Mudanças entre as edições de "A Tormenta de Espadas - Capítulo 66"

De Gelo e Fogo wiki
Ir para navegação Ir para pesquisar

 

(nova)
 
 
Linha 12: Linha 12:
 
}}
 
}}
 
[[Tyrion Lannister|Tyrion]] é levado a julgamento. [[Oberyn Martell|Oberyn]] se oferece para servir como seu campeão em um julgamento por combate.
 
[[Tyrion Lannister|Tyrion]] é levado a julgamento. [[Oberyn Martell|Oberyn]] se oferece para servir como seu campeão em um julgamento por combate.
 +
 +
==Sinopse==
 +
[[Arquivo:Tyrion IX Storm Swords Gary Gianni.jpg|thumb|350px|left|O julgamento de [[Tyrion Lannister]]. Arte extraída de 'A Tormenta de Espadas - Edição Ilustrada', por [[:Categoria:Imagens por Gary Gianni|Gary Gianni]] ©.]]
 +
 +
===Tyrion está preso===
 +
[[Tyrion Lannister]] discute com seu tio Sor [[Kevan Lannister]] como ele deveria se comportar no julgamento. Kevan acha que Tyrion não deve ter dificuldade em convencer a corte de sua inocência se ele for realmente inocente. Kevan explica a Tyrion que seu pai, Senhor [[Tywin Lannister]], vai sentar-se no tribunal como [[Mão do Rei]] no lugar do falecido rei, mas por causa de seu parentesco com Tyrion, Senhor [[Mace Tyrell]] e Príncipe [[Oberyn Martell]] também serão parte do tribunal. Tyrion pergunta se ele terá permissão para pedir um [[julgamento por combate]] e é informado que ele terá permissão para fazê-lo, mas que Sor [[Gregor Clegane]] lutaria para [[Cersei Lannister]]. Tyrion esperava que ela escolhesse um dos [[Casa Kettleblack | irmãos Kettleblack]] no caso de um veredito de batalha, e então Tyrion teria uma boa chance com [[Bronn]]. Kevan diz que há mais testemunhas chegando para incriminar Tyrion todos os dias, e quando Tyrion declara que quer encontrar testemunhas para si mesmo, Sor Kevan diz a ele para escrever os nomes em um pedaço de pergaminho e ele tentará alcançá-los. Tyrion pergunta por [[Podrick Payne]] e Kevan diz que vai mandar buscá-lo. Enquanto ele sai, Tyrion diz a seu tio que não foi ele quem matou Joffrey, e Kevan responde que gostaria de poder acreditar nisso.
 +
 +
Tyrion pega caneta e tinta e se pergunta a quem poderia chamar para testemunhar. Podrick aparece algum tempo depois, mas ninguém ainda lhe ocorreu. Tyrion o manda procurar Bronn e promete a ele muito ouro, mas depois que Podrick vai embora, Tyrion não vê ninguém a noite toda. Ao amanhecer, ele toma um desjejum pobre. O guarda também não ouviu falar de Podrick. Tyrion se senta novamente com seu pedaço de pergaminho. Ele escreve o nome de [[Sansa Stark]] na folha, mas sabe imediatamente que isso é um absurdo. Tyrion suspeita que Sansa é a assassina, ela definitivamente teria um motivo, mas ele se pergunta quem poderia ter conseguido o [[veneno]] para ela. Então ele chega à conclusão de que ninguém acreditaria nele, que como marido de Sansa, ele não sabia sobre o plano. Quando Sor Kevan aparece no dia seguinte e vê apenas o nome de Sansa na folha, Tyrion explica que ele certamente encontrará mais. Kevan diz que o julgamento deve começar em três dias. Cersei já tem várias testemunhas que irão testemunhar contra Tyrion, e que os homens de Sor [[Addam Marbrand]] estão procurando por Sansa. Além disso, [[Varys]] ofereceu cem [[moeda|dragões de ouro]] em recompensas por ela. Tyrion pergunta sobre Podrick, e Kevan diz irá chamá-lo para vê-lo novamente.
 +
 +
===Bronn visita Tyrion===
 +
Podrick não aparece na manhã seguinte, e o medo está escrito em seu rosto. Bronn está com ele e ele está usando um gibão novo e suntuoso, com luvas de couro finas. Bronn diz que só apareceu porque Podrick implorou a ele. Ele é esperado no castelo de [[Stokeworth]], porque ele se casará com [[Lollys Stokeworth|Lollys]] amanhã. Tyrion percebe que Cersei está por trás do plano: Lady [[Tanda Stokeworth]] ganhará um [[cavaleiro]] para sua filha estuprada e o [[bastardo]] dela terá um pai. Quanto a Bronn, subirá o próximo degrau no caminho de tornar-se um nobre. Tyrion tenta em vão convencer Bronn a desistir do casamento: nem a condição de Lollys nem o fato de sua [[Balman Byrch | casada]] irmã [[Falyse Stokeworth]] ser a herdeira de Stokeworth o faz mudar de ideia. Bronn sugere que ela ainda não tem filhos e que pode sofrer um acidente. Quando Tyrion então pergunta a Bronn por que ele realmente veio até ele, o mercenário diz que Tyrion uma vez lhe prometeu que dobraria qualquer preço oferecido para traí-lo. Se ele fosse lutar contra Gregor Clegane agora, o castelo que Tyrion lhe daria precisa ser muito grande. Quando Tyrion pensa sobre isso, ele percebe que dificilmente Lollys e Bronn terão uma boa oportunidade como essa. Desesperado, Tyrion promete governar o [[Norte]] um dia, já que Sansa é a herdeira de [[Winterfell]], mas Bronn não se afeta. Bronn também não está interessado no fato de que Sor Gregor foi ferido na [[Batalha do Vau Rubi]] e na [[Batalha de Valdocaso]]. Quando Tyrion acusa Bronn de estar com medo, Bronn diz que seria um tolo se não estivesse com medo. Ele explica a Tyrion que Sor Gregor dificilmente pode ser derrotado e, se assim for, seria apenas com muita sorte, e mesmo assim ele não teria ganhado nada, pelo contrário, teria perdido Stokeworth. Ele deseja a Tyrion a melhor sorte e pergunta o que ele irá fazer. Quando Tyrion afirma que lutará contra o próprio Sor Gregor porque essa seria uma boa canção, ele sorri para ele uma última vez e desaparece. Podrick Payne diz que sente muito, mas Tyrion diz que não precisa. Ele pensa em procurar por [[Shagga]] na [[Mata do Rei]], mas acha que também não há esperança. [[Timett]] provavelmente está de volta às [[Montanhas da Lua]].
