recusa. Ao partir, ela zomba de sua coroa.

Asha não perde tempo e, como anunciado, leva metade de seus 20 homens quando sai de Winterfell. Quando ele a observa das ameias enquanto ela desaparece na Mata de Lobos, ele se pergunta por que não a ouviu. Fedor aparece silenciosamente ao lado dele, e Theon tem a sensação de que é perigoso deixá-lo viver com o conhecimento que ele possui. Ele oferece a Theon um plano: Fedor sairia com um saco de moedas e reuniria algumas centenas de homens para ajudá-los no confronto que virá. Como recompensa, ele deseja Palla. Antes do pôr do sol, Fedor vai embora com um saco de prata.

Theon tem outro pesadelo

Na noite seguinte, Theon sonha com o banquete que Eddard Stark realizou para o Rei Robert Baratheon em Winterfell.[N 1] No começo ele gosta do banquete, mas depois percebe que está se alimentando dos mortos. A barriga do Rei Robert está aberta. Eddard senta-se ao lado dele, sem cabeça. Pessoas mortas estão sentadas nos bancos abaixo, e sua carne cai de seus ossos quando eles erguem suas taças para brindar. Ele reconhece Jory Cassel e o Gordo Tom, Porther, Cayn e Hullen, o mestre dos cavalos, e todos os outros que tinham partido para Porto Real para nunca regressar. Mikken e Chayle estavam juntos, um pingando sangue, e o outro, água, Benfred Tallhart e as suas Bravas Lebres enchiam a maior parte de uma mesa, A mulher do moleiro também estava lá, e Farlen, e até o selvagem que Theon matou na mata de lobos no dia em que salvara a vida de Bran.[N 2] Lyanna Stark também está presente, assim como seu irmão Brandon e seu pai Rickard Stark. De repente, os portões do Salão Principal se abrem com um estrondo enorme e um vento gelado sopra, Robb Stark com Vento Cinzento ao seu lado, e eles também sangram de muitas feridas ao mesmo tempo. Então Theon acorda com um grito. Wex se assusta e sai gritando, e Theon chama Luwin. Ele traz uma bebida para ele, mas Theon se acalmou um pouco. Ele deixa Kyra chegar e a estupra antes de expulsá-la. Como ele ainda não consegue dormir, ele vai para as ameias. Lá, ele olha para o castelo e percebe que tudo pertence aos Starks, e que ele não pertence aqui. Ele deveria ter ido com Asha. Então ele pensa nos dois filhos do moleiro tinham a mesma idade de Bran e de Rickon, semelhantes no tamanho e na cor, e como Fedor arrancou a pele de seus rostos e mergulhou as cabeças em alcatrão, para que não fossem reconhecidos.[N 3]

Citações


Tratei Bran e Rickon com generosidade. Foram eles que chamaram a si seu destino.
—— Theon para Asha.



Theon: Gostaria disso, não é verdade? De ver minha presa reduzida a cinzas e escombros.
Asha: Sua pressa vai ser a sua perdição. As lulas gigantes levantam-se do mar, Theon, ou será que se esqueceu disso durante os anos em que passou entre os lobos? Nossa força está nos dracares. Meu penico de madeira fica suficientemente perto do mar para que abastecimentos e homens novos cheguem sempre que forem necessários. Mas Winterfell está a centenas de léguas para o interior, rodeado de florestas, montes e castros, e castelos hostis. E agora, cada homem em mil léguas ao redor é seu inimigo, não se iluda. Certificou-se disso quando colocou aquelas cabeças em sua guarita. Como pôde ser tão burro? Crianças...
—— Asha repreendendo Theon.



O salão ressoava com música e risos, embora os ventos frios estivessem subindo lá fora. A princípio era tudo vinho e carne assada, e Theon trocava gracejos, admirava as criadas e passava um tempo agradável... Até reparar que a sala estava ficando mais escura. A música já não parecia tão alegre; ouviu dissonâncias e estranhos silêncios, e notas que pairavam, sangrando, no ar. De repente, o vinho amargou em sua boca, e quando ergueu os olhos da taça viu que estava jantando com os mortos. O Rei Robert estava sentado com as tripas derramadas sobre a mesa, saídas do grande rasgo que tinha na barriga, e Lorde Eddard encontrava-se ao seu lado, sem cabeça. Cadáveres ocupavam os bancos, embaixo, com carne marrom-acinzentada desprendendo-se dos ossos ao erguerem as taças para brindar, e vermes rastejando para dentro e para fora dos buracos que tinham sido seus olhos. Conhecia todos; Jory Cassei e o Gordo Tom, Porther, Cayn e Hullen, o mestre dos cavalos, e todos os outros que tinham partido para Porto Real para nunca regressar. Mikken e Chayle estavam juntos, um pingando sangue, e o outro, água, Benfred Tallhart e as suas Bravas Lebres enchiam a maior parte de uma mesa, A mulher do moleiro também estava lá, e Farlen, e até o selvagem que Theon matou na mata de lobos no dia em que salvara a vida de Bran.

Mas havia outros, com rostos que nunca conhecera em vida, rostos que vira apenas em pedra. A esbelta e triste moça que usava uma coroa de rosas azuis-claras e um vestido branco salpicado de sangue coagulado só podia ser Lyanna. O irmão Brandon encontrava-se em pé ao seu lado, e o pai de ambos, Lorde Rickard, logo atrás. Ao longo das paredes, figuras entrevistas deslocavam-se por entre as sombras, vultos pálidos com longos rostos severos. Vê-los fez Theon estremecer de um medo afiado como uma faca. E então as altas portas abriram-se com estrondo, e uma gélida rajada soprou pelo salão, e Robb saiu, a pé, da noite. Vento Cinzento vinha ao seu lado, com os olhos em fúria, e homem e lobo sangravam de meia centena de feridas cruéis

—— Pesadelo de Theon Greyjoy.

Links externos


Notas e Referências

  1. Veja: Eddard I de A Guerra dos Tronos.
  2. Veja: Bran V de A Guerra dos Tronos.
  3. A profecia de Jojen Reed se tornou realidade veja: Bran V de A Fúria dos Reis.

Sobre a página

Esta página utiliza conteúdo baseado em A Clash of Kings-Chapter 56, um artigo de A Wiki Of Ice And Fire.