Longa Noite

De Gelo e Fogo wiki
Ir para: navegação, pesquisa
O extenso e poderoso inverno que cobriu Westeros durante a Longa Noite.
Os Outros, causando mortes e devastação.

A Longa Noite é o nome dado ao período na história onde uma terrível escuridão caiu sobre Westeros e todo o mundo conhecido. O fenômeno ocorreu aproximadamente oito mil anos antes da vinda de Aegon, o Conquistador, no meio de um inverno poderoso que perdurou por anos. A Longa Noite durou uma geração e devastou boa parte do mundo através da fome, do frio e do terror. [1]

Westeros

Batalha da Aurora

No meio da escuridão de um grande e cruel inverno, uma raça aparentemente de demônios, chamada de Outros, emergiu do extremo norte portando espadas de gelo finas como navalhas e erguendo os mortos para lutar contra os vivos. Os Filhos da Floresta e seus aliados, os Primeiros Homens, lutaram bravamente contra eles, mas foram empurrados em direção ao sul. Uma lenda nortenha diz que houve um Último Herói que procurou os filhos da floresta na esperança de que a magia deles pudesse ajudar os exércitos dos vivos.[1] A esperança surgiu quando foi descoberto que armas feitas de vidro de dragão podia matá-los.[2] No final, os Outros foram derrotados e empurrados de volta para as Terras de Sempre Inverno.[1][3]

Brandon Stark, conhecido como Bran, o Construtor, ergueu uma imensa Muralha de gelo, cascalho e magia, que se prolongava a cem milhas do Gorge até o Mar dos Tremores para prevenir o retorno dos Outros. Brandon foi declarado o primeiro Rei do Norte. A fortaleza de Winterfell (e possivelmente Ponta Tempestade no sul) foi construída nessa época. Também foi neste período que a Patrulha da Noite foi fundada para proteger os Sete Reinos das criaturas que habitam além da Muralha.[3]

Essos

Roine

Os roinares afirmam que uma escuridão cobriu o rio roine, em Essos, congelando suas águas, da costa até Selhoru, até quem um Herói convenceu os muitos filhos da Mãe Roine, como o Rei Caranguejo e o Velho do Rio, para colocar suas diferenças de lado e se juntar em uma canção secreta para trazer a luz do dia de volta.[3]

Mais a leste

Existe outras lendas a respeito da Longa Noite, especialmente na região Mais a Leste. Em Yi Ti, é dito que a Traição de Sangue fez cair a escuridão no mundo. O Leão da Noite foi liberado na terra após a Donzela-feita-de-Luz ter dado as costas para tudo.[4]

De acordo com a lenda vinda de Yi Ti, durante a Longa Noite o sol escondeu sua face por décadas, com vergonha de alguma coisa que ninguém sabe, e o desastre foi revertido apenas pelos feitos de uma mulher com um rabo de macaco.[3]

Um grande herói, conhecido em diferentes culturas como Azor Ahai, ou Hyrkoon o Herói, Yin Tar, Neferion e Eldric Caçador de Sombras, portando sua espada flamejante Luminífera e liderou a humanidade para a vitória. Alguns dizem que os Cinco Fortes foram construídos pelo Imperador de Pérola para proteção contra o Leão da Noite e seus demônios.[4]

A lenda do Azor Ahai vêm de Asshai e é bem prevalecente entre os seguidores de R'hllor, o Deus Vermelho.[3] Uma profecia posterior diz que os Outros retornarão e quando isso acontecer, Azor Ahai retornará para liderar a luta.[5] Há uma profecia similar conhecida como "O Príncipe que foi Prometido", que também salvará a terra de uma nova escuridão.[6]

Eventos recentes

Info Aviso: Esta seção contém revelações sobre o enredo (spoilers).

A Tormenta de Espadas

Melisandre, uma sacerdotisa vermelha de Asshai, acredita que uma outra "Longa Noite" está para cair sobre o mundo.[7]

Sobre a página

Esta página utiliza conteúdo baseado em Long Night, um artigo de A Wiki Of Ice And Fire.

Referências

  1. 1,0 1,1 1,2 A Guerra dos Tronos, Capítulo 24, Bran.
  2. A Tormenta de Espadas, Capítulo 33, Samwell.
  3. 3,0 3,1 3,2 3,3 3,4 O Mundo de Gelo e Fogo, História Antiga: A Longa Noite.
  4. 4,0 4,1 O Mundo de Gelo e Fogo, Além do Reino do Pôr do Sol: Os Ossos e Além, Yi Ti.
  5. A Game of Thrones RPG and Resource Book, Guardians of Order
  6. A Game of Thrones RPG and Resource Book, Guardians of Order
  7. A Tormenta de Espadas, Capítulo 63, Davos.