 +
 +
===O primeiro dia do julgamento===
 +
Sor Kevan o visita no dia seguinte, e no próximo. Sansa ainda está desaparecida, assim como [[Dontos Hollard]], que também desapareceu desde [[Casamento Púrpura|o casamento]]. Na noite seguinte, ele não consegue dormir. Ele pensa em [[Tysha]], [[Shae]], [[Joffrey Baratheon|Joffrey]], [[Cersei Lannister|Cersei]] e todos os outros. De manhã, Sor Addam Marbrand aparece com alguns [[Mantos Dourados|mantos dourados]] para buscá-lo. Quando Tyrion pergunta por que ele não está sendo pego pela [[Guarda Real]] como um membro da família real, Sor Addam explica que a maioria dos membros da Guarda testemunhariam contra ele. Centenas se reuniram na [[Sala do Trono]] para assistir ao julgamento. Na galeria, Tyrion vê [[Margaery Tyrell]] com sua mãe [[Alerie Hightower]] e sua avó [[Olenna Redwyne]]. Próximos aos [[Trono de Ferro]], Lorde Tywin, Lorde Mace e o Príncipe Oberyn sentam-se a uma única mesa.
 +
 +
O [[Alto Septão (Tyrion) | Alto Septão]] diz uma prece ao [[Pai (os Sete)|Pai]], e então Lorde Tywin pergunta abertamente a Tyrion se ele matou Joffrey, e quando Tyrion nega, se Sansa o fez. Tyrion explica que Joffrey engasgou com a torta de pombo, e quando Lorde Mace enrubesceu e perguntou se ele queria culpar os padeiros, Tyrion diz que sejam os padeiros ou pombos, ele não tem nada a ver com isso. Ele imediatamente percebe que cometeu um erro. Lorde Tywin declara que as testemunhas que testemunharem contra Tyrion serão ouvidas primeiro e que ele só poderá falar se tiver permissão.
 +
 +
Primeiro, Sor [[Balon Swann]] é trazido. Ele menciona que ele lutou ao lado de Tyrion na [[Batalha do Água Negra]] e que ele se considera muito corajoso. Mas então ele também conta como teve que separar Tyrion e Joffrey durante a [[Revolta de Porto Real], e como Tyrion espancou o rei<ref group="N"> ''Veja:'' [[A Fúria dos Reis - Capítulo 41 | Tyrion IX]] de ''[[A Fúria dos Reis]]''.</ref>. O Príncipe Oberyn pergunta por que a mão de Tyrion não foi cortada por este ato, como os [[Casa Targaryen|Targaryens]] teriam feito. Sor Balon explica que o próprio Tyrion pertence à família real e que ele também era a [[Mão do Rei]] na época, ao que Lorde Tywin o corrige que ele era apenas seu "representante".
 +
 +
Em seguida vem Sor [[Meryn Trant]], que confirma o relato de Sor Balon e acrescenta com prazer que Tyrion também pisou nele durante o incidente com Joffrey e gritou com ele dizendo que era uma injustiça que Joffrey escapasse ileso da multidão. Em seguida, ele conta como Tyrion uma vez pôs fim à punição pública de Sansa, e ameaçou Joffrey de que um dia ele sofreria o mesmo destino de [[Aerys II Targaryen|Aerys II]]. Ele diz que quando sor [[Boros Blount|Boros]] interveio em defesa do rei, o Duende ameaçou mandar matá-lo.
 +
 +
Sor Boros, que é o próximo a testemunhar, repete esta história, e quando Tyrion interrompe e diz a Sor Boros para contar também o que Joffrey fez a Sansa<ref group="N"> Joffrey ordenou que Sor Boros espancasse Sansa e arrancasse suas roupas porque [[Robb Stark]] acabara de ganhar a [[Batalha de Cruzaboi]]‚ ''veja:'' [[A Fúria dos Reis - Capítulo 32 | Sansa III]] de ''[[A Fúria dos Reis]]''.</ref>, ele repete que Tyrion ameaçou matá-lo usando seus "[[clãs da montanha|selvagens]]". Tywin adverte Tyrion a não dizer nada a menos que seja solicitado.
 +
 +
Os próximos são os irmãos Kettleblack. [[Osney Kettleblack]] e [[Osfryd Kettleblack]] falam sobre as ameaças de Tyrion para Cersei em seu jantar antes da Batalha da Água Negra. Ele no entanto não menciona [[Alayaya]]<ref group="N"> Cersei sequestrou [[Alayaya]] porque ela pensava que era a amante de Tyrion, e o chantageou para que nada acontecesse com Joffrey na batalha que se aproximava, ''veja:'' [[A Fúria dos Reis - Capítulo 54 | Tyrion XII]] de ''[[A Fúria dos Reis]]''.</ref>. Então, Sor [[Osmund Kettleblack]] aparece com uma armadura de escamas impecável e seu manto branco de lã. Ele jura que Joffrey sabia há muito tempo sobre as intenções assassinas de Tyrion. Ele afirma que Joffrey pediu-lhe para cuidar bem dele no dia em que foi aceito na Guarda Real, porque Tyrion desejava assumir o trono em seu lugar. Tyrion se enfurece e acusa Sor Osmund de mentir, mas Cersei intervém e pede a seu pai para algemarTyrion pois ele está instável. Oberyn zomba disso dizendo que no dia em que terá medo de um anão, ele se afogará em um barril de vinho. Tywin interrompe a negociação e concorda em continuar no dia seguinte.
