Gaemon Cabelo-Claro

De Gelo e Fogo wiki
Ir para navegação Ir para pesquisar

 

Gaemon Cabelo-Claro
Apelido(s) Rei Xota[1]
O Rei Xota[2]
Título(s) Rei
Lealdade Casa Targaryen
Cultura Terras da Coroa
Nascimento Em 126 d.C.[3]
Morte Em 135 d.C.[4], em Fortaleza Vermelha
Outros livros
Mencionado
Mencionado

Gaemon Cabelo-Claro foi um pretendente a rei durante a Dança dos Dragões. Sua mãe Essie, uma prostituta na Casa dos Beijos, alegou que ele era um bastardo filho de Aegon II Targaryen.[5] Após a guerra, Gaemon tornou-se o copeiro, degustador de comida e bode expiatório de punições (garoto do chicote) de seu amigo o Rei Aegon III Targaryen.[6]

Aparência e Personalidade

Gaemon tinha cabelos claros.[1] O menino gostava de Cogumelo, um bobo da Fortaleza Vermelha.[6]

História

Dança dos Dragões

Gaemon era filho de Essie, uma prostituta da Casa dos Beijos na Rua da Seda. Durante o motim de Porto Real em 130 d.C., as prostitutas do bordel afirmaram que Gaemon era o filho bastardo do rei Aegon II Targaryen, que havia desaparecido após a queda de Porto Real para Rhaenyra Targaryen, e eles criaram o menino de quatro anos como rei. As mulheres concederam seus favores gratuitamente a qualquer homem que jurasse sua espada ao suposto monarca.[1]

Durante a Lua dos Três Reis, após a fuga de Rhaenyra de Porto Real, Gaemon reuniu milhares de seguidores. Prostitutas, pantomimeiros e ladrões compunham sua corte no topo da colina de Visenya, e seus apoiadores nas ruas incluíam gangues, mercenários e bêbados.[1] A mãe de Gaemon começou a se chamar Lady Esselyn.[2]

Os decretos emitidos em nome de Gaemon incluíam que:[7][1]

  • As meninas devem, doravante, ser iguais aos meninos em questões de herança;
  • Os pobres devem receber pão e cerveja em tempos de fome;
  • Homens que perderam membros na guerra devem ser alimentados e alojados posteriormente por qualquer lorde pelo qual eles estavam lutando quando a perda ocorreu;
  • Os maridos que batem em suas esposas devem apanhar eles próprios, independentemente do motivo do castigo.

Os éditos de Gaemon foram considerados ultrajantes, e acredita-se que tenham sido obra da amante de Essie, a dornesa Sylvenna Sand.[7][1] Trystane Truefyre, um pretendente rival, rebateu os decretos de Gaemon permitindo que os plebeus caçassem na mata do rei.[1]

Após a morte de Rhaenyra em Pedra do Dragão, Borros Baratheon, Senhor de Ponta da Tempestade, tomou a capital e a Fortaleza Vermelha. Ele e seus cavaleiros cavalgaram contra a colina de Visenya, onde a corte do "Rei Xota" estava reunida, e expulsaram os seguidores do rei menino. Gaemon, chorando e acorrentado, havia celebrado seu quinto dia do nome apenas dois dias antes. Assim ele foi levado para a Fortaleza Vermelha pendurado no dorso de um cavalo. Atrás dele estavam Essie, que segurava a mão de Sylvenna, e os remanescentes de sua corte, incluindo prostitutas, bruxas, criminosos e bêbados. Juntos a Trystane e o Pastor, que também foram derrotados e presos, aguardavam o retorno do Rei Aegon II e seu julgamento.[2]

Gaemon foi poupado pelo Rei Aegon por causa de sua idade, e o menino foi feito um pupilo da Coroa. Essie confessou sob tortura que o verdadeiro pai do menino era um remador lyseno de cabelos prateados, e não Aegon. Essie, Sylvenna e vinte e sete outros membros da corte de Gaemon foram enforcados nas ameias da Fortaleza Vermelha.[2] Aegon ordenou que os decretos emitidos por Gaemon e Trystane fossem queimados publicamente.[2] Aegon, o Velho, acabou sendo morto por veneno, e o Trono de Ferro passado para Aegon, o Jovem.[2]

