Grande Conselho de 101 DC

De Gelo e Fogo wiki
Ir para navegação Ir para pesquisar

 

O Grande Conselho de 101 d.C. decidiu quem seria o herdeiro de Jaehaerys I (na imagem, no Trono de Ferro). Arte por Douglas Wheatley © para o livro Fogo & Sangue.

O Grande Conselho de 101 DC, ou Grande Conselho de Harrenhal,[1] foi convocado pelo velho rei Jaehaerys I Targaryen após a morte inesperada de seu filho e herdeiro Baelon Targaryen, para que os senhores dos Sete Reinos pudessem decidir quem deveria sucedê-lo no Trono de Ferro.

Prelúdio

Quando o filho e herdeiro do Rei Jaehaerys I Targaryen, Príncipe Aemon, morreu em 92 d.C., Jaehaerys escolheu o irmão mais novo de Aemon, Príncipe Baelon, como seu herdeiro, passando a filha e única filha de Aemon, Princesa Rhaenys. A decisão causou a Segunda Discórdia entre o Rei Jaehaerys e a Rainha Alysanne Targaryen.[2]

Príncipe Baelon morreu em 101 d.C. de um apêndice estourado, deixando Jaehaerys novamente na necessidade de um herdeiro. Apoiadores do Príncipe Viserys Targaryen, o filho mais velho do Príncipe Baelon e sua irmã-esposa, Princesa Alyssa, e Laenor Velaryon, filho da Princesa Rhaenys, supostamente formaram exércitos para pressionar suas reivindicações.[2] Espalharam-se rumores de que Lorde Corlys Velaryon estava preparando uma frota para defender os direitos de Laenor. O filho mais novo de Baelon, Príncipe Daemon Targaryen também reuniu um pequeno exército de espadas juramentadas e homens de armas caso a luta começasse.[3] Temendo uma guerra civil, o Rei Jaehaerys convocou da Cidadela seu único filho sobrevivente, Arquimeistre Vaegon; Não se sabe se Jaehaerys lhe ofereceu o trono, ou apenas queria um conselho. Vaegon sugeriu que lordes, meistres, e a discutissem os candidatos em um Grande Conselho. Jaehaerys concordou, prometendo aceitar o que o conselho decidisse.[2]

Para o primeiro Grande Conselho,[4] Harrenhal foi escolhida como local, para que pelo menos quinhentos senhores e comitivas pudessem ser hospedados. No final, mais de mil senhores vieram de toda Westeros, reunindo-se ao longo de meio ano; alguns chegaram apenas quando o conselho estava terminando.[2] A cidade vizinha de Harrenton foi, durante um breve período, o quarto maior assentamento do reino, atrás apenas de Porto Real, Vilavelha e Lanisporto.[4]

O Conselho

O Grande Conselho de 101, como retratado por Marc Simonetti em O Mundo de Gelo e Fogo.

O conselho se reuniu por treze dias e discutiu quatorze reivindicações. Nove reivindicações menores foram rapidamente descartadas. Em deliberações subsequentes, o Arquimeistre Vaegon foi então preterido devido a seus votos, e a Princesa Rhaenys e sua filha Laena foram preteridas por causa de seu gênero. Os lordes reunidos então se concentraram em dois grandes candidatos: Príncipe Viserys Targaryen e filho de Rhaenys Laenor Velaryon.[2]

A primogenitura favoreceu Laenor, pois sua mãe, a princesa Rhaenys Targaryen, era filha do príncipe Aemon Targaryen, que tinha sido o filho vivo mais velho do rei Jaehaerys. No entanto, a proximidade favoreceu Viserys, que, além disso, foi o último príncipe Targaryen a montar o dragão Balerion, antes da morte do dragão em 94 d.C.. Por outro lado, Laenor havia adquirido recentemente um dragão próprio, Seasmoke.[2]

A idade dos requerentes também foi levantada durante as discussões. O príncipe Viserys era um homem de vinte e quatro anos que já havia gerado uma filha que poderia segui-lo no trono depois dele, enquanto Laenor era um menino de sete anos. No entanto, a grande vantagem de Laenor sobre Viserys era que ele era filho de Lorde Corlys Velaryon, o homem mais rico dos Sete Reinos. A fama, reputação e riqueza de Corlys contribuíram muito para apoiar a afirmação de Laenor.[2]

No final, os senhores do reino viram maior importância em preterir a linhagem masculina sobre a linhagem feminina. Enquanto os meistres nunca revelaram os números reais,[4] havia rumores de que o príncipe Viserys havia vencido por vinte votos a um. Aqueles que votaram em Laenor concentravam-se principalmente aos Velaryons e seus aliados próximos na Baía da Água Negra, os Celtigars e Bar Emmons, bem como os Baratheons (já que a mãe de Rhaenys, avó de Laenor, era Jocelyn Baratheon). Laenor também foi apoiado, no entanto, pelos Starks e seus principais vassalos da Casa Manderly e da Casa Dustin, bem como a Casa Blackwood das terras fluviais.[4][5]

Meistre Yandel especulou em seus escritos que os Starks (e por extensão seus vassalos) apoiaram os Velaryons porque eles ainda mostravam-se amargos com Jaehaerys sobre a questão de presentear a Nova Dádiva para a Patrulha da Noite, removendo-a de terras anteriormente ocupadas por vassalos Stark. Embora os recursos dessas terras já estivessem sendo doados para a Patrulha, os Stark sentiram que poderiam administrar melhor as terras, pois o foco da Patrulha da Noite sempre estaria na Muralha e não nas propriedades ao sul dela. Os Starks foram mais tarde provados corretos, pois a Nova Dádiva acabou caindo em negligência e foi amplamente abandonada.[6]