 +
 +
Quando Tyrion está em sua cela na torre na noite seguinte, ele pensa em Tysha e Shae. Sor Kevan vem vê-lo tarde da noite e Tyrion pede que leve [[Varys]] até ele.
 +
 +
===O segundo dia do julgamento===
 +
O [[Meistre]] [[Ballabar]] e o [[Meistre]] [[Frenken]] abrem o segundo dia do julgamento relatando que autopsiaram o corpo de Joffrey e descobriram que ele havia sido envenenado. [[Pycelle]] segue atrás, parece muito frágil e se senta em uma mesa com uma fileira de pequenos frascos. Ele examina e determina uma série de venenos: [[grisalheira]], [[beladona]], [[sonodoce]], [[dança do demo]] e [[olhocego]], [[sangue de viúva]], [[acônito]], [[Basilisco|veneno de basilisco]] e as [[lágrimas de Lys]]. Pycelle afirma que Tyrion roubou todos eles de seus aposentos quando foi capturado por ele. Tyrion pergunta a Pycelle se algum desses venenos poderia sufocar um homem. Pycelle relata um veneno chamado [[O Estrangulador]] e admite que o veneno não foi encontrado, mas acusa Tyrion de consumi-lo no assassinato da criança mais nobre que os deuses desta terra já tiveram. Tyrion fica furioso e grita que Joffrey era cruel e estúpido, mas que não o matou. Mais uma vez seu pai o ordena a ficar quieto.
 +
 +
Os depoentes seguintes são senhores e damas que compareceram à [[Casamento Púrpura | festa de casamento]] e testemunharam a morte de Joffrey: Senhor [[Paxter Redwyne]], Senhor [[Ardrian Celtigar]] e Sor [[Flement Brax]] ouviram as ameaças de Tyrion contra Joffrey; Dois servos, um malabarista, Lorde [[Gyles Rosby]], Sor [[Hobber Redwyne]] e Sor [[Philip Foote]] viram Tyrion encher o cálice nupcial; Lady [[Taena de Myr | Merryweather]] afirma ter visto Tyrion jogar algo no vinho; Lorde [[Eldon Estermont]], [[Josmyn Peckledon]], o cantor [[Galyeon de Cuy]], e os escudeiros [[Morros Slynt]] e [[Jothos Slynt]] viram Tyrion despejando o resto do vinho envenenado enquanto Joffrey estava morrendo. Tyrion agora só se pergunta quando fez todos esses inimigos, ele mal conhece Lady Merryweather, por exemplo.
 +
 +
À noite, Sor Kevan o visita novamente, mas desta vez ele está frio e distante, e Tyrion percebe que também não acredita mais em sua inocência. Tyrion ainda não consegue pensar em uma testemunha e, quando pergunta sobre Varys, Sor Kevan explica que testemunhará contra ele no dia seguinte. Tyrion questiona abertamente Sor Kevan o que o convenceu a acreditar que ele era culpado. Sor Kevan pergunta o por quê de ele ter roubado as poções de Pycelle se ele não queria usá-las, e acrescenta que Lady Taena teria o visto derramar algo no vinho. Tyrion fica com raiva porque não tem como se defender enquanto está preso em sua cela na torre. Sor Kevan encoraja Tyrion a fazer uma confissão, então ser perdoado e se juntar à [[Patrulha da Noite]], sendo essa é a oferta de seu pai. Tyrion ri na cara de Sor Kevan e diz a ele que é exatamente o que Cersei ofereceu para [[Eddard Stark]], e que ele não confia em seu pai para manter sua palavra se ele confessar ser um assassino de parentes e um regicida. Kevan fala sobre seu pai, Lorde [[Tytos Lannister]] e explica por que Tywin muitas vezes parece tão insensível: ele teve que suportar enquanto todos nas [[Terras Ocidentais]] se aproveitaram da falta de assertividade de Tytos, que era doce demais, amigável demais, complacente demais. Coube a Tywin devolver a Casa Lannister ao lugar que lhe é próprio. Tal como coube a ele governar de Porto Real os reinos, quando não tinha mais de vinte anos. Kevan fala que Tywin suportou esse pesado fardo durante vinte anos e tudo que lucrou com isso foi a inveja de [[Aerys II|um rei louco]]. O entusiasmo com que o sempre prático Sor Kevan fala sobre seu irmão impressionou Tyrion e ele prometeu considerar a oferta.
 +
 +
===O terceiro dia do julgamento===
 +
Tyrion pondera essa possibilidade a noite toda, mas na manhã seguinte ainda não sabe se pode confiar em seu pai. Com raiva, ele joga seu café da manhã contra a parede. Sor Addam aparece e acompanha Tyrion de volta à sala do trono. O primeiro a testemunhar naquele dia é Varys, que infelizmente conta como Tyrion planejou se livrar de [[Sandor Clegane]] e como ele falou com Bronn sobre [[Tommen Baratheon]] ser um rei muito melhor. Varys tem até anotações de conversas que demoram o dia todo para serem lidas. Varys confirma o roubo dos venenos da câmara de Pycelle, as ameaças que Tyrion fez a Cersei e tudo mais - exceto o próprio assassinato. Quando Oberyn pergunta a Varys como ele sabe de tudo isso, o [[Mestre dos Sussurros]] diz que este é seu trabalho. Cersei anuncia uma testemunha final para o dia seguinte<ref group="N">Trata-se de [[Shae]]‚ ''veja:'' [[A Tormenta de Espadas - Capítulo 70 | Tyrion X]] de ''[[A Tormenta de Espadas]]''.</ref> e Tyrion está quase aliviado porque o julgamento finalmente terminará, pelo bem ou pelo mal.
