Ações

Terceira Guerra Dornesa

Terceira Guerra Dornesa
Data 61 d.C.
Local Montanhas Vermelhas de Dorne
Resultado Vitória das forças do Trono de Ferro
Beligerantes
Trono de Ferro Targaryen: Rebeldes do Rei Abutre
Comandantes notáveis
Rei Jaehaerys I Targaryen
Lorde Rogar Baratheon
Lorde Simon Dondarrion
Rei Abutre
Sor Borys Baratheon
Forças
Vermithor
500 soldados Baratheon
Pequena força de cavaleiros das Marcas Dornesas
Centenas de fora-da-lei
Perdas
MínimasPesadas (a maioria dos fora-da-lei)

Sor Borys Baratheon
Rei Abutre

A Terceira Guerra Dornesa foi uma luta travada contra o autoproclamado Rei Abutre e seus seguidores que realizavam atos de pirataria nas Marcas Dornesas. Aconteceu durante o reinado de Jaehaerys I Targaryen, em 61 d.C..[1]

De acordo com o arquimeistre Gyldayn, o nome "Terceira Guerra Dornesa" é um equívoco, já que o Príncipe de Dorne manteve os seus exércitos quietos e não interferiram. Gyldayn considera o nome "Guerra de Lorde Rogar", o nome dado pelos plebeus ao conflito, como mais apropriado.[2]

Prelúdio

Sor Borys Baratheon era o herdeiro de Ponta Tempestade até que seu irmão mais velho, Lorde Rogar Baratheon, finalmente teve um filho, Boremund, em 52 d.C.. Borys se tornou ressentido e fugiu para Myr e Volantis antes de regressar para Westeros, onde ele se juntou ao líder fora-da-lei autoproclamado Rei Abutre II das Montanhas Vermelhas. Usando seu conhecimento sobre o terreno das Terras da Tempestade, ele apoiou os rebeldes em ataques de pirataria e pilhagem em sua antiga terra natal.[1]

Em 61 d.C., Lorde Rogar Baratheon viajou para Porto Real, pedindo ao rei Jaehaerys I Targaryen permissão para tomar uma atitude. Jaehaerys respondeu que não apenas Rogar tinha permissão, mas também sua espada, com o rei indo apoia-lo em pessoa.[1]

A luta

Quando perseguido, o Rei Abutre desapareceria nas Montanhas Vermelhas para evitar ser capturado, recuando para alguns dos seus acampamentos nas montanhas. Contudo, suas táticas não foram funcionaram por muito tempo contra as forças Targaryen. O rei Jaehaerys I voou em Vermithor, queimando todos os acampamentos do Rei Abutre, pequenos ou grandes, por todas as montanhas nas Marcas. As tropas de Lorde Rogar Baratheon marcharam pelas montanhas, pelo leste, primeiro a cavalo mas depois a pé pelas trilhas. Lorde Simon Dondarrion de Portonegro liderou um grupamento de cavaleiros das Marcas pelas montanhas, pelo oeste, cortando as rotas de fuga dos rebeldes.[1]

Sor Borys Baratheon foi um dos primeiros a ser encurralados. Os homens de Lorde Rogar destroçaram as tropas de Borys, mas quando Rogar e Borys se encontraram, Jaehaerys se recusou em fazer de Rogar um regicida e pessoalmente desafiou Borys para um combate individual. Borys aceitou o desafio e foi morto por Jaehaerys e sua espada Blackfyre.[1]

O Rei Abutre foi eventualmente capturado em um dos seus acampamentos previamente queimados. Ele foi levado acorrentado perante Jaehaerys e Rogar, mas este último ordenou que as correntes fossem removidas e que fosse dado a ele uma lança e um escudo. Lorde Rogar desafiou o Rei Abutre a um combate individual e disse que se ele vencesse, poderia ir embora livre. O Rei Abutre aceitou o desafio mas acabou sendo morto pelo Senhor da Tempestade.[1]

No final, a guerra não durou nem meio ano.[1]

Consequências

Após a derrota do Rei Abutre II, a quantidade de atos de pirataria cometidos ao longo das Marcas Dornesas caiu consideravelmente por um tempo.[1]

As ações do rei Jaehaerys I Targaryen durante o conflito ficaram conhecidas por todos os Sete Reinos, o que levou os lordes de todo o país a respeitar o rei ainda mais, dispersando qualquer dúvida a respeito da bravura de Jaehaerys.[1]

Referências

  1. 1,0 1,1 1,2 1,3 1,4 1,5 1,6 1,7 1,8 Fogo & Sangue, The Long Reign - Jaehaerys and Alysanne: Policy, Progeny, and Pain.
  2. Fogo & Sangue, The Long Reign — Jaehaerys and Alysanne: Policy, Progeny, and Pain.