A Guerra dos Tronos - Capítulo 31

De Gelo e Fogo wiki
Ir para: navegação, pesquisa


Tyrion IV
Capítulo de A Guerra dos Tronos
A Guerra dos Tronos.jpg
PDVTyrion Lannister
LocalEstrada de Altitude a caminho do Vale de Arryn
PáginaPT-BR Leya (Outras versões)
Cronologia dos capítulos (Todos)
Tyrion III
Eddard VII ← Tyrion IV → Arya III

Tyrion V

Tyrion Lannister descobre que está indo para o Vale de Arryn ao invés de Winterfell, o que enganará qualquer tentativa de resgatá-lo. Suas tentativas de convencer Senhora Catelyn de sua inocência são interrompidas quando os Clãs das montanhas do Vale atacam. Durante a luta, Tyrion salva Catelyn e, depois, ele explica que a acusação de Petyr Baelish sobre ele tem um grande erro: Tyrion nunca apostaria contra sua família família.

Sinopse

Arte extraída de 'A Guerra dos Tronos - Edição Ilustrada', por Victor Manuel Leza Moreno ©.

Quando Tyrion vê o mercenário Chiggen matar seu cavalo ele conta mais outra dívida devida à Starks. A égua foi um presente de seu irmão Jaime para o dia do seu vigésimo terceiro nome. O mercenário Bronn diz a Tyrion que nenhum deles ficará com fome, mas Tyrion responde que ele não gosta de comer cavalo, particularmente seu próprio cavalo. Bronn responde que os Dothraki acham o gosto de cavalo melhor do que outras carnes. Tyrion reflete que talvez seu cavalo seja o sortudo, já que muitos dias mais frios e duros estão por vir. Enquanto ele se afasta do mercenário, Tyrion pensa amargamente sobre o que aconteceu estalagem.

Quando o levaram cativo, seu guarda Jyck teve a intenção de usar sua espada, mas Tyrion o deteve, sabendo que só seria morto. Senhora Catelyn mostrou as feridas em suas mãos ao redor, alegando que elas haviam sido causadas pela adaga de Tyrion durante um ataque contra seu filho. Todas as pessoas da pousada, que antes eram amigáveis, começaram a gritar por sua morte. Com apenas seus homens Jyck e Morrec para defendê-lo, Tyrion não teve escolha senão render-se; seu outro companheiro Yoren, sendo da Patrulha da Noite, jurou não participar nesses assuntos.

Senhora Catelyn declarou, muitas vezes e alto, que eles estavam levando Tyrion para Winterfell pela justiça e Tyrion olhou para a multidão e viu que as coisas não eram tão ruins quanto pareciam, já que de alguém que teria escudado as afirmações de Catelyn iria informar isso a seu pai, Tywin Lannister, quando este fosse investigar o que aconteceu. Dos cerca de cinquenta homens na sala comum, Catelyn Stark levou apenas uma duzia nua. Ele anunciou que qualquer um que relatou sua captura para seu pai receberia uma rica recompensa. Sor Rodrik ordenou que a multidão permanecesse em silêncio, e Tyrion lutou para não rir ao pensar que Sor Rodrik era tolo o suficiente para acreditar que sim.

Senhora Catelyn pediu ajuda para trazer Tyrion para Winterfell e foi recompensada com vários recrutas. Como eles o empurraram a força para fora da pousada, mas não estava com medo, pois tinha certeza de que nunca chegariam a Winterfell (pois seu Lorde Tywin os interceptariam antes). Então vendaram os olhos do anão e fizeram um galope duro pela chuva longe da pousada.

Estava amanhecendo e a chuva parou quando eles finalmente puxaram a venda de Tyrion que viu que eles estavam na Estrada de Altitude indo para Ninho da Águia, e não na Estrada do Rei indo para Winterfell. Enganado, o anão perdeu a esperança. Qualquer busca por ele seria na direção errada e estas eram as terras do falecido Lorde Jon Arryn, e sua esposa Lysa que era Tully. O que era mais irritante do que o seqüestro em si era que a Senhora Catelyn o havia enganado.

Ele foi poupado da venda nos olhos depois disso, e depois da segunda noite eles não mais amarraram as mãos. Mais tarde, eles quase não se preocupavam em protegê-lo, já que não havia para onde fugir. O terreno era áspero e selvagem e a estrada não era mais do que uma trilha pedregosa, e as montanhas continham gatos-das-sombras e os perigosos Clãs das montanhas do Vale.

Enquanto eles viajam, Tyrion se lembra dos nomes de todos os seus captores pois "um Lannister sempre paga sua dívida." Ele tem uma inimizade particular em relação ao cantor Marillion, a quem ele culpa para toda a bagunça e quem atualmente está procurando palavras que rimam com "duende" para uma música sobre essa aventura.

Catelyn, Sor Rodrik e vários outros estão discutindo sua situação e a perseguição dos Lannisters quando Tyrion comenta que há poucas chances de que os perseguidores os peguem. Tyrion explica que qualquer perseguição irá levar até o Gargalo, não para o Ninho da Águia. Ele afirma que não encontrarão ajuda até chegarem ao Vale, e que, no seu ritmo atual, só perderão mais cavalos, o que sobrecarrega ainda mais os outros. O ritmo também poderia provavelmente causar a morte de Tyrion, que obviamente não o desejo de Catelyn. Ela responde que Starks não são assassinos, e Tyrion afirma que ele também não é um assassino e muito menos estúpido a ponto de armar um assassinato comum com sua própria lâmina, o que o incriminaria.