 +
 +
===Oberyn visita Tyrion===
 +
À noite, para surpresa de Tyrion, [[Oberyn Martell]] aparece em seu quarto. Em resposta ao pedido de Tyrion, o príncipe responde zombeteiramente que ele nunca se interessou pelo que Lorde Tywin pensa dele, então ele não se importa se pode ou não visitar Tyrion. Tyrion oferece a Oberyn um cálice de seu [[vinho|vinho tinto de árvore]], e o dornês o prova com desdém. Oberyn diz que estava no [[bordel de Chataya]] e notou as marcas nas costas de [[Alayaya]]. E que Cersei lhe fez uma oferta e sugeriu casamento. [[Ellaria Sand]] pensaria que Oberyn deveria aceitar. Tyrion escuta atentamente enquanto Oberyn fala sobre [[Daeron I Targaryen]] e a [[Conquista de Dorne]]. Naquela época, Lorde [[Lyonel Tyrell (lorde) | Lyonel Tyrell]] havia governado Dorne e, assim, humilhou os senhores de lá, reivindicando sua cama e empregadas dornensas quando vivia com sua comitiva no respectivo castelo, até que um dia uma armadilha foi armada e ele foi colocado na cama com centenas de escorpiões. Oberyn diz que prefere sofrer o mesmo destino do que compartilhar a cama com Cersei por apenas uma noite.
 +
 +
Oberyn explica que, por outro lado, ele deve ser grato a Cersei porque se ela não tivesse feito de Tyrion o principal suspeito, ele o seria agora, porque, em primeiro lugar, ele conhece muito sobre venenos, em segundo lugar, Dorne tem um grande interesse na Casa Tyrell não subir ao trono e, em terceiro lugar, sob a lei de Dorne, o trono agora passaria para [[Myrcella Baratheon]], que vive como protegida em Dorne e está noiva de [[Trystane Martell]]. Quando Tyrion lhe garante que [[Tommen Baratheon]] será o próximo rei, Oberyn explica que Lorde [[Doran Martell]] em [[Lançassolar]] pode ter outros planos e tornar Myrcella rainha. Tyrion percebe o quanto Cersei sempre sofreu por não ter direitos de herança como mulher, e nesta constelação ela poderia até herdar [[Rochedo Casterly]], já que ela é alguns minutos mais velha que [[Jaime Lannister]]. Tyrion nunca tinha pensado nisso, e quando ele diz que seu pai nunca permitiria que Cersei escolhesse entre Myrcella e Tommen, Oberyn declara que Lorde Tywin não viveria para sempre. A maneira como ele diz isso faz Tyrion sentir frio. Tyrion lembra o que Oberyn disse sobre [[Elia Martell]], e entende que ele quer a cabeça que deu as ordens, não só a mão que brandiu a espada. Tyrion avisa que não é sábio dizer algo assim em voz alta na Fortaleza Vermelha.
 +
 +
Oberyn observa que ouviu que Tyrion não tinha testemunhas para testemunhar por ele. Ele explica que Lorde [[Mace Tyrell]] desesperadamente o quer morto, já que [[Margaery Tyrell]] também bebeu do cálice e poderia estar morta agora. Ele mesmo pensa que Tyrion é inocente, mas pensa que ainda será condenado culpado, já que em sua opinião as coisas raramente são boas ao norte das [[Montanhas Vermelhas]]. Oberyn também menciona um urso de [[Harrenhal]], e Tyrion acrescenta que realmente havia um que comeu Sor [[Amory Lorch]] e que ele foi responsável pelo assassinato de [[Rhaenys Targaryen (filha de Rhaegar) | Rhaenys]] enquanto Sor Gregor Clegane estuprava [[Elia Martell]] e o cérebro de [[Aegon Targaryen | Aegon]] ainda corria pela parede. Oberyn apura os ouvidos e pergunta se Lorde Tywin deu a ordem. Tyrion não pensa duas vezes e mente para Oberyn, mas ele vê através da mentira e explica que Lorde Tywin apresentou os corpos das crianças a Elia para Rei [[Robert Baratheon]] em um manto Lannister.
 +
 +
Então, de surpresa, ele revela a Tyrion que talvez ele o salve, não como seu juiz, mas como aquele que lutará por ele em [[julgamento por combate]].
 +
 +
==Citações==
 +
{{Quote|'''Tyrion:''' Os deuses mataram Joffrey. Ele sufocou com a sua torta de pombo.<br>'''Mace Tyrell:''' Quer culpar os padeiros?<br>'''Tyrion:'''A eles ou aos pombos. Só quero que me deixe fora disso.|interrogatório no julgamento de [[Tyrion]].}}
 +
 +
{{Quote|Quando foi que eu fiz tantos inimigos?|[[Tyrion]], sobre os depoimentos dos lordes e cavaleiros.}}
 +
 +
{{Quote|Vão me chamar de assassino de parentes até o fim dos meus dias. Durante mil anos ou mais, se eu for lembrado, será como o monstruoso anão que envenenou o jovem sobrinho em seu banquete de casamento.|pensamentos de [[Tyrion]].}}
 +
 +
{{Quote|Meias-verdades são mais valiosas do que completas mentiras.|pensamentos de [[Tyrion]].}}
 +
 +
{{Quote|'''Oberyn:''' Sua inocência pode ser tão evidente quanto a cicatriz que tem no rosto, mas não o salvará. Tal como o seu pai não o salvará. Mas eu talvez o faça. <br>'''Tyrion:''' Você? É um juiz em três. Como poderá me salvar?<br>'''Oberyn:''' Como seu juiz, não. Como seu campeão.|[[Tyrion]] e [[Oberyn Martell|Oberyn]] conversando nas celas.}}
 +
  