Embora não estava presente para as deliberações finais, o Rei Jaehaerys I honrou o voto e nomeou Viserys o novo Príncipe de Pedra do Dragão.[4] Sor Otto Hightower, o irmão mais novo do Lorde de Vilavelha, foi escolhido como Mão do Rei, para substituir o falecido Príncipe Baelon.[2]

As quatorze reivindicações

Os quatorze reclamantes foram:

Requerentes Reivindicações Resultados
1 Príncipe Viserys Targaryen Neto de Jaehaerys I, através do segundo filho de Jaehaerys, Baelon Um dos dois favoritos, ele ganhou a votação final e foi eleito como herdeiro de seu avô
2 Laenor Velaryon Bisneto de Jaehaerys I, pelo filho mais velho de Jaehaerys, Aemon. Ele era o filho mais novo e único filho da herdeira de Aemon, a princesa Rhaenys Targaryen. Segundo favorito, ele perdeu a votação final
3 Princesa Rhaenys Targaryen Neta de Jaehaerys I através de seu primeiro filho Aemon, e única filha e herdeira de Aemon. Sua reivindicação foi preterida por causa de seu gênero
4 Laena Velaryon Bisneta de Jaehaerys I e filha mais velha da princesa Rhaenys Targaryen Sua reivindicação foi preterida por causa de seu gênero
5 Arquimeistre Vaegon Último filho vivo de Jaehaerys I Ele recusou sua reivindicação, por causa de seus votos
6 Filho bastardo sem nome da princesa Saera com um Triarca de Volantis Neto de Jaehaerys I Desconsiderado, junto com seus dois meio-irmãos.
7 Filho bastardo sem nome da princesa Saera Neto de Jaehaerys I (diz ser fisicamente a própria imagem de seu avô em sua juventude) Desconsiderado, junto com seus dois meio-irmãos.
8 Filho bastardo sem nome da princesa Saera Neto de Jaehaerys I Desconsiderado, junto com seus dois meio-irmãos.
9 Nobre sem nome O descendente de Lorde Gaemon Targaryen por meio de uma filha mais nova que se casou com um senhor menor Preterido por ser primo menor, nove gerações afastadas do ramo principal.
10 Homem de armas sem nome Afirmado ser o filho natural do Rei Maegor I Targaryen A nobreza reunida não acreditou nele (devido à aparente esterilidade de Maegor)
11 Sem nome cavaleiro andante Afirmado ser um filho natural de Jaehaerys I Sua afirmação foi exposta como mentira pelo próprio Jaehaerys.
12 Desconhecido Desconhecido  
13 Desconhecido Desconhecido  
14 Desconhecido Desconhecido  

Participantes conhecidos

Apoiadores conhecidos de Laenor Velaryon:


Apoiadores conhecidos de Viserys Targaryen:

Outros participantes conhecidos:


Rescaldo

De acordo com o Arquimeistre Gyldayn, aos olhos de muitos, o conselho de 101 d.C. estabeleceu um precedente de ferro em matéria de sucessão: que o Trono de Ferro não poderia ser passado para uma mulher, ou para um descendente masculino de uma mulher.[4]

Após ascender ao trono, o Rei Viserys I Targaryen nomeou sua filha Rhaenyra, sua única filha sobrevivente de seu primeiro casamento, como sua herdeira após a morte de seu segundo filho, Príncipe Baelon. Três filhos nasceram em seu segundo casamento, e Viserys foi questionado repetidamente sobre a sucessão, mas ele optou por ignorar os precedentes de 101 d.C., e Rhaenyra permaneceu seu herdeira. Em 109 d.C. Viserys dispensou Sor Otto Hightower, sua Mão do Rei, porque Otto continuou questionando o rei sobre o assunto.[3][2]

Após a morte de Viserys, os verdes e o pequeno conselho do rei falecido examinaram os anais do Grande Conselho. Eles determinaram que as casas que discordaram durante o Grande Conselho provavelmente apoiariam a reivindicação de Rhaenyra Targaryen em detrimento de Aegon II Targaryen. Entre outros acertos, os verdes previram com precisão que os Stark ficariam do lado de Rhaenyra devido à forma como votaram no Grande Conselho.[11]

Veja também

Sobre a página

Esta página utiliza conteúdo baseado em Great Council of 101 AC, um artigo de A Wiki Of Ice And Fire.

Referências

  1. HBO: House of the Dragon (recuperado em 31 de dezembro de 2020)
  2. 2,00 2,01 2,02 2,03 2,04 2,05 2,06 2,07 2,08 2,09 2,10 2,11 2,12 2,13 2,14 2,15 2,16 2,17 2,18 2,19 2,20 2,21 2,22 Fogo & Sangue, Herdeiros do dragão: Uma questão de sucessão.
  3. 3,0 3,1 O Mundo de Gelo e Fogo, Os Reis Targaryen: Viserys I.
  4. 4,0 4,1 4,2 4,3 4,4 4,5 4,6 4,7 4,8 4,9 O Mundo de Gelo e Fogo, Os Reis Targaryen: Jaehaerys I.
  5. 5,0 5,1 5,2 A Princesa e a Rainha.
  6. O Mundo de Gelo e Fogo, Os Sete Reinos: O Norte, Os Senhores de Winterfell.
  7. O Mundo de Gelo e Fogo, Os Sete Reinos: As Terras da Tempestade, Casa Baratheon.
  8. O Mundo de Gelo e Fogo, Os Sete Reinos: As Terras Ocidentais, Casa Lannister sob os Dragões.
  9. Fogo & Sangue, Sob os regentes: Guerra e paz e exposição de gado.
  10. O Mundo de Gelo e Fogo, Os Sete Reinos: As Terras Fluviais, Casa Tully.
  11. Fogo & Sangue, A morte dos dragões: Os pretos e os verdes.