Corlys Velaryon

De Gelo e Fogo wiki
Ir para: navegação, pesquisa
Para os artigos que compartilham o mesmo título, por favor veja esta página de desambiguação. Disambig.png

Velaryon.png
Corlys Velaryon
Velaryon.png
Apelido(s) Serpente do Mar
Título Senhor das Marés
Mestre de Derivamarca
Mão da Rainha
Senhor Regente
Mestre dos Navios
Lealdade Casa Velaryon
Os Negros
Os Verdes
Raça Valiriana
Cultura Valiriana
Esposa(o) Princesa Rhaenys Targaryen
Nascimento Em 53 d.C.
Morte Em 132 d.C.
Livro(s) The Rogue Prince (Mencionado)
Outros
Mencionado
Mencionado

Lorde Corlys Velaryon, conhecido como Serpente do Mar, foi um lendário Senhor das Marés, Mestre de Derivamarca e chefe da Casa Velaryon. Ele era o marido da princesa Rhaenys Targaryen. Durante a Dança dos Dragões, ele se tornou Mão da Rainha Rhaenyra Targaryen.

Aparência e Personalidade

Quando mais velho, Corlys gostava de dizer que ele estava agarrado à vida "como um marinheiro se afogando agarrado a destroços de um navio naufragado."

História

Infância

Corlys recebeu seu nome por causa de Sor Corlys Velaryon, o primeiro Senhor Comandante da Guarda Real. Corlys uma vez navegou seu Lobo do Gelo para além da Muralha, mas não teve sucesso em encontrar uma rota norte em torno de Westeros. Ele, então, navegou a bordo de seu Serpente do Mar em várias viagens à Essos, acumulando riquezas das suas visitas a Qarth, Yi Ti e Leng. Corlys foi o primeiro de Westeros a visitar Nefer em N'Ghai e por navegar nas Mil Ilhas. Durante sua última viagem, Corlys encheu o Serpente do Mar com ouro e comprou mais vinte navios em Qarth, carregando-os com especiarias, elefantes e seda. Corlys recebeu seu apelido de seu famoso navio, nas expedições que são descritas em As Nove Viagens do Meistre Mathis.

Corlys se tornou chefe da Casa Velaryon após a morte de seu avô. Mais rico do que os Lordes Lannister ou Hightower por causa de suas expedições, Corlys usou a sua grande riqueza para a construção de uma nova sede, Maré Alta, onde ele guardava seus tesouros orientais.

Lorde Corlys e suas frotas lutaram ao lado do príncipe Daemon Targaryen durante a Guerra dos Degraus. Quando Daemon se declarou o Rei dos Degraus e do Mar Estreito, Corlys colocou a coroa na cabeça do novo rei.

Os filhos de Corlys e da princesa Rhaenys Targaryen morreram ambos em 120 AC, Laena Velaryon de febre puerperal e sor Laenor Velaryon de uma briga com sor Qarl Correy. Mais tarde, no mesmo ano, príncipe Daemon, viúvo de Laena, casou com a princesa Rhaenyra Targaryen, a viúva de Laenor.

Em 126 d.C., Corlys foi tomado por uma febre súbita; a questão surgiu de quem iria sucedê-lo como Senhor das Marés caso ele morresse. Com seus filhos legítimos mortos, por lei, o título iria para seu neto por Laenor e Rhaenyra, Jacaerys Velaryon. No entanto, Jacaerys, presumivelmente, ascenderia ao Trono de Ferro depois de sua mãe, e assim, Rhaenyra pediu-lhe para nomear Lucerys Velaryon como seu herdeiro. O Serpente do Mar também teve seis sobrinhos e o mais velho, sor Vaemond Velaryon, protestou que o senhorio deveria passar para ele, alegando que os filhos de Rhaenyra eram bastardos filhos de sor Harwin Strong. Os manifestantes Velaryon foram tratados pelos Targaryen e por Lorde Corlys presumivelmente recuperado.

Rhaenyra

Lorde Corlys Velaryon sentou-se no conselho dos Negros durante a guerra civil conhecida como a Dança dos Dragões; ele foi o maior lorde a prometer sua força para a causa da rainha Rhaenyra Targaryen, que era contestada por seu meio-irmão, o rei Aegon II Targaryen. Mais da metade do exército de Rhaenyra era composta de homens juramentados a Casa Velaryon. As frotas de Corlys também deram aos Negros superioridade no mar.

Quando Lorde Bartimos Celtigar instou a princesa a voar de Pedra do Dragão para Porto Real e reduzir a cidade a cinzas e ossos, Corlys exigiu saber como isso iria atendê-los, dizendo-lhe "queremos governar a cidade, não queimá-la até o chão".

O Serpente do Mar comandou a frota Velaryon quando fecharam a Goela e navegou para trás e para frente de Pedra do Dragão e Derivamarca, bloqueando todos que entravam ou saiam da Baía do Água Negra, assim, deixando de fora o comércio para Porto Real. Eventualmente, o bloqueio Velaryon foi quebrado pela Batalha na Goela e Maré Alta foi saqueada.

Em Pedra do Dragão, depois de receber a notícia de que sua esposa, a princesa Rhaenys, tinha caído em Pouso de Gralhas tentando vir em auxílio de Lorde Staunton, palavras de raiva foram trocadas entre a rainha e Lorde Velaryon. Corlys culpou Rhaenyra pela morte de sua esposa Rhaenys. Ele disse que Rhaenyra que deveria ter morrido em seu lugar, que "Staunton enviou a você, mas você deixou que minha esposa respondesse, e proibiu seus filhos que se juntassem a ela!" Todo o castelo sabia que os príncipes Jacaerys e Joffrey Velaryon estavam ansiosos para voarem com Rhaenys até Pouso de Gralhas com seus próprios dragões.