 
==Links externos==
 
==Links externos==
Linha 17: Linha 74:
 
* {{en}} [https://towerofthehand.com/books/103/067/index.html ASOS Tyrion IX] na ''Tower of the Hand'', resumo do capítulo.
 
* {{en}} [https://towerofthehand.com/books/103/067/index.html ASOS Tyrion IX] na ''Tower of the Hand'', resumo do capítulo.
 
* {{en}} [http://slynt.blogspot.com/2014/08/re-read-tyrion-ix-ups-and-downs.html Re-read - Tyrion IX: Ups and Downs] no ''Stormsongs''.
 
* {{en}} [http://slynt.blogspot.com/2014/08/re-read-tyrion-ix-ups-and-downs.html Re-read - Tyrion IX: Ups and Downs] no ''Stormsongs''.
 +
 +
==Notas==
 +
{{notes}}
  
 
==Sobre a página==
 
==Sobre a página==
Esta página utiliza conteúdo baseado em [http://awoiaf.westeros.org/index.php/A_Storm_of_Swords-Chapter_66 A Storm of Swords-Chapter 66], um artigo de [http://awoiaf.westeros.org/index.php/ A Wiki Of Ice And Fire].
+
Esta página utiliza conteúdo baseado em [https://eisundfeuer.fandom.com/de/wiki/A_Storm_of_Swords_-_Kapitel_66_-_Tyrion_IX  Kapitel 66 - Tyrion IX], um artigo de [https://eisundfeuer.fandom.com/de/wiki/Das_Wiki_von_Eis_und_Feuer Das Lied von Eis und Feuer Wiki].
  
  
Linha 29: Linha 89:
  
 
[[en:A Storm of Swords-Chapter 66]]
 
[[en:A Storm of Swords-Chapter 66]]
 +
[[de:A Storm of Swords - Kapitel 66 - Tyrion IX]]
 +
[[es:Tormenta de Espadas-Capítulo 66]]
 +
[[fr:A Storm of Swords, Chapitre 67, Tyrion]]
 +
[[nl:Tyrion IX (Een Storm van Zwaarden)]]
 +
[[ru:Буря мечей, Тирион IX]]
 +
[[zh:冰雨的风暴-章节 66]]

Edição atual tal como às 22h54min de 11 de junho de 2021

Tyrion IX
Capítulo de A Tormenta de Espadas
A Tormenta de Espadas.jpg
PDVTyrion
LocalFortaleza Vermelha, Porto Real, Westeros
Página669-682 PT-BR Leya (Outras versões)
Cena. (Série HBO)
Cronologia dos capítulos (Todos)
Tyrion VIII
Arya XII ← Tyrion IX → Jaime VIII

Tyrion X

Tyrion é levado a julgamento. Oberyn se oferece para servir como seu campeão em um julgamento por combate.

Sinopse

O julgamento de Tyrion Lannister. Arte extraída de 'A Tormenta de Espadas - Edição Ilustrada', por Gary Gianni ©.

Tyrion está preso

Tyrion Lannister discute com seu tio Sor Kevan Lannister como ele deveria se comportar no julgamento. Kevan acha que Tyrion não deve ter dificuldade em convencer a corte de sua inocência se ele for realmente inocente. Kevan explica a Tyrion que seu pai, Senhor Tywin Lannister, vai sentar-se no tribunal como Mão do Rei no lugar do falecido rei, mas por causa de seu parentesco com Tyrion, Senhor Mace Tyrell e Príncipe Oberyn Martell também serão parte do tribunal. Tyrion pergunta se ele terá permissão para pedir um julgamento por combate e é informado que ele terá permissão para fazê-lo, mas que Sor Gregor Clegane lutaria para Cersei Lannister. Tyrion esperava que ela escolhesse um dos irmãos Kettleblack no caso de um veredito de batalha, e então Tyrion teria uma boa chance com Bronn. Kevan diz que há mais testemunhas chegando para incriminar Tyrion todos os dias, e quando Tyrion declara que quer encontrar testemunhas para si mesmo, Sor Kevan diz a ele para escrever os nomes em um pedaço de pergaminho e ele tentará alcançá-los. Tyrion pergunta por Podrick Payne e Kevan diz que vai mandar buscá-lo. Enquanto ele sai, Tyrion diz a seu tio que não foi ele quem matou Joffrey, e Kevan responde que gostaria de poder acreditar nisso.

Tyrion pega caneta e tinta e se pergunta a quem poderia chamar para testemunhar. Podrick aparece algum tempo depois, mas ninguém ainda lhe ocorreu. Tyrion o manda procurar Bronn e promete a ele muito ouro, mas depois que Podrick vai embora, Tyrion não vê ninguém a noite toda. Ao amanhecer, ele toma um desjejum pobre. O guarda também não ouviu falar de Podrick. Tyrion se senta novamente com seu pedaço de pergaminho. Ele escreve o nome de Sansa Stark na folha, mas sabe imediatamente que isso é um absurdo. Tyrion suspeita que Sansa é a assassina, ela definitivamente teria um motivo, mas ele se pergunta quem poderia ter conseguido o veneno para ela. Então ele chega à conclusão de que ninguém acreditaria nele, que como marido de Sansa, ele não sabia sobre o plano. Quando Sor Kevan aparece no dia seguinte e vê apenas o nome de Sansa na folha, Tyrion explica que ele certamente encontrará mais. Kevan diz que o julgamento deve começar em três dias. Cersei já tem várias testemunhas que irão testemunhar contra Tyrion, e que os homens de Sor Addam Marbrand estão procurando por Sansa. Além disso, Varys ofereceu cem dragões de ouro em recompensas por ela. Tyrion pergunta sobre Podrick, e Kevan diz irá chamá-lo para vê-lo novamente.