Por um momento, Tyrion pode ver a dúvida nos olhos de Catelyn, mas ela pergunta por que Mindinho mentiria. Tyrion responde que mentir é na natureza dele e menciona como o homem se orgulha de ter tomado a virilidade de Catelyn. Ela chama Tyrion de um homem maligno, mas Tyrion a chama de tola, continuando a dizer que Mindinho apenas ama Mindinho e só estava interessado em sexo com ela. Kurleket coloca uma faca na garganta de Tyrion e pergunta se ele pode matá-lo, mas Catelyn novamente diz a ele para deixar Tyrion falar. Tyrion pergunta como Mindinho afirma ter obtido a lâmina. Catelyn explica que Tyrion ganhou a adaga de Mindinho no torneio onde Cavaleiro das Flores desmontou seu irmão.

O grito de um vigia os interrompe, alertando-os para os inimigos que chegam, e Catelyn imediatamente organiza a defesa. Tyrion grita para Catelyn armá-lo e também seus seguidores, porque ela precisará de todos os homens. Tanto ele como Catelyn sabem que os clãs da montanha matarão Lannister e Stark. Lharys desliza pela colina com a notícia de que existem cerca de 25 homens: Serpentes de Leite ou Irmãos da Lua. Sor Willis Wode pede ajuda a Marillion com seu peitoral, mas o cantor congela de medo. Em vez disso, Morrec ajuda.

Tyrion insiste novamente com Catelyn que nessa situação ela não pode desperdiçar homens vigiando o anão, pois todos tem de lutar. A seu pedido, Tyrion dá sua palavra de que ele devolverá as armas assim que a luta terminar, e ela concede. Morrec se arma com um arco, sendo melhor com ele do que com uma espada, e Bronn oferece a Tyrion um machado de duas lâminas. Quando Tyrion comenta sua inexperiência com um machado, Bronn diz-lhe para fingir que ele está partindo cepos de madeira.

Tyrion se junta a Marillion em seu esconderijo. Marillion diz que ele é um cantor e não quer fazer parte da luta, mas Tyrion força seu caminho para dentro. Os clãs aparecem armados e liderados por um homem imponente com um manto de Gato-da-sombra e uma Espada-Larga. Ao começar a batalha, alguns gritam "Winterfell" e "Harrenhal", Tyrion reprimi seu grito de "Rochedo Casterly". De seu esconderijo, Tyrion vê Bronn através dos clãs, cortando os inimigos a direita e esquerda, enquanto Sor Rodrik martela o líder. Marillion grita quando um cavaleiro salta sobre eles. Quando o salteador se vira, Tyrion corta o pescoço do cavalo para que o cavaleiro e o cavalo caíam juntos. Tyrion então enterre seu machado no pescoço do inimigo e usa essa oportunidade para esmagar os dedos de Marillion com uma bota.

Durabte o resto da batalha, Tyrion continua pelas margens, saltando para cortar as pernas dos cavalos e matar homens feridos, tomando o elmo de um deles. Tyrion observa Jyck morrer. Então ele ouve uma mulher gritar. Tyrion vai ajudar a senhora Catelyn, mesmo um lado seu pense em deixá-la morrer. Tyrion pega o primeiro homem no joelho e Catelyn mata o segundo homem, que se distraiu com Tyrion. O terceiro homem foge, e a luta acaba.

Como Bronn pega às botas de Jyck e pergunta se esta é a primeira luta de Tyrion e o anão confirma. Bronn então diz-lhe que ele precisa de uma mulher agora, pois não há nada melhor que sexo depois da uma batalha. Tyrion reponde que ele estaria disposto se a Senhora Catelyn estivesse.

Olhando para os clãs mortos, Tyrion observa que na verdade eles eram homens magros e pouco impressionantes. O líder com manto de sombras não é tão grande ou aterrorizante como parecia e a sua grande espada era mal feita. Porém o grupo de Tyrion têm apenas três mortos: os homens Bracken, Mohor e Kurleket, e o próprio homem de Tyrion, Jyck. Tyrion lembra da forma como morreu e pensa como um tolo até o fim.

Sor Willis Wode insiste que eles devem prosseguir com pressa antes que mais clãs chegam, mas Senhora Catelyn deseja esperar para enterrar os mortos. Quando Sor Willis ressalta que o solo é muito pedregoso para os túmulos e Bronn diz a Catelyn que ela pode fazer o que quiser, mas que ele e Chiggen têm coisas melhores a fazer do que pilharem pedras, como a respirar e viver, por exemplo. Quando Sor Rodrik concorda com Bronn, a Senhora Catelyn se irrita, mas concorda e eles prosseguem seu caminho. Agora há muitos cavalos. Enquanto Tyrion monta o cavalo de Jyck, Catelyn diz-lhes para lhe devolver o machado.

Tyrion tem o prazer de saber que Marillion, o cantor, quebrou várias costelas, quatro dedos e perdeu sua harpa. Tyrion fica menos satisfeito ao encontrar Marillion vestindo o magnífico manto de Gato-da-sombra que pilhou do líder dos inimigos caídos. O cantor finalmente não tem nada a dizer, e Tyrion pode vê-lo se encolher quando ouvem Gato-da-sombra se aproximando dos corpos que deixaram para trás. Então ele se aproxima da Senhora Catelyn. Concluindo a conversa antes de sua interrupção, Tyrion aponta que há um erro grotesco na história de Mindinho: ele nunca apostaria contra sua família.

Sobre a página

Esta página utiliza conteúdo baseado em A Game of Thrones-Chapter 31, um artigo de A Wiki Of Ice And Fire.