No final de 129 d.C., o príncipe Jacaerys trouxe o Senhor das Marés de volta ao redil nomeando-o Mão da Rainha. Juntos, a Mão e Jacaerys planejaram um assalto a Porto Real. Não muito tempo depois, um dos dragões sem cavaleiros, Seasmoke, aceitou como seu cavaleiro um rapaz de quinze anos de idade, conhecido como Addam de Hull. Lorde Corlys fez uma petição a rainha Rhaenyra para remover a mancha de bastardia de Addam e seu irmão, Alyn. A rainha concordou e Addam Velaryon tornou-se o herdeiro de Derivamarca de Corlys.

Após a rainha tomar Porto Real, como Lorde Ormund Hightower avançava lentamente em direção a Porto Real, junto ao príncipe Daeron escoltando a vanguarda montado na Rainha Azul, Lorde Corlys sugeriu a Rhaenyra que tinha chegado o momento de falar. Ele pediu a rainha para oferecer as indulgências. Ele propôs que a Fé dos Sete assumisse o destino da rainha Alicent Hightower e da rainha Helaena Targaryen, para que elas pudessem passar o resto de suas vidas em oração e contemplação. Corlys sugeriu que a princesa Jaehaera Targaryen, a filha do rival de Rhaenyra, o rei Aegon II, fosse sua própria aia, e no devido tempo casada com o filho de Rhaenyra, o príncipe Aegon, o Jovem, ligando as duas metades da Casa Targaryen, juntas mais uma vez.

Rhaenyra exigiu saber o que faria de seus meio-irmãos, Aegon II, Aemond e Daeron. Lorde Corlys sugeriu que fossem poupados e enviados para Muralha. Quando Corlys mencionou os votos sagrados da Patrulha da Noite, Rhaenyra questionou sobre os votos de perjuros, afirmando que "seus votos não perturbou-os quando eles levaram o meu trono". Seu marido, o príncipe Daemon, fez eco com a apreensão da rainha e sugeriu uma linha dura, mas a rainha decidiu por um castigo mediano.

Depois que os Dois Traidores mudaram de lado, Lorde Corlys era a única pessoa no conselho negro que falou em defesa das Sementes de dragão. Ele observou que Sor Addam e seu irmão Alyn eram "verdadeiros herdeiros" e dignos de Derivamarca e que Netty tinha lutado bravamente na Batalha da Goela. Os protestos veementes da Mão foram em vão, pois como a rainha havia sido traída tantas vezes, por tantos, que ela foi rápida em acreditar no pior de qualquer homem. Rainha Rhaenyra ordenou a sor Luthor Largent que prendesse Addam no Fosso dos Dragões. Addam, que tinha sido avisado, conseguiu fugir voando em Seasmoke. Quando Luthor, derrotado e com raiva, voltou do Fosso, ele acusou Corlys de traição. Corlys não o negou. Amarrado e espancado, mas ainda em silêncio, ele foi levado para dentro das masmorras da Fortaleza Vermelha e jogado em uma das celas negras para aguardar seu julgamento e execução. Com esta ação, Rhaenyra perdeu sua frota. Quando se soube que Lorde Corlys definhava em um calabouço debaixo da Fortaleza Vermelha, o exército que havia navegado de Pedra do Dragão para conquistar o Trono de Ferro começou a abandonar a causa de Rhaenyra às centenas. Os que permaneceram não se podia confiar.

Aegon II

Uma vez que Aegon II Targaryen retornou a Porto Real depois da morte de Rhaenyra, Lorde Corlys foi libertado e perdoado, o que lhe permitiu servir a Aegon em seu Pequeno Conselho. Quando a aproximação do exército de Lorde Cregan Stark na capital tornou-se conhecida, Corlys aconselhou Aegon para tomar o preto. O rei recusou-se, no entanto, e foi misteriosamente envenenado logo depois.

Aegon III

Lorde Corlys foi preso por Lorde Stark no que ficou conhecida como a Hora do Lobo. Mais tarde, ele foi libertado graças a um decreto do rei Aegon III Targaryen que Baela e Rhaena Targaryen convenceram-no a emitir. Alysanne Blackwood concordou em casar-se com Lorde Stark se ele honrasse o decreto real, o que ele fez. Assim, Corlys foi libertado e serviu como um dos regentes do jovem Aegon III.

Corlys foi considerado como o mais poderoso dos regentes do jovem rei até sua morte de velhice em 132 d.C., com a idade de setenta e nove anos. Seu corpo foi velado sob o Trono de Ferro por uma semana.

Família

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
{{Corlys
Velaryon}}
 
{{Rhaenys
Targaryen}}
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Familiares
Desconhecidos
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
{{Laena
Velaryon}}
 
{{Daemon
Targaryen}}
 
{{Marilda
de Hull}}
 
{{Laenor
Velaryon}}
 
 
 
 
 
{{Rhaenyra
Targaryen}}
 
5 filhos
 
{{Vaemond
Velaryon}}
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
{{Rhaena
Targaryen}}
 
{{Baela
Targaryen}}
 
{{Alyn
"de Hull"}}
 
{{Addam
"de Hull"}}
 
{{Jacaerys
Velaryon}}
 
{{Lucerys
Velaryon}}
 
{{Joffrey
Velaryon}}
 
Filhos
desconhecidos
 
{{Daeron
Velaryon}}
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Casa Velaryon
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
{{Aegon III
Targaryen}}
 
{{Daenaera
Velaryon}}
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Casa Targaryen