Bronn visita Tyrion

Podrick não aparece na manhã seguinte, e o medo está escrito em seu rosto. Bronn está com ele e ele está usando um gibão novo e suntuoso, com luvas de couro finas. Bronn diz que só apareceu porque Podrick implorou a ele. Ele é esperado no castelo de Stokeworth, porque ele se casará com Lollys amanhã. Tyrion percebe que Cersei está por trás do plano: Lady Tanda Stokeworth ganhará um cavaleiro para sua filha estuprada e o bastardo dela terá um pai. Quanto a Bronn, subirá o próximo degrau no caminho de tornar-se um nobre. Tyrion tenta em vão convencer Bronn a desistir do casamento: nem a condição de Lollys nem o fato de sua casada irmã Falyse Stokeworth ser a herdeira de Stokeworth o faz mudar de ideia. Bronn sugere que ela ainda não tem filhos e que pode sofrer um acidente. Quando Tyrion então pergunta a Bronn por que ele realmente veio até ele, o mercenário diz que Tyrion uma vez lhe prometeu que dobraria qualquer preço oferecido para traí-lo. Se ele fosse lutar contra Gregor Clegane agora, o castelo que Tyrion lhe daria precisa ser muito grande. Quando Tyrion pensa sobre isso, ele percebe que dificilmente Lollys e Bronn terão uma boa oportunidade como essa. Desesperado, Tyrion promete governar o Norte um dia, já que Sansa é a herdeira de Winterfell, mas Bronn não se afeta. Bronn também não está interessado no fato de que Sor Gregor foi ferido na Batalha do Vau Rubi e na Batalha de Valdocaso. Quando Tyrion acusa Bronn de estar com medo, Bronn diz que seria um tolo se não estivesse com medo. Ele explica a Tyrion que Sor Gregor dificilmente pode ser derrotado e, se assim for, seria apenas com muita sorte, e mesmo assim ele não teria ganhado nada, pelo contrário, teria perdido Stokeworth. Ele deseja a Tyrion a melhor sorte e pergunta o que ele irá fazer. Quando Tyrion afirma que lutará contra o próprio Sor Gregor porque essa seria uma boa canção, ele sorri para ele uma última vez e desaparece. Podrick Payne diz que sente muito, mas Tyrion diz que não precisa. Ele pensa em procurar por Shagga na Mata do Rei, mas acha que também não há esperança. Timett provavelmente está de volta às Montanhas da Lua.

O primeiro dia do julgamento

Sor Kevan o visita no dia seguinte, e no próximo. Sansa ainda está desaparecida, assim como Dontos Hollard, que também desapareceu desde o casamento. Na noite seguinte, ele não consegue dormir. Ele pensa em Tysha, Shae, Joffrey, Cersei e todos os outros. De manhã, Sor Addam Marbrand aparece com alguns mantos dourados para buscá-lo. Quando Tyrion pergunta por que ele não está sendo pego pela Guarda Real como um membro da família real, Sor Addam explica que a maioria dos membros da Guarda testemunhariam contra ele. Centenas se reuniram na Sala do Trono para assistir ao julgamento. Na galeria, Tyrion vê Margaery Tyrell com sua mãe Alerie Hightower e sua avó Olenna Redwyne. Próximos aos Trono de Ferro, Lorde Tywin, Lorde Mace e o Príncipe Oberyn sentam-se a uma única mesa.

O Alto Septão diz uma prece ao Pai, e então Lorde Tywin pergunta abertamente a Tyrion se ele matou Joffrey, e quando Tyrion nega, se Sansa o fez. Tyrion explica que Joffrey engasgou com a torta de pombo, e quando Lorde Mace enrubesceu e perguntou se ele queria culpar os padeiros, Tyrion diz que sejam os padeiros ou pombos, ele não tem nada a ver com isso. Ele imediatamente percebe que cometeu um erro. Lorde Tywin declara que as testemunhas que testemunharem contra Tyrion serão ouvidas primeiro e que ele só poderá falar se tiver permissão.

Primeiro, Sor Balon Swann é trazido. Ele menciona que ele lutou ao lado de Tyrion na Batalha do Água Negra e que ele se considera muito corajoso. Mas então ele também conta como teve que separar Tyrion e Joffrey durante a [[Revolta de Porto Real], e como Tyrion espancou o rei[N 1]. O Príncipe Oberyn pergunta por que a mão de Tyrion não foi cortada por este ato, como os Targaryens teriam feito. Sor Balon explica que o próprio Tyrion pertence à família real e que ele também era a Mão do Rei na época, ao que Lorde Tywin o corrige que ele era apenas seu "representante".

Em seguida vem Sor Meryn Trant, que confirma o relato de Sor Balon e acrescenta com prazer que Tyrion também pisou nele durante o incidente com Joffrey e gritou com ele dizendo que era uma injustiça que Joffrey escapasse ileso da multidão. Em seguida, ele conta como Tyrion uma vez pôs fim à punição pública de Sansa, e ameaçou Joffrey de que um dia ele sofreria o mesmo destino de Aerys II. Ele diz que quando sor Boros interveio em defesa do rei, o Duende ameaçou mandar matá-lo.

Sor Boros, que é o próximo a testemunhar, repete esta história, e quando Tyrion interrompe e diz a Sor Boros para contar também o que Joffrey fez a Sansa[N 2], ele repete que Tyrion ameaçou matá-lo usando seus "selvagens". Tywin adverte Tyrion a não dizer nada a menos que seja solicitado.