Regência de Aegon III

Gaemon foi levado para a casa real, tornando-se amigo do jovem Rei Aegon III Targaryen. Durante a Hora do Lobo, Gaemon foi o único companheiro de Aegon quando ele foi confinado a Fortaleza de Maegor.[8] Munkun relatou que Gaemon era o único amigo do rei taciturno,[9] e o Grande Meistre acreditava que Gaemon lembrou Aegon de seu irmão mais novo desaparecido, Príncipe Viserys Targaryen.[10] Quando seus regentes perguntaram se ele tinha um herdeiro preferido, Aegon sugeriu seu copeiro, já que Gaemon havia "sido um rei antes".[9]

Após Lorde Unwin Peake tornar-se Mão do Rei, o novo mestre-de-armas da Fortaleza Vermelha, Sor Gareth Long, recomendou que Gaemon, agora também provador de comida de Aegon, tornasse o bode expiatório de punições do rei. Gareth chicoteava Gaemon severamente sempre que Aegon falhava em cumprir os padrões de Gareth. Embora Aegon tenha melhorado com as armas, ele se ressentia da crueldade de Gareth com seu amigo.[6]

Quando Aegon escolheu Daenaera Velaryon na Exposição de Gado do Dia da Donzela, o rei permitiu que seu copeiro anunciasse a seleção.[6] Munkun relata que a Rainha Daenaera e Gaemon começaram a ser negligenciados por Aegon, no entanto, após o retorno inesperado do Príncipe Viserys.[10]

Morte

Em 135 d.C. durante a Primavera Lysena, Gaemon e a Rainha Daenaera Velaryon começaram a reclamar de dores de estômago. Embora o Grande Meistre Munkun tenha sido capaz de salvar a vida da rainha com um purgante, ele chegou tarde demais para salvar Gaemon, que morreu rapidamente do veneno. A Guarda Real trouxe servos da cozinha ao Lorde Confessor, Lorde George Graceford, para interrogatório e tortura, mas seus relatos eram conflitantes. Rei Aegon III Targaryen ficou inconsolável com a morte de seu amigo.[4][11]

Durante o cerco secreto, Aegon rejeitou furiosamente Sor Gareth Long, já que o mestre de armas costumava bater em seu falecido amigo.[4] Septão Bernard anunciou que Lorde Thaddeus Rowan, que havia sido Mão do Rei, envenenou Gaemon e Daenaera com lágrimas de Lys em uma tentativa de assassinar Aegon. No entanto o rei reconheceu que Thaddeus havia sido torturado para fazer falsas confissões. Após a derrota do golpe contra Aegon, Lorde Torrhen Manderly, a nova Mão, sentou-se em julgamento contra os acusados de envenenar Gaemon e conspirar contra o rei.[4]

Citações por Gaemon


Sua Graça vai se casar com a senhorita Daenaera da Casa Velaryon![6]

Citações sobre Gaemon


Você pode espancar o pobre Gaemon, mas não vai mais arrancar sangue dele.[4]

Curiosidades

Gaemon pode ser uma homenagem de George R. R. Martin a Lambert Simnel, que alegou ser Edward Plantageneta, o 17º Conde de Warwick, durante a Guerra das Rosas. Depois que os apoiadores de Lambert foram derrotados, o rei Henrique VII perdoou Lambert e permitiu que o menino se tornasse um servo real.

Referências

  1. 1,0 1,1 1,2 1,3 1,4 1,5 1,6 Fogo & Sangue, A morte dos dragões: Rhaenyra destituída.
  2. 2,0 2,1 2,2 2,3 2,4 2,5 Fogo & Sangue, A morte dos dragões: O breve e triste reinado de Aegon II.
  3. Veja o cálculo de Gaemon Palehair.
  4. 4,0 4,1 4,2 4,3 4,4 Fogo & Sangue, A Primavera Lysena e o fim da regência.
  5. O Mundo de Gelo e Fogo, Os Reis Targaryen: Aegon II.
  6. 6,0 6,1 6,2 6,3 6,4 Fogo & Sangue, Sob os regentes: Guerra e paz e exposição de gado.
  7. 7,0 7,1 O Mundo de Gelo e Fogo, Os Sete Reinos: Dorne, Estranhos Costumes do Sul.
  8. Fogo & Sangue, O momento posterior: A hora do lobo.
  9. 9,0 9,1 Fogo & Sangue, Sob os regentes: A Mão encapuzada.
  10. 10,0 10,1 Fogo & Sangue, Sob os regentes: A viagem de Alyn Punho de Carvalho.
  11. O Mundo de Gelo e Fogo, Os Reis Targaryen: Aegon III.

Sobre a página

Esta página utiliza conteúdo baseado em Gaemon Palehair, um artigo de A Wiki Of Ice And Fire.