Os próximos são os irmãos Kettleblack. Osney Kettleblack e Osfryd Kettleblack falam sobre as ameaças de Tyrion para Cersei em seu jantar antes da Batalha da Água Negra. Ele no entanto não menciona Alayaya[N 3]. Então, Sor Osmund Kettleblack aparece com uma armadura de escamas impecável e seu manto branco de lã. Ele jura que Joffrey sabia há muito tempo sobre as intenções assassinas de Tyrion. Ele afirma que Joffrey pediu-lhe para cuidar bem dele no dia em que foi aceito na Guarda Real, porque Tyrion desejava assumir o trono em seu lugar. Tyrion se enfurece e acusa Sor Osmund de mentir, mas Cersei intervém e pede a seu pai para algemarTyrion pois ele está instável. Oberyn zomba disso dizendo que no dia em que terá medo de um anão, ele se afogará em um barril de vinho. Tywin interrompe a negociação e concorda em continuar no dia seguinte.

Quando Tyrion está em sua cela na torre na noite seguinte, ele pensa em Tysha e Shae. Sor Kevan vem vê-lo tarde da noite e Tyrion pede que leve Varys até ele.

O segundo dia do julgamento

O Meistre Ballabar e o Meistre Frenken abrem o segundo dia do julgamento relatando que autopsiaram o corpo de Joffrey e descobriram que ele havia sido envenenado. Pycelle segue atrás, parece muito frágil e se senta em uma mesa com uma fileira de pequenos frascos. Ele examina e determina uma série de venenos: grisalheira, beladona, sonodoce, dança do demo e olhocego, sangue de viúva, acônito, veneno de basilisco e as lágrimas de Lys. Pycelle afirma que Tyrion roubou todos eles de seus aposentos quando foi capturado por ele. Tyrion pergunta a Pycelle se algum desses venenos poderia sufocar um homem. Pycelle relata um veneno chamado O Estrangulador e admite que o veneno não foi encontrado, mas acusa Tyrion de consumi-lo no assassinato da criança mais nobre que os deuses desta terra já tiveram. Tyrion fica furioso e grita que Joffrey era cruel e estúpido, mas que não o matou. Mais uma vez seu pai o ordena a ficar quieto.

Os depoentes seguintes são senhores e damas que compareceram à festa de casamento e testemunharam a morte de Joffrey: Senhor Paxter Redwyne, Senhor Ardrian Celtigar e Sor Flement Brax ouviram as ameaças de Tyrion contra Joffrey; Dois servos, um malabarista, Lorde Gyles Rosby, Sor Hobber Redwyne e Sor Philip Foote viram Tyrion encher o cálice nupcial; Lady Merryweather afirma ter visto Tyrion jogar algo no vinho; Lorde Eldon Estermont, Josmyn Peckledon, o cantor Galyeon de Cuy, e os escudeiros Morros Slynt e Jothos Slynt viram Tyrion despejando o resto do vinho envenenado enquanto Joffrey estava morrendo. Tyrion agora só se pergunta quando fez todos esses inimigos, ele mal conhece Lady Merryweather, por exemplo.

À noite, Sor Kevan o visita novamente, mas desta vez ele está frio e distante, e Tyrion percebe que também não acredita mais em sua inocência. Tyrion ainda não consegue pensar em uma testemunha e, quando pergunta sobre Varys, Sor Kevan explica que testemunhará contra ele no dia seguinte. Tyrion questiona abertamente Sor Kevan o que o convenceu a acreditar que ele era culpado. Sor Kevan pergunta o por quê de ele ter roubado as poções de Pycelle se ele não queria usá-las, e acrescenta que Lady Taena teria o visto derramar algo no vinho. Tyrion fica com raiva porque não tem como se defender enquanto está preso em sua cela na torre. Sor Kevan encoraja Tyrion a fazer uma confissão, então ser perdoado e se juntar à Patrulha da Noite, sendo essa é a oferta de seu pai. Tyrion ri na cara de Sor Kevan e diz a ele que é exatamente o que Cersei ofereceu para Eddard Stark, e que ele não confia em seu pai para manter sua palavra se ele confessar ser um assassino de parentes e um regicida. Kevan fala sobre seu pai, Lorde Tytos Lannister e explica por que Tywin muitas vezes parece tão insensível: ele teve que suportar enquanto todos nas Terras Ocidentais se aproveitaram da falta de assertividade de Tytos, que era doce demais, amigável demais, complacente demais. Coube a Tywin devolver a Casa Lannister ao lugar que lhe é próprio. Tal como coube a ele governar de Porto Real os reinos, quando não tinha mais de vinte anos. Kevan fala que Tywin suportou esse pesado fardo durante vinte anos e tudo que lucrou com isso foi a inveja de um rei louco. O entusiasmo com que o sempre prático Sor Kevan fala sobre seu irmão impressionou Tyrion e ele prometeu considerar a oferta.

O terceiro dia do julgamento

Tyrion pondera essa possibilidade a noite toda, mas na manhã seguinte ainda não sabe se pode confiar em seu pai. Com raiva, ele joga seu café da manhã contra a parede. Sor Addam aparece e acompanha Tyrion de volta à sala do trono. O primeiro a testemunhar naquele dia é Varys, que infelizmente conta como Tyrion planejou se livrar de Sandor Clegane e como ele falou com Bronn sobre Tommen Baratheon ser um rei muito melhor. Varys tem até anotações de conversas que demoram o dia todo para serem lidas. Varys confirma o roubo dos venenos da câmara de Pycelle, as ameaças que Tyrion fez a Cersei e tudo mais - exceto o próprio assassinato. Quando Oberyn pergunta a Varys como ele sabe de tudo isso, o Mestre dos Sussurros diz que este é seu trabalho. Cersei anuncia uma testemunha final para o dia seguinte[N 4] e Tyrion está quase aliviado porque o julgamento finalmente terminará, pelo bem ou pelo mal.

Oberyn visita Tyrion

À noite, para surpresa de Tyrion, Oberyn Martell aparece em seu quarto. Em resposta ao pedido de Tyrion, o príncipe responde zombeteiramente que ele nunca se interessou pelo que Lorde Tywin pensa dele, então ele não se importa se pode ou não visitar Tyrion. Tyrion oferece a Oberyn um cálice de seu vinho tinto de árvore, e o dornês o prova com desdém. Oberyn diz que estava no bordel de Chataya e notou as marcas nas costas de Alayaya. E que Cersei lhe fez uma oferta e sugeriu casamento. Ellaria Sand pensaria que Oberyn deveria aceitar. Tyrion escuta atentamente enquanto Oberyn fala sobre Daeron I Targaryen e a Conquista de Dorne. Naquela época, Lorde Lyonel Tyrell havia governado Dorne e, assim, humilhou os senhores de lá, reivindicando sua cama e empregadas dornensas quando vivia com sua comitiva no respectivo castelo, até que um dia uma armadilha foi armada e ele foi colocado na cama com centenas de escorpiões. Oberyn diz que prefere sofrer o mesmo destino do que compartilhar a cama com Cersei por apenas uma noite.

Oberyn explica que, por outro lado, ele deve ser grato a Cersei porque se ela não tivesse feito de Tyrion o principal suspeito, ele o seria agora, porque, em primeiro lugar, ele conhece muito sobre venenos, em segundo lugar, Dorne tem um grande interesse na Casa Tyrell não subir ao trono e, em terceiro lugar, sob a lei de Dorne, o trono agora passaria para Myrcella Baratheon, que vive como protegida em Dorne e está noiva de Trystane Martell. Quando Tyrion lhe garante que Tommen Baratheon será o próximo rei, Oberyn explica que Lorde Doran Martell em Lançassolar pode ter outros planos e tornar Myrcella rainha. Tyrion percebe o quanto Cersei sempre sofreu por não ter direitos de herança como mulher, e nesta constelação ela poderia até herdar Rochedo Casterly, já que ela é alguns minutos mais velha que Jaime Lannister. Tyrion nunca tinha pensado nisso, e quando ele diz que seu pai nunca permitiria que Cersei escolhesse entre Myrcella e Tommen, Oberyn declara que Lorde Tywin não viveria para sempre. A maneira como ele diz isso faz Tyrion sentir frio. Tyrion lembra o que Oberyn disse sobre Elia Martell, e entende que ele quer a cabeça que deu as ordens, não só a mão que brandiu a espada. Tyrion avisa que não é sábio dizer algo assim em voz alta na Fortaleza Vermelha.

Oberyn observa que ouviu que Tyrion não tinha testemunhas para testemunhar por ele. Ele explica que Lorde Mace Tyrell desesperadamente o quer morto, já que Margaery Tyrell também bebeu do cálice e poderia estar morta agora. Ele mesmo pensa que Tyrion é inocente, mas pensa que ainda será condenado culpado, já que em sua opinião as coisas raramente são boas ao norte das Montanhas Vermelhas. Oberyn também menciona um urso de Harrenhal, e Tyrion acrescenta que realmente havia um que comeu Sor Amory Lorch e que ele foi responsável pelo assassinato de Rhaenys enquanto Sor Gregor Clegane estuprava Elia Martell e o cérebro de Aegon ainda corria pela parede. Oberyn apura os ouvidos e pergunta se Lorde Tywin deu a ordem. Tyrion não pensa duas vezes e mente para Oberyn, mas ele vê através da mentira e explica que Lorde Tywin apresentou os corpos das crianças a Elia para Rei Robert Baratheon em um manto Lannister.

Então, de surpresa, ele revela a Tyrion que talvez ele o salve, não como seu juiz, mas como aquele que lutará por ele em julgamento por combate.

Citações


Tyrion: Os deuses mataram Joffrey. Ele sufocou com a sua torta de pombo.
Mace Tyrell: Quer culpar os padeiros?
Tyrion:A eles ou aos pombos. Só quero que me deixe fora disso.
—— interrogatório no julgamento de Tyrion.



Quando foi que eu fiz tantos inimigos?
—— Tyrion, sobre os depoimentos dos lordes e cavaleiros.



Vão me chamar de assassino de parentes até o fim dos meus dias. Durante mil anos ou mais, se eu for lembrado, será como o monstruoso anão que envenenou o jovem sobrinho em seu banquete de casamento.
—— pensamentos de Tyrion.



Meias-verdades são mais valiosas do que completas mentiras.
—— pensamentos de Tyrion.



Oberyn: Sua inocência pode ser tão evidente quanto a cicatriz que tem no rosto, mas não o salvará. Tal como o seu pai não o salvará. Mas eu talvez o faça.
Tyrion: Você? É um juiz em três. Como poderá me salvar?
Oberyn: Como seu juiz, não. Como seu campeão.
—— Tyrion e Oberyn conversando nas celas.


Links externos

Notas

  1. Veja: Tyrion IX de A Fúria dos Reis.
  2. Joffrey ordenou que Sor Boros espancasse Sansa e arrancasse suas roupas porque Robb Stark acabara de ganhar a Batalha de Cruzaboiveja: Sansa III de A Fúria dos Reis.
  3. Cersei sequestrou Alayaya porque ela pensava que era a amante de Tyrion, e o chantageou para que nada acontecesse com Joffrey na batalha que se aproximava, veja: Tyrion XII de A Fúria dos Reis.
  4. Trata-se de Shaeveja: Tyrion X de A Tormenta de Espadas.

Sobre a página

Esta página utiliza conteúdo baseado em Kapitel 66 - Tyrion IX, um artigo de Das Lied von Eis und Feuer Wiki.